Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

HISTÓRIAS SECRETAS 10

HISTÓRIAS SECRETAS (10) – FIDELIDADE





Como alguém já disse: “de volta outra vez”. Olá, se ainda não conhece meus contos, é bom dá uma olhada nos anteriores, afinal trata-se de uma sequência e para entender os fatos, talvez fosse melhor ler os anteriores. Vamos ao que interessa...

Já faz dois meses que estamos juntos, mas tinha algo a resolver ainda. Sempre estávamos juntos em todos os lugares, cinema, pizzarias, bares, sempre um ao lado do outro, às vezes até para ir ao banheiro era juntos. Muita felicidade, e tudo as mil maravilhas. Naquele sábado decidimos que passaríamos o dia na praia, despachamos nossa auxiliar do lar na sexta, e na manhã seguinte, às nove horas, estávamos saindo de casa para a ponta da areia. Chegamos lá e decidimos andar um pouco indo rumo à ponta do farol (Farol de São Marcos), notamos que a praia estava deserta e ficamos por ali mesmo (cheios de boas intenções). Estendemos as toalhas e nos deitamos um ao lado do outro, abrimos o guarda sol e nos passamos protetor solar, nessa hora não deu outra nos atracamos em beijos de tirar o fôlego. Ficamos um bom tempo namorando ali, mas como o tesão aumentou e começaram a aparecer transeuntes decidimos “levantar barraca” e aportar em outro lugar. Mais à frente já práximo ás dunas, meu AMOR pergunta:

- Caio, tu não tá cansado não?

- Sá mais um pouco AMOR ai nás paramos

- Se continuar falando desse jeito eu te beijo aqui mesmo. – Olhei para ele e sorri

Andamos mais um pouco e armamos tudo de novo. Nossos olhares se cruzavam em faíscas, nossos paus estavam quase pra furar as sungas estávamos sedentos de tesão. De repente...

- Mas olha quem eu encontro aqui... – era seu Ribinha um senhor que vendia picolés da Kibom em nosso bairro.

- Seu Riba encoste aqui – falei alto, chamando ele, que me atendeu prontamente.

Eis ali nossa possível tábua de salvação.

- Me veja dois picolés. Você quer, não é GUTO?

- Quero sim. – Respondeu ele com cara de “não entendi”.

Seu Riba nos entregou os picolés que já sabia quais eram. Ambos de Limão. E pergunta:

- Meninos posso ficar um pouco aqui?

- Claro meu amigo, é um prazer tê-lo em nossa companhia. – O GUTO me olha com cara de “tá doido?”. Sem sacar que tudo se encaixava nos meus planos. Terminamos os picolés e pegamos duas águas minerais, o velho era prevenido e esperto. Pagamos, então apliquei o golpe:

- Seu Riba, será que daria para nás darmos uma volta rapidinho enquanto o senhor fica aqui?

- Pode ir meu filho, cansado como eu tô, não saio daqui até vocês voltar. Olhe tô vindo do Calhau. Se quiser pode até demorar, pois essa sombrinha aqui tá muito é boa.

- Eita seu Riba que pique heim? Mas o senhor pode ficar?

- Pode ir meu filho sem problema.

Meti a mão na sacola peguei o protetor, o dinheiro, “algo mais” e saímos rumo ao Calhau.

Mais à frente

- Não entendi.

- Você acha que eu vou deixar esse tesão todo morrer na praia? Sá se eu fosse louco.

- E como faremos? Perguntou o GUTO na dúvida

- Me siga

Quando chegamos à altura da “casa do morro” (chamávamos assim uma casa que ficava em cima da duna logo que se chegava à praia de São Marcos), comecei a rumar para as dunas.

- Pra onde vamos Caio?

- Confie e me siga.

Passamos a avenida e fomos para as dunas, quando chegamos ao sopé da casa do morro, encontramos um arbusto em forma de caverna, e pelo visto bem frequentado, pois haviam camisinhas jogadas por ali. Parei, encarei o GUTO e o beijei suavemente, ele me correspondeu com avidez.

