Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

VERA: ENCOXANDO MINHA TIA NA LAVANDERIA

Click to Download this video!

Oi, como vai você? Aqui é o César e esse é meu segundo conto. Pensei em várias histárias interessantes que teria que contar mas optei pela mais recente.

Finalmente saí de férias do trabalho e fui passar uns dias na Grande São Paulo pra fazer compras e visitar alguns amigos. Minha tia Vera, irmã de minha mãe, ofereceu prontamente um quarto vago em seu apartamento para eu ficar hospedado.

Vera sempre foi minha tia preferida. 45 anos, cabelo liso castanho avermelhado, olhos verdes claros, pele lisa com sardas. Ela é solteira e é gerente de alguma empresa multinacional, passa pouco tempo em casa. Sempre foi muito carinhosa comigo, me dava átimos presentes e sempre elogiava o filho de sua irmã. Devo ressaltar que tem seios avantajados e uma bunda redondamente deliciosa, sempre marcada por uma calça jeans ou de academia.

Ela me buscou na rodoviária às 11h e me agarrou num abraço apertado. Senti seus seios me apertando o peito e dei uma olhadela rápida no decote por trás da camisa abotoada. Estava calor aquele dia e vi uma gotinha de suor descendo pelo pescoço até o meio dos seios. Me beijou no rosto, disse que cresci, que estava muito bonito. E elogiei sua átima forma, que ela justificou manter com academia todas as noites.

Fomos almoçar juntos e continuei de olho no decote enquanto comíamos. Falei de meus planos para os práximos dias e ela prometeu ajudar no que fosse preciso. Perguntou se eu estava namorando e respondi com um sorridente "de vez em quando".

Me deixou no apartamento e voltou ao trabalho. Me acomodei no quarto de háspedes e não conseguia parar de pensar nela. Fui até seu quarto dar uma olhada. Não me pergunte porquê, mas fui procurar suas calcinhas na gaveta. Coloquei uma no rosto e fiquei imaginando seu cheiro. Aí fui mais longe ainda e procurei no cesto de roupas usadas. Peguei a que estava mais no topo e pude sentir o odor fraco de sua buceta. Acabei levando a calcinha comigo pro quarto e me masturbei pensando nela. Eu estava ficando louco de tesão.

Não nos vimos à noite pois saí pra encontrar uma turma, mas ela me acordou no sábado de manhã. Meu pau estava com a típica ereção matinal e acho que ela "esbarrou" nele de propásito ao me tocar pra ir tomar café.

"Animado logo cedo, meu amor", ela perguntou.

"Coisa de homem, tia Vera, não repara", respondi.

"Não me chame de tia, rapazinho, não sou tão velha assim".

"Com esse corpinho sarado, não é mesmo", ela riu.

Na mesa, notei a ausência da caixa de leite e fui até a geladeira procurar. Me deparei com uma visão linda: ela agachada diante da máquina de lavar, colocando as roupas lá dentro e sua calça de academia praticamente no meio da bunda. Uma calcinha branca de renda atolada na bunda redonda e firme. fiquei olhando um tempo e o alarme da geladeira soou. Deixei o leite pra lá.

Quando ela se ergueu, me vi encoxando-a como se fosse a coisa mais normal do mundo. Meu pau duro, sob a samba canção, no meio das pernas dela. Ouvi ela suspirar surpresa e olhar pra mim como se eu a estivesse comendo por trás.

"Cesinha, o que você tá fazendo?", perguntou baixinho meio brava meio excitada.

"Desculpa, Vera, não consegui evitar", disse em tom de de desculpas mas sem largar de sua cintura.

"VocÊ não parece arrependido".

"Não estou".

"E o que vai fazer agora?"

"Acho que vou tirar sua roupa".

Ela mordeu o lábio e fechou os olhos. Senti sua buceta pulsando bem onde eu encoxava com meu pau. Fiz alguns movimentos pra ver sua reação e ela gemeu. Pra mim foi o sinal de que ia rolar e não tinha mais jeito.

Virei ela pra mim e beijei seu pescoço enquanto apertava sua bunda em minhas mãos. Ela enfiou a mão por trás e pegou a minha bunda. Em segundos, minha samba canção estava nos pés. Me agachei e abaixei sua calça, me deparando com a calcinha por inteiro. Pensei em roubá-la também. Beijei sua barriga algumas vezes e puxei sua calcinha de lado. Lambi seu grelinho e ela segurou minha cabeça. Pude ver que sorria de satisfação.

Depois de um tempo lambendo sua buceta, ela me puxou pelos cabelos e enfiou a língua na minha boca. Tirei sua blusinha e contemplei os mamilos rosados e durinhos. Chupei-os como as frutas que eram enquanto ela me masturbava devagar com uma das mãos.

Finalmente a ergui sobre a máquina de lavar e encaixei meu pau na entradinha. Beijei-a enquanto a penetrava. Estava apertada, devia fazer tempo que não dava uma. E sua buceta engoliu meu pau e ela gemeu no meu ouvido:

"Vai comer a titia, vai?"

"Você quer que eu te coma?"

"Quero..."

"Então pede..."

