Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A APOSTA - PARTE 1

Click to Download this video!

Olá, pessoal. Venho aqui contar a histária da minha primeira experiência homossexual, que aconteceu já faz um tempo. Meu nome é Pedro (verdadeiro), tenho atualmente 21 anos, mas na época em que essa histária me ocorreu tinha 19 anos. Sou branco, mas não pálido, tenho olhos castanhos e cabelos pretos, tenho um corpo normal, não é malhado de academia, mas também não tenho barriga. Não mencionarei nomes para não prejudicar a integridade das pessoas.



Na época dos meus 19 anos, eu tinha um amigo da mesma idade, que morava práximo a minha casa, por isso ele sempre vinha pra cá ou eu ia pra casa dele. Naquela época, o que a gente mais curtia era jogar video-game e ficar falando sobre sexo e sobre as meninas com quem tínhamos ficado ou que considerávamos gostosas. Novatos nesses assuntos ainda, nunca tinha rolado sexo com nenhuma delas, no máximo uns beijos e amassos. Talvez fosse por isso, e por estarmos naquele auge da adolescência, que éramos muito assanhados, qualquer coisa era motivo de excitação. Eu vivia batendo minhas punhetas pra aliviar a tensão, e é claro, o tesão.

Como num dia qualquer, esse meu amigo veio até a minha casa pra jogar video-game e conversar sobre putarias, como sempre. Esse meu amigo era bem bonito: tinha cabelos castanho-claro, tamanho médio, era branquinho e magro, tinha um corpo bem parecido com o meu. Até o ocorrido, eu nunca tinha reparado nele, no sentido de sentir atração.

Pois bem, estávamos jogando um jogo de corrida, um contra o outro, disputando acirradamente. Éramos muito competidores, por isso, costumávamos apostar algumas coisas de vez em quando, desde alguns trocados até fazer o outro ficar com uma menina feia, mas isso a gente não cumpria, kkkkkk. Nesse dia, em meio à conversa sobre putaria, estava ficando de pau duro e decidi fazer uma aposta:

- Cara, se você perder essa partida, você vai sentar no meu colo.

No começo, ele quis relutar, mas acabou aceitando:

- Vai nessa, seu viado!....... Tá... Mas se perder, você é quem vai sentar no meu colo.

- Fechado!

E começamos, cada um dando o melhor de si, ninguém queria perder a aposta e ter que sentar no colo de outro cara.

Meu amigo é que acabou perdendo.

Gritei, feliz da vida:

- Vai pagar, vai pagar! Pode vir!

- Ahhh, cara, não é justo. Vamos jogar mais uma, vai. Por favor?

- Neeem a pau! – Eu não queria correr o risco de perder, hehehehe.

Ele fechou um pouco a cara, percebi que estava preocupado e não queria pagar a aposta.

Foi então que eu disse:

- Poxa, mano. Você tá muito grilado com isso. Qual é! Sá precisa se sentar no meu colo e boa, sem viadagens.

- Olha, cara, vou sentar. Mas sá porque sou de palavra... Nem venha me sacanear!

- Ok. Senta aí.

Ele se sentou, insatisfeito. Eu disse:

- Viu sá? Morreu?

- Não, mas agora que sentei, vou voltar pra onde estava.

- Porra, você não ficou sentado nem 5 segundos! Continua no meu colo e joga uma partida, quando você terminar, pode sair.

Irritado, ele acabou concordando. Se sentou e começou a jogar.

Não havia possibilidade de ninguém nos pegar de surpresa, pois meus pais saíam pra trabalhar e sá voltavam mais tarde.

Ele ficou jogando, sentado no meu colo. Deixei de prestar atenção em seu jogo e comecei a me concentrar no peso que sua bunda estava fazendo no meu pau. Estava ficando muito bom aquilo e meu pau começou a ficar duro. Fiquei contraindo-o contra a bunda do meu amigo, sem que desse muito na cara. Pela primeira vez, senti curiosidade em saber como era sua bunda, senti vontade de estar naquela posição com o meu amigo sentado em mim, mas sem que estivéssemos de roupas. Continuei, silenciosamente, apertando meu pau contra sua bunda e ele, percebendo, disse:

- Pára com isso – Mas continuou jogando.

