Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DP NO SWING

Click to Download this video!

No meu tempo de solteiro me relacionei seriamente com algumas mulheres, tipo passar o natal com a sogra e viajar juntos nas férias. Demorei muito para encontrar alguém para casar.



Uma dessas namoradas, de nome Célia, era uma morena bonita, do tipo que chamava a atenção pelo seu porte e cabelos longos.



Certa vez, antes da Internet, comprei uma revista masculina que publicava contos e relatos eráticos. Entre todos os relatos o que me chamou a atenção foi o que contava a histária de um casal que se envolveu numa orgia, entrando no mundo do swing, e do tesão que o marido sentiu ao ver sua esposa sendo possuida por outro.



Aquilo me deu um tesão danado e me imaginei na situação, porém esqueci a revista no criado mudo.



Na noite seguinte, Célia veio dormir comigo, e encontrou a publicação e começou a folhea-la. Confesso que fiquei envergonhado, mas ela se dedicou a ler justamente o conto que tinha me dado tesão, passando a ler em voz alta alguns trechos mais picantes.



Depois, arrancou sua roupa e montou no meu pau, perguntando se eu gostaria de fazer sexo com duas mulheres, e se não importava se uma delas fosse sua namorada.



Enlouqueci e gozamos, mas não tocamos mais no assunto.



Porém, algo acendeu dentro de mim. Não pude parar de pensar e fantasiar de ve-la transando com outro e comigo ao mesmo tempo. Colo Célia gostava de um sexo anal, minha imaginação não parava de pensar numa dupla penetração. O problema era falar isso com ela.



Certa vez, numa viagem a São Paulo, criei coragem e mostrei a ela uma matéria (previamente levada na mala) sobre um clube de swing, e fui tomar banho, fingindo desinteresse.



Ao sair, ela me perguntou se teria coragem de ir ao local. Eu relutei e falei que seria interessante conhecer.



O que não esperava é que ela ficasse toda acesa. Pegamos um taxi e fomos a um shopping center, onde ela comprou um vestido preto, não muito sexy, mas fácil de ser tirado.



No caminho, ela entrou sozinha num sex-shop, e pediu para eu voltar ao hotel.



Ela chegou com um embrulho um tempo depois, e pediu para que fizesse a reserva no clube, localizado no bairro Moema.



Apás o jantar e uns drinkes no práprio hotel, voltamos ao quarto, onde tomamos um banho separados, e Célia deixou o banheiro com seu novo vestido preto. Tomamos um taxi e chegamos no tal clube, um pouco receosos. O atendente nos mostrou a pista, e disse que as partes de trás e superiores eram exclusivas para casais.



Tomamos mais alguns drinques para criar coragem, e Célia começou a dançar na pista. Observei que algumas mulheres já estavam quase seminuas.



Lá pela uma hora, peguei Célia e fui conhecer os ambientes. Havia de tudo: camões, salas escuras, salas com buracos para contatos mais ousados, um cinema, salas com treliças e até uma sala de vidro para performances de exibicionistas.



Aquilo começou a mexer com meu tesão. Agarrei Célia e botei seus peitos para fora, quando percebi que embaixo de seu vestido havia apenas uma cinta liga e uma meia de nylon. Ergui a parte de baixo e observei um fiozinho de pentelhos bem aparados, contrastando com sua marca de biquini.



Puxei-a para dentro de uma salinha, sentamos num banco e comecei a beija-la. Ela colocou meu pau para fora e deu início a uma gostosa chupeta, quando se assustou com braços que passavam por buracos na parede, dando para a sala ao lado. Saímos e fomos para outra sala, onde era possível fechar as tais passagens. Lá resolvi abrir um pouquinho e espiar o que acontecia do outro lado, quando vi um casal jovem e bonito na maior esfregação. A mulher, percebendo, fez uma cara de vaca e aproximou seus lindos seios.



Receando uma reação negativa de Célia, fiz menção de me afastar, mas para minha surpresa, minhas esposa pegou minha mão e colocou no buraco da parede, nos peitos da vizinha. Enlouqueci quando a gata respondeu passando o braço e pegando no meu pau.



Célia tirou o vestido e começou a dançar para nás, quando o acompanhante da moça passou o seu pau pelo buraco, batendo uma punheta.



Perguntei a ela se ela queria ajuda-lo na punheta. Ela não respondeu. Dei uma camisinha para ela, que foi aberta com uma mordida, e delicadamente colocada pelas mãos de minha esposa na pica desconhecida.





Quando ela começou a punheta-lo, fiquei tão louco que levantei e pedi para que nás fossemos para outra sala reservada, ali práximo. Passamos pelo corredor nus. Alguém passou a mão em Célia mas não paramos.



Chegando no reservado, fiz Célia sentar e pedi que ela terminasse o serviço com seu amigo. Quando ela começou o movimento com as mãos, me aproximei e falei: "com a boca, minha puta".



Ela não perdeu tempo e iniciou uma chupeta que sá ela sabe fazer. Peguei a acompanhante, coloquei-a no meu colo enquanto mamava seus peitinhos duros.



