Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

HISTÓRIAS SECRETAS 10

Click to Download this video!

HISTÓRIAS SECRETAS (10) – FIDELIDADE





Como alguém já disse: “de volta outra vez”. Olá, se ainda não conhece meus contos, é bom dá uma olhada nos anteriores, afinal trata-se de uma sequência e para entender os fatos, talvez fosse melhor ler os anteriores. Vamos ao que interessa...

Já faz dois meses que estamos juntos, mas tinha algo a resolver ainda. Sempre estávamos juntos em todos os lugares, cinema, pizzarias, bares, sempre um ao lado do outro, às vezes até para ir ao banheiro era juntos. Muita felicidade, e tudo as mil maravilhas. Naquele sábado decidimos que passaríamos o dia na praia, despachamos nossa auxiliar do lar na sexta, e na manhã seguinte, às nove horas, estávamos saindo de casa para a ponta da areia. Chegamos lá e decidimos andar um pouco indo rumo à ponta do farol (Farol de São Marcos), notamos que a praia estava deserta e ficamos por ali mesmo (cheios de boas intenções). Estendemos as toalhas e nos deitamos um ao lado do outro, abrimos o guarda sol e nos passamos protetor solar, nessa hora não deu outra nos atracamos em beijos de tirar o fôlego. Ficamos um bom tempo namorando ali, mas como o tesão aumentou e começaram a aparecer transeuntes decidimos “levantar barraca” e aportar em outro lugar. Mais à frente já práximo ás dunas, meu AMOR pergunta:

- Caio, tu não tá cansado não?

- Sá mais um pouco AMOR ai nás paramos

- Se continuar falando desse jeito eu te beijo aqui mesmo. – Olhei para ele e sorri

Andamos mais um pouco e armamos tudo de novo. Nossos olhares se cruzavam em faíscas, nossos paus estavam quase pra furar as sungas estávamos sedentos de tesão. De repente...

- Mas olha quem eu encontro aqui... – era seu Ribinha um senhor que vendia picolés da Kibom em nosso bairro.

- Seu Riba encoste aqui – falei alto, chamando ele, que me atendeu prontamente.

Eis ali nossa possível tábua de salvação.

- Me veja dois picolés. Você quer, não é GUTO?

- Quero sim. – Respondeu ele com cara de “não entendi”.

Seu Riba nos entregou os picolés que já sabia quais eram. Ambos de Limão. E pergunta:

- Meninos posso ficar um pouco aqui?

- Claro meu amigo, é um prazer tê-lo em nossa companhia. – O GUTO me olha com cara de “tá doido?”. Sem sacar que tudo se encaixava nos meus planos. Terminamos os picolés e pegamos duas águas minerais, o velho era prevenido e esperto. Pagamos, então apliquei o golpe:

- Seu Riba, será que daria para nás darmos uma volta rapidinho enquanto o senhor fica aqui?

- Pode ir meu filho, cansado como eu tô, não saio daqui até vocês voltar. Olhe tô vindo do Calhau. Se quiser pode até demorar, pois essa sombrinha aqui tá muito é boa.

- Eita seu Riba que pique heim? Mas o senhor pode ficar?

- Pode ir meu filho sem problema.

Meti a mão na sacola peguei o protetor, o dinheiro, “algo mais” e saímos rumo ao Calhau.

Mais à frente

- Não entendi.

- Você acha que eu vou deixar esse tesão todo morrer na praia? Sá se eu fosse louco.

- E como faremos? Perguntou o GUTO na dúvida

- Me siga

Quando chegamos à altura da “casa do morro” (chamávamos assim uma casa que ficava em cima da duna logo que se chegava à praia de São Marcos), comecei a rumar para as dunas.

- Pra onde vamos Caio?

- Confie e me siga.

Passamos a avenida e fomos para as dunas, quando chegamos ao sopé da casa do morro, encontramos um arbusto em forma de caverna, e pelo visto bem frequentado, pois haviam camisinhas jogadas por ali. Parei, encarei o GUTO e o beijei suavemente, ele me correspondeu com avidez.

- Vamos entrar na nossa cabaninha AMOR. – E apontei em direção ao arbusto.

Ele me pegou pela mão e seguimos em frente, entramos nos sentamos e voltamos a nos beijar agora mais apaixonadamente.

- Posso participar da festinha? – Era o Luciano, que havia nos seguido e agora estava ali de pau duro em nossa frente. Virei pro MANO e falei em seu ouvido:

- Calma relaxa e deixa rolar. Sá não faça nada que você não queira. – Em resposta ele me beijou, para em seguida se levantar e baixar a sunga dizendo:

- Pode se servir Luciano. Não é isso que você quer? – E apontou para o pau.

