Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DEI O CU, SAÍ TODO ARDIDO DO BOTECO

Click to Download this video!

SOU MINEIRO, BISSEXUAL NÃO ASSUMIDO, 29 ANOS, SOU LOIRO, ALTO, BRANCO, PAU DE 16CM, ROSADO, GROSSO E CABEÇUDO, CHEIO DE PORRA BRANCA E ESPESSA, SEMPRE PRONTO PRA ARROMBAR UMA XANINHA OU UM CUZINHO, OS QUAIS EU SOCO FORTE E FUNDO, FAZENDO A COMPANHIA GEMER, GRITAR E GOZAR MUITO. MEU RABO É BRANCO, VOLUMOSO, BEM DESENHADO E ATÉ AFEMINADO, SEM PÊLOS, COM DUAS COVINHAS ACIMA, ONDE O MACHO PODE APOIAR OS POLEGARES E ME SEGURAR BEM FIRME PELA CINTURA PRA ME FODER GOSTOSO. MEU CUZINHO É PEQUENINO E ROSADINHO, PORTANTO, GOSTA DE SER TRATADO COM CARINHO, SEM MUITA BRUTALIDADE, MAS DE FORMA A ME FAZER GEMER E GRITAR COMO UMA CADELINHA. CONTUDO, MEU CUZINHO ROSADINHO É MUITO GULOSO E ANSEIA POR RECEBER UMA LINGUINHA, UM DEDINHO OU UMA PIROCA BEM LIMPINHA, CHEIROSA E GOSTOSA, CHEIA DE LEITINHO PRA ME DAR NA BOQUINHA. MINHA BOCA É BEM DESENHADA, ROSADA, LÁBIOS CARNUDOS, PRONTOS PRA ENGOLIR O PAU DE QUEM SE INTERESSAR E DE QUEM ME INTERESSAR. MAMO UMA PICA FEITO UM BEZERRINHO, CHUPO OS OVOS, ENFIO TODO O CACETE NA BOCA ATÉ ENGASGAR, E DEIXO O PAU TODO MELADO, PRONTO PRA FODER MEU CU, ME FAZENDO DE FÊMEA, DE PUTINHA. SOU UM CARA NORMAL, NADA DE SÚPER, TENHO BARRIGUINHA SALIENTE, PORÉM, COMPENSO ISSO SENDO BEM SAFADINHO, SEM PUDORES NA CAMA. MORRO DE VONTADE DE DAR MEU CUZINHO PRA MACHOS SAFADOS, QUE ME FODAM BEM GOSTOSO E ME DÊEM SEU LEITINHO, MAS TAMBÉM AMO FODER UMA BUCETINHA. MELHOR É FODER UMA BUCETINHA ENQUANTO ALGUÉM FODE MEU RABO... RSRSRS. SE ALGUÉM QUISER CONTATO É SÓ ME ADC NO MSN [email protected] ESTOU ABERTO, ALIÁS, MEU PAU está de pé E MEU CU ESTÁ ABERTO A PROPOSTAS DE MACHOS, PUTINHAS EOU CASAIS PARA UMA TREPADA BEM GOSTOSA, COM SIGILO, DISCRIÇÃO, EDUCAÇÃO E MUITO PRAZER. Conheci o Guga pela net, assim como eu ele é bi, mas curte apenas foder um cuzinho guloso, então ofereci o meu a ele. O Guga é um cara simpático que tem um pau de +ou- 15cm, branco, bem cheiroso e limpo. Combinamos de nos conhecermos em uma cidade do interior de Minas, para onde ambos nos deslocamos. Havíamos combinado de nos hospedarmos no mesmo hotel, porém em quartos separados. Fiquei em um quarto de casal, afinal, sabia que logo-logo teria uma companhia bem gostosa na cama. Nos hospedamos no sábado pela manhã. Eu cheguei primeiro e assim que o Guga chegou, se hospedou e me ligou. Desci e fiquei esperando-o no hall do hotel. Ele é realmente muito simpático, educado, não afeminado, assim como eu. Nos cumprimentamos e saímos a procura de um bar. Na rua ao fundo do hotel havia um que, pra nossa sorte, estava vazio, nos acomodamos em uma mesa atrás de algumas plantas. Dificilmente alguém nos veria ali, inclusive, sempre que precisávamos de algo nos levantávamos para chamar o atendente. Apás algumas cervejas nás nos soltamos mais e o papo descambou para o lado da sacanagem. O Guga estava com uma calça de moleton e notava-se o volume que se formava na mesma. Como ninguém nos via, e como na mesa havia uma toalha a cobrindo, enfiei a mão em sua calça e comecei a masturba-lo. Estava uma delícia aquela situação, ele gemia baixo, mordia os lábios, me chamava de putinha safada. Pedi que ele abaixasse um pouco a calça e que se cobrisse um pouco com a toalha da mesa e fui atendido, cuspi na minha mão e voltei a masturba-lo. Resolvi arriscar mais e o convidei a ir ao banheiro que era grande, com 4 boxes. Entramos em um deles, me sentei no vaso, o Guga abaixou sua calça e eu caí de boca naquela piroca