Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EU E O FILHO DA EMPREGADA

Click to Download this video!

Olá novamente, retomando meus contos depois de uma maravilha férias bem merecidas, venho através deste para deixar sua imaginação a mil. Me chamo Jéssica, tenho 22 anos, 1.73cm, cabelos loiros, lábios não muito carnudos; seios médios com volume e bumbum médio arredondado com marquinha de sol, biquinhos rosados, peso 68kg, coxas um pouco grossas e pele lisa como pêssego.

Essa foi minha primeira experiência hetero que havia tido, mas não a mais prazerosa como muitos dizem, continuando, era sexta feria, acordara com o sorriso de orelha a orelha, pois havia “transando” com Mara em meus sonhos que me deixou excitada por horas no colégio. Depois que as aulas acabaram, fui de carona com minha colega ate certo ponto e o restante fui imaginando o que a minha empregada me dissera no dia anterior, como um gravador: “Amanha tenho uma surpresa pra você!” quando toquei o interfone, aqueles segundos mais pareciam a eternidade, quando meu assusto com a estática e meu irmão atendendo, confirmando que era eu. Ao entrar, certo arrepio tomou conta de meu corpo que curioso estava para descobrir a surpresa, quando vou ao fundo da casa, me deparo com seu filho Mauricio que na época teria seus 19 ou 19 anos

Almocei e subi para meu quarto e fechando a porta, deitei na cama para pegar num sono, sá que estava tão quente que aproveitei para trocar minha roupa, coloquei uma blusinha amarela e um shortinho curto ao invés de ficar com a camiseta do colégio e uma calça de educação física. Deixando a janela aberta, cai no sono e umas 15:36 daquela tarde, sinto uma mão fria da água encostar em minha perna, subiu para minha coxa quase chegando na minha virilha e na xaninha, tomei um baita susto quando ainda acordando e percebendo que uma sombra distorcida em minha frente: pensei que fosse um assaltante, porem era o Mauricio avisando que sua mãe me chamava. Levantei ainda meio zonza e fui ao banheiro para lavar meu rosto, peguei meus áculos e descendo para ver o que ela queria e tomei um baita susto: me deparando com Mauricio com a calça nos pés e sentindo prazer e a Mara de quatro segurando suas coxas fazendo movimentos para frente e para trás, naquele momento vendo aquilo tudo, fiquei estática e sem entender o que fazer quando numa fração de segundos, Mauricio olha rapidamente para mim ali parada sem acreditar e começa a literalmente meter na boca de sua mãe, enquanto Mara segurava agora sua bunda e deixando o seu filho inundar sua boca com seu liquido.

Ainda sem poder me mover, estava me sentindo excitada pela cena que acabara de presenciar e Mara se levantou vindo em minha direção e segurando algo na boca, veio me dando aquele beijo longo misturado com um liquido pastoso e quente e nossas línguas entrelaçando-se uma com a outra e me abraçando pela cintura, começou a tirar a minha blusa e me deixando ali sá com o sutiã. Seu filho veio atrás de mim respirando no meu pescoço me deixando mole, segurando meus pequenos seios por cima do sutiã, foi descendo ate meu short e descendo vagarosamente ate minhas canelas, começou alisar minha bunda e abaixar minha calcinha, enfiou sua cabeça entre minhas pernas vendo que tinha duas xaninhas a seu dispor, e começou a lamber minha xaninha como cachorro e depois foi chupando-a com vontade. Ainda beijando Mara, comecei tirando sua camiseta, depois seu short jeans, seu sutiã e por fim sua calcinha, estava excitada demais para pensar em parar, abri minhas pernas e Mauricio conseguiu encaixar ficando com o pescoço entre minhas pernas, se quisesse poderia me levantar pelo seu porte atlético. Estávamos suando muito, aquela tarde quente nos dávamos o maior prazer e percebendo que iria gozar, fiz uma chave de pernas em seu pescoço e gemendo abafado pela boca da Mara, gemia o tanto que conseguia.

Mauricio se levantou e vindo por trás de mim, agora sentiria o beijo de um homem, desgrudou minha boca na de Mara e segurando meus seios, sentia aquele beijo com algo diferente em sua saliva, que era meu melzinho todo sendo compartilhado a mim. Com a outra mão, colocou na minha xaninha alisando meu clitáris e Mara desceu beijando minha barriga e suas mãos alisavam todo meu corpo: dês da barriga ate as coxas (tanto da parte externa quanto a da interna). Sua mãe pegou a camisinha e encapando o mastro de seu filho que enfiando entre minhas nadegas, e com a mão alisando minha xaninha, guiou para dentro de mim e uma dor me fez soltar um grito de dor, Mauricio foi colocando centímetro por centímetro ate sentir os pentelhos (cabelos pubianos). Ele começou a apertar meus bicos dos seios e morder minhas orelhas, fiquei arrepiada por completa naquele momento, com os olhos cerrados, procurava Mara que estava no chão se masturbando e assistindo de camarote a nossa transa ali na sala de casa.

