Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FODENDO A CASADA MAL COMIDA

Click to this video!

Tantas vezes vi a Dona Valquíria chorar na mesa, conversando com minha mãe... Ela dizendo que seu marido, o Valdir, não lhe dava mais atenção, não lhe procurava já a dois meses, não levava mais ela pra sair, que ficava até altas horas na rua, chegava cheirando cerveja e nem tomava banho, deitava e caia no sono! Ora, Valquíria não era uma mulher de se jogar fora não, meu amigo! Ela tinha la seus quarentões, era meia fofinha, mais ainda esbanjava sensualidade! Mais sensual até que a maioria das menininhas que vejo por ai!

O Valdir era um cara bacana, nos fins de semana eu, ele e meu pai jogávamos truco juntos, ele sempre nos contava suas aventuras de comedor, e me dizia:

-Ah, muleque! Quando você crescer mais, você saberá o que é comer uma buceta de verdade! Quando você pegar uma coroa fogosa, ira esquecer essas minas que tu come! Vai ver sá o chá de buceta que tu vai levar!

Eu sempre fui da seguinte idéia: Se um cara gosta de comer por fora, ele sá pode fazer isto se a mulher dele estiver completamente satisfeita! E claro, não era o caso do Valdir...

Eu não queria absorver aquela informação que Valdir me passou, mais absorvi. Será que foder uma mulher mais experiente realmente era tão bom?

Comecei a prestar mais atenção em Valquíria, fui me aproximando mais dela e me tornando ouvinte de suas lamentações chatas e irritantes, o que era bom, já que minha mãe não aguentava mais, já estava pra perder a amiga! Certo dia, resolvi arriscar minhas poucas fichas e soltei:

-Nossa, Valquíria eu acho você uma mulher tão interessante e charmosa... Se você quiser a gente pode... Sei lá, conversar melhor sobre isso num lugar mais a vontade!

Puta que pariu, Valquíria me excomungou, se mostrou ofendida, mas disse que não contaria a minha mãe nem a Valdir, pois seria muito chato pra mim.

Na hora eu me senti arrasado, destruído, rejeitado... Mas depois eu pensei: “Meu, eu nada tinha a perder, se não ganhei e nem perdi eu ao menos tentei!”



Dia seguinte estava eu trancado em meu quarto, estudando para uma horrível prova de matemática, quando o telefone toca. Minha mãe estava trabalhando, nunca atendia o telefone, mas naquele dia eu atendi, era a Valquíria.

Valquíria estava com a voz triste e desolada, eu disse que a minha mãe não estava, ela respondeu que sabia, queria era falar comigo.

Me pediu pra dar um pulo até sua casa, pois precisava me dizer pessoalmente.

Puta merda! Eu fui a mil! Meu pau ergueu na hora! Coloquei uma calça jeans por cima da bermuda mesmo e parti pra sua casa, que ficava práxima dali.

Ela estava bem comportada, de vestido e tudo mais. Disse que estava morrendo de vergonha, mas desde aquele dia, que eu lhe falei aquilo ela não conseguia se esquecer. Se aproximou de mim, alisou meu rosto e me perguntou:

-Me acha mesmo uma mulher interessante? Uma mulher charmosa?

-É claro que sim, Valquíria...

Segurei em sua cintura e a abracei com ternura, pois sabia que era disso que ela precisava, ela respirou fundo em meu pescoço e me apertou, sentindo meu pau encostar em sua barriga:

-Tudo que acontecer aqui, fica aqui, certo?

-Fica aqui e nos meus pensamentos. -Respondi.

Valquíria se ajoelhou então, abriu minha calça, baixou meu short e começou a mamar delicadamente meu pau. Puta que pariu! Jamais imaginei que houvesse uma boca tão quente! Ela agasalhava a cabeça com os lábios e descia a língua até as bolas, chupando como se chupa uma manga! Ela olhava, pra ver se eu estava gostando, e eu adorando... Com uma mão segurava em seus seios enormes e com a outra alisava seus cabelos longos e castanho claro. Valquíria fechava os olhos, mostrando sentir enorme tesão. Eu quis arrasta-la para o quarto, ela não deixou:

-No meu quarto não, lá eu durmo com o Valdir.

