Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A CASA DA MINHA TIA PARECE UM PUTEIRO PART I

Click to Download this video!

A histária que eu vou contar aconteceu a algumas semanas atrás. Os nomes dos envolvidos neste conto são fictícios . A algum tempo frequento o site e gostaria de compartilhar um pouco da loucura na qual estou vivendo atualmente.

Meu nome é Marcelo, tenho 19 anos, fiz a mais ou menos um mês atrás, filho único, moro com meus pais, sou sou magro, não muito forte, alto, loiro de olhos verdes e minha tromba tem um tamanho normal cerca de 19 cm. Outra característica marcante é que sou tímido. Minha cidade natal é Santa Catarina e estou fazendo faculdade de engenharia mecânica. Lá em casa as coisas são meio apertadas, pois nossa situação financeira não é muito boa, não nos falta nada, mas sempre temos que avaliar se certas compras são realmente necessárias.

Eu andava fazendo um estágio, mas infelizmente meu contrato venceu e a empresa em que trabalhava não resolveu renova-lo. O pessoal lá de casa fazia questão de deixa eu gastar aquilo que ganhava da maneira que eu queria. Terminei o 3ª período da faculdade e entrei de férias, até que minha mãe, Ângela, veio com uma idéia meio maluca:

-Marcelo, eu venho conversando com seu pai a um tempo sobre você pedir transferência da faculdade para o Rio de Janeiro e ir estudar lá.

Na hora aquilo me pareceu um absurdo. minha mãe é o tipo de mulher que gosta de inventar uma historinha. Respondi a ela:

-Tá doida mãe, onde eu vou morar? Não conheço nada naquela cidade, e sem falar na violência.

Ai ela veio com o argumento que mudou minha minha cabeça

-Você sabe que seu tio é engenheiro mecânico de uma grande empresa e pode te ajudar a arrumar um bom emprego no Rio. Se você conseguir um emprego naquela empresa você vai estar com a vida ganha! Eu já falei com minha irmã de você morar lá pelo menos uns tempos e ela aceitou!

Fiquei calado e pensativo. Minha mãe naquele momento tinha razão, meus tios tinham uma átima vida, minha tia não trabalhava e o dinheiro que meu tio ganhava era mais do que suficiente para manter uma vida muito luxuosa. Se eu tiver a mesma sorte vou realmente estar feito.

-Ta certo mãe então eu vou!!

No mesmo dia passei na faculdade para dar entrada na papelada de transferência, eu era um bom aluno e qualquer faculdade me aceitaria, minhas menores notas eram 9.5. A administração ainda me informou que eu poderia dar continuidade do processo de transferência on-line, achei átimo pois partiria em breve para o Rio.

Ao chegar em casa minha mãe estava saltitante e meu pai já com minhas coisas arrumadas falou:

-Filho sua mãe não para de me encher o saco com essa histária e vamo viajar logo hoje mesmo que é melhor.

Respondi

-Ta bom pai, sá vou comer alguma coisa e escovar os dentes.

Carregamos o carro com todas as minhas coisas ( com isso diga-se um vídeo game, meu computador e minhas roupas) e partimos para estrada. Acabei caindo no sono pois já estava na madrugada de sábado. Meu pai dirige tranquilamente durante a noite, ele por um tempo já trabalhou como caminhoneiro. Acordei pela manhã paramos o carro em um restaurante desses de rodovia e voltamos a por o pé na estrada o mais rápido possível. Nesse meio tempo fiquei pensando como estariam meus tios e minhas duas primas, afinal fazia muito tempo que não os via, a ultima vez eu tinha uns 4 anos. Em fim foram 19 horas de viagem mais chegamos bem e cansados.

Quando me deparei com a casa da minha tia me assustei, pois era uma casa enorme. Sai do carro descarreguei a bagagem com meu pai e fui bater na porta, não demorou muito e uma mulher nos atendeu. Ela se apresentou como a empregada da casa (seu nome era Maíra), uma mulher com cerca de 25 anos negra com um corpo maravilhoso um bundão bem grande e gostoso, peitos médios, magra (aparentemente uns 50Kg's) e 1,75 de altura, cabelos longos alisados, tinha um rosto bonito e bem cuidado, usava um batom rosa em seus lábios carnudos e silhos postiços, sua maquiagem era sem dúvida muito extravagante. Ela usava um shortinho de ginástica branco, estava tão encravado que era possível ver a marca da racha de sua buceta e um top azul claro tão apertado que dava pra ver uma parte das aureolas de seus peitos arrebitados. Nossa na hora meu pau virou uma pedra, disfarcei e entramos. Ela nos informou estava sozinha em casa me esperando, todos haviam saido. Isso de alguma forma me deu mais tesão, não conseguia saber se ela estava ciente ou não meu estado. Meu pai virou-se para mim e falou:

-Olha filho, já que não tem ninguém aqui eu vo indo de volta porque a viagem é muito longa e não quero perder tempo. Se eu esperar seus tios chegarem sei que vão querer me "prender" aqui durante um tempo, tempo esse que não pretendo ficar.

