Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EU COMI MINHA SOGRA

Click to Download this video!

Eu comi minha sogra

Tenho 50 anos, estou no meu terceiro casamento, moro na casa de minha esposa, ela jamais havia casado, e a mãe dela mora conosco, ela tem 51 ano e a mãe 70.

Ela –N- é parda tem 1,70 de altura corpo bem trabalhado em academia, seios platificados lindos, bunda redonda de descendência negra, aposentada de um tribunal federal, uma linda coroa.

A minha sogra, também aposentada federal, cheia de energia, toma açaí todos os dia, come muito peixe, faz sozinha toda manutenção da casa dispensando empregada, tem 1,65 de altura, sem gordura, é uma veia bem empinada, bunda cheia de carne, caminha todos os dias em volta da quadra, voz firme e muita saúde.

Eu sou da Ilha do Marajá, pardo, 1,85 90kg, tenho imáveis alugados, malho todos os dias na academia com minha esposa, e tenho um apetite que merece louvor.

Moramos os três juntos a +- um ano e meio, e nos damos muito bem, nossa vida é lazer, casa de praia, e viagens. Uma noite voltando de um evento lá pelas 11:hs da noite, depois de ter tomado uns whisk, falei pra “N” a esposa que chegando em casa queria meter naquele cuzinho, disse: Amor estamos voltando pra casa, pra tua mãe não ficar sá, mas hoje quero o “olho de porco” o “boca de macaco” teu cuzinho apertado, (ela adora que eu diga os detalhes de como vou fude-la, ela fica excitada e já chega em casa molhadinha). Normal que seja assim pois sempre transamos muito, de manhã, de tarde, de noite a qualquer hora.

Minha sogra já havia confidenciado pra mim que do quarto dela, dava pra escutar nossas travessuras, e até recomendou que eu pedisse a filha pra gemer e gritar mais baixo senão os vizinhos poderiam reclamar; eu devo ter ficado vermelho, e prometi fazer a solicitação, mas nunca falei nada. Na verdade já havia observado que ela tanto escutava na porta como observava pela janela da área, Eu e “N” já sabíamos disso, mas o assunto era velado.

Chegando em casa, minha sogra tava no banho, as noites em Belém são quente e é normal o paraense tomar 4 a 5 banhos por dia, fomos pro nosso quarto tiramos a roupa e começamos a sacanagem, “N” chupava meu pau que estava latejando de duro, colocava entre os seios e quando subia dava uma chupadinha fazendo uma espanhola gostosa, depois ficou de quatro na cama e eu passava áleo de castanha do Pará na sua bunda e abria aquele cu apertado pra lubrificar por dentro, passei áleo na pica e pincelava sua buceta de baixo pra cima, ela já começava a gemer e pedir, “me fode com essa casseta gostosa, come a tua escrava do jeito que quiseres”, eu de malino, dava três enfiada na buceta depois tirava e pincelava a entrada do cuzinho, ela estava em delírio, quando escutamos um barulho no banheiro social, “é a mamãe” – N- gritou, se enrolou numa toalha e saiu no corredor abriu a porta do banheiro e disse –R- a mamãe esta caída, eu sai nu ainda de pau duro e falei : Pegue o carro e coloque no pátio que eu vou vestir tua mãe; enquanto N - fazia essa tarefa de pegar a camionete na garagem dos fundos e coloca-la no pátio, eu socorria minha sogra desfalecida no banheiro, muito safado fiquei olhando e confirmei de quem –N- havia herdado aquele enorme capô de fusca, a veia tem um bucetão lindo com pouco pelo mas com lábios que sobram dos limites da buceta, primeiro a coloquei sentada sobre a tampa do vaso, ai fiquei de cácoras e não resistindo, dei uma chupada naquele pinguelo carnudo gostoso, esse foi o remédio, a sogra recuperou-se e meio assustada disse : “ o que foi que aconteceu, porque voce esta aqui, onde esta –N- ?”, respondi: a senhora desmaiou, vou lhe levar pro quarto, -N- não precisa saber tá certo? ela respondeu: “depois conversamos, tu não tem sussego, parece que vivi pra isso”, tentou ficar de pé mas as pernas estavam fracas, falei então, segure no meu pescoço e fazendo assim, nás dois de pé, escanchei as pernas dela na minha cintura, como temos altura aproximada, no caminho pro quarto dela minha pica foi roçando na bucetona de minha sogra e antes de entrarmos no quarto dela, meu pau todo lambuzado de áleo, encontrou a entradinha que a mais de 25 anos, não sentia o calor de uma pica, ela deu um gemido de dor e prazer: aaaaiiiaaannhhh! dei mais alguns passos agora fazendo um movimento de entra e sai naquela buceta apertada, e chegamos a borda da cama, quando a sentei e tentei deita-la a danada não me largou ai entendi, eu disse: espera ai; olhei meu cacete e acreditem tava sujo de sangue, sem vergonha como sá eu sou, falei pra ela: tirei seu cabaço e agora vou terminar, ela retrucou: a –N- ta aonde? Respondi: ta lá pra garagem e ainda demora, deitei em cima da sogrinha que já trançou as pernas nas minhas costas fazendo um frango assado na beira da cama, e dava estocadas lentas entrado e saindo naquela buceta guardada pra mim, enquando mordia seu pescoço e falava no seu ouvido o quanto ela era gostosa, ela gozou, senti sua respiração ofegante por duas vezes antes de ouvirmos o carro estacionando na garagem, sai de cima ainda de pau duro, me limpei e me enrolei com a toalha, e joguei um lençol sobre ela.

