Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MESMO CASADA NÃO DEIXEI DE SER PUTA

Click to this video!

(por Sandra)







Me chamo Sandra, tenho 28 anos, morena mignon, bundinha saliente, olhos verdes, cabelos nos ombros, malho direto, enfim, sou o tipo de mulher bonita e atraente. Sou casada com um cara superlegal, Valter, bonito, ganha bem como advogado, romântico, pinto grande e grosso, vinte centímetros de puro tesão. Nos seus 35 anos tem uma potência fora do comum. Trepamos quase todos os dias. Ele é o tipo de homem que toda mulher gostaria de ter em casa. Mas pra mim não chega. Sou mesmo uma vadia. Adoro pica. Chupar uma rola pra mim é algo que supera qualquer outro prazer, até mesmo o de senti-la dentro de mim. Se o cacete é de uma pessoa que não o meu marido, hummm! Ai me esbaldo mesmo e meto com tudo.

Meu marido, Valter, é claro, nem desconfia que tem uma bela puta em casa. Nada de santa, nem tenho a intenção de ser uma. Gosto mesmo é de uma boa sacanagem, de onde saio com a buceta ardendo e a boca doendo de tanto chupar uma pica grossa.

A mais ou menos um mês e meio, viajei a serviço para Manaus, onde fiquei quatro dias. Logo ao chegar no hotel, recebi uma ligação no celular do Afrânio, um antigo amigo meu, desde o tempo em que eu era solteira. Nem lembrava que ele havia saído de Brasília para ir morar na capital do Amazonas. Com o Afrânio conheci alguns dos melhores motéis de Brasília e Goiânia. Ele era um sujeito super amigo e amante. Antes mesmo do meu casamento ele se mudou, casou e perdemos o contato. Também não tinha mais necessidade do seu pau...

No telefone, meu ex-amante me convidou para sairmos à noite conhecer a noite manauara. Não resistir e confirmei para as nove. Comemos superbem um saboroso Tambaqui no Waku Sese. Saímos pela cidade e terminamos assistindo a uma apresentação de boi, numa arena prápria para esse tipo de espetáculo. No fim da noite, beirava as três, encostamos em um motel e o nosso reencontro começou de fato.

Entrei primeiro na banheira com sais e aromas afrodisíacos amazonenses; um verdadeiro cheiro de mato. Meu tesão estava a mil. Não via a hora de meu amante chegar para me fuder do jeito que eu gosto, com força e romantismo ao mesmo tempo, dá pra entender isso?

Ele veio. Seu pau tinia de duro, apontado para o lado esquerdo e voltado pra cima. Eu que já estava ensandecida de vontade peguei no membro e puxei meu macho pra perto de mim. Fiquei sentada na banheira e cheirei o pinto com perfume de macho. Beijei a cabeça e passei a língua na pontinha, bem na boquinha, de onde saia um pingo de liquido agridoce. Não aguentei mais. Engoli literalmente o falo que logo me penetraria. Lambia a cabeça e descia pelo corpo de veias, carnes e nervos e sei la mais o quê. Afrânio demonstrou seus primeiros espasmos através de seus gestos com as mãos nos meus cabelos e seus gemidos enlouquecidos: Ahhhhhhhhh!

Queria beber suas primeiras golfadas, que não vinham. Continuava lambendo e chupando. Com as mãos tocava levemente uma punheta com minhas mãos de veludo, que sei que tenho. Tocava seu saco. Descia a língua e ia lamber os ovinhos. Ele queria mais e levantou uma perna colocando-a no meu ombro. Entendi perfeitamente o que meu garanhão queria e me abaixei mais um pouquinho e meti a língua por baixo do saco e comecei a lamber o nervo até o cuzinho. Afrânio parecia que tava ficando louco. Ria, chorava, gemia, grunhia de verdade. Minha língua trabalhava no local de maior tesão dos homens. Vez em quando eu voltava ao pênis e lambia sua extensão e chupava a cabeça, continuando na expectativa de sua porra na boca. E veio. Veio em golfadas que tratei de não deixar escapar uma gota sequer. Foi muita gala. Meu macho gozava e eu chupava e bebia e lambia. Mordia seu pau com meus lábios.

