Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

INICIAÇÃO DE UMA GUEIXA 24/7

Click to this video!

Sou gueixa 247, cativa. Meu dono uma pessoa rígida e metádica.

Qdo o conheci já tínhamos acertado que seria essa a minha condição. E que não levaria nada apenas as roupas que ele tinha dado as instruções para usar naquela noite. Deveria me apresentar depilada, cheirosa e limpa. Extremamente limpa conforme suas instruções.

Ele me pegou num lugar determinado. Apesar de termos trocado mtas conversas por MSN, sempre tem um mistério, pois não sabemos o real.

Estava vestida com um micro saia preta conforme me indicou, uma blusinha tomara que caia uma meia fina e um salto super alto. Totalmente maquiada. Parecia uma puta. Um carro parou na esquina determinada e uma voz rígida e seca me saúda e diz: Sua coleira esta aki dentro. Essa era a senha.

Entrei no carro de cabeça baixa, nem sequer olhei p ele. Fechei a porta, e o carro saiu. - Abra as pernas - disse ele. Abri as pernas obedecendo sua vontade. Ele coloca sua mão entre minha pernas e confere que estou com o consolo indicado. E num toque viro de lado e ele verifica se o plug esta no anus como mandando. - muito bom!!!!! - Parece que vai ser uma boa cadelinha. Senti meu coração bater de alegria, pois queria mto agradá-lo.

Chegamos a casa dele, um pouco afastada, cercada por um jardim. Afastada da vizinhança.

Ele parou o carro e desceu. Esperei seu comando para descer. Ele abriu a porta e ordenou que tirasse toda a roupa. Sob o olhar dele me despi, totalmente. Ele coloca uma coleira de cachorro. - Agora, de joelhos e ande cadelinha, de 4. Ajoelhei-me, ele coloca uma guia na coleira e começo a andar em direção a casa. Doía meus joelhos, pois na grama, tinha umas pedras. Ele abre porta e entramos. Entro feita cachorra, e vejo que tem uma vasilha de água de cachorro - Beba! Bebi a água na vasilha. Ele puxa a guia e vamos p um cômodo onde vejo uma mesa. - Levante! Levanto e sinto um alivio nos joelhos. Ele aponta a mesa -Deite-se de barriga pra cima, farei a sua inspeção! Deito de barriga pra cima e abro as pernas, pois sei que ele será rígido na minha inspeção pois detesta pelos. E sinto certa inibição, pois estou nua e exposta.

Ele pega uma vara, e um garfo de churrasco. Tremo de medo e terror. Pois sei o que vira.... Ele pega esse garfo para abrir a minha buceta, dái pois são afiados, ele afasta os lábios e olha atentamente. Estou de olhos fechados para não demonstrar a dor, e parece que é pior pois ele enfia o garfo mais forte para testar-me, e solto um gemido baixo, mas não despercebido a ele. Parece que esta gostando da minha dor e vai p outro lado dos lábios e afasta, com mais força ainda, parece que vai enfiar o garfo como se fosse um churrasco. Gemo novamente, e ele nada fala. Sinto mais medo ainda, pois ele havia dito que detesta gemido de dor ou reclamação. Sinto que ele escore o garfo em direção a buceta e enfia nela, tira de La e manda que eu lambesse, estava melada o garfo, e lambi como mandou. Qdo sinto a vara comer a minha buceta, e sabia porque estava apanhando nela, pois estava melada sem autorização do meu amo. Pacientemente ele me seca com uma toalha como um ritual, devagar porem fortemente enfiando o pano na buceta, secando- a. Ele me vira de costa e começa a inspecionar meu cu. Afasta minhas pernas e com o garfo afasta minha bunda de um lado. e sinto a vara entrando no meu rabo, dou um gemido, pois me pega de surpresa. ele tira bem devagar, ao contrario de qdo pos que foi de uma única vez. mai uma vez ele me vira de barriga, abre minhas pernas e enfia o garfo na buceta. E mais uma vez estou molhada, e sei que vou apanhar. Ele bate violentamente na buceta e apesar de estar esperando por isso, foi tão forte que solto um ai, e uma lagrima rola de meus olhos.

Ele me manda sair da mesa, me pega pelos cabelos e me arrasta ate ao banheiro. No banheiro vejo que tem uma banheira, vejo que ele pega uma gilete, e um chinelo. Um frio passa pela espinha. Ele senta na privada fechada e manda deitar em seu colo, fico de bunda pra cima, ele passa a gilete no meu anus. - Aki tem vários pelos, sua porca! E raspa meu cu com a gilete e na bunda, pois realmente não tinha pensado na bunda, me preocupei tanto com a buceta que esqueci do anus e da bunda. Assim que ele termina a depilação, pega o chinelo e começa a castigar. A cada chinelada vai ficando pior, pois esta sensível pela depilação e pela força que ele impõe. Qdo esta na décima chinelada não aguento mais e começo a pedir para parar, e choro pois esta doendo demais. Ele não para, e como reclamei, ele pega um consolo e enfia no meu cu e bate com mais violência. Qdo termina, me põe de pé. E enfia seus dedos na buceta e estou toda molhada, e sei que vou apanhar mais uma vez. Ele agarra meus cabelos, me levanta - Sua cadela! abra as pernas! Abro as pernas, e ele me bate com a vara na buceta.