gostosa. Comecei lambendo todo aquele pau, depois passei a chupar sá a cabecinha e fui o engolindo pouco a pouco, até não sobrar nada daquele cacete de fora. Chupava até sentir seu pau em minha garganta, causando vontade de vomitar. O pau dele estava duro como pedra e todo babado. Batia com aquela rola em minha cara, lambuzando meu rosto de baba, chupava seus ovos, lambia aquele cacete e voltava a engoli-lo. O Guga gemia feito um touro e eu mamava feito uma cabrita safada e vagabunda.a deixa pra eu parar de mamar foi quando ele disse que estava prestes a gozar. Então pedi pra ele se sentar no vaso, fiquei de pé e abaixei minha calça. Abri meu cuzinho rosado na frente do seu rosto e o Guga meteu a língua. Foi tão gostoso que gemi alto, ficamos com medo de alguém aparecer mas continuamos com a safadeza. O Guga estava com o rosto no meu rabo enfiando a língua no meu cu. Agora ele lambia a entradinha do meu rabo e começava a enfiar o dedo. Doeu um pouco porque havia algum tempo que não dava o rabo pra um macho gostoso. Saquei um saco de gel do meu bolso e pedi pra o Guga passar na entrada do meu cu. Ele passava na entradinha e depois introduzia o dedo, passando gel por todo o meu reto, deixando meu cu melado e aberto para a entrada do seu pau. O Guga beijava, mordia e dava tapas no meu rabo branco, volumoso e lisinho, enquanto enfiava do dedo no meu cu e eu lá, com os joelhos flexionados, as duas mãos abrindo o rabo e expondo o cuzinho, e o rosto encostado na parede, para me apoiar, e gemendo e arfando feito uma égua sendo fodida por um cavalo. Quando meu cu estava devidamente aberto e melado, abri uma camisinha e com a boca coloquei-a no pau do Guga, depois me posicionei e fui me abaixando e comecei a sentar no pau do Guga. Quando senti aquela cabeça na entrada do meu cuzinho rosado, senti um arrepio. Fui sentando, sentindo e ouvindo cada prega do meu rabo ser arrebentada por aquele pau gostoso. Ao chegar ao colo do Guga sabia que meu cu havia engolido todo o seu pau. Sentia seus pêlos no meu rabo. Comecei a rebolar naquele pau pra amaciar meu cu. Ficava piscando meu cu, apertando o pau do Guga, o que o deixava louco e a mim também. Ambos gemíamos baixo pra não chamarmos a atenção. Comecei a subir e descer naquela pica, primeiro bem devagar, olhava com cara de puta, fazia biquinho, chamava o Guga de gostoso, e ele lá, gemendo, batendo no meu rabo, me chamando de gostoso, de putinha. Acelerei o sobe e desce, fazia barulho do pau entrando e saindo e dos estalos quando eu chegava ao colo do Guga nas sentadas. O box já estava apertado para o nosso tesão. Saímos de dentro dele e trancamos a porta, já não nos importávamos com o que pensaria o dono do bar. Estávamos ali há pelo menos 20 minutos. Em frente ao espelho havia uma bancada de ardásia. Em encostei nela e empinei o cu. O Guga veio e, no auge do tesão, meteu seu cacete de uma vez no meu cu. Gritei, gemi e o safado me fodendo. Me segurou pela cintura, apoiando os polegares nas covinhas acima da minha bunda, e socava fundo e forte. Os estalos das metidas, quando ele batia a barriga na minha bunda, eram altos. Já estávamos suados, o cheiro de sexo era fortíssimo, mas estava muito gostoso. Também havia um banco de madeira no banheiro, então, sem tirar o pau de dentro, fui andando com o cu empinado e com o Guga engatado e apoiei uma das pernas no banco e fiquei quase de quatro. O Guga, meu macho safado e fodedor, continuava a foder sua putinha que estava se deliciando naquela vara, naquela geba gostosa. Ficamos assim durante algum