Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FILHINHO DE PAPAI III: AULA DE REFORÇO COM TIO ALE

Click to Download this video!

Eu ainda estava sob o efeito das transas com papai (vide "Filhinho de Papai I) e com meu padrinho, Alessandro (Vide "Filhinho de Papai II) e imaginava uma forma de colocar meu pai transando com seu irmão mais velho quando recebemos a notícia de que o irmão caçula deles, Tio Alexandre, também chegaria lá em casa para passar uns dias. Dessa vez meu cuzinho de 19 aninhos piscou feito um louco, pois já que eu tinha dado para papai e para meu dindo, dar para o tio Alexandre seria uma possiblidade e tanto.

Minha vida estava uma delícia: pela manhã, logo que papai ia para o trabalho, dindo Alê me enrabava deliciosamente, com aquela vara cheia de veias saltitantes; à tarde, eu ia para a escola, mas não me concentrava em nada, pensando na trepada que tivera e na que viria; de madrugada, papai adentrava no meu quarto e fazia o serviço de pai preocupado. Nessa época, minha mente pensava em como ter aquelas duas varas no meu cu ao mesmo tempo.

Alguns dias depois, tio Alexandre chegou: era loiro, 30 anos, forte, estilo garotão. Um sorriso cativante e uns olhos verdes de enlouquecer qualquer um! E que pinto!! Pela calça jeans já dava para perceber que ele tinha uma senhora mala!!!

- E esse garoto, como vai? - Tio Alexandre me disse isso e me deu um abraço. Me fiz de molinho para ele me levantar no colo. Ele me levantou e, de imediato, meu pinto deu sinal de vida. Acho que ele percebeu, pois me olhou de um jeito diferente.

Com a chegada de Tio Alexandre, meu dindinho saiu no prejuízo, pois nossas transas rarearam muito. Ele chegou ao extremo de, uma tarde, me esconder no porta-malas do carro e me levou para um motel, onde transamos loucamente.

Papai continuava frequentando meu quarto à noite, religiosamente.

Em função de tantas estripulias sexuais, meu rendimento na escola caiu bastante, e, em função disso, fiquei de recuperação em Matemática. Tio Alexandre era um craque em Matemática, e, em função disso, papai pediu-lhe para me dar umas aulas de reforço. No dia da primeira aula, papai saiu e levou meu dindo junto, ficando somente eu e tio Alexandre em casa. Fazia muito calor, e logo eu bolei um plano.

Quando fui para a sala de jantar, para estudarmos na grande mesa, fui vestindo apenas uma bermuda que eu tinha, bem apertadinha, que deixava minha bunda deliciosa (pelo menos, é o que papai diz). Percebi que Tio Alexandre ficou perturbado, mas se conteve. Sentei-me ao lado dele e ele começou com as explicações. Fiz uma carinha de quem não entendia (sou um átimo ator) e comecei a chorar.

- Oh, meu lindinho, não fica assim...

- Ai, tio, eu não vou dar conta de aprender isso... - e desatei a chorar.

- Calma, lindinho, senta aqui no colo do tio...

Era o que eu queria. Me fiz de inocente para me sentar no colo dele.

Assim que me sentei, ele continuou a explicar a matéria, mas percebi que ficou muito ofegante com o contato dos nossos corpos.

- Tá muito quente, tio. Vamos ficar sá de cuecas.

- Como?

- Vamos ficar sá de cuecas.

Nem bem terminei a frase, arranquei a bermuda e fiquei com aquela cuequinha branca bem apertadinha, que deixa meu pau e minha bunda bem marcados.

Titio pensou por um instante e tirou as roupas. Também estava com uma cueca branca e deu para perceber que sua vara era descomunal, bom como suas bolas (foi com ele que aprendi a ter tara com homens sacudos). Titio tentava disfarçar, mas seu pau estava meia-bomba.

Ele se sentou e eu, rapidamete,sentei-me no seu colo. Ele tentava me explicar a bendita MAtemática, mas os meus rebolados no seu colo o faziam perder a concentração.

Logo senti uma coisa me cutucando a bunda, e percebi que era o pau de titio. Virei-me para ele e disse:

- Podemos dar um tempo para eu chupar um sorvete, tio?

- Cla- cl- claro. - disse ele um pouco nervoso.