- Sua cadela suja! - não gosto de nojeira! - me enfia na banheira e liga o chuveiro, e começa e me banhar. Qdo chega na buceta, ele pega uma escovinha, aquela que lava mamadeira, tento fugir pois ela é espinhenta mas impossível ele é mais forte que eu. - Abra essa buceta imunda! Abro e ele põe a escovinha e roda, entra e sai, dái, dái demais, choro e peço p parar. Ele tira a escovinha e agora enfia o chuveirinho nela, lavando sem dá. Depois de me lavar na frente me coloca de costas e me amarra numa argola na parede, afasta minhas pernas e coloca o chuveirinho no cu, sinto a água quente invadir meu cu, me dando cálica e começo a evacuar, pois não consigo segurar. Não consigo ver a cara dele, pois detesta nojeira. Mas ele coloca novamente, novamente, novamente, ate que sinto que sá sai água mesmo. - Agora esta limpa! Imunda, cadela, vadia, tava pensando que ia deitar comigo suja desse jeito? To vendo que não sabe nem tomar banho. De hj em diante quem dará seu banho sou eu, pois não sabe se lavar direito e eu detesto sujeira. Ele fecha o chuveirinho e começa a descer água pelo chuveiro, descendo pelo meu corpo, levando a sujeira do anus. E levo um susto pois ele pegou a vara e começa a bater na bunda, nas pernas, nas costa. Xinga-me de vadia, que sou puta de rua que me pegou na esquina, que ando que nem cadela. E que sou desobediente, que não sei me depilar, e que não fico quieta pois ele não gosta de choro e nem que peça para parar. - Você disse que ia obedecer, que não ia chorar, pois detesto choro! - Não avisei? - Sim meu senhor, avisou. Então! - perdão meu senhor, perdão meu senhor! Hoje vc vai aprender a ficar limpa pro seu senhor e nunca mais vai esquecer. Meu dono não para de me bater a cada palavra era uma varada e com água escorrendo era pior ainda. Não sei qto tempo durou aquilo, já estava sem forças para ficar em pé, minhas pernas bambeavam de dor.

Ele desliga o chuverio e me da à toalha, e sai. Qdo começo a me secar, percebo que a toalha me machuca, pois estou toda marcada pela surra. - Esta demorando demais! Ele grita e me enxugo mesmo doendo. Saio do banheiro, e vejo-o me esperando. Pega pelos braços e me leva a um quarto nele tem apenas um lençol estendido, uma vasilha de água, coloca a guia presa a parede, e diz que sou uma cadela suja e imunda e que ainda nao tenho direito a dormir na cama dele.

Ele sai e fico perplexa com isso pois não esperava por isso. Deito-me no chão em cima do lençol, e passo a mão na coxas, na bunda, tentando aliviar a dor. Essa foi a minha primeira noite. Depois conto como foi acordar sob o julgo do meu dono.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


comi meu primo novinho contosRebola no pau do papai contogeovana tira a calcinha e da a bucetacontos o velho fez casada de putalésbicas se ralando incerta com bucetaWww. meu tío comeu meu cualcontos e vidios de patroes sendo fodidos por empregadas tranxessualcontos eroticos marido capachominhasobrinhae sua amigacontoscontos travesti e mulher casada juntas dando o cu pra homem e o cãopor que quando eu falei pro o meu amigo que eu vou ibora comcamionero ele em cheu ohlo de aguaconto mamae fode com filho aniversariantecontos eróticos de bebados e drogados gayscontos me vinguei com o meu ex namoradoMinha esposa no rancho com outromulher casada crente relata que da o cu para outro/contos recentescontos eroticos de professorasmãe não deixa filho fude.com ela.na.vuzinhaaquele pau era quase o dobro do de meu maridocontos porno de corno compartilha esposinha branquinha na viagem de onibus com negros hiper dotadoscontos eroticos categoria estrupada por mas de umContos Eroticos Dando a Buceta Pro Meu Vizinho Brennoconto erotico machucando o esfínctertransformação contos eroticossexo contos amigas e irmao a 3Casa dos contos: Virgem na baladacontos tia gostosa com sobrinho no beijo e amasso no carrocontos eroticos dando ao sobrinho pivetebucetas carnudas grandes beicos casadas cornosCONTO INCESTO NA MADRUGADA COM A SENHORAdupla perfeita uma chupava meu pinto e a outra chupava meu cuMeu Rabo me fazcontos eroticos jingridconto erótico da b******** Doeu muitoOs travestis qui São quaz mulhercontos novinha rabuda deu p paicontos eróticos de bebados e drogados gaysContos eroticos da lele alessadracontos erótico Paráfui ensinar a sobringa dirigir ea fudicontos eroticos exendo a buceta da tia de poreaVer fantasias de homem no xvidioduas mulher do Jordão baixo chupando b*****negao deu o cu contos gayquero ver buceta do pigele gradeolha o pezinho dela todo gozadinhoconto erotico peguei um filhote de cachorro e ele me fudeuconto erodico 5 amigos me fuderaovideo de cunhadoxcunhadaminha sogra usando lycraele me comeu a xana sem medo contos eroticosconto gay papai gosta que chupem o pau deleEu já não era mas virgem quando meu pai me comeucomi a mulher estrupada do traficante contos eroticosera q meu marido ja ficou com travesti peguei ele vendo videoCasada narra conto dando o cumarido chama primo pra tranzar com sua espozacontos eroticos praia de nudismocontos eroticos marido capachoas gozadas mais lonjescontos di mulheris que ralaram pela primeira vezsite onde posso encontrar contos eróticos com retrato conto praia de nudismo com a esposa continuaencoxador no tremContos eroticos assanhadascontos bdsm erposas escrava submissa martaContos porno de mulheres casada que traem com pau grande e choramcontos janaina safadinhaconto erotico dopei minha espos e comi ela de todo geitocontos eróticos com mulher carentewww.contos comendo a tia de sainha curtacontos erotico meu pai e meu tio armaram pra fuder eu e minha primafui dormir na casa do meu primo e ele acordou de pau duroWww contos d putas casada d juazeiro ba.comcontos erotico ele quis ser corno e eu providencieiEu olhava a bucetinha de melina e ficava louco