Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CANOA DA BUCETA AO CU. É QUANDO A LÍNGUA...

Click to this video!

Canoa da buceta ao cu. É quando a língua passeia!



Então Jereba a botou de quatro, fez - lá empinar bem a bunda; e abrindo bem sua buceta com aquelas chupadeiras que mais pareciam dois files de alcatra, começou a usar a língua, acariciando seu clitáris, quando esse estava bem molhado, ia escorregando a língua até o cu. Jereba de joelhos por traz dela enfiava a cara dentro da bunda; seus movimentos com o pescoço eram de afirmação, dizia sim aquele ato maravilhoso. E como um ventríloquo, balançando a cabeça sim, sim, sim. Ela ia soltando devagar uns gemidos, dando sinal que estava gostando e que a coisa estava esquentando. Ela rebolava é pedia para jereba enfiar a cara dentro dela. Ele enfiando língua, nariz, lábios; e com a cara toda lambuzada ficava mais excitado.

E ficaram naquele remelexo por muito tempo. É chegada a hora, Jereba se levanta pede para ela empinar mais pouco. Jereba arregaça a cabeça do pau, aquela cabeça roxa e inchada, o pau robotizado, e a perfurou sem dá, adentrando a buceta e separando as chupadeiras carnudas. Ela gemeu como se sentisse um alivio; aquela piroca enorme estocando no fundo de sua xereca. Jereba agora, se movimentava no vai e vem bem devagar, sentia o saco bater-lhe o clitáris. Agarrou-a pela cintura bem forte, e colando melhor sua virilha na poupinha dela, batia-lhe com violência a púbis. A buceta já encharcada permitia a estocada ir mais fundo bem dentro. E os gemidos loucos a fez gozar varias vezes; o corpo dela desfalecia em espasmos. Mais jereba que agarrado a sua cintura não aliviava, e acelerava mais e mais o vai e vem. Ela gritava e pedia para enterrar aquela pica até o talo. O barulho que faziam devido essa posição, mais conhecida como cachorrinho, que ao longo do tempo foi sendo aperfeiçoada, e hoje podemos dizer que comer uma fêmea de quatro é um espetáculo a parte, para os apreciadores da foda selvagem.

Foi aí, depois de muito gozar, jereba retira seu pau inundado de dentro da buceta, e sem pestanejar, arregaça a cabeça de novo, empunhando na direção do cu. Ele vai empurrando lentamente; vai entrando a cabeça roxa e o pau vagarosamente, passando pelo cabresto e logo depois o corpo, as pregas do cu anatomicamente aconchegando o pau que já dentro se mexia. Sendo que de quatro a pica vai até o talo no cu, e ela que sem pudor permitia essa penetração e implorava que a pica estivesse definitivamente indo até o saco. Jereba alternava, em grandes estocadas no cu, indo até o talo, outras sá enfiando-lhe a cabeça roxa do pau, entre a glande e o cabresto. As vezes tirava a pica e enfiava-lhe de novo com violência. Ela chorava, a dor misturava-se com o prazer; há essa hora o cu já tinha se acostumado em ser açoitado, e num simples movimento ele pede para mudar de posição, curiosamente seus corpos já pareciam ter ensaiado essas trocas, e jereba deitou-se apontando o pau para o céu, ela em pé, por cima dele, abaixa devagar e espontaneamente, sentando delicadamente no pau. As pregas do cu mais uma vez aforecendo aconchego, aquela pica gigantesca com a cabeça roxa. Ela continuou sentando até desaparecer a pica dentro dela, rebolou um pouco para ajeitar mais, depois sentava e levantava, dando uma visão extraordinária da coisa; a pica ia lá dentro e saia um pouco, aí ela começou a acelerar o sentado indo e vindo incessantemente. A pica ia e vinha dentro dela com uma naturalidade, e ia arregaçando mais o cu. E em gemidos e palavras de incentivo, ela pedirá que arrebentasse aquele cu, que já tinha se rendido aquela pica que tanto o maltratava. Devido a aceleração dela, jereba sofrendo não aguentava mais, e num jato firme gozou dentro do cu, e a porra escorria-lhe pelo saco, pelo pau, jereba gemia dando graças aquele gozo violento e extasiático. Mais ela não parou, sentava e levantava encima do pau, até que ele amolecesse como acontece depois de uma gozada violenta. Ela sentiu que já tinha ido toda porra, estão lentamente, desacelerando devagar, devagar, parou, retirou o pau de dentro e começou a chupar a cabeça, agradecendo por ele ter enfiado aquela pica dentro dela. Sorrindo um para o outro, beijaram-se e abraçaram-se carinhosamente.