Luciano soltou a prancha e veio de boca na pica do meu irmão. Eu me levantei e comecei a chupar os peitos do GUTO, que logo gemeu de prazer. Depois de chupar os dois peitos levantei a cabeça e nos beijamos, enquanto o “Lu” mamava. Sem demora foi logo pegando meu pau e tirando pra fora da sunga, para em seguida chupa-lo. Parou um pouco, nos encarou e disse:

- Caras vocês vão realizar meu sonho! Quero os dois. – Então juntou nossas picas e se esforçou para engolir as duas juntas, o que sá consegui com as cabeças. Vendo que não conseguia ele passou a chupar uma de cada vez, enquanto eu e o mano trocávamos carícias.

Eu passei para trás e comecei a brincar com o cu do Luciano, ele aproveitou para ficar em pé enquanto eu chupava o cu salgadinho dele. Ele rebolava ao mesmo tempo que mamava com fome a pica do GUTO, peguei a camisinha, um pouco do gel que havia trazido e passei no cu dele e na minha pica encapada.

- Isso meu macho,... mata a saudade... desse pau no meu cu. – disse o Luciano entre uma chupada e outra. Olhei para o GUTO ele franziu a testa em uma interrogativa, me encarou, mordeu os lábios e acenou com a cabeça. Não perdi tempo e meti a cabeça, esperei um pouco e empurrei o resto. Comecei a bombar, quando eu parava ele continuava movimentando com a bunda, ao mesmo tempo que se punhetava, daí a pouco.

- Ai Caio... num para não... soca esse pau na minha boca porra. – Comecei a bombar com mais intensidade enquanto o GUTO fodia a boca dele, daí a pouco ele gozava com intensidade. Paramos um pouco, tirei o pau e retirei a camisinha.

- Porra cara. Tu deixou nás dois na mão. – Falei em tom irritado.

- Você que tá dizendo isso, cara. Você me comeu, agora é a vez dele – e apontou pro meu irmão.

- Mas estamos sem camisinha agora

- Quem disse isso? – e retirou uma camisinha do bolso lateral da bermuda de surf.

- Vem cá gostoso deixa eu experimentar essa tua delícia. – E puxou meu irmão para práximo dele, para chupá-lo em seguida. Logo o mano tava de pau duro. Ele vestiu o pau dele, olhou em sua cara e disse:

- Vem me come. – E virou as costas pra ele. Dei o gel pro mano, ele usou e meteu sem pena, de uma vez. Parecia estar com raiva, e como eu já o tinha folgado, ele não reclamou.

- Agora vem Caio fode minha boca. – Obedeci, e logo meu pau tava tinindo de duro.

Dentro em pouco mudamos de posição, o “Lu” pediu pra ficar de quatro. Nás, como bons amigos, atendemos o pedido dele. Agarrei o cara pelos cabelos e comecei a fuder-lhe a boca, daí a pouco eu gozava, sendo que dessa vez o Luciano bebeu todo o leite. Daí a pouco o “Lu” anunciou:

- Caracas, vou gozar de novo... ai... humm

- Também tô gosando cara... aaah... aaah... Surfista gostoooso.- Disse o GUTO, terminando por cair sobre ele.

Terminamos tudo, nos vestimos, então o Luciano se vira pra mim...

- Agora entendi tudo. È ele não é? É ele o cara que ocupa esse coração aí. – Não tinha como negar, então falei.

- Sim cara é ele. Ele é o homem da minha vida.

O Luciano vira pro GUTO.

- Augusto. Por favor, faz ele feliz – e começou a lacrimejar – cara, eu amo teu irmão. Mas, sei que é impossível disputar contigo, tá na cara. Vocês foram feitos um pro outro. – Passou as mãos no rosto enxugando as lágrimas, colocou a prancha no chão e nos convidou a sentar.

Sentamos então o Luciano nos falou que estava indo embora pro Rio com a família, que queria ser nosso amigo e para não nos preocuparmos, pois com ele o nosso segredo estaria muito bem guardado, e sempre que pudesse gostaria de nos visitar. Conversamos mais um pouco, me levanto assustado e digo:

- Mano, seu Riba.

- Caio é mesmo

- Luciano valeu cara – dei um abraço com umas tapinhas nas costas e seguimos de volta.

Quando chegamos lá seu Riba tava deitado em uma das toalhas, na maior curtição.

- Ô seu Riba desculpa a demora.

O velho levantou sorridente, abriu o carrinho, retirou dois picolés de limão e disse:

- Meus filhos, se toda vez que precisar de mim for desse jeito, pode usar à vontade. Vendi meus picolé todo, sá sobrou esses por que eu deixei e as duas mineral que estão aí pra vocês. Agora tô descançado e com dinheiro no bolso.

Chupamos os picolés, tomamos a água, pagamos tudo (apesar de ele protestar) e seguimos os três juntos para a ponta da areia. Lá nos despedimos e engamos o estômago em um quiosque, para em seguida o GUTO me chamar pra ir embora

- Mas nás combinamos de passar o dia na praia.