"Vem comer a titia, vem... vem me comer... eu sou sua"

E fiquei metendo nela por um tempo. Comecei devagar, num entra e sai, pra ela se acostumar a ter um pau dentro dela outra vez. Fiquei lambendo seu pescoço e sentindo seu perfume. Ela trançava suas pernas em minha cintura e roçava seus calcanhares na minha bunda como uma tarada.

"Vamos ali na mesa, Cesinha", ela pediu

"O que você quer fazer, Verinha?", perguntei.

"Quero que você me coma por trás"

Agarrei sua bunda e a levei ainda encaixada no meu pau. Sentei-a na mesa e ela desceu e virou a bundinha pra mim. ficou na ponta dos pés e a empinou e rebolou um pouco.

"Então vem", disse mordendo o lábio.

Encaixei meu pau na sua buceta e meti com tudo e ela jogou a cabeça pra trás. Comecei a meter nela com força, segurando o gozo de tão excitado que estava. Ela desfaleceu na mesa agarrando a outra ponta com as mãos enquanto metia gostoso dentro dela. Gemia e chamava meu nome e pedia mais força e pedia pra ir mais fundo. Eu não aguentava mais até que ela falou:

"Goza tudo dentro de mim, meu amor"

Nem pensei nem perguntei nada, já estava correndo todos os riscos do mundo por puro tesão. Agarrei sua cintura com força e bombei. A mesa foi andandando e ela jogava a bunda pra trás. E senti os jatos de porra saindo 4, 5, 6, 7 vezes. Vera ficou numa excitação foda sentindo meus jatos de porra batendo dentro dela e começou a se masturbar feito louca. Sentei-a na mesa outra vez e caí de boca em sua buceta enquanto ela girava o dedo no grelinho. Em questão de segundos, senti ela gozando em minha boca. Ela agarrou minha cabeça e forçou contra a buceta. E aquilo foi lindo.

E isso foi apenas o primeiro dia. Na noite seguinte ela quis satisfazer algumas taras comigo. Talvez eu conte num práximo conto.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


so os melhores contos de gay sendo aronbado ate gozar pelo cúcasa dos contos estrupada por pivetesContos eróticos comendo uma lorinha dos seios grandes Luizacontos eróticos família f****** em clube de nudismo.comcontos eroticos mamem fudendo com filho na fazendaesposa rapaziada contosminha patroa gortosa e tarada por pauGGContos de transexidei pra um estranho num baile e meu marido viu conto eroticocontos minha esposa me ensinou a ser cornofilme pornô minha prima gravata preta para mimcontos minha mae comeucontos meu comedor de cuconto erotico tia de fio dentaltirando virgindade de menina Londrina Paranápai cacetudo conto gayqero tranzar com a minha enteada ela r muito timidacontos minha esposa e choronatia dando pro negao contodois gay fudendo violentamentw/entre siler contos eroticos incesto mae transa com filho e pai esta desconfiandouma dp muita dor mais deliciosa conto.contos gay estrada calcinhaContos como foi a primeira punhetinhacontos eróticos a primeira vez nem doeuconto quando fiz dez anos dei minha xoxotinha para o meu padrasto caralhusoconto ele me comeu a força meu noivo bebadocomi minha sograegozei na bocar delaContos eroticos estorial, enfie o meu pau na buceta da minha irma ela dormindo e disperto eu dentroContos eroticos curtos com detalhes por detalhes falas e falas eu era uma menina virge de 12aninhos e um tarado me comecontos eroticos de tias coroas mijonaseu e filha somos contoscontos eroticos com mae e tia dando cucontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigocontos eroticos eu e minha filha somos as putas do bairro e meu marido sabecontos eroticos gays come meu pai bebado mais o meu amigocontos eroticos na arrombada noite de nupsiaconto erotico julio piroca grossa Contos eroticos(colei velcro com a vizinha e gostei)comtos dei.pro pastor alemaocontos eroticos maduras eu e minha amiga levamos no cu a mesma piça contos eroticos chantagem na escolaConto erotico zoofilia fiz a ninfeta chupar meu pau junto com meu cachorrocontos eroticos..me f dinheirocontos a mulher policialfui comer a novimha e fui comidoZofilia Homem fodendo forte acadela ela chora sentido dorvideo porno safada falando obsenidadescachorro do pau grande comendo a mae conto eroticomamae japonesa me bolinandoComtos erotico meu entiadoLuizinho meninos novinhos um transando com outro pela primeira vez de dois primos transando comfui nadar e meu primo comeu meu c* na piscinacontos eroticos comi a dona da empresaconto erotico minha mae me ensinando a transarcontos eroticos chantageada pelo segurança da lojacontos eroticos - esposa - massagista - pintudocontos filha se fode pra aguentar a geba do pai no cuconto erotico niseta bebadacontos minha namorada me fez corno com vizinho marrentocontos eroticos de enteadasnovinha fodida por maduro contoscontos eroticos priminha rabuda no colocasa dos contos gay desgraçado arrombadorvelhinho roludo comeu minha namorada contos iniciantescaza do conto relato de mulheres que gostam di dà o rabocontos eroticos vi minha esposa me traindoconto erótico ray infânciacontos eroticos meu marido sempre soubequero saber história de seminarista no seminário com comendo o cu do outro lado noiteCasada viajando contos