Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA CUNHADA E SOBRINHA

Click to Download this video!

Um dia desses estava em casa sem fazer nada, quando Joana, minha cunhada, e Sabrina, minha sobrinha, vêm até em casa para visitar Janaina, minha mulher que havia saído com Gláucia, minha filha. Eu e Joana sempre nos demos muito bem, tanto é que desde que fomos apresentados, começamos a sentir uma certa atração, que se não fosse o amor que sinto pela minha família, Joana seria hoje minha amante ou quem sabe até minha mulher. Ao dizer as duas que Janaina havia saído pensei de imediato que fossem embora, mas Joana me disse que iria esperar, pois tinha um assunto importante a tratar, pedindo para que eu ficasse a vontade.

Voltei a assistir a tevê e deixei-as sozinhas pela casa. Quando não pensava mais nelas, Joana sem que eu percebesse, entra na sala e fica parada em frente à tevê com o roupão de Janaina. A olhei e não acreditei naquilo. Ela me chama, mas tentava ignora-la, esperando que saísse da minha frente. Joana abre um pouco o roupão, mostrando um dos seios. Não conseguia mais ignora-la, e num desses desequilíbrios que às vezes tomam a cabeça de um ser, abre e tira o roupão, ficando nua.

Fiquei embasbacado com tamanha beleza, mas Joana se aproveitando da situação previamente criada veio em minha direção e me beijou. De imediato não quis retribuir o beijo, tentando até me desvencilhar, mas seria em vão qualquer tentativa de recusa, pois ao ver que eu não a desejava, jogou-se sobre mim, apertando-me no encosto do sofá. Tomado, agarrei sua generosa bunda e comecei a aperta-la violentamente. Joana então se desvencilhou de minha boca e ofereceu-me o pescoço para beijos. Foi seu fim, pois ao toca-lo ficou ofegante e começou a sussurrar em meu ouvido. Do seu pescoço cheguei aos seus gostosos seios, onde os suguei feito um bezerro, chegando a morder seus mamilos, fazendo-a gemer com um misto de dor e prazer.

Ela saiu de cima de mim e tirou minha camisa e foi com a boca em meus mamilos, mordendo-os com força também. Não iria adiantar pedir para que parasse, as coisas podiam até piorar. A dor era viva, mas passado algum tempo sua boca foi correr em outro lugar, tirou-me a calça e caiu de boca em meu pau. Oh delicia! Fazia tempo que eu não recebia um boquete tão bom.

Sabrina entra na sala a totalmente nua. Leitor, o que você faria, deixaria a sua sobrinha entrar participar ou expulsaria as duas de sua casa? A olhávamos se aproximar com atenção, mas não tive nem tempo de pensar se a expulsaria ou não. Apás ela estar bem perto e que tive um pouco de consciência, mas não quis me negar àqueles minutos de prazer. Sabrina então me tocou carinhosamente o rosto e beijou-me, enquanto Joana continuava o boquete.

Sabrina beijou-me com volúpia, mas logo parou, e de pé sobre a poltrona deixou a boceta em frente a minha boca. Encarei-a e não vacilei, começando a chupa-la, fazendo-a jogar seu sexo contra meu rosto, e para aumentar nosso prazer, puxei seu quadril contra mim, e pude sentir sua bocetinha melada e doce. Apás algum tempo sendo chupada, que eu sentisse, pois estava em êxtase também, Sabrina havia gozado pelo menos duas vezes, fazendo-a empurrar minha cabeça contra a poltrona.

Não sei se extasiada ou com medo de se entregar, Sabrina puxou a mãe e a beijou como se estivesse beijando um homem. Nunca havia visto tal coisa e confesso que de inicio senti um pouco de nojo em vê-las, mas logo, tomado por aquela troca de salivas, me excitei, tendo vontade de agarrar as duas. Logo me deitaram no chão e começaram a brincar com o meu mamilo, mordendo-os. A dor e o prazer eram intensos, parecia que o estavam arrancando fora, mas mesmo assim queria que continuassem com aquela doce tortura.

As duas continuavam com a boca no meu corpo, quando Joana parou e sentou-se sobre o meu rosto. Com a visão fechada, senti Sabrina encostando algo quente e úmido em meu pau. Pensei que fosse sua boceta, mas logo senti seus dentes. Sabrina certamente seguia os passos da mãe, me fazendo um boquete tão gostoso quanto, apertando o meu pau em sua boca.

Joana queria sentir o mesmo prazer que havia proporcionado a Sabrina e sentada em minha boca chegou a sufocar-me. Dando-lhe alguns tapas na bunda, estava pedindo para que saísse ou que não tentasse me sufocar tanto, mas ela não entendeu minha mensagem, e apertou-me mais. Passado algum tempo, não mais a chupando, acho que tomou consciência do que estava fazendo, levantou-se um pouco e pude ajeita-la melhor.

Nos vinte anos em que eu e Joana nos conhecíamos nunca havíamos tido tal intimidade, confesso que tive oportunidades, mas resolvi que até aquele momento deveria ser fiel. Chupei-a com ardor, fazendo-a gozar pelo menos duas vezes, além de descontar os vinte anos de tesão acumulado e que havia me negado. Com Joana sentada e extasiada em minha boca Sabrina continuou o saboroso boquete, fazendo-me gozar em sua boca. A menina não tinha pudores e sorveu me gozo até a última gota, lambendo os beiços.