Ela me levou para o quarto de seu filho, na cama de solteiro. Eu, já sem as calça, comecei a chupar todo o mel da sua bucetinha encharcada, enquanto ela mamava com maestria meu cassete que pulsava em sua boca... O melhor 69 da minha vida! Valquíria gozou na minha língua, mas já não aguentava mais, pediu para se fodida e muito bem fodida. Me levantei, foi difícil tirar minha rola de sua boca, percebi que ela adorava chupar. Então deitei por cima dela e coloquei a cabecinha naquela buceta que mais parecia um vulcão em chamas! Eu colocava a cabecinha e tirava, Valquíria ficava louca, enfiou a unha em minhas costas e implorava por mais. Eu então fui deslizando a rola devagar, ela comprimia a bucetinha, me causando um tesão indescritível. Fui colocando e tirando a rola de dentro dela, Valquíria começou a chorar em meu ombro, e eu parei:

-O que foi amor?

Ela se recompôs e disse que nunca um homem a fizera tão feliz, nunca um homem a comeu daquele jeito, disse que estava acostumada com o pau pequeno do seu marido, e que a tempos não via uma rola tão generosa como a minha. E antes de eu começar a meter de novo, ela me disse:

-Pare, quero que me foda desse jeito na minha cama! No quarto que durmo com Valdir!

Ainda com o pau atolado em sua buceta, a peguei no colo, ela engatada cruzou as pernas na minha cintura e sorriu com os olhos em lagrimas. Ela era uma fofinha moderada, uma delicia de se chupar dos pés a cabeça... A levei até seu quarto e me deitei com ela em cima de sua cama, ainda com o pau na sua buceta gulosa! Ela ria, como se aquele detalhe tão bobinho fosse uma bela arte do sexo, e é claro, eu me sentia bem por satisfaze-la. Valdir se gabava tanto e tinha uma mulher mal comida em casa!

Posso lhe dizer que aquela cama nunca havia visto tanta fudeção, eu fodia com ela em todas as posições inimagináveis, até de pé! O choro se transformou em alegria intensa, ela com as pernas abertas me pedi pra gozar dentro dela, o que fiz. De pé mesmo encharquei sua bucetinha gostosa... Ela sorria satisfeita e deitamos pra nos recompor. Ela, encostada em meus braços, sentiu minha rola ainda dura pressionar sua coxa. Valquíria chupou meu queixo e falou:

-Nossa, mais que menino esforçado!

Eu a beijei loucamente e falei:

-Ainda temos muita lenha pra queimar.

Ela entendeu o recado e caiu de boca na minha rola. Estava mais desinibida e chupou melhor que da primeira vez. Mamou gostoso até eu gozar, e quando acabei, ela absorveu até a ultima gota, foi ao banheiro e cuspiu. Voltou e percebeu que meu pau ainda estava duro. Valdir estava certo, aquilo era novidade pra mim! Me exitou pra cassete e aguçou meu paladar pelas mulheres mais velhas, principalmente as fofinhas... Ela voltou contente e falou:

-Você deve ser do mal... Esse pau não abaixa!

-É que eu estou te curtindo muito... Não dá pra “dormir” numa hora dessas...

Ela me olhou feliz da vida, sorriu e me beijou, então falou ao meu ouvido:

-O Valdir sempre me pediu uma coisa que nunca lhe dei... Quero dar a você antes de dar a ele...

Eu sabia o que era e meu tesão foi a mil! Ela abriu a gaveta e tirou um áleo lubrificante:

-Comprei isto pra usar com ele, mais acho que você merece mais!

Ela lambuzou meu pau, eu coloquei um pouquinho no dedo e a beijava enquanto ela me punhetava com o lubrificante... Eu coloquei um dedo em seu cuzinho e o massageei, preparando-o para receber minha rola, coloquei u m dedo e depois o outro, sentia sua bucetinha pingar de tesão.

Quando vi que ela estava preparada para me receber, fui colocando devagar, ela gemia e chorava, e é claro, fiquei com dá, mais sentia que ela queria que eu continuasse. Continuei e novamente as lagrimas deram lugar aos risos, e depois que passou a cabeça, meu amigo, sá felicidade!

Eu bombava gostoso com o pau no seu rabo, enfiando o dedo na sua buceta, ela gemia alto, pois descobriu uma nova forma de sentir prazer. Cada estocada era uma loucura, ela gozava alucinada com minha rola entalada em seu rabo, gozei gostoso dentro dela e a vi sorrir satisfeita:

-Não vou dar mais o rabo pra ele não... Certamente ele não fara tão gostoso como você. Leve este lubrificante pra sua casa, e sempre que der traga ele pra gente brincar mais... Se você gostou, claro.

