Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A CORRUPÇÃO V. ELZINHA NUM CASAMENTO

Click to this video!

A corrupção V. Elzinha num casamento.

Como relatei na historia anterior, a pedido do meu primo-amor e amante, fiz muito satisfatoriamente de “Garota de Programa” (Vulgo: puta elegante contratada por telefone) numa festa de despedida de solteiro para um dos seus amigos, junto com outras quatro vadias, verdadeiras putas profissionais. Observando as outras aprendi um bocado em relação a comportamento profissional. E levei um bocado de picas, literalmente me encheram de porra. Sai mui fodida e satisfeita.

Como uma das condições para aceitar tinha sido a de assistir com meu priminho ao casamento, ele fez jus a sua palavra. Acho que não estava muito feliz, por ter estado na festinha de despedida com seus amigos, mas como era ele que tinha tido a ideia, tinha que aguentar e fomos. Vesti conforme o figurino, elegante e adequadamente, e o João me apresentava como “sua amiga”.

A cerimônia foi como costumam ser as bodas, e já desde a igreja, me apercebi das miradas de um dos amigos do meu primo. Aquele tipo de olhar de “Eu conheço essa moça, eu conheço... mas de onde?” E claro que eu identifiquei os que tinham estado na festinha, a começar pelo noivo.Mas esperava não ser reconhecida, simplesmente por ter muita gente, e muita bebida. Era mais provável que lembrassem da minha bunda quando seguravam para comer, ou dos biquinhos ao mamá-los. Mas toda de mim? Não acreditava.

Porem, um deles, aquele que me olhava na igreja, decidiu se aproximar e iniciou um papinho furado, do tipo: Oi, tudo bem? Todo bem. Amiga da noiva? Não, do noivo. Ahhh. Não nos conhecemos de algum lugar? Não acredito, você é professor? Não...

Mas ficou curioso a me observar. E eu inquieta e atenta, vi quando mudou de expressão e se dirigiu a outro da turminha, a lê cochichar exitadamente algo no ouvido, me indicando com o dedo. O outro olhou para mim franzindo o cenho e a seguir vi um grande sorriso mexendo a cabeça e assentindo.

Gelei... Estava fodida, ia dar vexame... Bom, e agora? Sô tinha duas opções: ou cair fora de imediato. Ou simular indiferença e ficar. E decidi ficar. Porem, depois soube que alguém lembrou que o João nos tinha contratado (Ninguém ali sabia que éramos primos e amantes), e foram com ele. De longe vi como conversaram animadamente os três. E a seguir meu priminho puto se aproximou e me diz: Reconheceram você! Sim, já me apercebi... E agora?

Não sei. Quer dar o fora? Ou aguentar? Por orgulho e respondi: Fico.

Pouco mais tarde os três se aproximaram discretamente. Oi! Oi. Reposta da festinha na casa do fulano? Sim, e vocês? Também. Temos uma proposta... A, sim? Sim, ou você da para nos agora, ou falamos para o dôo da casa e será expulsa vergonhosamente.....

Eu senti enrubescer, sentia as bochechas quentes, ardendo. Porem com a pouca força que pude reunir perguntei: E como seria isso? Simples, eu conheço esta casa, vamos para o segundo andar, a um dos banheiros, achamos que ninguém vai incomodar... Tudo bem, respondi, mas depois me deixam gozar da festa. Ta certo. Vamos?

Sem responder, caminhei na direção indicada, como se fossemos amigos batendo um papinho. Seguindo meu costume, e já definida a situação, comecei a estudar como aproveita-la. E lembrei: Se não puderes evitar ser fodida... relaxa e goza... e não poderia evitar...

Entramos no banheiro e eles já iam dizendo: Temos muito boa lembrança de você... você foi uma putinha muito gostosa e tesuda, por isso queremos te comer de novo... vamos enfiar novamente nessa xoxota saborosa... hoje vais ter por todos os buracos... e não vale reclamar... puta não nega...

E entrando já iam me manuseando e metendo mão por todos lados. E em quanto um subia o vestido, outro abria o fecho e o abaixava de cima, e o outro me beijava alisando os peitos e tirando o soutian. E antes de dizer qualquer coisa, já estava pelada, so com as meias e zpatos, e os três tinham as picas duras e de fora e ás mãos me percorrendo toda.

Para começar, um sentou no vaso e me colocaram sentada no seu colo frente a ele para ser enfiada. Em quanto os outros mexiam com meus peitos e alguns dedos acompanhavam na boceta a pica metida. Depois me viraram e me inclinando mamei uma pica colocada de frente. E depois duas picas entravam na minha boquinha, as veces juntas, as veces se alternando. E tive meu primr gozo.

Quando o que estava sentado completou no grelho me enchendo de porra, outro também completou na boca, e engoli todo, não tinha outro jeito. E alem de mais, gosto mesmo.

Quando isso todo estava acontecendo, eu já estava gozando e em plena pose do papel de cadeliha puta e vadia. Nos momentos em que não tinha picas metidas na boquinha, acompanhava seus comentários: Goza putinha, anda mexe esse quadril, mexe a bunda, vadia filha de puta, mexe que queremos te enfiar mais. E eu respondia: Me fodam, caralho, fodam sua putinha, sim, sou sua cadela vadia, me encham de porra, seus putos, quero seus caralhos bem dentro de mim, por onde queiram, mas dentro...

