Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

INICIAÇÃO DE UMA GUEIXA 24/7

Click to this video!

Sou gueixa 247, cativa. Meu dono uma pessoa rígida e metádica.

Qdo o conheci já tínhamos acertado que seria essa a minha condição. E que não levaria nada apenas as roupas que ele tinha dado as instruções para usar naquela noite. Deveria me apresentar depilada, cheirosa e limpa. Extremamente limpa conforme suas instruções.

Ele me pegou num lugar determinado. Apesar de termos trocado mtas conversas por MSN, sempre tem um mistério, pois não sabemos o real.

Estava vestida com um micro saia preta conforme me indicou, uma blusinha tomara que caia uma meia fina e um salto super alto. Totalmente maquiada. Parecia uma puta. Um carro parou na esquina determinada e uma voz rígida e seca me saúda e diz: Sua coleira esta aki dentro. Essa era a senha.

Entrei no carro de cabeça baixa, nem sequer olhei p ele. Fechei a porta, e o carro saiu. - Abra as pernas - disse ele. Abri as pernas obedecendo sua vontade. Ele coloca sua mão entre minha pernas e confere que estou com o consolo indicado. E num toque viro de lado e ele verifica se o plug esta no anus como mandando. - muito bom!!!!! - Parece que vai ser uma boa cadelinha. Senti meu coração bater de alegria, pois queria mto agradá-lo.

Chegamos a casa dele, um pouco afastada, cercada por um jardim. Afastada da vizinhança.

Ele parou o carro e desceu. Esperei seu comando para descer. Ele abriu a porta e ordenou que tirasse toda a roupa. Sob o olhar dele me despi, totalmente. Ele coloca uma coleira de cachorro. - Agora, de joelhos e ande cadelinha, de 4. Ajoelhei-me, ele coloca uma guia na coleira e começo a andar em direção a casa. Doía meus joelhos, pois na grama, tinha umas pedras. Ele abre porta e entramos. Entro feita cachorra, e vejo que tem uma vasilha de água de cachorro - Beba! Bebi a água na vasilha. Ele puxa a guia e vamos p um cômodo onde vejo uma mesa. - Levante! Levanto e sinto um alivio nos joelhos. Ele aponta a mesa -Deite-se de barriga pra cima, farei a sua inspeção! Deito de barriga pra cima e abro as pernas, pois sei que ele será rígido na minha inspeção pois detesta pelos. E sinto certa inibição, pois estou nua e exposta.

Ele pega uma vara, e um garfo de churrasco. Tremo de medo e terror. Pois sei o que vira.... Ele pega esse garfo para abrir a minha buceta, dái pois são afiados, ele afasta os lábios e olha atentamente. Estou de olhos fechados para não demonstrar a dor, e parece que é pior pois ele enfia o garfo mais forte para testar-me, e solto um gemido baixo, mas não despercebido a ele. Parece que esta gostando da minha dor e vai p outro lado dos lábios e afasta, com mais força ainda, parece que vai enfiar o garfo como se fosse um churrasco. Gemo novamente, e ele nada fala. Sinto mais medo ainda, pois ele havia dito que detesta gemido de dor ou reclamação. Sinto que ele escore o garfo em direção a buceta e enfia nela, tira de La e manda que eu lambesse, estava melada o garfo, e lambi como mandou. Qdo sinto a vara comer a minha buceta, e sabia porque estava apanhando nela, pois estava melada sem autorização do meu amo. Pacientemente ele me seca com uma toalha como um ritual, devagar porem fortemente enfiando o pano na buceta, secando- a. Ele me vira de costa e começa a inspecionar meu cu. Afasta minhas pernas e com o garfo afasta minha bunda de um lado. e sinto a vara entrando no meu rabo, dou um gemido, pois me pega de surpresa. ele tira bem devagar, ao contrario de qdo pos que foi de uma única vez. mai uma vez ele me vira de barriga, abre minhas pernas e enfia o garfo na buceta. E mais uma vez estou molhada, e sei que vou apanhar. Ele bate violentamente na buceta e apesar de estar esperando por isso, foi tão forte que solto um ai, e uma lagrima rola de meus olhos.

Ele me manda sair da mesa, me pega pelos cabelos e me arrasta ate ao banheiro. No banheiro vejo que tem uma banheira, vejo que ele pega uma gilete, e um chinelo. Um frio passa pela espinha. Ele senta na privada fechada e manda deitar em seu colo, fico de bunda pra cima, ele passa a gilete no meu anus. - Aki tem vários pelos, sua porca! E raspa meu cu com a gilete e na bunda, pois realmente não tinha pensado na bunda, me preocupei tanto com a buceta que esqueci do anus e da bunda. Assim que ele termina a depilação, pega o chinelo e começa a castigar. A cada chinelada vai ficando pior, pois esta sensível pela depilação e pela força que ele impõe. Qdo esta na décima chinelada não aguento mais e começo a pedir para parar, e choro pois esta doendo demais. Ele não para, e como reclamei, ele pega um consolo e enfia no meu cu e bate com mais violência. Qdo termina, me põe de pé. E enfia seus dedos na buceta e estou toda molhada, e sei que vou apanhar mais uma vez. Ele agarra meus cabelos, me levanta - Sua cadela! abra as pernas! Abro as pernas, e ele me bate com a vara na buceta.