tempo, até que, me aproveitando que o banco era muito largo, me deitei e ergui um pouco as pernas, o Guga as apoiou sobre seus ombros e meteu o pau no meu cu. O pau dele ia fundo, doía, mas estava gostoso. Agora eu podia ver as caras e bocas que ele fazia. Aquele safado estava me matando de tesão, de prazer, meu pau estava muito duro, comecei a me masturbar enquanto o Guga me fodia e gemia. Até que não me aguentei mais e gozei. Foi uma gozada tão forte que a porra esguichou pro minha barriga, meu peito, e como estava inclinado, levando rola, caiu porra no meu rosto, na minha boca. No momento em que lambia os lábios, limpando a porra que havia caído neles, o Guga anunciou que gozaria. O empurrei e arranquei sua camisinha e, de joelhos, com a boca aberta e cara de puta pedi: “goza na minha boca gostoso!” fui atendido, recebi jatos e jatos de porra na boca, na cara, no peito, fiquei todo melado. Neste momento notei que havia sombras atrás da porta. O safado do atendente notou que estávamos demorando e provavelmente veio ver o que acontecia e nos flagrou. Mostrei ao Guga e pedi que ficasse calado. Sorrateiramente me dirigi à porta e, rapidamente a abri. Peguei o atendente no flagra, com o pau na mão, se masturbando. Eu estava nu, cheio de porra, sorri para ele, que não vou falar o nome por motivos ábvios, e disse: “deixa eu te ajudar!?”. O safado prontamente entrou no banheiro. Ele é uma negão, careca, baixo, gordinho e com um pau preto, com a cabeça roxa, de +ou- 17cm. Peguei outra camisinha e novamente com a boca coloquei no pau do negão. Novamente de quatro no banco pedi: “vem negão safado, mete no cu dessa putinha safada e goza gostoso!” o safado veio e meteu. Como meu cu já estava amaciado entrou fácil e ele foi metendo fundo e forte. O Guga estava de pé, sá olhando. Então pedi pra ele ficar de pé à minha frente e comecei a mamá-lo. Outra vez seu pau ficou de pé. O negão fodia e meus gemidos eram abafados pelo pau do Guga. Passados 5 minutos o negão disse que gozaria e metendo gostoso gozou, na camisinha, dentro do meu cu. Senti seu pau pulsar. Ele ficou lá dentro e quando o pau amoleceu ele o retirou do meu cu. Senti um vazio grande quando o pau saiu, meu cu estava aberto, deflorado, fodido e ardendo. Retirei a camisinha do pau do negão e virando-a pelo avesso, derramei toda a sua porra em minha boca lambi seu pau para o limpar. Estávamos todos satisfeitos, então eles se retiraram do banheiro e deixaram a putinha aqui se limpar e se lavar. Quando saí, os dois estavam na mesa, tomando cerveja e conversando. Agora os clientes começavam a chegar. Eu e o Guga resolvemos ir para o hotel descansar e quando íamos pagar a conta o negão disse que era por conta da casa, afinal, sua mulher havia viajado e eles estava há quase um mês sem foder e, como eu o ajudei, ele retribuiria assim. Mal sabe ele que foi ele quem me ajudou! Rssrsr... afinal eu sou uma putinha que ama machos safados. Combinamos que voltaríamos a noite, pois o bar fecha às 23:00 horas. Fui descansar no meu quarto e o Guga no dele. à noite, já recompostos, voltamos ao bar para mais trepadas e safadezas e voltamos ao hotel já pela madrugada. O Guga me fodeu o domingo todo, deixando meu cu esfolado, já não aguentava mais dar o cu. No fim da tarde nos despedimos e agora estou ansioso por encontrar esse macho tarado novamente. GUGA, MEU CU ESTÁ QUERENDO ESSE PAU GOSTOSO DE NOVO. VEM ME FODER BEM GOSTOSO SAFADO! BJU MOLHADOS NA CABEÇA DO SEU PAU. [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos eroticos mao amiga no carrocontos