Respondi:

-Ok, pai então vai com Deus e manda um bejão pra mamãe diz que já estou com saudades.

Ele deu uma risada meio tímido, me abraçou, desejou-me boa sorte, juízo deu adeus e meia volta para o carro, me deixando sozinho com aquela delicia de empregada.

Por dentro a casa era ainda mais bonita do que por fora muito bem decorada tinha dois andares, a empregada me falou que ainda no andar de baixo tinham dois quartos onde ficavam minhas primas, um lavabo ( é um tipo de banheiro sem chuveiro), a sala de jantar e a cozinha. Nossa quanto cômodo, foi o que falei na hora, ela riu e falou que ainda tinha mais, e de fato tinha mesmo, o segundo andar era onde tinha o quarto dos meus tios com uma varanda para traz da casa que dava em quintal com uma piscina enorme, lá também tinha um escritário biblioteca.

Diante de tantos cômodos perguntei a ela onde minha tia havia planejado de eu ficar instalado. Ela respondeu:

-Sua tia falou que você vai dormir no meu quarto- Em seguida soltou uma risada com cara de safada. Fiquei meio petrificado tanto de estado como de rola.

-Brincadeira- ela disse- você vai ficarem um quarto na casa da piscina do lado do meu quarto.

-Então pode me mostrar o caminho por favor?

-Claro patrãozinho- Respondeu dando risadinhas.

Ela foi guiando o caminho, levando minha mala de roupas enquanto eu levava meu computador e meu video game. Passamos da sala de estar para a de jantar, da sala de jantar entramos na cozinha e no fundo da cozinha tinha uma porta que dava para o quintal onde tinha a piscina. Durante todo o trajeto eu não parava de olhar aquela bunda maravilhosa. Eu mau havia chegado e já estava morrendo de vontade de uma boa sacanagem. Ao lado da piscina tinha uma casinha não muito grande com a porta aberta, entrei e descobri que ali apenas haviam dois quartos separados por uma parede. Assim que entrava na casinha já caia dentro do meu quarto e para ter acesso ao outro teriam de passar por uma portinha que se encontrava no outro canto do quarto. O quarto tinha uma janela que dava para a piscina e um banheirinho minúsculo, Maíra me explicou que aquele era o único banheiro que ela poderia usar, logo teria-mos que dividi-lo mas para mim isso não foi um problema. No quarto também tinha uma cama de solteiro, uma mesinha para o computador e um gaveteiro para eu por as roupas.

Botei tudo o que segurava no chão ao cantinho do quarto, Maíra por sua vez botou minha mala na cama e sentou-se ao lado dela com as pernas um pouco abertas, olhou pra mim e falou:

-Se por acaso ouvir alguns gemidos durante a noite, fique tranquilo que sou apenas eu me masturbando.

Quando ela terminou de falar isso, percebi que havia uma marquinha de molhado em cima de sua xana, ela nem deve estar usando calcinha, pensei eu na hora. Com essa cena quase gozei, meu cacete latejava tão forte que por pouco não pulou da calça, fiquei vermelho afinal como disse sou tímido. dei uma risadinha muito sem graça e corri para o banheirinho falando que precisava de um banho. Antes de entrar no banheiro ela me segurou e disse para deixar a porta encostada pois ela teria de entrar para botar uma toalha para mim, afinal como eu acabava de chegar ela não havia preparado tudo ainda.

entrei no banheiro deixei a porta encostada como ela havia falado, arranquei minha roupa toda e joguei no chão ali mesmo. Minha pica já estava roxa, fiquei preocupado, pois ela poderia ter visto o volume na bermuda. Ao mesmo tempo pensava se todas as cariocas eram daquele jeito. Abri a cortina do box e entrei no chuveiro, comecei a bater uma punheta violenta, socava minha rola como se fosse a ultima punheta da minha vida. Até então não tinha tido experiências sexuais e aquilo tudo estava sendo um sonho. De repente a porta do banheiro abriu, era ela com a toalha. Por conta disso passei somente a massagear a cabeça da minha pica, já estava quase gozando quando ela falou:

-Olha eu to muito apertada e preciso fazer um xixi não vou te atrapalhar o banho não né?!