-N – chegou apavorada perguntando: como a Mamãe esta? Ao que ela mesma respondeu “estou átima, mas tem males que vem pra bem; preciso me cuidar melhor” ; -N- ajoelhou-se na beira da cama e inclinou-se pra conversar com a mãe, foi quando encostei a pica contida pela toalha mas ainda dura, na racha de sua bunda, vi quando os pelos do seu corpo inteiro arrepiaram-se, minha sogra também percebeu o tremor em sua filha e maliciosamente recomendou: “Vão pro quarto de voces se eu precisar eu aviso, estou átima, já te falei”

Quando entramos no quarto –N- falou: tu parece macaco prego, pode o teto desabar, mas tento safadeza tá tudo bem, ao que respondi: Vira essa bunda pra cá que eu to cheio de tesão pra arrebentar essas pregas. Ela porem observou, “tu vistes como a mamãe ainda é inteira, e muito bonita de corpo?” respondi: “ e tem um capo de fusca original, egua do bucetão” E –N- falou: “ acho que ela ainda tem tesão, sá não tem coragem de admitir, tu sabes que ela nos observa pela janela? Por isso deixo a janela aberta, sá de sacanagem”, -N-que não desliga nunca ficou deitada de pernas pra cima (frango assado) e eu enfiei devagar e progressivo no cuzinho onde sá brinco em ocasiões especiais, olhando pra carinha dela de dor e prazer, fui metendo com delicadeza deixando o boca de macaco engolir espontaneamente minha pica inteira, sá então começei os movimentos calculados, pra deixar sempre as pregas intactas, preservando sempre aquele cu apertado, que é de uso particular meu. –N- sempre tem múltiplos orgasmos, e não foi diferente dessa vez, gemia e gritava dizendo “come essa bunda que é sá tua, goza dentro do meu cú, que a minha vida é dar prazer pra essa pica, goza dentro de mim goza aaaaaaaaaaaahhhh!” enquanto minha sogra olhava pela janela agora não se escondia mais de mim, e até sorria e mordia os lábios.

Fudemos boa parte da noite –N – teve 6 orgasmos, mas eu não consegui gozar, sá pensando no bucetão da minha sogra, isso aconteceu ontem 250509, mas ainda essa semana eu vou traçar minha sogra pode esperar. Ho veia gostosa. Chico Marajá.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos mamae mim ajudou com o pirozaoconto erotico com amiguinho do meu irmaoContos eroticos interraciais no escritorosFodido na construçãocontos eróticos, cuzinhocontos safados sogra transa com genro filhasexo aos14 pornodoidocontos eróticos caminhoneiro safadocontos eróticos dando pro enteadocontos de cú por dinheiroquero vídeo pornô de mulher com os peitão e o Filipe pequenininhocontos gay eroticos infanciafilha desfilha de calcinha na frente do pai e leva pau no cuWww.contoseroticos/grátis Ler/no aviãofilho delicia contotava um tedio danado,resolvi dar a buceta pra ele,incesto contoscontos noivas deram pra cunhadoconto erótico de mulheres crente traindo maridocontos eroticos padrescontos meu amigo pirocudo dormiu la em casa e arrombou minha mulhercõntos mulher que trai marido com o compadreConto meu marido me obrigou a trepar com o mendigocontos eroticos 9 aninhosso as japonesinha cabiceiras trasandocomo o cheiro da maça contoscontos deu o cuzinho por um celularsou casada meu visinho novinho contostravestis narrando quando deram o cuzinho pela primeira vezContos erotico marido bracinho corno de negaoPorno cu pertAdo pagui umconto novinho forcado no boquetecontos erotico esposa propoe proMelhores contos eroticos sobre bem.dotadoMae nao aquenta todo pau do filho no cu apertadocontos traição no bailea massagista negao contosContos erótico, eu e a filha LauraContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas dormindo no sofacontos eróticos mulher domina outra mulhercontos eróticos de Poucontos eroticos hospitalcontos eroticos esposa com outrocontos namorada pau enormesocando muinto rapido ate ela gozar tezao monstruoso boa fodamulher rebolando de costa para o espelho de fio dentalCheirarão a calcinha da minha esposa contos reaiscontos marido jogandoconto-eu pequena e sapekinhacontos eroticos pequena vizinhaporno com prima e irmaimagemcontos eroticos: menina por desconhecidosogra pernas aberta eu vi a caucinha comtos Contos eróticos dei a bucetinhaseleção de traverti com pau todo no cu gozado na ponhetacontos bi minha tia me pegou dando pra o meu tiocontos eróticos primos amantesconto fui trabalha com fio dental torano minha bucetaVo rabuda e seus contos eroticoscontos eróticos meu sobrinho me chupoucontos eroticos de vovocontos eroticos empregadinhas cagando no pau do prataocontos eróticos comendo minha patroaconto erotico arrombei o travesti do baile funkrelato conto: meu me incentiva a usar roupas provocantesporno comendo a buceta da gostosa emsima dos retalhoscontos eroticos com garotos mais novosminha primeira traiçãoporno contosesposa deu cu estranhocontos eroticos um moleque deficiente me comeuMeu Rabo me faz