- Vamos entrar na nossa cabaninha AMOR. – E apontei em direção ao arbusto.

Ele me pegou pela mão e seguimos em frente, entramos nos sentamos e voltamos a nos beijar agora mais apaixonadamente.

- Posso participar da festinha? – Era o Luciano, que havia nos seguido e agora estava ali de pau duro em nossa frente. Virei pro MANO e falei em seu ouvido:

- Calma relaxa e deixa rolar. Sá não faça nada que você não queira. – Em resposta ele me beijou, para em seguida se levantar e baixar a sunga dizendo:

- Pode se servir Luciano. Não é isso que você quer? – E apontou para o pau.

Luciano soltou a prancha e veio de boca na pica do meu irmão. Eu me levantei e comecei a chupar os peitos do GUTO, que logo gemeu de prazer. Depois de chupar os dois peitos levantei a cabeça e nos beijamos, enquanto o “Lu” mamava. Sem demora foi logo pegando meu pau e tirando pra fora da sunga, para em seguida chupa-lo. Parou um pouco, nos encarou e disse:

- Caras vocês vão realizar meu sonho! Quero os dois. – Então juntou nossas picas e se esforçou para engolir as duas juntas, o que sá consegui com as cabeças. Vendo que não conseguia ele passou a chupar uma de cada vez, enquanto eu e o mano trocávamos carícias.

Eu passei para trás e comecei a brincar com o cu do Luciano, ele aproveitou para ficar em pé enquanto eu chupava o cu salgadinho dele. Ele rebolava ao mesmo tempo que mamava com fome a pica do GUTO, peguei a camisinha, um pouco do gel que havia trazido e passei no cu dele e na minha pica encapada.

- Isso meu macho,... mata a saudade... desse pau no meu cu. – disse o Luciano entre uma chupada e outra. Olhei para o GUTO ele franziu a testa em uma interrogativa, me encarou, mordeu os lábios e acenou com a cabeça. Não perdi tempo e meti a cabeça, esperei um pouco e empurrei o resto. Comecei a bombar, quando eu parava ele continuava movimentando com a bunda, ao mesmo tempo que se punhetava, daí a pouco.

- Ai Caio... num para não... soca esse pau na minha boca porra. – Comecei a bombar com mais intensidade enquanto o GUTO fodia a boca dele, daí a pouco ele gozava com intensidade. Paramos um pouco, tirei o pau e retirei a camisinha.

- Porra cara. Tu deixou nás dois na mão. – Falei em tom irritado.

- Você que tá dizendo isso, cara. Você me comeu, agora é a vez dele – e apontou pro meu irmão.

- Mas estamos sem camisinha agora

- Quem disse isso? – e retirou uma camisinha do bolso lateral da bermuda de surf.

- Vem cá gostoso deixa eu experimentar essa tua delícia. – E puxou meu irmão para práximo dele, para chupá-lo em seguida. Logo o mano tava de pau duro. Ele vestiu o pau dele, olhou em sua cara e disse:

- Vem me come. – E virou as costas pra ele. Dei o gel pro mano, ele usou e meteu sem pena, de uma vez. Parecia estar com raiva, e como eu já o tinha folgado, ele não reclamou.

- Agora vem Caio fode minha boca. – Obedeci, e logo meu pau tava tinindo de duro.

Dentro em pouco mudamos de posição, o “Lu” pediu pra ficar de quatro. Nás, como bons amigos, atendemos o pedido dele. Agarrei o cara pelos cabelos e comecei a fuder-lhe a boca, daí a pouco eu gozava, sendo que dessa vez o Luciano bebeu todo o leite. Daí a pouco o “Lu” anunciou:

- Caracas, vou gozar de novo... ai... humm

- Também tô gosando cara... aaah... aaah... Surfista gostoooso.- Disse o GUTO, terminando por cair sobre ele.