Antes que eu falasse qualquer coisa ela abaixou o short e sentou no vazo, nossa como eu queria gozar. O vazo era muito práximo ao box, eu me mexi um pouco e sem querer bati com meu caralho na cara dela.Nessa hora ele latejou tão forte que pensei que ia explodir em porra. Ela não sabendo o que era falou em tom de brincadeira com muita intimidade:

-Ei para de esbarrar em mim! Isso vai ter volta rsrsrs.

Fiquei em silencio massageando meu caralho bem devagar, quando de repente ela da a descarga e levanta do vaso. Sem nenhum aviso prévio sá vejo a cortina do box sendo puxada, Maíra estava com short arriado, meu olho vôo direto naquela bucetinha gostosa. Ela se depilava e usava a clássica faixa. e eu não consegui segurar, soltei um jato de porra fenomenal bem na direção de sua buceta, foram umas cinco golfadas de muita porra. Ela ficou parada e recebeu toda porra, nem sequer tentou desviar. Nunca havia gozado tanto em minha vida. As três primeiras golfadas foram direto na buceta dela a quarta havia caido no top que ficou completamente melado e a ultima foi na cara dela e pegou um pouco no cabelo também. Por alguns segundo ela ficou parada me olhando com os olhos arregalados enquanto a porra ia escorrendo. Na hora pensei FUDEO! Mas logo apás ela deu uma risadinha muito safada e começou a esfregar minha porra naquela buceta de chocolate passou a língua entre os lábios para beber a porra remanescente. fiquei vendo aquela cena e me recompondo. O silêncio se quebrou com as palavras dela:

-Nossa eu sabia que você tava excitado mas não sabia que era tanto. Quanta porra, to parecendo até uma boneca de cera rsrsrs. Agora vou ter que tomar banho também nesse box minúsculo ai com você.

Logo tratou de tirar o top, tinha acabado de gozar e lá estava ela me atentando mais uma vez. Com a voz trêmula disse:

-Tudo bem pode entrar.

Ela se espremeu e em um segundo já estava em baixo do chuveiro de costas pra mim, esfregava a bunda na minha rola ainda melada. Com isso meu pau já armou de novo. O box era tão apertado, que minha rola acabava fazendo muita pressão no botãozinho dela. Já que a merda toda já estava feita decidi que ia me acabar ali com ela. Puxei o corpo dela contra o meu aumentando cada vez mais a pressão no cuzinho, mas não entrou e escapuliu pincelando a xerequinha, em resposta deu uma ligeira gemida. Cheguei no ouvido dela e falei bem manso e firme enquanto dava umas pequenas lambidas e mordidas na orelha:

-Você me atentou todo, agora eu vo te comer todinha sua putinha!

Sem dizer nada ela empinou a bundinha e eu enterrei meu caralho naquela buceta que estava transbordando, na hora ela gemeu de prazer. Metia com muita força, com uma das mãos massageava o grelinho dela que de tão excitada chegava a "dar choque" e com a outra apertava o biquinho do peito que estava duro como pedra, tudo isso enquanto tomava-mos uma gostosa ducha de água quente. Com as bombadas meu quadril batia com força na bunda dela fazendo um barulho delicioso. Ela começou a gemer muito alto e a se contorcer até que senti que ela estava gozando, em nenhum momento eu parava de massagear seu grelinho. Cheguei em um ponto que não consegui me controlar e acabei gozando, lágico que nem tanto como da ultima vez mas mesmo assim foi uma quantidade bem considerável. Seu útero ficou cheio da minha porra, que escorria vagina a baixo em pequenas quantidades, bem devagar ia tirando a pica. Quando ela escapuliu uma pequena golfada de porra saiu, deixando a cabeça do meu pau toda melada, pincelei o cuzinho pra deixa-lo branquinho também. Ela estava com as pernas bambas e ofegante disse:

-Nossa que foda maravilhosa. Já vi que com você morando aqui estou fudida. Nossa garoto como você tem porra nesse saco em! To recheada de leite!!

Nás dois rimos ela se virou com um pouco de dificuldade e começamos a nos beijar. Seus lábios carnudos eram maravilhosos e nossas línguas se entrelaçavam. Enquanto isso minha mão acariciava e apertava sua bunda, decidi colocar um dedo dentro de seu cuzinho, ela deu uma gemidinha, parou de me beijar e falou que na proxima foda ela ia querer porra no cu também pra ficar 100% recheada. Terminamos o banho e eu tava morto eram cerca de 6 horas da tarde de domingo, peguei dentro da mala uma muda de roupa limpa e deitei na cama ela ainda nua me deu um beijinho no rosto e entrou no quarto dela. Não demorou cinco minutos e eu cai em um sono muito profundo.