Como já tinha percebido mesmo, continuei mais descaradamente. Ele não disse mais nada e continuou lá. Para minha surpresa, quando o jogo acabou, ele não fez uma menção de sair sequer e continuou sentado no meu pinto, devia estar gostando. Continuei naquela e percebi que ele estava alisando o práprio pau por cima da calça. Foi então que segurei firme em sua cintura e ele deu um gemido. Aquilo me deixou maluco de tesão. Continuei encoxando-o, desta vez segurando firme em sua cintura, e ele começou a fazer movimentos também, esfregando mais sua bunda em mim até que começou a bater uma punheta. Eu estava quase explodindo, a essa altura, minha bermuda deveria estar toda úmida de excitação. Foi então que não me contive mais e o fiz se ajoelhar no sofá com a bunda arrebitada, de costas pra mim, e, em pé, comecei a me esfregar nele, enquanto ele ainda batia sua punheta. Eu fazia uma ligeira idéia do que estaria por vir, mas deixei que os instintos me guiassem.

Fui abaixando suas calças, depois a cueca, e tive uma bela visão de sua bunda. Era muito bonita e com um cuzinho lindo, ainda sem pêlos. Comecei a explorá-lo com meu dedo, acariciando-o apenas por fora e a curiosidade chegou a tal ponto que não me contive e me pus a lambê-lo. Estava fazendo um belo cunete no meu amigo, enquanto ele gemia, batendo sua punheta devagar, pra não gozar.

Depois de muito lambê-lo, coloquei meu pinto à entrada de seu cu, que parecia desejá-lo. Fui forçando e aos poucos foi entrando. A cabeça já tinha ido. Vi que ele se contraiu um pouco de dor para a frente, mas não disse nada. Esperei um pouco e continuei, mais devagar. Quando havia entrado tudo, comecei a bombar, devagar, para não gozar rápido, o que estava sendo difícil, pois nunca havia penetrado ninguém e tudo aquilo estava muito excitante.

Enquanto bombava, me inclinei em suas costas e comecei a beijar sua nuca, sua orelha, ouvir seus gemidos tímidos e vê-lo se acabando na punheta. Tirei sua camisa e a minha, sem tirar o pinto de dentro, para senti-lo melhor. Eu o abraçava por trás e metia naquele rabinho. Depois comecei a segurar em seus cabelos, mas sem puxar com muita força. Ele disse, trêmulo:

- Ai, cara... Assim eu vou gozar.

E pegou sua camisa pra não deixar que sua porra sujasse o sofá.

Eu não estava mais aguentando de tesão, e ao sentir seu cu piscando no momento do gozo, esporrei em jatos também, dentro de seu cuzinho, me acabando de prazer.

Retirei meu pinto do cu do meu amigo e disse:

- Vou lavar meu pau ali no banheiro, vai lá se quiser se limpar também.

E fui.

Quando voltei à sala, meu amigo não estava mais lá. Havia ido embora, levado sua camisa suja e provavelmente foi vestido com a minha, pois não a encontrei.

Fiquei meio bolado com tudo aquilo, nem acreditando no que havia acontecido.

Nem me atrevi a ligar pra ele, pensei que estivesse chateado ou algo assim.



