Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CASALZINHO HUMILHADO E ARROMBADO

Click to this video!

Minhas ordens haviam sido claras. Chegaria à casa do casalzinho às 17h. Deveriam me esperar vestidos de saia e blusinha. Ambos com calcinhas de temas infantis, bem mais humilhantes. A ordem para o corno era de se depilar completamente. Ela já era toda depilada, mas falei que se achasse algum pelo, uma penugem que fosse, ela apanharia como nunca pudera imaginar. Também disse que quando o porteiro interfonasse, deveriam deixar a porta aberta e aguardar de joelhos e minha chegada.



Conheci o Márcio e a Ana pela internet. Teclamos um tempo e até nos falamos pelo fone. Eu nunca curti muito dominar homens, mas como ele não era homo e sá queria se sentir humilhado, topei. Claro que não iria comê-lo, mas poderia arrombá-lo com um consolo. Márcio tinha 33 anos, pele clara, olhos azuis e cabelos castanhos. Baixinho, 1,69 m, peso normal e um corpo com nada especial. Ana tinha 29 anos, era morena bem clara, de olhos verdes. Tinha cabelos castanhos nos ombros, uma boa sensual, seios médios e uma bunda arrebitada. Os estavam ajoelhados conforme eu ordenara.



Ana estava com uma saia que ia até a metade das coxas, preta, e uma blusa branca. Tinha lingerie vermelha, como eu havia ordenado. Márcio tinha uma saia branca, parecida e uma baby-look vermelha. Estava ridículo. Como eu não podia acredita que ele tinha se depilado todo, mandei que se agachasse e mostrasse a bunda. Realmente não vi um pelo. Mandei tirar a calcinha, abrir bem as pernas, e mostrasse o rabinho.

- Agora vou ver se é realmente submisso. Vou logo chutar a boca do balão, sem esta de ir devagar. – Assim que disse isso, desferi um chute em seu saco e pinto. Ele rolou de dor no chão.



- Levante-se – ordenei. E ele me obedeceu prontamente. – assuma a mesma posição, pois vou chutá-lo de novo.



Assim que ele abriu as pernas, dei-lhe outro chute. Naquele momento, ficou claro quem mandava ali. Então mandei a Ana tirar toda a roupa dele. Ele realmente estava depilado, completamente. Mandei-a pegar uma cordinha e amarrar o saco dele, bem forte. Ela fez isto e amarrou a outra ponta no pé da mesa conforme minhas instruções. Agora era a hora de brincar com Ana.



Fazia tempo que não dava uma boa surra em uma mulher e disse isto a Ana.



- Sou toda sua, Senhor. Faça comigo o que achar melhor. Se me surrar lhe dará prazer, estou à sua disposição.



Ana realmente era submissa. Incrível. Mandei que se deitasse por sobre o sofá, por trás, e levantasse a saia. Ela fez menção de abaixar a calcinha, mas disse que não seria necessário, pois a surra seria tão violenta que não faria diferença. Ana se assustou. Peguei a vara de árvore que tinha arrancado na rua e a mostrei a poucos centímetros de seu rosto.



- Vou bater com força em sua bunda e atrás das coxas. A dor será horrível. Vai arder, doer, sangrar. Serão dois momentos de dor. A dor da pancada dura e seca, e depois a dor ardida da ponta da vara nas laterais. Normalmente, esta ponta corta e sangra.



Ana ficou mais assustada.



- Senhor, estou com medo, mas quero servi-lo. Me bata como quiser.



Dei-lhe 50 varadas. Sua calcinha rasgou e os lados da coxa e da bunda sangraram. Mandei o corno lamber o sangue, o que ele fez rapidamente. Achei que Ana jamais passaria de 19 sem usar a safeword. Mas estava enganado. Antes de abusar mais dela, dei-lhe uma ordem.



- Pegue a calcinha do corno e enfie no rabo dele. Rápido. E não se preocupe, ela sai depois.



Ana obedeceu prontamente. Márcio nem se mexeu.



- Quer fazer a mesma coisa com ela? Claro que não. Você é um corno veado.



Olhei para Ana e mandei que ficasse nua. Completamente. Ela obedeceu e expliquei que se o corno ficasse excitado ela apanharia mais ainda, na parte da frente das coxas. Ele nem precisou tirar sua calcinha rasgada e manchada de sangue para o pau do Marcio ir lá para as nuvens.



- Ana, sente-se na mesa. Mas antes me traga aquele chicote de hipismo...



Ela chorou copiosamente. Resolvi bater em apenas uma coxa, que logo ficou um pouco roxa. Parei e passei a mão em sua xota. Molhada. Muito molhada. Mandei que mostrasse a xota para o corno e que ele a olhasse sem encostar nela. Logo, logo iria comer aquela bucetinha virgem na frente do corno, mas antes queria fazer uma brincadeira divertida.



Peguei um consolo enorme, de arregaçar mesmo. Ambos já tinham usado plugs e alguns consolos no rabo. Mas este era para testar os limites, até machucar. Mandei a Ana enfiar no rabo do corno.