Com gosto de sexo na boca, beijou a mãe novamente, e sem que eu esperasse vieram me beijar. Não queria sentir o gosto do meu gozo na boca de Sabrina, mas não sabendo por onde escapar acabei beijando-a com repulsa. O gosto em sua boca era horrível, mas mesmo assim, tentei afastar essa idéia da cabeça, para que isso não tomasse conta do prazer proporcionado por elas.

Quis continuar aquela brincadeira, mas as duas estavam prontas para ir. Tentei prende-las por me provocarem e não quererem terminar o serviço, mas foi em vão qualquer tentativa, ao dizerem que poderiam facilmente contar a Janaina e Gláucia o que havia ocorrido, com o acréscimo de que eu as forçava a fazer isso. Não sou de bater em mulher, mas a minha vontade era dar-lhes um soco na cara. Para completar, ao irem disseram que sá vieram para se divertir, e que até aquele momento era tudo o que podiam oferecer.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos eteros na adolecencia virei puta de mes amigosconto erotico travesti desobediente castigada pelo donocontos eroticos:marido da minha tiatomando banho de rio com titio contos gaycontos eroticos comendo mae do amigoconto erótico enteada querendo dar po padrastoquero história de putaria de caminhoneiro um comendo o cu do outro contandocontos do sexo menina mimadacontos de crosdresserescontos eroticos pastor safadoPuta merda!!!para!(conto teen gay)menima dez anos peito durinhocontos gozei na bunda da velha no tremcontos eroticos pintor gozou nas minhas calçinhasconto ela deu e se fudeuconto erotico descabaçei a novinha para dar a vaga de empregoContos de putas fogosas co.tados por mulherescontos eroticos o fazendeiro pegou minha namoradacontos eroticos enchi a buceta da cunhada de esperma e ela ficou gravidaContos de sexo en onibusconto erotico comi a cunhadinha nos fundos e na frente da namoradaConto eu e esposa banho amigo bebadocontos eroticos gay: africano me arromboutravesti sadomasoquista na regiaomulher escanxa no cachorro e goza gostosoContos eróticos com meias sujaschupando coroa empinadinha boa de f***contos de incetos e orgias entre irmas nudismoMeu ginecologista me fez gosaz contoeroticocontos de travestis comendo os patroesconto erotico de mulher casada socando o pepino na buceta e cenoura no cucomo brexar a cunhada no banheiro conto esposa ficou tarada no meu amigomeu pai fogoso contocontos minha enteada minha amanteContos.eroticos traindo marido na.sala ao ladocontos eróticos de dupla penetração b*****cache:BEpQkv0OPJUJ:idlestates.ru/conto_4507_eu-o-namorado-corno-e-sua-namorada.html contos eroticos transei pelo celularcontos eroticos gay.putinha do jardineiroconto herético gay ternoconto erotico chupei o pinto do meu paicontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eróticos de mulheres casadas de Biguaçutravesti sadomasoquista na regiaocontos fudendo minhas primas peitudasas.gostosas.cimasturbando.duas.vesesxvideo mobile meu pai me castigouContos de ninfetas sem calcinhawww.contos gays na bebedeira cerveja e xixicontos eroticos fudendo garotos hetesexualtomando banho de rio com titio contos gaycontos eroticos gay's.putinha do jardineirominhasobrinhae sua amigacontoscontos dei o cu e saiu merdaminha mulher me traiu contosconto cutuquei pau na bundia delazoofilia negao comenorme pau deixando putia loucaContos eroticos submisso amarrado engravideiconto do tarado que se fazia de bonzinho para comer as meninasRelato picante namorada bate uma punheta pro namorado no provador de roupasViolentei a deficiente contos eroticosContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas dormindoRabuda negra sendo enrabada em pe conto eroticoContos eroticos gays meu pai me viu de calcinhabisexual contoscontos o casal ingenuo vizinhos do comedorconto erotico infancia babácontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos de coronel de rola grande e grossaContoseroticosdecaronahonme infinando a rola na bumda da molecontos a filhinha de fii dando p i papaiconto erótico fui chantageada pelo meu primo Fernando que comeu a minha mulhercontos tia com fome de picameu marido me levou ao cinema erotico contos eroticosdei pra um estranho num baile e meu marido viu conto eroticocontos erotikos moleke de menor comendo o cu da mulher casadacontos eróticos putinha na madrugada na ruaConto eroticoesposa d vizinboxvidio louco desejo vizinha mulata sainha mostrandoconto erotico comvidando visinha pra fuderenfiaram uma bucha no cu do estupradorconto erotico viado afeminado escravizado por macho dominadora madrasta ingênua contos eróticosconto pau fora sunga biwuiContos eroticos menina estuprada pelo pai na fasendacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaver tv pornô mulher que tem a vajina muito linda e grade gozando na pica sem para vaquira com o cavalocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaPorno.veterinariha.taradaContos sexo velhas professora com novosconto meu marido fez eu da para meu paiconto erotico no carro dona do bar