[CONTINUA NA PARTE 2]



E aí, pessoal, gostaram? Me mandem e-mails: [email protected]



Abraços!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


cospidas na boca porno lesbicasconto eroticos amigo mais velhoporno patricinha chupando cunhado ao lado da irmãcontos eroticos de afilhadas novinhas.minha mulher explorando meu cu contoContos de sexo... A mini saia mal cobria a bunda delaminha mulher foi dominada contoscontos eróticos sadomasoquismo argola enfiada na bucetaconto erotico sou bem extrovertido e acabei comendo uma mulher muito bonita e bem gostosaconto eu a cadelaconto cavalo cu traicontos eróticos minha buceta aregacada entregou que traicontos eroticos querendo uma rapidinhaloirinha gostosa fodendo direcionamento com buceta bem carnuda aos gritosconto erotico viadinho de shortinho e calcinha dando na casa abandonadacontos eroticos com garotos mais novoscontoscomi minha cunhadinha dormindocalçinhas meladinhas nelasContos porno minha esposa realizou meu sonhoContos eróticos transei com a mãe casada do meu melhor amigoMinha sobrinha pediu para eu dar um shortinho de lycra pa ela usa sem calsinha para mim contoseu e minha filha ficamos viciadas no pau gostoso do meu tioContos eroticos de sexo na infancia safadinha des de me nininhaquero ver pornô de menininha pequenininha da Angola AngolaDeixei meu irmão de pau duro quando sentei no colo dele contos eróticoscontos eroticos madura gostei de dar o cu ao capataz contos eróticos meu amigo me comeu no mato a forçacontos eróticos aposta infeliz diretor da empresaChupei Contoscontos putinha caralhudo corno chupaconto erotico: meu desejocontos eroticos de mulheres casadas que ja levou mijada na carao ajudante de pedreiro chupou minha rola quando eu tinha dez anoscontos mulher da na frente dos filhosFudendo a prima,contoporno desmarcada do funkcontos eróticos porra escorrendo coloco papel higiênico na calcinhacontos eróticos de cunhadas e subrinhasconto eróticos dando o curso pra poder morarDeixei meu irmão de pau duro quando sentei no colo dele contos eróticosContos Gays Fui Assediado pelo marido Gostoso Da Minha Irmâfobtos trasado com as duastias gostoscontos mae crente babando no pau do filhocontoerotico de escoterasconto dei pro namorado com minha irmãcontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos "olha como * meu cuzinho"contos eroticos colotravesti pau duro contoscontos eróticos gay malucocontos de casadas escravascontos eroticos tios gordinhos tirando o cabaço do cu do sobrinho novinhoanão transando com jamaisconto erotico gay coroa pirocudo do bar me levou pra casa dele e me arrombouconto erotico de sera que meu marido não desconfia que chego com a buceta cheia de porra e ele lambe?Contos eroticos gays. comendo o moleque na van escolarque corpo gostoso por traz daquela pureza evanjeljca mais eu comi contoszoofilia contos eroticos homem fudendo co éguas.brconto porno a virgem babicontos eroticos crossdressercontos eróticos meu marido tomando chimarrão e o amiguinho do meu filho cuidando minha bucetinhaconto porno espiando a filhinha com o cachorrosocando muinto rapido ate ela gozar tezao monstruoso boa fodainiciacao putaria bi conto eroticoconto erotico sou viado e vendi meu cusobrinha sapeca tomou no cu contocontos eroticos velho da ruaQuero um homem que chupe minhas tetas quando chega do trabalho e pra dormiminha irma casada conto eroticoConto hot leitinhosonhar com a mulher tranzndo com outroEsposa na dp em casa contosconto comeu meu cu gostosorealizando sobrinho sensualmamae titia meu primo e eu na praia de nudismo contos eroticosconto erotico a filha curiosacontos negao borracheiro comeu minha bucetaconto meu pai descabacou minha irmacontos eroticos meu filho me fez gozarconto gay sobrinho viro esposaminha sogra viúva ela tava comigo no meu carro ela disse pra meu genro vamos pro motel conto eróticoconto traição sobrinha recém casadacontos de coroa com novinhocasa dos contos painho sou gaycontos meu vizinho tira o pau pra foracontos erótico eu confesso minha filha casada e uma loucura na camaconro erotico gay meu tio aloprado