O pau não baixava e então aproveitei e puxei-o pra dentro da banheira. Me coloquei na posição de quatro, com as mãos na borda da banheira e pedi que me fodesse com força. Ele fez. Fez e com muita gana. Enfiou de uma única vez e foi até o fundo. Senti um pouco de ardência mas o tesão que sentia deixava minha buceta bem lubrificada com meus líquidos. Apesar de ter uma xoxota apertada a lubrificação era tanta que não foi imposto nenhum empecilho para o mergulho do cacete.

Tive uns três orgasmos nessa primeira enfiada. Mas tivemos que interromper a foda para que eu atendesse o celular. Era meu corninho que queria saber como eu estava. Se tinha comido o peixe como falei que ia comer em manaus. Não queira ele saber que o peixe mesmo eu estava comendo naquela hora, e era um peixe espada. E que espada!

Dormimos e acordamos na segunda as seis da manha, já com o sol a pino, como é o amazonas. Foi o tempo de treparmos mais uma vez, quando gozei mais duas vezes e fomos tomar banho pois estava dando a minha hora.

Durante os meus quatro dias de estada em Manaus fui fudida de forma espetacular. Beijos a todos. Votem nesta histária real, que eu volto pra contar meus outros dias por lá. [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


homem ve mulher com budso peitao e fica se mprdendo tudo e vai perto dela enfia o penis na ruaconto erotico transei com meu filhoconto de enteadaContos eroticos com tapas na bunda e castigoscontos eroticos incesto orgamos adolecesntezoofilias inicando baby.comcontos eroticos - isto e real - parte 2Contos punheta na massagem no penis do meninocontos pediu uma massagem e acabei comendoConto comi minha mae no celeirojoice cavalo deu o cucoroas cavalas emsabuando travesticontos cuidando da minha irma casadaconto fui enrabado na frente minha esposacontos de incetos e orgias entre irmas nudismohomem teve coragem e deu cu travesti contoscontos eroticos amante vs mulherirmatezuda o mineirinho que me cativou 2contos eróticos cadela e putona famíliasmenina defisieti dado ocu e chupadofilme erotico brasileirinhas nao aguentei e dei para meu genro parte 2conto eróticos O EMPREGO QUE MUDOU MINHA VIDA parte 5contos eróticos aposta entre casaisFamilia inteira fodendo com negoes conto biah e. mist traSado no chuveiroxoxotao capusaocontos eroticos espadinho com o pau contos eróticos aposta infeliz diretor da empresaSou casada mas bebi porro de outra cara contosconto erótico gay incesto brincarfui fodida pelo meu irmao jujubinhaConto amarrada abre mais vadiaContos negro fode maridoquero no rabo amor eroticosgozada na boca sueliContos Meu pai dividiu minha buceta com seus amigosconto erotico samueldei a bunda contosvi meu filho na punhetaSou casada mas bebi porro de outra cara contosmulher goza nela todinha enchendo o cachorro para limparrelatos de anã transandocontos eroticos mexicanocontos de sogra gravida transandoconto erotico footjob da primaconto erotico adoro da pro meu filho com a buceta sujaconto erotico minha namorada virgem com outromulher aguentamdo casete de cavalomarido fas esposa virar puta e comer bota contos eroticoscontos.porno fui dar banho na minha filhinha e acabei enfiando o sabonte no cuzinho delacontossado de submissao realcontos minha filha viciada em porrapornô doido a tia convencia sobrinha a chupalaMeu nome é Luiza, tenho 26 anos, 1,70 mcontos de menina nova perdendo o cabacoGozei no pau do meu irmão contostia solteira carente contos eroticoshttps://www.cnnamador.com/velho-comendo-novinha-travesti-dentro-do-banheiro-da-boneca-safada/me fuderam gostoso na infanciamarido chama primo pra tranzar com sua espozacontos erótico acabei indo pela primeira vez num sítio de naturistaContos com espermaContos de shemales taradas e safadas do pau gostosos.surda muda gostosa contonora putacontosmorena de seios gigantes e cintura fina fundendo com um homemfodida na escola contoscontos eróticos crente encoxada pelo filhovoyeur de esposa conto eroticoconto erotico tirei a calcinha da gataConto de muitos machos para uma puta depravadacontos erotico vovo e a vovo lamberam minja bucetacontos eroticos exendo a buceta da tia de poreaconto erotico gay no trabalho com homemvelho coroa grisalho peludo lembranças contos eroticostia dando pro negao contoContos eróticos Gay, Dei o cu pro vizinho no terreno baldio