Depois de algumas horas de sono fui acordado por um barulho que vinha do quintal, levantei e fui espionar pela janela para ver o que ali se passava, duas garotas estavam pulando na piscina e falando algumas coisas as quais não me recordo. Na hora presumi que fossem minhas primas. No Rio é tão quente que nem é má idéia tomar um banho de piscina durante a noite. Olhei o relágio eram três da manhã, sem pensar duas vezes cai na cama e dormi mais uma meia hora, depois acordei novamente e não conseguia mais voltar a dormir.

Algumas coisas se passavam pela minha cabeça, meu primeiro dia no Rio e eu perco a virgindade com a empregada.

-Imagina se ela fala isso pra minha tia, vai achar que sou um pervertido, vai me expulsar da casa dela, vai contar pra minha mãe e ai que vai ferrar tudo mesmo.- Eram algumas coisas as quais estava falando comigo mesmo naquele momento. Meio aflito resolvi fazer alguma coisa para tentar distrair a mente, levantei na maior sorrateira e fui ver se Maíra estava dormindo. Abri a porta do quarto bem de vagar e lá estava ela dormindo somente de calcinha, nossa ela é um mulherão, pensei eu, mesmo me dando tesão resolvi não incomodar seu sono, fechei a porta bem lentamente e fui arrumar meu quarto.

Montei meu computador e instalei meu vídeo game, guardei minhas roupas dentro do gaveteiro. De repente ouço a porta do quarto da empregada abrindo, era ela que estava acordando as quatro e meia matina. Ela estava vestida com mais modos dessa vez, uma camiseta branca e uma calça normal nada exagerado, nos pés estavam uma sandália. Eu estava com um short e uma blusa normal roupas de ficar em casa mesmo. fui falar com ela, meio sem jeito tentava escolher o melhor conjunto de palavras.

-Olha Maíra, desculpe por ontem acho que me excedi...

Ela me interrompeu.

-Marcelo deixa de ser bobo, rsrs, foi muito gostoso e eu te provoquei. Vi umas fotos suas e resolvi fazer isso já que não tinha ninguém em casa. E lembre-se daquilo que combinamos. To doida pra gente fazer de novo! Vou dar um pulinho no banheiro e depois arrumar a mesa para o café do seu tio, ele vai viajar hoje cedo. O café aqui é servido as 6 da manhã, depois da um pulinho lá!

Entrou no banheiro e em alguns minutos saiu com uma maquiagem mais modesta ( um batom clarinho e um pouco de blush), podia ser a empregada da casa mais era uma mulher vaidosa. Me jogou um beijinho e saiu do quarto para começar as obrigações do dia. Sentei na mesinha do computador e tentei conectar a internet mas o roteador do meu tio não deixava pois eu não tinha a senha. Joguei um pouco do meu vídeo game até que deu 6 da manhã, desliguei tudo e fui até a cozinha. Lá encontrei com meu tio Jorge, ele era um homem de 45 anos bem aparentado, tinha 1,80m com uns 75Kg cabelo negro e curto com uma barba ralinha meia grisalha. Estava muito bem vestido, usando um terno preto e uma gravata azul bem claro e lindos sapatos muito bem engraxados, roupas de muita classe.

Assim que ele me viu levantou-se e sem falar muito alto chamou meu nome abriu um sorriso e veio em minha direção para receber um abraço, correspondi a sua ação. Maíra estava em pé lavando alguma coisa na pia, e não esboçava reação alguma. Meu tio disse que estava muito contente de eu ter vindo para o Rio e que ele iria dar todo um suporte para minha vida profissional e acadêmica, fiquei muito feliz e o agradeci meio sem jeito pela hospitalidade. Botando a mão no bolso ele me disse o seguinte:

- Marcelo, ontem eu e sua tia fomos ao shopping para comprar umas coisas e já que você esta vindo morar aqui conosco queria lhe dar isso- Eis que ele tira do bolso um Iphone - Infelizmente quando chegamos você já estava dormindo, deve ter sido uma viagem cansativa. Isso vai lhe ajudar nos estudos e é um aparelho muito bom para o entretenimento também.

Sem jeito falei:

-Nossa tio que isso não posso aceitar...