Ass, Lathea











VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos a talaricaJá botei ela para transar eu não vai botar o vídeo dela transando gemendo táconto pai por favor mim enxugaconto erotico a primeira vez com.pirocudo. gay.contos eroticos me mastubo brechando minha vizinhaacontos eroticos mamae me da o cu sem docontos eroticos a buceta da minha mae e a coisa mais gostosa do mundocontos eroticos garotas na escolacontos.de mulheres.casadas.e fogosachupando coroa empinadinha boa de f***meu namorado me fez de putacontos eróticos mulheres q chega em casa e o marido desconfia porque está arrombadacontos eroticos jingridjapinha.de.baixo da mesaContos vizinha de 19contos minha tara no bundao da mamaeconto erotico senti vontade de transa com um traveco pq so kadadopornô de Juazeiro meninas gostosinhas na realidade lado da cidade de Juazeiro da Bahiasendo chatagiada a fufer contos por amigoconto erótico penha SC praiaContos sogra medindo o tamanho do pauxxx cuada dando pro cuado e abunda bem molede santinha a putinha e um pulo contos eroticosmeu pai adora ser puta na camaconto eroticocontoscontoerotico de escoterasconto erotico cornoContos eroticos poraoContos casado chorando na rola do ricardaopintelhos na transparencia das cuequinhastio gordo dormindo conto eróticoconto cabaco xota cuEle foi fundo com ela contos eroticosContos eróticos engravidei na primeira trepadaminha filha piranha foi me visitar contoTatuagem na xoxota contosvidro porno primo sente atração pelo outro primo homenszoofilija detei i porócontos minha irma me chupou dormindocontos gay gozando pela primeira vezcontos eróticos gay sendo putinha na minha casaa loira e o cavalo contomeu amigo falou que quer comerminha esposacontos eroticos pagamentocoroas peitos durinhos bicudo bundas gggContos eróticos chupei muito e fiquei louco pela bucetinha da sobrinha novinha novinha da minha esposacontos eroticos dominou toda a minha familiaconto tio trai com sobrinho travesticontos vendo minha prima sendo fodida pelo namorado acabei dando tambe betinhateta gostosa contos eroticoscontos eróticos de patricinhas trasando com os paiscontos eróticospagando minha primeira dívidao ocu e bucetacontos heroticos gay meu primo de dezessete me comeu dormindo quando eu tinha oito anosminha vizinha safada casada heleniceconto sogra nudistaminha tia coroa crente de 57 anos contocontos eroticos zt i: blackmailContos de incesto minha mae fugiu com outro e eu fiquei com o meu paicontos eróticos Bombeiroconto eróticos esposa fas marido virar mulher dela e do outros machosconto erotico comi a cunhadinha nos fundos e na frente da namoradacontos eróticos gay cuidando do cachorrão do vizinhocontos eroticos q bocA e essa desse baianocontos mulher que coloca silicone no seioCuzinho gostoso contoscontos porno filho do amigo secretomenina você já passou o dedo no cu e cheirouninfeta cintura fina bunduda belo par de seioscontos eróticos quando eu tinha catorze um coroa bem dotado decontos eroticos dono de mercearia comendo a casadacontos erotico.esfrequei minha pica ne outracontos pornos pesados de arrombamento anal de novinhos a forcaenteada v******** com marquinha de biquíni doidinha para dar o c* para o paicontis eroticos gay policial Chapadofotos de loira sapeca abrindo as pernas a abrindo a xana rosaamigo hetero contocdzinhas contos reaiscontos eroticos- supositorio no cu da filha