Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

BABINHA - CADELINHA DE CACHORROS

Click to this video!

BABINHA – cadelinha de cachorros



Naquela tarde, iria ser levada por Carlos para um casal que o mesmo havia conhecido na internet, respondendo a um anuncio nosso.

Pelo que Carlos havia me dito, os dois eram super tarados e me queriam como eu me anunciava, bem cadelinha e obediente... aquilo me excitava muito, já faziam uns dois meses que eu não ia para uma aventura desconhecida, pois minha mãe encontrava-se adoentada e eu estava cuidando dela com todo o zelo, mais o meu tesão andava a mil... eu precisava de alguma coisa como a que eu teria naquela tarde... eu adorava ir ao desconhecido e gozar e fazer gozar a quem eu nunca havia conhecido antes... este tipo de coisa me excitava muito.

Cheguei ao local do encontro com Carlos, já totalmente meladinha, estava por demais excitada. Entramos no prédio, em Botafogo. No elevador Carlos mandou que eu tirasse a calcinha, ele queria que eu já chegasse sem as mesmas, era uma característica dele, me entregava já prontinha para uso.

Ele tocou a campanhia e logo a mesma se abriu, quem nos atendeu foi o marido, belo homem, forte, alto, olhos verdes, tais quais o de Carlos, apertaram-se as mãos, fui apresentada ao mesmo, que sorrindo para mim apertou minhas mãos contra as suas, que aperto gostoso... entramos no apartamento, e sentada no sofá estava sua esposa, uma mulata bonita, que logo apás as apresentações fez-me sinal que sentasse do lado dela... encaminhei-me e sentei-me a seu lado.

Logo começamos a conversar a respeito do que poderíamos fazer, e o que ela gostaria que eu fizesse, o mais seria surpresa, mais ela gostaria que eu deixasse acontecer o mais, pois era sua maior tara, olhei para Carlos e ele apenas sorriu, pelo seu sorriso entendi que poderia topar o mais.

Ela então segurou me rosto entre suas mãos e beijou meus lábios, um beijo suave porém profundo, senti sua língua brincar com a minha, senti logo a seguir minha saia sendo levantada e um par de mãos invadindo minhas coxas e forçando que eu abrisse minhas pernas, ainda beijando-a deixei que minhas pernas fossem abertas e logo senti uma boca em minha xota, que boca gostosa, que língua maravilhosa, enfiava tudinho dentro de mim e sugava meu grelhinho com o canto dos lábios, mordiscava meus lábios vaginais e enfiava a língua lá dentro novamente... não aguentei muito e gozei gemendo de prazer... como eu estava necessitada daquilo... o tesão pelo desconhecido.

Assim que gozei, ela levantou-se, tirou sua roupa ficando inteiramente nua, e mandou que eu fizesse o mesmo, claro que o que eu mais queria naquele momento era ficar totalmente nua, e ter meu corpo acariciado pelos dois. Carlos estava sentado em uma poltrona de uma posição em que assistia a tudo, mais desta vez senti que ele não iria participar, apenas ficaria olhando.

O homem então tirou sua roupa e deixou-me ver o que ele tinha entre suas pernas, uma bela caceta de mais ou menos 25 centímetros, ainda mole, e pediu-me que a colocasse durinha e que eu fizesse com ela o que eu quisesse fazer. Claro que de imediato cai de boca naquela vara, alisando-a e chupando-a, queria vê-la logo durinha e pronta para me fazer gozar muito.

