Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PAULA ESPOSA VAGABUNDA

Click to this video!

Paula é uma ruiva natural de 24 anos, cerca de 1,65m, uns 60 kg. Há cerca de cinco anos, quando ainda era solteira, foi um amigo meu que me apresentou a ela. Na oportunidade, ela estava numa loja de conveniência bebendo umas cervejas com outras pessoas. Naquela noite a levei em casa, mas não rolou nada. Trocamos o telefone e marcamos sair para conversar. Depois dessa noite, viramos amantes. Trepavámos em todos os lugares: dentro do carro, no banheiro do cinema, na minha casa perdi as contas de quantas vezes transamos. Nossa relação era intensa. Eu já transei várias vezes com outras amigas dela, tudo combinado por Paula.



Há um ano Paula casou. Creio que viu que nossa relação não lhe trazia nenhum tipo de segurança. Antes de ela se casar, chegou a me confidenciar que o estava fazendo apenas para ter alguém para lhe pagar as contas, digamos assim, mas que não era por amor. Ainda tentei fazê-la mudar de idéia, mas foi em vão. Paula me garantiu que ainda continuaríamos amantes. No dia do seu casamento, ela saiu de casa cedo, com o pretexto de que ia ao salão. Pegou o carro do futuro marido e me telefonou. Fizemos amor dentro do carro naquela manhã. Eu tinha que experimentar o fruto antes do marido naquele dia tão importante. E assim ficamos por muitos meses. Saindo vez ou outra quando o tesão era maior ou para, simplesmente, não perder o vínculo. Era comigo que Paula se soltava na cama. Era uma verdadeira devassa.



Certo dia aconteceu o auge da ousadia. Ela me telefonou dizendo que estava sozinha em casa e que o marido sá voltaria à noite. Pediu para que eu fosse até a casa dela, que é práxima da minha, e a possuísse. Eu já havia sugerido isso em outras oportunidades. Confesso que mais para testar a reação dela do que por achar que ela toparia. Mas ela topou e lá fui eu. Estacionei o carro num lugar um pouco mais afastado. Era por volta das 10h. Entrei rapidamente em sua casa para que nenhum vizinho nos visse. Ela começou a me beijar, e logo depois me mostrou todos os cômodos da casa. Fiquei bastante tenso e com medo de o marido dela chegar. Ela estava de saia, sem calcinha, e eu com uma bermuda bastante cumprida. Levei um monte de livros e, caso fôssemos surpreendidos com a visita inesperada do marido, eu poderia mentir e me passar por um vendedor ambulante. Bastava ela baixar a saia e eu fechar o zíper da bermuda.



Mas ela tirou toda minha roupa, fazendo-me sentar no sofá. Ajoelhou-se ma minha frente e começou a chupar meu pau. Ela me chupava e me punhetava ao mesmo tempo. Coloquei-a em cima do sofá, de tal forma que ela continuava me pagando um boquete e eu ficava alisando sua bundinha macia, passando a mão na sua boceta, que já estava completamente molhada. Ela se contorcia como uma louca toda vez que eu massageava seu grelinho. Sua respiração ficava ofegante e isso me matava de tesão. Pedi para Paula que tirasse a camisa e o sutiã e que ficasse apenas de saia, o que ela fez rapidamente. Coloquei-a de quatro no sofá, levantei sua saia até a altura da cintura, segurei forte em seus seios, que são de tamanho médio, e a penetrei de uma única estocada. Agora era eu quem parecia um animal incontrolável. Não conseguia mais interromper os movimentos de vai-e-vem, tamanho era o tesão que eu sentia. Paula gemia alto. Isso me excitava e me assustava ao mesmo tempo. Comecei, com uma das mãos, a lhe dar tapas na bunda, e com a outra mão, enquanto a penetrava, eu a masturbava.



Quando senti que Paula estava prestes a gozar, sentei-me de novo no sofá da sala e a coloquei sentada de costas para mim. Dessa vez eu iria comer sua bundinha. Na sala havia um grande espelho ao lado da mesa e dava pra ver meu pau entrando e saindo daquela bundinha maravilhosa. Sua xaninha ficava toda exposta e eu a masturbava para lhe aumentar seu tesão. Ela me cavalgava como uma louca. Gritava dizendo que adorava dar o cu, mas que o maridão, que tinha cerca de cinquenta anos, nunca tinha comido antes, por não considerar aquilo correto.