- Sua cadela suja! - não gosto de nojeira! - me enfia na banheira e liga o chuveiro, e começa e me banhar. Qdo chega na buceta, ele pega uma escovinha, aquela que lava mamadeira, tento fugir pois ela é espinhenta mas impossível ele é mais forte que eu. - Abra essa buceta imunda! Abro e ele põe a escovinha e roda, entra e sai, dái, dái demais, choro e peço p parar. Ele tira a escovinha e agora enfia o chuveirinho nela, lavando sem dá. Depois de me lavar na frente me coloca de costas e me amarra numa argola na parede, afasta minhas pernas e coloca o chuveirinho no cu, sinto a água quente invadir meu cu, me dando cálica e começo a evacuar, pois não consigo segurar. Não consigo ver a cara dele, pois detesta nojeira. Mas ele coloca novamente, novamente, novamente, ate que sinto que sá sai água mesmo. - Agora esta limpa! Imunda, cadela, vadia, tava pensando que ia deitar comigo suja desse jeito? To vendo que não sabe nem tomar banho. De hj em diante quem dará seu banho sou eu, pois não sabe se lavar direito e eu detesto sujeira. Ele fecha o chuveirinho e começa a descer água pelo chuveiro, descendo pelo meu corpo, levando a sujeira do anus. E levo um susto pois ele pegou a vara e começa a bater na bunda, nas pernas, nas costa. Xinga-me de vadia, que sou puta de rua que me pegou na esquina, que ando que nem cadela. E que sou desobediente, que não sei me depilar, e que não fico quieta pois ele não gosta de choro e nem que peça para parar. - Você disse que ia obedecer, que não ia chorar, pois detesto choro! - Não avisei? - Sim meu senhor, avisou. Então! - perdão meu senhor, perdão meu senhor! Hoje vc vai aprender a ficar limpa pro seu senhor e nunca mais vai esquecer. Meu dono não para de me bater a cada palavra era uma varada e com água escorrendo era pior ainda. Não sei qto tempo durou aquilo, já estava sem forças para ficar em pé, minhas pernas bambeavam de dor.

Ele desliga o chuverio e me da à toalha, e sai. Qdo começo a me secar, percebo que a toalha me machuca, pois estou toda marcada pela surra. - Esta demorando demais! Ele grita e me enxugo mesmo doendo. Saio do banheiro, e vejo-o me esperando. Pega pelos braços e me leva a um quarto nele tem apenas um lençol estendido, uma vasilha de água, coloca a guia presa a parede, e diz que sou uma cadela suja e imunda e que ainda nao tenho direito a dormir na cama dele.

Ele sai e fico perplexa com isso pois não esperava por isso. Deito-me no chão em cima do lençol, e passo a mão na coxas, na bunda, tentando aliviar a dor. Essa foi a minha primeira noite. Depois conto como foi acordar sob o julgo do meu dono.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico sofreu no anal com outroConto erotico gay rasgaran meu cupego teu pau e coloco no meu cuzinhobrincando na portinhada bucetacontoseroticos sogra e genro na agua da praiacontos eroticos real engessadacontos brincadeira de sabonete na piscinacontos d zoof pegei minha sobrinha c um cachorrocontoseroticos.esposa abudada no onibuscachorros rendidos gozando pornocontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidoconto erotico viado afeminado escravizado por macho dominadorconto erotico madura gorda e a submissa ninfetinha e gostosacontos eróticos gays a primeira vez com 24 anosaregasando a b da ncontos eroticos me fizerao meninacontos mia mulhe linda aromou u amate muito bemdotado ela gemi muito na rola deleO primo do meu marido é meu machowww XVídeo pornô o tio f****** a sobrinha foi bonita e de Menortiti do cu apertado emncontos flagreii meu subrinho mastubando com calcinhacontos minha irmã minha putaseios tezudos de gravida fotoconosco toma a porra de. macho na. bucetaminha namorada apertando meu pau com a sua bucetaDeixei meu irmão de pau duro quando sentei no colo dele contos eróticosdei a bunda para o torcedor contoscontos o moleque safado e dotado me provocava usando sungacontos er safadoconto comeu mae feiacontos eroticos de putas viciadas em porra gang bangcontos de menininhas sentando no colo de homensminha mulher enrabada na boateWww.contos.eroticos.mulher.casada.traindo.homem.caralhudo.egrossoconto erótico de casada que chegou em casa completamente arrombada e o marido percebeumeu namorado me fez de putaContos eroticos .eu usava uma sortinho indescente conto de botei a novinha pra chora com a pica grande no cucontos afastei a causinha da mamae enguanto ela dormiaSimone chupando pau de joelhos e levando gozada na bocaContos eroticos forçada a dar para um.cavalo na fazendacontos eroticos de estrupamendodeu a buceta no presidio contosmeu grelo est louco de tesaoconto crente bunda desproporcionalcontos de incestos eu estava dançando funk De vestidinho curto e meu pai viu e não aguentou e comeu meu cuzinhodeixei meu sobrinho me ver nua contosmulher faz strip antes de comecar zofiliaminha filha e bela contos eróticosaregasando a b da nconto fui pego na punhetacontos eroticos de sogra carenteContoseroticos minha enteada novinha sendo estuprada por dois roludosMeu amigo chupou uma mendigaJá botei ela para transar eu não vai botar o vídeo dela transando gemendo tácontos fragei meu amigo dotado e minha esposaconto ertico lambendo buceta ela gem mtotanguinhas molhadas contos eroticos reaisEliana experimentando calcinha fio-dentalwww.contopadrinho.comcontos filha pequenasobrinhas novinhas e gostosinhas fudendo com tios big roludos contos eroticoscontos gosto de ver meu marido usando calcinhacontos veridico acho que o garoto comeu minha mulher a patriciaporno relatos veridicos atuaisconto erotico da desvirginadaconto praia de nudismo com a esposa continuacontos cu da minha prima escondido no paiolcontos eroticos de vendedor velho gordo seduzindo a meninacontos gay comendo o muleke do orfanatocontos gay cuzinho frouxodominador pé gostosoconto erotico gay meu amigo rasgou meu cu