cornos fio tera pintinho viadocontos eróticos massagempunheta na infancia com amigopegou todas da familia atraves de chantagen conto erotico de insestoconto gay quando eu tinha 16contos minha esposa vigia a casa pra eu fuder a visinhafamilia e esposa na farra conto eroticoconto erotico estupardohomens velho gay contoscontos de sexo com viuvame exibir muito na balada contosContos sou alegria dos coroascasada queria muito o pauzao do velho contoscontos er gozando na boquinhaainda havia dor mamilo grande e pontudo vídeo pornômeu cu ficou rasgado e sangrando contosminha esposa me contou suas aventuras sexuaiscontos reais meu marido fez uma deliciosa DP com seu amigocontos gay trans teencontos eróticos esposas traduzidas na minha frentecontos eróticos da novilhas com os negroscache:HVsxZOrs15AJ:http://okinawa-ufa.ru/m/conto_12619_quando-eu-dei-pela-primeira-vez.html+"dei pela primeira"conto erotico;eu e a professora de artespornor contos e videos liberei o cu virgem para meu irmaocomi a minha mãe na chantagemsogra gorda dormindo jerro prega rolaconto erotico de shortinho provocando molestada por pivetewme masturbeipensando nela contos eróticosCasa dos Contos Eróticos nora gostosa no banheiroesposa voltou raspadinha contoscontos eroticos minha esposa eo porteirocontos eroticos sou viuva tenho um sobrinho novinhocontos gays teen dando o raboconto erotico meu avoesposa e filha de fio dental e eu contosmurhler.abusada.estrupradovideos de casais namorando muitoogostosoContos eroticos/minha sogra cavalonaMEU ENTEADO ME FEZ CHORAR NA ROLA DELE CONTOconto erotico velhasconto erotico de minha titia rabuda la em casa na cosinhapornoxota video casada fudendo com serventeconto erotico de feriadosContos.eroticos.crentizinha.abusada.no.cuzinhode calcinha na frente do meu pai contosmeu genro me comeu contosmaravilha conto heteroconto erótico assediaram minha mulher na ruavídeo de mulher conto dar o cu ele micha de dorconto erotico cavalo estupra meninacontos eroticos a camareira do hotel me encontrou de pau duro no quartominha mulher de fio dental num posto de gasolina eu confessocomo meu marido virou corno III kellyconto erotico travestis o traveco preto rasgou meu cucasa do conto mae rabuda trai o marido com filhofeiras que transam muito gostoso com os amiguinhoscontos eroticos dano banho no primoTennis zelenograd contoSou casada mas bebi porro de outra cara contos.conto erotico virei puta e meu marido cornocontossado de submissao realContos de novinho chupando kct de caminhoneiroteen recem casada contoscontos eroticos incestos primeiro foi o meu irmão agora e meu paivideo sexe etiado pauzudo emadrastaContos eroticos de irman eirmaoconto fui comido por doiscontos eróticos prima e irmãtoda raspada na praia de nudismo contosvontos eroticos maduras a piça gg do meu sogroboqueteira gaucha contomknha tia pediu pra passar protetor solar contos Dei a bucha pro meu sobrinho virgemmeu sogro tem a rola de 26cm e socou tudo em mim.contos meu marido descobriu quando cheguei arrombadacontos eróticos gay meu primo cumeu meu cu no sofacontos eroticos - perdido na trilha com minha amigame fode com esse pintãoConto erotico Seu Madruga gay.contos negao na praia de nudismoeu conto cunhada casada foi acordar o cunhado de manhã em joelho redondonamorado mega dotado contos eroticosContos eróticos entre parentescontos eroticos seios grandes de leitehospedei em casa relato eroticomorena de seios gigantes e cintura fina fundendo com um homemFlaguei minha tia se masturbando com um consolo no cu e um na buceta contos