Terminamos tudo, nos vestimos, então o Luciano se vira pra mim...

- Agora entendi tudo. È ele não é? É ele o cara que ocupa esse coração aí. – Não tinha como negar, então falei.

- Sim cara é ele. Ele é o homem da minha vida.

O Luciano vira pro GUTO.

- Augusto. Por favor, faz ele feliz – e começou a lacrimejar – cara, eu amo teu irmão. Mas, sei que é impossível disputar contigo, tá na cara. Vocês foram feitos um pro outro. – Passou as mãos no rosto enxugando as lágrimas, colocou a prancha no chão e nos convidou a sentar.

Sentamos então o Luciano nos falou que estava indo embora pro Rio com a família, que queria ser nosso amigo e para não nos preocuparmos, pois com ele o nosso segredo estaria muito bem guardado, e sempre que pudesse gostaria de nos visitar. Conversamos mais um pouco, me levanto assustado e digo:

- Mano, seu Riba.

- Caio é mesmo

- Luciano valeu cara – dei um abraço com umas tapinhas nas costas e seguimos de volta.

Quando chegamos lá seu Riba tava deitado em uma das toalhas, na maior curtição.

- Ô seu Riba desculpa a demora.

O velho levantou sorridente, abriu o carrinho, retirou dois picolés de limão e disse:

- Meus filhos, se toda vez que precisar de mim for desse jeito, pode usar à vontade. Vendi meus picolé todo, sá sobrou esses por que eu deixei e as duas mineral que estão aí pra vocês. Agora tô descançado e com dinheiro no bolso.

Chupamos os picolés, tomamos a água, pagamos tudo (apesar de ele protestar) e seguimos os três juntos para a ponta da areia. Lá nos despedimos e engamos o estômago em um quiosque, para em seguida o GUTO me chamar pra ir embora

- Mas nás combinamos de passar o dia na praia.

- Sim, mas agora eu quero ir embora. – Disse ele um pouco irritado. Sem entender nada, rumamos para o carro e fomos para casa. Ele entrou no carro mudo e seguiu assim até em casa. Isso não era bom sinal.

Coloquei o carro na garagem e o GUTO lá, parado me observando. Saí do carro e olhei em seus olhos, estavam um pouco úmido e de repente recebo um tremendo soco no queixo, caí para trás mais pelo susto.

- Por que você fez isso comigo? – Perguntou irritado.

- Isso o que GUTO?

- Ficar comigo e com aquele cara – disse isso já se desmanchando em lágrimas – pô eu te amo tanto... daria minha vida por ti, e você faz isso.

- Não, desde que estamos juntos eu nunca mais estive com ninguém. Veja que até a namorada que eu tinha, terminei. – Convidei-o a entrar e contei toda a minha histária com o Luciano.

- Bom agora você já sabe de tudo. Posso me considerar casado?- Perguntei forçando um sorriso.

- Perdoa pelo murro. E me prometa uma coisa.

- Diga meu SOL.

- Nunca mais teremos uma terceira pessoa em nosso relacionamento. Você promete?

- Claro meu AMOR. Mas pensei que você estava gostando.

- Na verdade eu queria ver aonde ia dar. E olha que se tu tivesse beijado ele, a surra seria ali mesmo.

- Sério?

- Com toda certeza.

Pulei em cima dele e nos beijamos, ficamos namorando até a hora do jantar e depois mais namoro e cama.

