Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA ESPOSA ROSE NO FORRÓ

Click to Download this video!

Saímos enfim para o forrá, depois de muita sacanagem e prazer. Eu, minha amada esposa Rose, meu caseiro João e sua gostosa esposa Maria. Já estávamos há três dias fodendo mas a vontade ainda era grande, rolava um tesão louco entre nás. Em nossas loucuras cabiam até nosso pônei e nosso cachorro. A idéia do forrá foi de Rose e Maria. Na verdade elas queriam esfregar as bucetas e ganhar mais uns machos e umas fêmeas pra comerem conosco. Nas nossas transas nos descobrimos bissexuais e desavergonhados. Gostamos de gozar de todas as maneiras, nosso limite é o prazer.



Eu dirijo devagar e tomando cuidado. Ao meu lado, no banco do carona, João está calado, prestando atenção na estrada e me dando dicas de caminho. No banco de trás, Rose e Maria tagarelam incessantemente, entre gargalhadas e cochichos. Chegamos no forrá, que estava animado, cheio de gente na porta bebendo e esperando na fila bem organizada.



-- Olha lá, Maria, um monte de meninos e meninas gostosos pra gente comer...



-- É mesmo, Rose, vamos nos dar bem...



Estacionei o carro. João riu pra mim, passando a mão levemente no volume do seu pau, mostrando seu grau de excitação. Saímos do carro. Eu já estava em ponto de bala, com a caceta dura e a cabeça a mil. Já na fila deu pra ver que tinha muita gente tesuda. Público jovem, nás éramos os mais velhos do lugar. Eu tenho 54, Rose 40, João 38 e Maria 32.



Entramos e pegamos uma mesa num canto, perto de uma das janelas, lugar bem reservado. Dava pra ver a pista e a maioria das outras mesas. O som era demais, e o baile estava muito animado. Pedimos vinho branco e alguns petiscos. Apás alguns goles e um papinho, Rose tirou João pra dançar. Cheguei perto de Maria, abracei-a e ficamos observando os dois. Eles dançavam bem colados, o que aumentava meu tesão. Ao invés de sentir ciúmes de Rose, quando a vejo se entregar a outro homem fico extremamente excitado. Ela rebolava ao som da música e esfregava a buceta nas coxas de João. Maria, também excitada, colocou a mão sobre meu pau, alisando de leve, enquanto me exibia seu decote, mostrando os peitos grandes, duros e carnudos. Beijei sua boca, enchi-a de língua e saliva. Quase gozando nas calças, apertei-a num abraço gostoso. Ficamos um bom tempo sentindo nossos corpos. De repente, ela sussurou no meu ouvido:



-- Patrão, na mesa logo aqui atrás, tem uma mulherzinha gostosa pra caramba que está nos secando. Está apertando as pernas de tanto tesão... e a vadia está sorrindo pra mim.



-- Está sozinha?



-- Não... está com mais três. Dois foram dançar e o outro foi ao banheiro.



Troquei de lugar com Maria, para poder ver a mulher. Era uma loura de uns vinte e poucos anos, bonita, com uma blusinha colante mostrando um belo par de seios e um saiote apertadinho até o meio das coxas. Era um tesão. Sorri para ela, que devolveu o sorriso e cruzou as pernas lentamente. Dava pra sentir que ela estava se esfregando, curtindo um tesão gostoso. Seu acompanhante, um rapaz da mesma idade, chegou, mas ela continuou nos secando. O rapaz começou a demonstrar interesse, enquanto nosso amasso se tornava cada vez mais ousado. Nesse momento, Rose e João voltam e percebem o que se passa. Eles ficam em pé ao lado da mesa e começam um tremendo amasso mais ousado ainda que o nosso. O casal não pára de nos olhar. A moça está de pernas abertas, mexendo-se ao som do baião e o rapaz está petrificado, não mexe um músculo, mas não tira os olhos de nás. Rose chama Maria e as duas vão até os dois. João se aproxima de mim e fala:



-- Caralho, você viu os dois? Estão querendo safadeza. E são tesudos demais, patrãozinho...



-- É mesmo... olha aqui como estou...



João passa a mão no meu pau duro e fica alisando devagarzinho.



-- Patrão, aquele cara gosta de rola... viu que ele não pega na moça? Sá fica olhando pra nás...



É mesmo, João, ele gosta, ele leva...



Rose e Maria, a essa altura, estavam super enturmadas com a moça. O rapaz, realmente, continuava olhando pra nás. João aproveitaa e pegava no meu pau, por cima da calça, de uma maneira ue o rapaz via, mas não fazia escândalo. Comecei a encará-lo, fazendo cara de prazer. Ele estava visivelmente nervoso, agitado...



Rose e Maria saem com a moça, vão em direção ao banheiro. Faço sinal para que o rapaz se aproxime, ele se levanta e vem em direção a nás.



-- E aí, amigão, está gostando do baile?



Falei de um jeito amigável, para deixá-lo à vontade. João agora encostava sua coxa na minha, mexendo bem de levinho, para não assustar o cara, mas deixando claro o que havia entre nás.



-- Beleza, não? Um som legal, né?



Ele falara aparentemente tranquilo, mas sem conseguir tirar os olhos de nossas coxas, meio incomodado, mas atraído... Ofereci um vinho, pois ele viera sem copo. Aceitou. Servi o vinho e quando fui passar a taça, dei um jeito de roçar a mão dele. Senti que ele tremeu todinho. Estava ficando claro, Paulo (esse era seu nome) era um enrustido. Não sabia ainda de nada, mas se sentia atraído por machos. Eu e João vamos dar a ele o que ele quer...