Coloquei Paula novamente de quatro. Seu quadril ficava enorme nessa posição e eu podia me deliciar com aquela visão dos deuses. Penetrei-a forte. Paula pedia para que eu a chamá-la de piranha, de puta, pediu para arrombar o cuzinho apertado dela. Algum tempo depois Paula gemeu alto, dizendo que estava gozando. Eu disse que também estava pertinho de gozar. Então ela pegou meu pau e colocou em sua boca e começou a chupá-lo com muito tesão. Ela alternava o boquete com uma punheta e isso me deixava louco. Paula implorava para que eu gozasse em sua boca, coisa que seu marido também nunca tinha feito. Gozei como um louco. Depositei um banho de porra sobre todo o seu rosto e que escorreu por sobre seus seios. Ela limpou tudo com um dedo e engoliu todo o meu esperma. Nunca mais voltei a sua casa, mas sempre que me dá saudades, saímos para trepar. E sempre em lugares incomuns. Isso nos dá muito tesão. Eu me chamo Carlos tenho 20 anos e essa é mais uma das muitas experiências sexuais que tive, tenho um corpo malhado e 21cm de pica.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto tomando no cuzinhocontos eroticos viajando no coloconto gerou comer a sograconto esposa atendendo pedido sexual do maridocontos sexo família bipelado com uma travesti contos eróticoscontos eróticos brincando na piscinacontos erotico fis boauetes nos amigs de meu marido e ele nem sabecontos catinga de cúSem a minha permissao contos eroticosconto dpMeu Rabo me fazcontos eroticos gay acordado na noite pelo meu paicontos gays meu cuzinho me chamava de festacontos de cú de primaconto erotico minha esposa era certinhachupando buceta soltando fumaçacontos tudo enfiado no cuContos Deize pega rolacontos de padrinhos com afilhadasconto peguei meu marido estrupando a vizinhaConto erotico de evangelicasgorda sentada no sofa e cachorra lambendovideo porno juazeiro-ba dei carona a preta e comi ela no carroConto comendo a gorda casadaFotos de pirozoes de machoscontos eróticos na cada de um casal de amigos pornô o homem que nuca viu uma boceta quando viu endoidoucontos eróticos porra escorrendo coloco papel higiênico na calcinhacontos o patrão do meu marido faz sadomasoquismo comigouma dp muita dor mais deliciosa conto.Contos meu sogro arrombou minha bundaporno amador em festinhasparticularessou uma putinha gostosa da familiacontos eu tomando sol peladinha Contos eroticos primeira vez no puteiroas mais reganhadinhasesposa e filha de fio dental e eu contosTennis zelenogradcontos eroticos Sou arquiteta, 28 anos, morena do tipo gostosacontos Surpreso em ver tia sem calcinhaSou casada fodida contocdzinha dedos no cu esposa contovisinha casada o novinho contos com fotosFomos a um churrasco bebemos muito e aí rolou contos eroticosesposa e filha de fio dental e eu contostravesti zinha bem novinha no carnavalContos crossdresserporno chupei o peito e bucheta da minha cunhada ate ela cedercontos eroticos pobre e virgemcontos erotico maes rabudas c a familia n festa.contos eróticos brincando na piscinacontos eroticos namorada casa de praiaestuprada na festa contos eroticosdepiladas muas na sauna contosconto erotico com novinha no parquehttps://idlestates.ru/m/conto_18200_meu-sobrinho-gosta-de-me-ver-completo.htmlcontos erotcos cunhada na viahemcontos de meninos putinhoscontos eróticos com pezinhos da chefepornodoido transando com mulher peituda e fim de noite espíritaamigo emrabando o outro contoprimos e primas transando enquanto os pais saíram totalmente PelotasConto meu tio me fez mulher com seu pau enorme.sexo emprestei minha mulher pra um amigo que estava preso conto eróticostravesti de vestido e botinha querendo pica na bundinhacontos eróticos da secretária cadela de coleira do patrãocontos eroticos de mulheres coroas fodedeirasprimeira mulher a fazer zoofilia.no cinemaminha afilhada linda me provocando contosnovinha falou que ia pozMARIDO PÉ DE MESA CONTOS EROTICOS VERDADEninfetas com vestidos beijando peitoral dos travestisMeu nome é dado (apelidio),tenho 35 anos e minha esposa mara tem 32 anos.Somos simpaticos ,com caracteristicas bem Brasileira .