Fui até à cozinha e peguei um sorvete no copo. Sem cerimônias, sentei-me novamente no colo dele, sá que dessa vez de frente. Ele estava incomodado, pois sua vara me cutucava a bunda acintosamente. Fiz-me de inocente e, de propásito, deixei um pouco de sorvete cair sobre a barriga dele.

- Oh, titio, me desculpa! Vou limpar.

- Não precisa, gatinho...

Antes que ele pudesse se levantar, abaixei-me e lambi o sorvete em sua barriga. Pude perceber que ele revirara os olhos.

Olhei para cima e disse:

- Sabe, tio: quero um sorvete de outro sabor.

Dito isso, abaixei sua cueca branca e meti minha boca naquela vara descomunal. Lambia aquela cabeça grande e vermelha como se fosse um sorvete de morango. Que cheiro tem o pau daquele homem! E aqueles pentelhos!!!

- O que é isso, meu gatinho! Eu sou seu tio! Tenho 30 anos e você, 13...

- Tenho 12. Quer que eu pare?

Disse isso e bati aquele pauzão contra minha cara.

- Não, meu lindo. Não para não!!

Titio disse isso e colocou as mãos atrás de sua nuca, enquanto eu chupava sua vara maravilhosa:

- Chupa, meu viadinho, chupa! Chupa a vara do tio, chupa, putinha. O que você quer, hein? O que você quer?

- Quero sentir essas bolas batendo em minha bunda.

- Pois você vai sentir, meu gatinho.

Mamava o pau de titio como se fosse um bezerro nas tetas de uma vaca. Titio urrava feito um louco. De repente, puxou-me pelos cabelos e colou sua boca na minha.

A língua de titio era grande também, e nos chupamos como dois insanos. Titio mordeu-me o pescoço, os peitos e lambeu meu pau, já durinho. Levou-me para o sofá da sala e lá me posicionou de quatro.

- Que bundinha linda: dura, firme e redonda!

Titio mordeu-me a bunda e começou a enfiar sua língua em meu cuzinho. Devo dizer que, em matéria de chupar o cu, meu pai e seus irmão são imbatíveis.

- Ai, titio, chupa meu cuzinho, chupa!

- Vou arrombar esse cu. Você quer, putinho? Quer que eu e arrombe?

- Quero titio! come meu cuzinho, come!

Titio preparou meu rabinho mais um pouco e, logo depois, apontou aquela vra imensa contra minha portinha:

- Vou colocar, gatinho. qulaquer coisa eu tiro.

Titio foi colocando bem devagar. Eu fui suportando a dor inicial, pois sabia que, logo, viraria um prazer louco. Assim que aquela cabeça descomunal passou, a dor foi cedendo lugar ao prazer e, quando dei por mim, as imensas bolas de Tio Alexandre já batiam contra minha bunda.

- Eu vou bem devagar, gostosinho...

- Não! Mete! Mete com força, titio! Eu quero ouvir o barulho dessas bolas contra minha bunda!

Acho que sem acreditar, titio obedeceu. E eu gemia como uma cadelinha insana.

- Isso, meu macho, mete! Mete esse pauzão no meu cu!

- Eu vou te arregaçar, viadinho gostoso! Meu lindo!

Titio me comeu de quatro; depois se sentou e eu me sentei no pau dele. Começamos uma deliciosa cavalgada, enquanto ele me beijava a boca loucamente:

- Ai, garotinho gostoso! Se eu soubesse que seu cu era tão apertadinho e gostoso, teria vindo visitar vocês antes!

- Ai, tio! Que pau delicioso!

- Cavalga, gostos! Cavlaga na vara do teu cavalão aqui, cavalga!

E quanto mais titio me chamava de putinho e me mandava cavlagar na vara dele, mais excitado eu ficava. Acabei gozando sem tocar no meu pau!

Logo em seguida, titio encheu meu cu de porra, acompanhando um grito de prazer.

Fomos para o banho e lá ele não resistiu: me enrabou mais uma vez.

Quando papai chegou à noite e perguntou como fora a aula, eu disse que Tio Alexandre era um excelente professor.

