Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUER FAZER UM TESTE?

Click to this video!

Eu estava sozinha. Recentemente solteira, sofrendo por um fim que eu não gostaria de ter.

Pedi que a amiga da minha ex fosse até minha casa. Queria desabafar e ela iria me entender.



Passei por um longo período sem sexo. Durante esse tempo, essa amiga começou a frequentar mais minha casa. Sempre que podia ela ia até minha casa, saia comigo...fazia de tudo comigo, e sempre que podia dormia lá. Nos tornamos inseparáveis. Via no olhar dela o carinho que sentia por mim...eu gostava, me sentia cuidada, lembrada (coisa que minha namorada (na época) não fazia.

Num desses dias que ela dormiu lá, eu que havia ligado, pedi pra que fosse la pra conversarmos, disse que deixaria a porta aberta. Ela demorou e eu achei que nem iria aparecer. Pedi pizza, coloquei um filme no note, tomei banho e vesti uma das minhas cuecas preferidas. Era uma cueca feminina, bem bonitinha, colorida e cheia de borboletinhas - dormi assim e com uma camiseta.

Acordei de madrugada com uma perna quente roçando nas minhas, era ela..chegou e eu nem ouvi, nem senti nada. Senti um frio e tive medo de me mexer e ela sair dali, eu tava gostando...senti meu corpo arrepiar, meu sexo derreter. Achei que estivesse tendo algum sonho, sei la.

O tempo passou e ela tava sempre ali...me cuidando e me empurrando pra parede enquanto eu dormia.



Ela era meu tipo de garota. Não era feminina, nem masculina, era um meio termo, descolada, tatuada, diferente e bem pegadora. Sempre gostei das pegadoras.



Nesse dia ela foi até mim, resolvemos sair pra beber e eu me lamentando sobre minha necessidade de sexo. Ela ria e dizia não entender como alguem como eu podia ficar tanto tempo sem ser tocada. Eu me explicava, sentia que ela era minha melhor amiga e eu podia confiar tudo a ela. Pedi desculpa por convida-la pra programinhas sexuais sempre que eu bebia e ela se explicando que não achava ruim. Me olhava, sorria pra mostrar a covinha que ela tinha no sorriso. Mexia compulsivamente nas alças de sua regata branca, me dizia que não se conformava de eu dizer que era ativa que achava que eu devia provar o outro lado da coisa. E uma série de coisas que foi me excitando. Eu mordia o lábio sempre que ela sorria com cara de safada pra mim...estavamos adorando aquele joguinho apesar de nenhuma das duas abrir mão de dizer que éramos apenas amigas. Até que ela me fez uma proposta...disse que poderia testa-la e se não gostasse nás não casariamos, se gostasse fariamos sexo no mínimo uma vez ao dia pro resto da vida. Eu tava louca de imaginar...e ela louca por ter que sair dali (ela tinha que encontrar a mãe num determinado horario). Deu o horario e nos despedimos, fui pra casa correndo e bebada me tocava pensando nela, em como seria...pensava no seu beijo, seu toque, sua lingua.

Liguei pra ela e disse que não podia esperar mais pra fazer o teste. Ela foi correndo pra minha casa. Eu a esperava de lingerie preta...quando a campainha tocou meu corpo tremeu, minha delicia havia chegado. Abri a porta e com cara de safada a puxei pra mim, nos beijamos até o meu quarto, ela tava louca e me chamava de louca.

Me jogou na cama, olhou nos meus olhos enquanto apertava minha bunda e disse: vou te dar o que vc quer e vc me da o que quero, pode ser? eu respondi com a lingua em sua boca. Me contorcia, puxava ela pra mim e disse no ouvido dela: eu ia gozar sozinha sem você e por você, não achei justo não te convidar.

Ela era linda, magra e branquinha. Seios lindos e bem delineados, tinha um perfume que me enlouquecia...mas o que me tirou do corpo foi o seu beijo, sua lingua nervosa que percorria meu corpo todo...descia pelo meu pescoço enquanto suas mãos procuravam minha bucetinha molhada. Quando a encontrou, gemeu deliciosamente, virou os olhos e me disse: eu sabia que vc era muito gostosa.

Nessa altura eu ja tava lhe tirando a roupa, rebolando embaixo dela, gemendo...brincando com a lingua dela, procurando minha fonte. A deixei de calcinha, toquei sua bucetinha e senti o mel molhar o tecido...ela me queria, assim como eu a desejava demais.

Nos sentamos, encostamos nossos seios, apertava, gemia, enchia de pornografia os nossos ouvidos e ficavamos cada vez mais molhadas. Encostamos nossas bucetas e nos beijavamos...suas mãos me pegava forte, me puxava pra ela e eu rebolava, queria entrar em mim...me arranhava, eu puxava seus cabelos. Que delicia que ela estava, bem do jeito que eu imaginava.

Ela me deitou, segurou meus pés la em cima e desceu com a lingua do meu calcanhar até minhas coxas...fazendo a curva e tocando 'acidentalmente' minha florzinha molhada. Ahhhh...como eu gemia!Eu implorava pra que ela me chupasse, eu puxava sua cabeça pra dentro de mim...eu queria que ela me fodesse. Rebolava, enfiava um dedo na minha buceta e enfiava na boca dela, a olhava nos olhos, a chamava de safada. Minha sapa safada. Ela adorava. De repente ela ajoelhou-se, levantou meu quadril e enfiou sua lingua toda em mim, e ficou colocando e tirando por um tempo...me deixando louca.