Depois me colocaram no chão de a cachorrinha e novamente tive um pinto na boca e outro na xota e senti meu cuzinho estreado por essa turminha. O que estava na boceta, se mudou para o buraquinho e dizia: Mas que cuzinho mais apertado tem esta puta..!! Como esta gostoso...! Parece que não tem dado muito por aqui... Com os comentários, os outros quiseram provar, e por turno me curraram. E era verdade, atê esse dia, somente meu priminho tinha comido meu cuzinho. E estando assim, me encheram, um apos o outro.

E já tendo completado, seu leite cheirava por doquier no banheiro, mas considerando que já era hora de terminar, lês diz: Já me foderam como desejaram, agora eu vou querer de outra maneira, e vão-me satisfazer. Quero os três dentro de mim, como eu desejar. Topam? Concordaram e escolhi a pica mais grossa para meter pela boceta, a mais longa pelo cu e a outra na boca. Um deitou-se e eu montei nele guiando o ferro à xana. Já bem encaixada, e sentindo ás bolas alisando a bunda, me inclinei e outro enfiou no cuzinho, já fácil pelo arregazado; E quando começaram a mexer, e eu acompanhava rebolando a bunda, pedi para o outro meter na boca: Pronto puto, me da já essa pica, que quero comer mais porra. Queriam uma puta de festa? Pois aqui estou... mete filho de puta, mete...

E esse foi o primeiro a completar, com muitos espasmos, parte ficou na boquinha e engoli, parte ficou no rosto espalhado. E a seguir senti os jatos enchendo meu cu, e apertei as nádegas para estimular mais a ordenha. Por último outro leitinho encheu o grelho...

Ficamos derrengados, cansados e demoramos uns minutos a nos recuperar, todos quatro sentados no chão do banheiro. Depois tomamos um pouco de água e perguntei: Tem suficiente da sua putinha? Cumpli? Querem mais? Já comeram de todo, e estou toda arregaçada e de tanto leite, não tenho mais fome. Damos por terminado? E se quiserem, outro dia continuamos. Concordaram

E voltamos contentes á festa, como se nada tivesse acontecido.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


mulher do meu amigo fudeno comigo na casa deleo contos eróticos irmã calcinha dormindocontos eroticos fudendo a mae travesticontos heroticos meu amigo hetero dormi e eu aproveito quando ele ver mim bate e depois mim comeucontos eroticos cdzinha virei menina pra agradar meu donozofilia devuaetatraficante comendo a travesti conto eroticocache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html conto tia gostosa de microcalcinhaeu adoro meu macho zoofiliaMenina da pracinha, contoempurando devaga no cu 30cquero assistir você para minha mulher rapadinha pau entrandocontosincestofilhaconto erotico minha mim deixado de castigoconto porno a virgem babicontos erótico acabei indo pela primeira vez num sítio de naturistarelatos eróticos de incesto sogra cheirando minhas calcinha usadasconvencimeu marido a ser cornocontos de mulheres que colocaram silicone no seiocontos gay brincadeira de luta comi meu irmãozinhofui toma uma no bar da coroa safadinha e acabei comendo seu rabinhocontos cara comeu minha mulher devaga pra mim nao ver contoscontos eroticos minha mulher virou amante dossexo aos14 pornodoidoRelatos sexuais me encoxando na cozinha e o corno na salacontos eróticos perdi minha virgindade com um pau grande e grossoconto er seios quadril glandecontos eróticos cu saindo pra foracontos eróticos esposa de 60anos com farra na camaTudo q uma puta deve fazer na camamenina na punheta contosnão anãozinho chupa meu pauleitinho do padrinho contos gaycomendo cu da geizielipeguei meu sobrinho mexendo nas minhas calcinhapapai Me. comeu Contosconto guarda roupa da lingerieconto mandei fazer fila pra mim chuparContos eróticos gay meu amigo da bumda grande sempre deu o cucomendo a deficiente contos eroticosdando/o cabaço pro titio conto exitantecuzinho de entiada contos veridicoConto eroticxo gozando na boca do paiPeguei meu entiado masturbando com minha calcinha.conto eroticotirei o cabaco do garotinho mimado de onze anosbuceta toda escancarada putariaurso tiozao roludo conto gayDesenho porno pai bota filhar pra domir i fode ela todinharcontos eroticos casada e comida por traficantescontos eróticos na roça com minha maecontos eroticos cunhadaChiquinho chupando pintominha tia me conveceu a da minha buceta para meu tio contos eroticosconto erotico fiquei com o cuzinho bem arrombado e cheio de porraai devagar porra caralho sua pica e muito grossaconto erotico travesti desobediente castigada pelo donofilho tirando a calcinha da mãe . ...mas mesmovidio porno gey aronbei meu primo no quarto enquanto ele estudavadei na infacia e não me arrependo contos gayscontos comi minha sogracontos meu irmão e eu betinha vendo contos de coroa com novinhoConto surpreendi meu maridomeu buraquinho guloso no teu paucontos fui banha no rio e minha tia foi atrazconto uma viagem muito gostosacontos eroticos marido come o cu da deficienteela pegou no pinto dele na marra mais ele gozouvídeos pornô Santa Rita taxistacunhada espiando contoContos comi a mulher de amigo bebada