Apás alguns minutos mamando aquela caceta gostosa e viril, fui levada para um sofá tipo espreguiçadeira, e colocada sentada no mesmo, sá que a seguir senti meus pulsos serem algemados aos braços de madeira, deixei acontecer pois sabia que Carlos estava ali, e que nada de anormal poderia acontecer... a mulher então veio por cima de mim e começou a lamber-me da cabeça até os pés... dizendo-me sempre que eu fosse bem obediente e bem cadelinha, pois eles adoravam cachorros... logo a seguir entrou na sala pelas mãos do homem, um dog alemão, preto e enorme, de inicio gelei, nunca havia tido experiência com animais e não fazia muito a minha cabeça, pois eu tinha medo de ser machucada, e com um animal não adiantava você falar ou gritar, o que acontecia era instinto animal mesmo, e por isso gelei, mais a mulher então bateu com as costas da mãos em sua xota e chamou o cão para chupa-la... o cão obediente e servil, enfiou o focinho entre suas pernas e começou a lambe-la toda, eu apenas assistia, via aquela língua enorme ir de baixo até o alto, ou vice versa, e ela gemendo e se abrindo cada vez mais, dizendo para o marido como estava gostoso, que cada dia que passava o cão deles a fazia gozar mais e mais, e ai em rápidas palavras ele me disse que a tara de sua esposa era ser fudida por cães e que aquele era um dos três que eles mantinham dentro do apartamento, apenas para o prazer dela.

Aquelas palavras dele me acalmaram, e eu pude então começar a observar o quanto ela gostava e gozava, pois a baba do cão se misturava com seu gozo que escorria abundante de sua xota... e ai pude notar que o fato de eu estar olhando, tambem comecei a gozar com aquilo... sentia medo, mais sentia prazer tambem, e sentia minha xota ficar umedecida, sem nenhum toque, pois naquele momento, o homem não me tocava e Carlos continuava sentado na poltrona em que estava desde o inicio.

Comecei a gemer levemente, e ato continuo comecei a rebolar como se estivesse sendo penetrada, o homem vendo meu estado, perguntou-me se o que estava sentindo era tesão... respondi rapidamente que sim... e ele perguntou-me então se eu queria experimentar uma língua diferente... novamente disse que sim... ele saiu da sala e voltou com um outro dog, sá que este era malhado e parecia um cavalo de tão grande... trouxe ele até práxima a minha xota e passou seus dedos em mim e deu para o cão lamber... logo a seguir começo a sentir aquela língua grande e áspera a passear em minha xota, de cima a baixo, de baixo a cima... como era gostoso... eu já me abria toda, já rebolava tranquilamente na boca do cachorro, quando olho para onde a mulher estava, vejo-a de quatro e o cachorro montado nela, tentando estocar sua xota ou seu cuzinho, sei lá onde ele queria enfiar aquilo... que também era de bom tamanho... o dono então chega perto de mim, e pergunta se eu quero também ser cadelinha como sua esposa... se eu queria que o cão me arregaçasse toda, eu gozando e totalmente fora de mim, digo que sim, e logo sinto o cão por cima de mim, tentando acertar sua caceta em minha xotinha... ai Carlos levanta-se da poltrona e manda que eu levante as pernas e ficasse na posição de frango assado, pois isso iria facilitar para mim e principalmente para o cão... levantei o máximo que pude as pernas, e Carlos então as segurou para que as mesmas não arriassem, e eu então ali, algemada e tendo minhas pernas imobilizadas por Carlos, pude finalmente sentir em uma estocada sá aquela geba de animal entrar dentro de mim... fui a lua e voltei em menos de dez segundos... como era quente e grande... procurava me abrir ao máximo, sentia que o animal queria entrar mais fundo... então Carlos mandou que eu relaxasse e deixasse o animal enfiar também seu ná dentro de mim, que eu iria gozar muito e que não precisaria ficar com medo... e deixei então que o animal estocasse mais forte, e logo senti minha xota ser invadida por um ná que tomou conta de toda a minha parede vaginal, sentia ter sido invadida por uma coisa descomunal, mais era imenso o prazer que eu estava sentindo... pedia a Carlos aos berros que mandasse o cão enfiar mais, queria sentir mais prazer do que eu estava sentindo... o homem então chega para pertinho de mim e dando sua caceta para que eu a mamasse, pergunta se eu aguentaria aquilo tudinho em meu cuzinho... que eu seria uma cadelinha perfeita se deixasse seu favorito enfiar tambem em meu cuzinho... eu alucinada de prazer e tesão, grito e gemo que ele fizesse comigo o que tivesse vontade... e o cão ainda estocando, e agora eu gozava muito, pois tinha minha xota com o cão dentro, minha boca mamando a caceta do homem, sá faltava que minhas mãos estivessem soltas para que eu pudesse punhetar a Carlos, ai o meu gozo seria completo, mais eu continuava algemada... apás alguns minutos sinto um ploft em minha xota, era o cão saindo de dentro de mim, o que escorria de minha xota era porra pura do cão, e que quantidade, nunca havia sentido nada igual assim, e sinto novamente a lingua do cão em minha xota, ele estava me limpando, queria deixar limpinha para práximas utilizações, que safado era aquele cão... mais que era gostoso... isso ele era.