Não tava aguentando, iria gozar nos primeiros 30 minutos de sexo...pedi que ela parasse e ela parou, mas arrancou sua calcinha e se encaixou em mim.

Deliciosamente ela esfregava sua buceta na minha...ela deslizava, escorregava, era perfeita...depiladinha assim como a minha. Eu a arranhava e ela apertava meus seios com uma mão e com outra brincava com meu grelinho. Meu deus! Como ela era gostosa. Quanto mais eu pedia pra não gozar, mais ela rebolava em mim...apertei sua bunda e mordi seu labio, gozei como uma louca e gemia...gritava pedia pra ela me foder. De repente ela se desmonta em cima de mim...senti seu liquido quente molhando mais minha buceta. Gozamos muito...e ficamos algum tempo brincando com as nossas linguas, curtindo uma o corpo da outra até começarmos tudo de novo.

Que saudade, menina.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos dando pros 5 irmaoshome pega amulher de com o melho amigo transano e fi loucoconto marido corno vendo daniela fyder com negaoConto mete ai ai uiui no cuhomens rústicos fodendo com garoto que dorme na sua casacontos orgia com maeViadinho do vizinho tinha uma rocha com meu pai Contos eroticoscontos eroticos no busao vaziocomi o filho da vizinha contos/eroticosincesto contos minha,filinha meu pecado adorava chupar sua bucetinhacontos eroticos dei meu cu pra todoscontos gay na saunahttps://idlestates.ru/mobile/conto_5492_sonho-de-menino-q-se-torna-realidade.htmlcontos eroticos o pastor comeu o menino porno conto meu primeiroamorcontos eroticos testemunha de jeovacdzinhas como tudo começou contosmeu patrao velho e o descabacador contocontos eroticos, minha mae deu a buceta no vizinho negro mulheres casadas morenas claras 45 a 55 anos traindo com negaocontos eróticos quando eu tinha catorze um coroa bem dotado deconto erotico a patricinha e o porteiro 4os contos de sexo com imagens da vizinha e do vizinho pelados no computadorvideo de homens nu de pau grosso e barriguinha salientecontos eroticos a menina nen peito tinha ainda contos eroticos esposinha e o velhaoo corpo da colegial tem que ser magro fetichecontos eróticos putinha na madrugada na ruacache:HVsxZOrs15AJ:http://okinawa-ufa.ru/m/conto_12619_quando-eu-dei-pela-primeira-vez.html+"dei pela primeira"contos eroticos menininha na viagemcontos eroticos- meu namorado tirou minha virgindade no meio do matofilho da vizinha contos gay heterocontos eroticos de menina pobreconto porno a virgem babicontos real consegui pegar a namorada do meu irmaomeu tio nem eu ter pelo na buceta e arregaçou elacontos eroticos formatura da secretariaconto eerotico de garoto pelados pegado prino gay peladocontoseroticos primo hetero comeu o primo gaycontos do seu jorge pegando uma casadinhaconto erotico funk perdi tive variosconto erótico meu sobrinhodevolvendo esperma no pau do bem dotadoconto gay hetero em exame de prostatavideos de sexos melado de margarina no cucontoseroticos anal brital no acampamentominha cunhada abre as pernas e me mostra a calcinhaEu e minha sogra no quarto contosconto estagiaria virgemdei pros amiguinhos do meu filho contos eróticosconto:enrabadouma dp muita dor mais deliciosa conto.contos eroticos troquei minha mulher pela cunhadinha lindacontos eroticos lutasContos eróticos gay camisa socialmae desfilando de calcinha fio dentalcontos vizinha feiafui pintar a casa da minha cunhada com ela e minha esposa e o marido dela cantos eroticoscontos eroticos gays come meu pai bebado mais o meu amigomullber mostrando cabasinhoO velho asqueroso quebrou meu cabaço e eu gozeicontos dois gemeos chupandofui toma uma no bar da coroa safadinha e acabei comendo seu rabinhoContos eroticos novinha desmaia de tanto gosadeu o c* não aguentou o cilindrocomi o a cunhadinha na minha casa sozinhos contoQuero um homem que chupe minhas tetas quando chega do trabalho e pra dormiconto quando fiz dez anos dei minha xoxotinha para o meu padrasto caralhusoconfia minha madrasta no pornô chorando gostosaincesto real mãe gostosa da coxa grossa e quadril largoconto gay negao casado deucomi o cu de todas as mulheres da m familia conto etoticocontos picante de casada sem calcinhafamilia naturista contoscontos comendo o cu da casada carentechantagiei a colega de trabalho e comi ela contosTennis zelenograd contoContos eroticos cofrinho pique escondecomtos erotico sou casada mas o marido ta preso to dan de masminha esposa ficou toda melada quando pegou outra pica pela vez contos eróticosrebentando o cu da irma pequena contosmeu marido bebeu e convidou meu cunhado pr durmi em casa e mi comefiseran eu comer minha sogra eminha conhada contocontos eroticos meu sobrinho vei morar e casa do interior pra fazer facudadeconto gay sou macho me encoxaramconto eróticos eu mãe e irmã no hotelfui trepada pelo jegue di meu sogro. conto eróticochupando até ela gozar dirá cx aodSenhoras cinquentonas casadas praticando Zoofilia prla primeira vezconto erotico eu meu marido e o entregadoCoroa gostosa louca por jeba contosconto erotico gay negao escraviza viado afeminadosalvando meu filho contos