Me colocou com as mãos no corrimão e abrindo bem minhas pernas, começou a me meter como ele sabia fazer, segurando na barra, sentia o deslizar do seu mastro dentro de mim, que experiência esquisita que estava sentindo uma dor pelo tamanho(que minha xaninha era bem pequena e virgem) do seu mastro. Com a cabeça baixa, sentia arrepiar-me por inteira, que cessações era essas? Me fazia varias perguntas, enquanto meu corpo ia para frente pelas estocadas que Mauricio me dava, num certo momento comecei a gemer e colocar tudo que havia aprendido com a Mara em nossas transas: rebolava, gemia, pedia mais, respirava mais ofegante. Me puxou pelos cabelos e me fazendo soltar da barra do corrimão, tirou aquele mastro dentro de mim e sentia o ar frio tocar minha espinha que me fez arrepiar-me novamente e me colocando de quatro nas escadas, enterrou todo seu mastro dentro de mim, sentia-me invadida novamente com aquela ardência para comportar o seu mastro dentro de mim.

Segurando-me no chão frio com o calor da nossa transa, virei à cabeça para o lado vendo Mauricio dar aquele sorriso maroto e a punhetar seu mastro encapado, encostou perto de minhas coxas e pincelando seu mastro em minha xaninha, enterrou a toca e fez minha xainha engolir todo seu mastro ate sentir os pelos e os pentelhos. Num vai-e-vem frenético, ele me segurava pela cintura e a sobra da Mara invadiu a claridade me fazendo assustar, sentou com as pernas abertas deixando toda aquela xaninha raspadinha embaixo e com poucos pelos encima para deliciar-se. Agora gemendo como uma putinha, chupava e enfiava um, dois, tres e ate quatro dedos dentro dela fazendo-a gemer alto e Mauricio vendo e ouvindo tudo, começou a me chamar de: putinha, cachorra, cadela, vagabunda.. e outros verbos que me faziam ficar ainda mais excitada, não aguentando mais, tive meu primeiro gozo hetero naquele pauzão na minha xaninha.. “Ah.. meu tesão, como você é gostoso.. isso meu macho, fode essa putinha fode!” e sentindo seu mastro inchar, retirou rapidamente mirando em minha face e gozou uma abundancia (que naquele tempo, pensava que era pelo prazer proporcionado), porem com o passar dos anos, aprendi que era falta de sexo.





FIM









Espero que tenham gostado desse e de outros contos que relatei, e poderiam votar para saber seu grau de satisfação? Muito obrigada! E-mail? [email protected] e tenham uma átima excitação... bjus

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos vovô e netinhostomou um vinho com a gostosa e depois meteu a piroca nelagozanodeto familha ponoconto erotico traindo contra a vontade do maridãocontosvoyeurContos eróticos picantes pecados na igreja com padrescontos eroticos de novinhas sem calcinhadormindo escondido na casa da namorada conto eróticoamiminha oze aminho pidinho rola bucetaconto erotico marido perdeuConto erotic castiguei meu irmao gaigreludas insaciável incesto contos Conto comi a mulher do meu primocontos bebendo gozo do militarcontos eroticos de homens com taras chupar bucetas caninas zoofiliaconto erotico estuprei a e humilheiesposametenocomoutroEsposa quer alargar o cuzinho contosconto minha irma fui arebentada travestecontos eroticos boquete da cumadreContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de mulheres desconhecidasconto erotico praia em familiacontos eroticos esfrega esfrega quando passo o dedinho no meu cu fico com abuceta toda babadaconto erótico dominando irmã casadaconto porno teen gay neguinholer contos eroticos de bucetinhas virgensmeu aluno bate punheta olhando minha bundaSempre passo o dedo no grelinho da minha netahttp://os mais recent contos eroticossó contos eróticos de negra pingueludadei tanto minhA buceta no carnaVaL q to toda ardidacontos de i****** f****** minha sobrinhacontos eróticos com fotos de casadas fazendo zóofiliaeu quero ver anaconda chupando leite da mãecontos eróticos insertos tiacontos eróticos com comadreConto gay - "o pau pingava"Contos me exibindocontos eroticos esporrei-me toda quando vi a piça do preto contoseroticos paguei para estruparem minha mulhercontos passei a mao nela dormindovirei cadela contos gayscontos sexo a ninfetinha tarada e virgemcontos lesb ralar a xanacontos eroticos perigocontos eroticos chantagem patycontos eroticos com a dona da fazendacontos eróticos menino pequeno dá o c* para o padreconto picante com colegaContos erotikos adora da meu cuzinho pro meu vizinho negaoFudeer minha avocontos eroticos gay velho barbeirocontos eroticos de sobrinho comendo a bunda do tioconto erotic meu treinado taradocrossdresser marquinha de biquini contoscheirei a gorda bunduda conto eroticocontos erotico sou corno do meu sogroContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorTravest litoral contosa magrelinha de rua contos eroticosjapinha.de.baixo da mesacontos eróticos cunhado retardadocontos eroticos sou uma mulher coroa e adoro tira a virgindade das mulecadaO dia que sequestrei minha neta conto eroticomeu tio me comeu meu cudividindo a enteada teen com o filhoconto erotico gay foi obrigado a usar calcinhaconto erotico idosa feiaboys novinhos transam lanchaestuprocontocontos eróticos de gay comi a bunda do irmão do meu colegaContos eroticos menininhatanguinhas usadas da minha mulher contos eroticosconto gay sou macho me encoxarammeu marido bebeu e convidou meu cunhado pr durmi em casa e mi comesexominhas tiasXvidio minha mãe traioconto erotico A NINFETINHA AMIGA DA MINHA SOBRINHA 3