- Ana, putinha, coloque no rabo dele. Você pode usar lubrificante e tem dois minutos. Se não conseguir, vou enfiar no seu rabo, em apenas 1 minuto e sem lubrificação.



Por um minuto e meio, Ana tentou colocar devagar, com calma. Mas quando viu que era o cu dela ou o dele, forçou de verdade e o consolo entrou. Marcio gemia de dor e, finalmente, de raiva.



- Corno verme, sá tem um jeito de isto sair do seu cu rapidamente: é ir para outro rabo. Alguma sugestão?



Gemendo, o Marcio apontou para a bunda de Ana, que começou a chorar. Na mesma hora, tirei o consolo do rabo de Marcio e dei-lhe os mesmos dois minutos para arrombar o rabo de Ana. Mas com uma vantagem. Se fizesse em menos de um minuto, poderia se vestir e acompanhar tudo sentado sem nenhum castigo de dor. Em 47 segundos, Ana se contorcia no chão, com o consola entalado no rabo. Na pressa, Marcio mal usou lubrificante.



Esperei alguns minutos para Ana parar de chorar. Disse que sá tiraria o consolo quando ela se recompusesse. E assim eu fiz.



- Agora vou comer você, Ana. Na xota. Parou de tomar a pílula como mandei?

- Sim, Senhor.

- Ótimo, pois quero deixá-la prenha. Deite-se na mesa de centro e arregace as pernas!



Tomei posse da xota de Ana com violência e gozei fundo, deixando meu sêmen ali.



>>>>>>>>>>>>>>>>>>



Isto foi sá o início desta aventura. Ana, na verdade, queria ficar grávida, mas Marcio era estéril, portanto esta gravidez era até bem-vinda, pois não teriam que recorrer a bancos de esperma. Todo este ocorrido foi consensual. Meu MSN é [email protected] e aceito contatar mulheres e casais submissos.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos de casadas que se entregam a outro homemcontos me chamo camila transei com felipe meu irmaocontos velho comendo novinha casadachupando rola ate goza e dando a bucetacontos eroticoscontos eroticos segredos de familia parte 4conto erótico o que rola em cine Porno do Brasilcontos japonesa rabudaconto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamentecontos gay me montei pra elevideo porno de anos gozando dento e escorredocasada da bunda maior de todas contoscontos eróticos esposa amanheci toda meladacontos bi vi meu pri meter na prinha prima fiz ele comer meu cu e eu fudi elácalçinhas meladinhas nelascontos eroticos tirando virgindade de netinhaNovinha desmaia de tanto gosa conto eroticoFlagra plughomem interra tudo na buceta inxada da sua cadelalongos contos eroticos estupros dpcontos eroticos vestido colado e curtoconto familia da esposa nudistacontos comendo a sogracontos eroticos comi a irmazinhaduas irmas com peitinhos crescendo e o irmao chupandoContos eroticos filha rabudacontos eróticos de filho com sua mãecontos eróticos de bebados e drogados gayscontos de menino bem novinho usando calcinhana quarta feira de cinzas contos de sexocontos tia gostosaa ai delicia ai vai vaitirei o cabacinho do viadinhoconto erotico beijei minha irma dentro do tremContos de viadinho de shortinho socado querendo dar o cucontos eróticos mulheres q chega em casa e o marido desconfia porque está arrombadacontos eróticos na roça com minha maeProfessora de shortinho partindo a bucetacontos de boquete bom de primos e primas novinhossexo velho gozando dentro da menina de quise ano e gosanodentroviado dando o rabo desfasandocdzinha contos troca trocavidios porno de homem pegando irmazinhar mulher si mastubando e conceguindo comer a buceta delaneqguinha gritando ai vou gozarcontos eroticos paulo e bruna parte 2vhupou minha buceta lesbicaconto eróticocontos eroticos amigas se mastubam juntas pela primeira vezsadomasoquismo relatos comidavivafui criado para ser gay Contostravesti pau duro contoscontos bem safados assanhando meucontos viado arrombadoconto de mulher casada crente com filhocontos eroticos nupcias blogspotcontos eroticos homem casado dando para o primolesbicas presediarisconto mulher casada rabuda dei pedreirotransando com a namorada mais perfeitacontos erotico esposa iniciada no lesbovi minha tia nua contosmeu padrasto me fudeo todAcontoseroticos negaoContos eroticoss adoro trepar sem camisinhacontos eroticos arronbaro e enfiarao tres paus de uma so ves na minha esposa na minha frente e ela adorouporno meu marido me levou no swing so para ver outro gozar na minha bucetaesposa chupeteira contosconto erotico incesto sonifero filhabucetas carnudas grandes beicos casadas cornoscache:fqKHdRAEKq0J:studio-vodevil.ru/mobile/conto_27513_bebi-demais-e-virei-corno-na-praia.html as rabudaacontos eroticos cunhadaconto curto mulher contrata traveco pro cornocontos eróticos minha tia min da banhocontos eroticos gay mentalbrincadeiras com irmã-contosdesenho porno dos flinstons cadamento.da pedreitacolo do velho. contominha xana piscavacontos bdsm erposas escrava submissa martacontos eroticos - esposa - massagista - pintudocontos eróticos vovódefrentezoofilia