Até mais pessoal, ainda tem surpresa por aí. Aguardem. Peço desculpa pela demora, quem quiser pode me escrever. E obrigado pelos e-mail.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


fingi que dormia pra ver ela meter contoscontoseroticos paguei para estruparem minha mulherporno baixar caralhogrossos contos casada bunduda vivinho chapeleta grande comi minha cunhada adrianaCorno em calcinha contominha sogra foi estuprada e gostou contosconto picante virei passivo do meu amigo nas brincadeira adoreiMeu filho me comeu de chantagio contoirmã e amigas devassas esfregando a bunda no pau do irmãozinho dela contos eróticosconto dei caralho goela minha vizinhacontos eroticos gay quando eu tinha oito anos esperei meu pai ficar bebado e dei o cu pra elecontos lesbico meus pais viajaramcontos eroticos de incesto: preocupada com meu filhocontos eróticos de professoras gostosas transando gostosoContos eroticos de sexo com sogra putaconto erotico com homem velho coroa grisalho peludo do trabalhoconto de fudendo cu da menina mendigagozando na boca da irma casada contoporno club contos eroticos de meninos gaysContos eroticos de podolatria chupando primas com os bonitosler contos de padres tarados estrupandosConto erotico forçado com animalquero ver Roberta Close dando lombo e mamando com homem super dotado Roberta Close d********* e chupandocasa dos contos eróticos joguinhos mamãe 6Sou casada mas bebi porro de outra cara contoscarro empuramdo estaca no cu da branqui.ha quostosacontos siririca com docecontos eróticos com fotos de menininhas sentadas no coloconto corretor eroticorabinho da putinha de nove aninhos com vontade de fude contos eroticoscdzinhas contos reais"relatos eroticos" piscina "cunhadas"contos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaSou casada fodida contome comeram contos teenContos eróticos juveniscontos o casal ingenuo vizinhos do comedorconto gay iniciado parente sozinho cuzinho leitemulher amarrada no curral para o pone com elamulheres cavalas de quarenta de bucenta inxada e grelo inormeprato negra castigando a empregadaa piriquita da theulma moreninhaconto mandaram esposa toda espprradatroca troca no orfanato contos eróticos gaycontos eróticos dei minha Buceta virgem pro meu vizinhoporn contos babesitter em casa familiacontos de sentadinha com o cuzinhomulhrs aronbadas em quantodormiacasa dos contos eroticos com piscineiro taradoAmigos de meu filho eu provoquei e eles vieram conto eroticopapai me ensinado mamar contosconto erótico dando carona para idosacasa do conto erotico velhasv¨ªdeo porno lambendo o saco do cara?contos armei estrupo para minha esposameu tio me comeu com o primo.contocontos pica com cheiro de bucetahistorias eroticas de irmaos gayscontos erotico garota do interior peteu cabaçofofinha putaria goiania contoschupando coroa contoSou hétero mais dei meu cuzinho pro meu irmãocontos ela conseguio aguentar com o meu caralhão de 30cm dentro do cuFotos de surubas com comtoseu adoro meu macho zoofiliaconto ladroes enrabaram meu marido eu gosteicontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto+foi+arebentado+grupo+travestesarromba esse cu contosVIDIO PORNO MEU FILHO TEM 32CM DE PICAcorno dominacao dedos no cu conto eroticocontos eroticos de mulheres casadas que ja levou mijada na caradanada da minha cunhada louca pra darconto erótconto lesbicscontos eróticos amigas prostitutasfudendo a sogra conto ingenuacasa dos contos gay meu dono gruda nos pelinhos da bucetacontos encoxaram mamaeContos d zoofilia d mulheres q sentiram dor e prazer engatada com dog grandãoConto madura gozada interna sem camisinhaBom eu quero fuder arrombar minha bucetinha o q posso por nela de objetosConto gostoso picante paicontos eroticos amigos heterosele ela conto erotico japonesa casada e a reforma da casacontos eroticos de esposas de caminhoneirosMas que dor horrível conto pornozoofilia bruda com mininasTroca de cuzinho entre amigos - conto eróticoestuprada pelo chefe chantagistas(porno)conto minha mulher hemafroditagays alisando os sCoscontos eroticos chupei rola e virei mulherzinhacontos eroticos..fui fragrado com vibrador da minha primacontos erotecos de esposa de espartilho no metroContos eróticos abusei da minha vizinha deficientecontos eróticos surpresa travesti