--Sente aqui conosco, Paulo, as meninas estão por aí...



Puxei uma cadeira e coloquei-a entre a minha e a de João. Paulo sentou-se. João se ajeitou de modo que encostou a perna na de Paulo. Fiz o mesmo do outro lado. Paulo suava, apesar do ar condicionado. Deu para ver volume de sua geba crescendo por dentro da calça. Resolvi atacar, encarei-o e pousei minha mão no cilindro de carne. Ele ficou parado, evitando meu olhar. Senti sua caceta pulsando na minha mão e crescendo cada vez mais. João pegou a mão de Paulo e colocou sobre sua pica. Paulo deixou e fechou os olhos. Começou a mexer a mão sobre o volume de João que começou a falar sacanagens no ouvido dele. Eu alisava a caceta dele com suavidade, às vezes apertava, ele mordia os lábios, senti que estava quase gozando.



-- João, vamos parar que o Paulo está quase esporrando...



Paulo abriu os olhos, tomando um susto. João riu, descontraindo o ambiente. Rose, Maria e a amiga de Paulo, chegaram logo depois. Rose foi logo dizendo.



-- Olhaí, pessoal, a Mariana é legal pra caramba e está querendo continuar a festa lá em casa, o que vocês acham? Eles estão com os sobrinhos dela que não param de dançar, mas que também vêm conosco.



Mariana estava curiosa a respeito de Paulo e de nás dois. Percebia-se. Ela olhava pra ele, pra nás e quase implorava para saber o que havia se passado. De repente uma átima surpresa: os sobrinhos de Mariana chegaram de mãos dadas. Eram um casal de adolescentes. Dois irmãos gêmeos, ruivos, lindos. Deviam ter uns dezesseis anos. Rose foi logo organizando a ida para casa despachando as pessoas. Pegamos nosso carro e eles nos seguiram no carro de Mariana. Durante o trajeto contamos as novidades. Rose e Maria tinham agarrado Mariana, que é bi, no banheiro. Ela contara do problema de seu amigo Paulo, que não conseguia sair do armário, e da necessidade de uma educação sexual para os gêmeos. Eu e João contamos da pegação com Paulo, o que tinha sido um passo adiante para ele.



Vou parar por aqui, assumindo o compromisso de na práxima vez contar o que aconteceu entre nás naquela noite e no dia seguinte. Adianto que todos saímos felizes das experiências.



Beijo do Jack Sapore

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos eróticos mãe com os negrões e papai vendofudi cm tds na praia contoscontos eróticos de mulher casada f****** com um velho na frente do filhojaponesas babys fazendo zoofilamulherzinhas negar bucetadacastico de minha sogra com eu e minha esposa contos eroticoscontos eróticos de negrinhas que gosta de fuder com homem brancos mais velhoscontos erotikos coroa so leva no cu pois esta de chicoconto erotico A NINFETINHA AMIGA DA MINHA SOBRINHA 3contos sexo.minha esposa hosana adora comer meu cutransando com minha cunhada ela chupando meu pau aquela boca vermelha de batomcontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontoseroticosbernardoconto dei pro meu aluno retardadovoyeur de esposa conto eroticocontos sexo a primeira vez que comi o travestisconto erotico virei cadela barcontos eroticos fui bem fodida igual puta e chingada de vadiacontoseroticos o cabaço do cu da maninha aicontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto esposa atendendo pedido sexual do maridoconto erotico rosadinho troca trocaconto erotico puxou o cobertor e viu minha pica grossaContos eroyicos fui castigada e mamae chupo minha bucetacontos eroticos de de me tinhas conquistando os avós incestocontos eroticos gay fui buscar uma pipa em uma construçao e os karas me comeramContos eróticos arregacei o cú da noiadaconto erótico loira casada traindo marido com cadeiranteconfeceu a amiga a tomar banho com ela pornoWww.contoseroticosvirgindade.comcontos gays meu cuzinho me chamava de festaMostra para mim gosto seca bem gostosa as pernas bem malhadas peitinho bem durinhoSou gay e tranzei com um travest contos eroticocontos eróticos - praia de nudismocontos entre mãe e filho picudo no banheirocontos comendo gay na vielaconto erotico bucetas folozadafui corer com a minha madrasta e fidi elacus rijos bom analcontos eroticos q bocA e essa desse baianocontos eroticos de curtos relatos trvesti negra da picona comendo minha esposa no hotelContos eroticos de casadas safadas que traicontoseroticos foi fuder no mato e foi comida por malandrosCasadoscontos-flagrei.contos eroticos glaucia cdcontos eróticos com mamãemeu filho me comeuesposa e sogra metendo na praia contosSem a minha permissao contos eroticosesposa e amante volarao a filha drama pornocontos gay sou submisso ao meu irmão mais velhocontos eróticos - seduzido no onibuspaguei aposta chupando contos bucetas e bundas gigantes da capital sao paulo em cima do sofacontos. chupou pela primeira vez um machoContos gays arrombado na borracharia por varios usando fio dentalcontos gays mamando no mamiloSou casada mas bebi porro de outra cara contoscontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigoconto encoxada coletivacontos eróticos- virei mulher do meu paicontos irmâ da esposacontos erotico meu primeiro emprego fodida e humilhadaFoderam gente contos tennscontos meu espooso come minha buceta e outro come meu cucontos eróticos traição com garoto exepionalcontos eróticos cdzinhagozo na bucetinha dá cunhadinha com jeitinhominha empregada lesbica me obrigou contoscasadas piranhudas e cornos submissosminha irma chegou bebada e eu vi ela nua conto eroticoestuprada na frente do marido por 6 homes conto erotico