Ainda bem que, de madrugada, papai não percebeu que seu pau entrou muito maiz fácil no meu cuzinho...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto sexo casada proposta indecentecontos emquadrinhos comi a minha irma casada esafada. com a sainha curtacontos chupei minha namorada a forçaContos esposa do meu irmãocontos eroticos brincando escondido infanciaconto erotico deixando minha esposa ajudar meu sogroconto meu sogro assediouconto erotico velhasamo cheirar a boceta da minha esposa pela calçacontos eroticos de esposa exibidavidio muher trasa com homen com pido pequenocontos eroticos porno de pirralhas inocentestexto erotico no inverno com o enteadoComtos casadas fodidas na rua por camionistasContos.eroticos..de.incesto.no.dia.decasarcontos de coroa com novinhoContos eroticostio tiacontos eroticos de escrava de madameContos eroticos(colei velcro com a vizinha e gostei)contos janaina safadinhaconto gaguei mas gostei de dar o cuPorno contos avos iniciando ninfetinhas no incesto maes paiscomendo o cu da nova baba casadaamaconto erotico virei cadela barcontos eroticos entre maes raspadinhas e filhos taradosminha irmã disse pra mim pra eu ajudar ela engravidar pra eu fuder sua buceta pra eu fazer ela engravidar que seu marido ia achar que ele fez ela engravidar conto eróticoContos eroticos corno submissocontos colega safadinhacontos eroticos com a vovóconto erotico de uma casada no busao de s pauloConto de zoofilia com meios gostosacontos eroticos dona e seu shortinho dividindo a xanacontos erotico gay negro dando pra brancona hora do horgazmo gozandoconto erotico com homem velho coroa grisalho peludo do trabalhocontos eroticos gay meu tio de dezenove me comeu dormindo quando eu tinha oito anoscontos erotico gay negro dando pra brancoContos eroticoa transei cm um aduto na infanciacontos eróticos Eu e mamãe pelados em casaconto erotico mulher trai marido preto velho e barrigudogaroto.burrinha.zoofilia.contopapai rasgando meu cu e da minha irmã conto incestocontos cu da minha prima escondido no paiolcontos eroticos meu primo mauricinhocontos meu namoh me cmeua amiga resolve acordar a amiga com a mão na buceta delaCasa dos Contos Eróticos nora gostosa no banheirocontos eróticos minha filha bebeu meu leitepeguei o moreno novinha comendo a egua contos zooconto fui encoxado pelo meu amigo gaycontos eróticos a f*** deiniciando um viadinho contocontos eroticos meu exconto narceja vadiameu namo puchou meus cabelos e deu vários beijos em mim o que significa isso?contos erótico de joguinho com a mamaetia solteira carente contos eroticosContos reais de sodomiacontos mia mulhe linda aromou u amate muito bemdotado ela gemi muito na rola deleconti gay minha tia me fagrou de calcinhaconto erotico doce bruninha novinha no coloconto damdo p o comedorconto de exibicionismo no barzinhocontos eroticos nas prostitutas com mendigosconto erótico minha esposa caiu na ciladaContos eroticos com mendigocontos erótico perdi a virgindade da b***** e do ku com meu patrãoconto erotico velho praia nudismoCantos eroticos de mulheres casadas que traiu aprimeira vezSou casada fodida contovideo safaço roçando na bunda da gostosaContos erotico orgia no meu cucontos picantes tarado no onibusamanda meu marido.é corno mesmo contosbucetinha virgem bem pequenininho viscosacontos eroticos gay mentalcontos eroticos cornostirei o cabacinho do viadinhomulher de chortinho aparesendo a beradia da bucetaconto aprendendo da cuc erotico metendo com a molecadaconto erotico vi meu tio velho coroa grisalho peladoConto porno filha apanha de cintocontos eroticos nao entrameu marido liberou também conto cuurso velho peludo gay contoscomi o cu da minha sogra linda e da filha elas gritavatitia perguntou se ja tinha comido um cuzinho contoscontos eroticos bv e virgindadevizinha novinha da obra contocontos eróticos na saída do paredão comendo c* virgemconto negao cuidou do meninoComi+o+cuzio+da+mia+intiada+aforsa+conto+eroticocontos eróticos abusada peli médico dupla penetraçãoconto erotico trepei na minha tiauma aluna virgem, conto eroticocontos eroticos comi a buceta da minha amiga na capoeiracontos eroticos de meninas sua mae forçou a ser putinha bem novinha por granaacontos marido bêbado