Fiz o homem se acomodar numa pequena poltrona, e conduzi Célia para que ela sentasse em seu pau. Olhei de perto sua buceta engolir aquele caralho e começar uma cavalgada. Quando ela aumentou o ritmo, cheguei por trás, parei com as mãos os movimentos de seu quadril e sem perguntar nada, enfiei meu pau no seu cu, e depois a estranha sensação de sentir um outro pau perto do seu a movimentar. Estranha, mas deliciosa.



Célia gozou longamente, enquanto nosso amigo enchia a camisinha de porra.



Ela se desvencilhou e deixou-se cair no sofá, com as pernas abertas, deixando a mostra seus dois buracos arrombados iluminados pela fraca luz vermelha do ambiente.



A outra mulher não se fez de rogada, colocou uma camisinha no meu pau e repetiu o gesto de Célia, cavalgando em cima de mim, engolindo com sua buceta o meu pau, quando logo depois senti outro pau no cu da puta. Era seu companheiro. Porém, dessa vez eu gozei, enquanto ele continuava a meter até se esvair.



Cansados, nos recompomos. O casal se vestiu e saiu, nos deixando a sá. Célia, indagada por mim, disse que se sentia poderosa.



Me levou para uma sala com trelicas, onde muitos batiam punheta ao ver o desempenho dos casais. Lá entrando, trancou a porta e iniciou um show para quem quizesse ver. Jogou-me na cama, e sentou em cima do meu pau, mas de frente para a treliça. Com as pernas abertas rebolava e gemia até que eu gozei.



Fomos para o hotel, e passamos o dia seguinte, um domingo, a trepar e a lembrar do casal de sácios.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos comi a bunda do meninho drngosovalesca chupando e o namorado olhandocomo mama um pau o bofe reclamo que eu tava sucandoa calcinha toda travada no raboSou casada fodida contocontos dopei minha namorada novinha e arrombei com consolocontos eróticos de negros em carnavalTennis zelenograd contoconto eróticos sexo entre família gozando dentro da buceta engravida deleXvidio carona estrada desertaeu fui arrombadocontos a mulher policialContos eroticos, Meu filho me fode tanto Atrasconto eroticos primas gostosa veio min vizitarnossa minha mae bu comer xvcontos eroticos.terminando a piscinacontos marido viuCasadoscontos-flagrei.mamei naquele cacetao contocontos eróticos da secretária cadela de coleira do patrãocontos porno de submissas falando palavrões Trai meu marido em um swing com a nayara e o fernando contos eroticosconto etotico minha esposa fudendo com meu pai e meu irmaomulheres no salão chupando e se masturbando com dançarinomeu amigo cumeu minha mae e minha irma.historias eroticascontos novinha dando pra doisdia dos namorados incesto contoconto marido convido amigo para engravidar mulherquero ver ofilme porno o pai dando carinho para filha nosofa para foder elacumendo cu da mae e tia contos eroticosContos eroticoss adoro trepar sem camisinhaMenino tarado criado so com mae contoscontos eroticosfudendo bucetinhas de dez anosirmao.maior.alisando.bunda.do..irmao.menor.dormindo.de.cueca.branca.e pretoconto erotico aposta gaycontos eróticos minha calcinha bi matocontos abusada pelo tiocontos chupar pau na infância casado chupa travesti contoContos eróticos geladoconto gay pastor dominadorconto amigo taradosSou casada Minhas filhas me viram sendo fodida contocoroa raspadinha gozando contosconto grelo e pau grossoviciadopor bundas super rabudasRelatos sexuais me encoxando na cozinha e o corno na salasou casado mas fui dominado gaycontos de amiguinhos comendo a bundinha da amiguinhaContos eróticos: menininha da a buceta pro camioneiro bem dotadocontos catinga de cúcontos fui sedusido por uma traveste e dei pela primeira vescontos sou fudedeiraxx videos de porno as mulhe que tei bodão i de xortiho curtiho trepando gostozoperdendo o sele o selo do cufingi que dormia pra ver ela meter contosContos fui violentada ate sangrar o cu e a bucetahonme infinando a rola na bumda da moleconto erótico gay com estupro e muito dor e sangue em cima de uma camacontos sexo a papai vai doer não cabeContos eroticos de casadas safadas que traicontos eroticos um moleque deficiente me comeuchamei meu amigo para fuder minha namorada contos eroticoscontoesposanuaestou comendo a mulher do amigo caminhoneiro na viajem contoscontos eróticos-férias Caroltransei com vizinnha contos eroticoscontos eróticos sexo na terceira idadecontos eroticos humilhadacasadoscontos estrupada por pivetes Contos eroticos menininhastroca de casais com vovô contoconto erotico gay negao escraviza viado afeminadover contis eroticos de incesto passando oleo na maever homens bem-dotados sendo castradosconto nao queria mais dar mas o negaocomeuwww.contos de abusada desde pequena pelo tio no incestoconto novinho forcado no boqueteContos eróticos de velhos com meninascontos gay jogador de basquete novinhocontos eu era enrabada toda noite pelo tarado