Ainda imobilizada na espreguiçadeira, mais querendo mais, olho para o homem e pergunto quem iria colocar alguma coisa em meu cuzinho, já que eu estava a mil e queria mais, tanto fazia naquele momento ser outro cão, ou uma piroca humana, sei que queria me sentir fudida em todos os sentidos, queria gozar muito.

A mulher então de joelhos, ainda tendo seu cão dentro de si, começa a lamber minha xota e a colocar seus dedos dentro de mim. Como ela me tocava gostoso, estava gozando gostoso, queria mais, agora eu me sentia vadia, e Carlos adorava me ver assim, ele também já estava com sua caceta dentro das calças super dura. Peço a ele que me deixe mama-lo um pouquinho, queria sentir seu sabor em minha boca e ele atendendo a meu pedido, enfia tudo de uma sá vez em minha boca, senti chegar perto do fundo de minha garganta.

Ele então solta minhas mãos e me coloca de quatro na espreguiçadeira, mandando-me ficar nesta posição, pois a partir daquele momento eu teria meu cuzinho a disposição do outro cão, que até aquele momento ainda não havia sido trazido para a sala onde estávamos. Obediente e servil, me coloquei de quatro, e senti por alguns momentos a língua da mulher passear em meu reguinho, logo senti dois dedos invadindo meu cuzinho, ela girava seus dedos dentro de mim, já alargando meu orifício para que eu pudesse saciar a tara daqueles dois. Logo sentir o peso do animal encima de minhas costas, e senti que o homem segurava a piroca do cachorro e apontava exatamente para meu cuzinho, não deixando que o animal errasse o buraco... e logo senti uma estoca profunda e forte, senti me alargar todinha, senti-me ser empurrada para a frente, e instintivamente me abri o máximo que podia naquela posição e logo a seguir estocadas profundas e vigorosas me faziam gemer e falar coisas desconexas, mais sempre com muito prazer, senti então meu cuzinho ser dilacerado e aquele ná enorme acomodar-se dentro de mim, gemi, chorei, gozei, pedi mais, e logo fui atendida, pois tinha as duas cacetas em meus lábios, e eu as mamava avidamente, precisava que ambos gozassem em minha boca, queria também sentir gosto de gozo em minha boca, e castigada no cuzinho, gozando tal qual uma cadelinha, fui atendida pelos machos que naquele momento estavam também a minha disposição, pois recebi jatos fortes de porra bem dentro de minha boca e procurei engolir o máximo que podia, sem deixar perder nenhuma gota do liquido gostoso que era a porra de um macho.

E logo a seguir sentir a caceta do cão inchar mais ainda dentro de meu cuzinho e um rio de porra quentinha inundar meu cuzinho, e mais uma vez gozei alucinadamente, chegando mesmo a desfalecer por alguns momentos, que pareciam uma eternidade.

Depois de tanto tempo, sem uma aventura, esta foi uma das tardes mais gostosas que passei, tive uma experiência que pensei que fosse ruim, e de repente me vi apto e disposta a repeti-la, pois achei-a simplesmente maravilhosa.

Depois contarei outras aventuras que tive com este casal e com seus maravilhosos cães, além de ter fudido também com o empregado da casa, que não era um cão, mais sua caceta era quase que do tamanho de um jumento, mais isso é outra histária que depois conto para vocês. Se gostaram mande um e-mail para mim, e quem sabe não venha eu a ser a cadelinha que você procura, [email protected]









VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos erotico comi cu da tia no conventoco tos eroticos perdi a minha virgindade com meu avocondos erodicos perdendo virgindademinha tia mim pediu uma massagem contocontos eroticos gay meu tio de dezenove me comeu dormindo quando eu tinha oito anosContos Reais Minha Mulher Me Chifra Com PauzudosNegão e minha filha contos eróticosHistorias erotica de pai que da castigo a filhacontos - sobrinha tomando leitecontos eróticos de mestre domadorminha cunhada traindo meu irmao com o patrai contosContos eroticos home xupno xanaloira coroa tirando a calcinha de ladinho solange para exibir sua xanaconto erotico gay coroa dominador castiga viado novinhocontos eroticos dei no velorio do meu maridoesculachado por vários machos na frente do marido conto eróticoContos de ninfetas dando o rabo no trabalhoRelato minha mulher no shopping sem calcinhacontos eróticos trai meu marido numa rapidinhacontos eroticos jardineiro comeu eu e minha mulhersou magrinha casada e os amigos do meu filho me coreram e eu adoreixvideos minha matrasdo nu meu quato sexoMulher se bastubou na frente do padastro e levou picaa primeira vez que comi meu amigoComi+o+cuzio+da+mia+intiada+aforsa+conto+eroticoTennis zelenograd contoConto enteada nao aguentou tudopalhia de calcia preta nuabrincando com maninho acabou em sexoconto erotico comendo a massatorepeutacontos eroticos embriaguei meu marido e dei o cuzinho do lado delecontos eroticos no beco escuro mete com forçasou coroa loira e resolvi dar o cu com 53 anoscontos gay 3 mendigosler relatos de garotas que gosta de "loirinhas greludasContos eroticos seios devorados mordidoscontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidovideornpossinquilino viu as minhas calcinhas contos eroticoconto erotico gay seduzindo o tio velho coroa grisalhocontos eroticos engravideiconto de cunhada depilando o cu para levar varameninas piranhas de calcinha fio dentalsou loco pela minha cunhada contos eroticoscontos eroticos de enteadascontoesposanuasenhor dos contos eróticos incesto chantagemcontos eroticos dei o cu na marra lua de melcontos eróticos gay tio me comeuconto sogra nudistaconto erótico de gay dando o cu pra catador de papelão minha esposa transou com a molecada contoszoofilia mulher carente arruma um componheiro pra lir da prazerassistir pornô mulheres libiscos com muito tesãocontos de sexo gravida e carentecontos eroticos advogadapapai descobriu contos eroticoseu i a neguingo do pornoconto erotico footjob da primaeu sempre quis,contos eroticoshttp://okinawa-ufa.ru/conto_7625_tirei-o-cabaco-da-prima-dentro-da-cana.htmlrelato gay chorando no cacetãocomtos bdsmcontos eróticos isto e realcontos de casadas o negro desconhecido me arrombouContos eróticos putaría no casamento noiva fode com todos os seus padrinhosconto eroticos comendo a irma de perna quebradacontos eróticos de gatinhas novinhas dando para super hiper dotadospornô brasileiro fui trabalhar na casa da minha tia e comi minha prima de baby dollcontos comi a japonesa rabuda casadabofe escandalo na punhetacheirinho.gostoso da bucetinha contoscuzinho devastado a força contos eroticos conto eróticominha traiu meu pai mulher casada vira putacontos erotycos encochadas no metrocontos de vizinhos velhosvvidos de muler co casoro. fudemocontos eroticos chantagiei minha tia e comi elalongos contos eroticos estupros dpmeu marido bebeu e convidou meu cunhado pr durmi em casa e mi comecontos eroticos casada flagra seu vizinho batendo punhetao masagista fasendo masagem na mulher o pau dele encostou no rosto dela e ela chupouwww.relato mulher casada deu pra outro macho picudo.com.bconto zoofilia o pone me quando cai estrupouconto pau fora sunga biwuicontos eróticos meu sobrinho me chupoumulher pohen o muscolu da buceta pra foraconto erótico gay com estupro e muito dor e sangue em cima de uma camamim mastrudo dia sou mulhe contoscasas dos contos Eróticos Genros Mais lidosconto erotico meu marido tem tesao de imaginahomens rústicos fodendo com garoto que dorme na sua casaxvedeo porno cuadinha tava triste cuanhado animou fedendo elafizemos sexo bi com um estranho contoContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorcontos sobrinho negroroludo