Eu a beijei docemente e lhe disse:

-Foi a melhor transa da minha vida... Estou muito feliz com você!

-Você também me tornou uma mulher muito feliz! Jamais eu imaginei que gozaria deste jeito... Obrigado!

Fui embora feliz da vida, prometendo voltar, e é claro, voltei muitas e muitas vezes, até o dia em que Valdir recebeu uma nova proposta de emprego e se mudar da cidade. Alugou a casa dele e já esta a quatro longos anos lá. Mas a inquilina me disse que eles voltaram, e é claro, trara com ele a sua esposa mal comida, a qual terei imenso orgulho de satisfazer novamente. Sem contar que faz tempo que não jogo uma boa partida de truco com Valdir!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


minha mulher quer dar o cu p outro na minha frentecontos eroticos de cornos bravosfiquei excitada e dei para um mendigocontos de coroa com novinhofodiesposaConto de putinha para os tarados da cidademeu,vizinho mais velho me lambeuconto erotico dopei minha filinhacontoseroticosbernardoContos homem fudendo a vizinha lesbicaminha ex namorada tonta dando pra outro contoscontos eroticos de lesbicas espiando os pais transando e fazem o mesconto ela deu e se fudeuenfiando na bucetavarias coisascontos eróticos da quarta-feira de Cinzascontos eroticos lambendo bucetaddando/o cabaço pro titio conto exitante"muito aberto" gay contocontos eroticos categoria estrupada por mas de umpais se esfregando na filha shortinho corcomendo e sendo comido por hipermegadotadoContos eroticos minha primeira vez foi quase um estupro e eu gosteicontos siririca praiaencarei 30cm contosminhas tias chupavao meu penis de 10cmteta gostosa contos eroticoscontos-fiz amor com minha irmasubi a saia da e comi minha empregada vadiaesposa bebada e seria sendo chatageada no churrasco contomeu gringo gostoso me chupoucontos de tirador de cabaçovoyeur de esposa conto eroticoconto erotico homem andando fay de cueca pela.casacontos vizinha dona de casa tetuda caidaconto erotico do garoto ricardo fodendo titioA filha do meu amigo veio do interior pra ser minha empregada conto eroticoesposa safada liberando geral para o sogroContos eróticos comi minha imagina sem camizinha e ela engravidouver rapasea novos grizalhos pelados de pau duroconto ela deu e se fudeucontos sexo fiquei com bucetA molhada com meu genro na prAiacontos eróticos bucetas pequeninasas gostosas passando bronzeador no seu corpinho nadacontos de chorei com a pica grande no meu cuzinho apertadoporno amador em festinhasparticularescontos eroticos Netinha dando cu pro vovóhttps://idlestates.ru/mobile/conto_5492_sonho-de-menino-q-se-torna-realidade.htmlcontos: puto dando ao ar livrerelato erotico meu filho me secava doisContos erotico amei a fantasia de meu marido mim fode com a pica dele e um penes de borachaO coroa com ele em cima da sua lancha ele me fuder conto eroticoconto erótico pepinocontos minha mãe me seduziu usando mini saiaanita mijando no copocontos gays gemeoscoroa amostranda a calcinha video feito casaencontrar vídeo de sexo amador com mulheres gordinhas do Arraial do Cabo viciadas em analcontos espiano minha mae peitudacasada que engravidou do sogro conto eróticocontos de coroa com novinhocontos anal de mulher virgemcorninho esposa picudo frouxo contoConto erotico sobrinho fudeu gostoso com a tia coroaaprendi dar o cu com meu genro contosCONTO INCESTO NA MADRUGADA COM A SENHORAse eu deixar no seu sobrinho como é lá dentro da piscina e gozar na sua caracontos eroticos. esposo duvidou da esposaconto gay titio gayconto eroticos primas gostosa veio min vizitarputinha submissa do tioeu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestocontos fragei meu amigo dotado e minha esposavideo porno 45cm de rola na filhinha dormindotia gostosa praiatraicontos dando no banheirocomendo meu cunhadinho contosconto erótico enteada querendo dar po padrastocontos de coroa com novinho