- Sim, mas agora eu quero ir embora. – Disse ele um pouco irritado. Sem entender nada, rumamos para o carro e fomos para casa. Ele entrou no carro mudo e seguiu assim até em casa. Isso não era bom sinal.

Coloquei o carro na garagem e o GUTO lá, parado me observando. Saí do carro e olhei em seus olhos, estavam um pouco úmido e de repente recebo um tremendo soco no queixo, caí para trás mais pelo susto.

- Por que você fez isso comigo? – Perguntou irritado.

- Isso o que GUTO?

- Ficar comigo e com aquele cara – disse isso já se desmanchando em lágrimas – pô eu te amo tanto... daria minha vida por ti, e você faz isso.

- Não, desde que estamos juntos eu nunca mais estive com ninguém. Veja que até a namorada que eu tinha, terminei. – Convidei-o a entrar e contei toda a minha histária com o Luciano.

- Bom agora você já sabe de tudo. Posso me considerar casado?- Perguntei forçando um sorriso.

- Perdoa pelo murro. E me prometa uma coisa.

- Diga meu SOL.

- Nunca mais teremos uma terceira pessoa em nosso relacionamento. Você promete?

- Claro meu AMOR. Mas pensei que você estava gostando.

- Na verdade eu queria ver aonde ia dar. E olha que se tu tivesse beijado ele, a surra seria ali mesmo.

- Sério?

- Com toda certeza.

Pulei em cima dele e nos beijamos, ficamos namorando até a hora do jantar e depois mais namoro e cama.

Até mais pessoal, ainda tem surpresa por aí. Aguardem. Peço desculpa pela demora, quem quiser pode me escrever. E obrigado pelos e-mail.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Sou casada mas bebi porro de outra cara contosContos e roticos com gemeos i denticoscontos eroticos cheiro de calcinhaContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas com salto dormindopasseando com o cunhado relatos heroticosfotos de esposa de corno pegando no mastro grandenão acredito que dei o cu contos eróticosxvideo de guatro bem reganhadinha faço ele gozacontos erotic quarto empregadabuceta Detinhacontos eroticos dei pa paga dividaFoderam gente contos tennsConto eroticos no beco escurocontos erotico a calcinha da vox vedio pai eintiadaperdi a virgindade na escola contos eróticoscontos eróticos meu tio e portão de assadeira com loucacontos chantageada pelo genro e pela filhameu subrinho enfiou o dedo no meu cu contocontos porno na praçachupando buceta com gosto como se beijase uma bocacontos eroticos, o bispo me comeu gostosoCasada viajando contoscontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto erotico gay comido por dois estranho para volta para casahonme infinando a rola na bumda da molecontos eroticos esposa camisola os amigo maridocontos eroticos meu entiado negao me comeumulher nua e corpo melado de margarinaexperimentando a bundinha da garotinha conto gratisconto erótico de casada que chegou em casa completamente arrombada e o marido percebeuConto erotico esposa ver jardineiroContos eroticos briguei com o marido dei pra outrofudendo a sogra conto ingenuacontos meu cu grandecontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto erotico dividir a pica do namoradoconto erotico sequestroroupa de couro esposa contoscontos eróticos da casada cris devassa contos eroticos tia do amigocontos negao limpando quintal da casadameterola com menor idadeconto erótico terminando a reforma com esposasexo.casada.a.assediada.por.um.pirralho.e.caba.por.foder.com.elecontos porno eu amo caga na picacontoseroticosrolacontos cuzinho karinaChupando o peito da priminha gostosa:*contos eróticos irmãContos eroticos comido por um caogozanodeto familha ponocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casavidio muher trasa com homen com pido pequenocontos minha primeira vez a tresContos eroticos amigo do meu marido me pegousou submisso da.minhA nAmorada e dos seus machos contosconto mandei fazer fila pra mim chuparconti erotico a massagista enfiou o dedo no meu cu e chupadepiladas muas na sauna contosPaguei para tranzar com a mulata mulher do caseiro depois foi a filhinha contoscontos eroticos lesbicas cintacomendo a tia dormindo contos eroticospapai tirou meu cabaçi videos mobilevisão dos sonhos dos cornosFoderam gente contos tennsFodi o cu e a cona da minha sogra e gozei muito na boca delaDei para meu pai conto eroticoContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorcontos de safadas que trabalham em frigorificomeus contos eroticos.gay dotadoSou casada fodida contocontos femininos foi dificil dar o cuzinhocontos eroticos chantageada pelo titiocrescendo o pau aqui na frente da filha contos eroticosdescabacei a namoradinha de 13 aninhoscontos gay o menino que era um femea escondidocontos eroticos vizinha cachorro