Me interrompeu dizendo:

-Filho vou lhe dar uma dica muito valiosa, ela parece ser bem ábvia, mas muitos não a levam a sério.

-O que é tio?

-Agarre as oportunidades que a vida lhe da! Muitos perdem diversas oportunidades por bobeira.

Ao terminar de falar nos sentamos a mesa da cozinha, ele bebeu um pouco de seu café, terminou de comer seu pão e entregou-me o aparelho, afinal apás o que ele havia dito não tinha como eu recusar.

-Ouça Marcelo sua tia esta dormindo, afinal os únicos que não dormem até tarde nessa casa sou eu e a Maíra- Falou rindo- Sinta-se em sua casa não quero timidez. Bem filho deixa eu ir porque hoje vou ter de viajar e sá volto daqui a uma semana, depois agente se fala melhor.

Ele foi se levantando e já ia se despedindo,na hora lembrei da internet, ele me passou a senha e reforçou mais uma vez pra eu ficar a vontade. Seguiu para garagem e foi-se embora.

Depois Maíra seutou-se ao meu lado comemos juntos, conversamos sobre algumas coisas. Ela contou-me que sua mãe a abandonara quando era criança e passou a infância em um orfanato. Quando fez 19 anos foi contratada como empregada pelos meus tios e desde então ela vive aqui. Uma histária sem dúvidas meio triste. Também expressei minha preocupação de termos transado sem camisinha e ainda mais de eu ter gozado dentro dela, ela falou para não me preocupar pois não estava no período fértil. Isso me aliviou mais não matou minha preocupações.

Não demorou muito e minha tia Rosangela desceu de seu quarto e entrou na cozinha para tomar seu café. Tomei um susto tremendo quando ela entrou, pois vestia uma camisola meio transparente, calcinha e sutiã. meu pau enrijeceu na hora, e o volume marcou meu short, cruzei as pernas e botei a mão para tentar cobrir. Maíra percebendo tudo deu uma risada. Ela estava maravilhosa que delicia estava magra tal qual uma modelo, os cabelos loiros compridos meio embolados pois havia acabado de acordar, seus olhos azuis radiantes, lábios finos e delicados, peitos grande e bem firmes com os biquinhos durinhos marcando o sutiã, um bumbum não muito grande mais bem empinadinho. Sinceramente ela estava com o corpo de uma deusa grega em plenos 35 anos. me deu boas vindas e falou:

-Olha sobrinho por favor não se incomode com o meu jeito de andar pela casa, as vezes eu ando assim mesmo no estado que estou. To muito feliz por você ter vindo pra ca viu, afinal é muito bom ter um homem em casa- Assim que ela falou isso engoli seco - já que meu marido sempre esta viajando. Viu hoje de manhã já viajou sá pra voltar semana que vem, e é sempre assim.

Ela aparentemente não estava muito feliz de seu marido viver viajando. Apás ter falado isso passou por mim e foi em direção a pia pegar um copo meu olho estava grudado na bunda dela. Maíra que estava ao meu lado, ao ver a situação meteu a mão pelo meu short e começou me masturbar, a toalha da mesa da cozinha tapava o ato. De repente minha tia se abaixou para pegar algo que havia caido de sua mão, assim empinando sua bunda, cheguei a dar uma gemida mas ela não percebeu, enquanto isso Maíra não parava de bater punheta, meu pau latejava. Ao voltar da pia ela sentou-se ao outro extremo da mesa botou um pouco de café olhou para Maíra e perguntou se ia ser necessário fazer mercado essa semana, ela respondeu que não.

Aparentemente minha tia não percebera nada do que estava acontecendo ali. Maíra parou de me masturbar, sem dizer nada, passou a mão sobre a mesa e pegou uma colher fingindo muito descaradamente a jogou no chão e disse:

- Opa como sou desastrada. Da licença de eu pegar Marcelo.

Quando ela abaixou a cabeça começou a lamber a cabeça da minha rola, me assustei e dei um pulinho. Minha tia não falava nada e ao mesmo tempo ficava olhando para minha cara enquanto tomava seu café, tentava ao máximo disfarçar também bebendo um pouco de café em minha chícara. Maíra parou de me lamber, pegou a colher e voltou a sua posição. Aquilo tudo estava uma delicia e ao mesmo tempo me enlouquecendo. Maíra disse olhando para minha tia:

-É dona Rosangela aqui em baixo dessa mesa ta meio sujo, a senhora pode me passar um papel pra eu tirar o grosso.

Minha tia esticou a mão apanhou um rolo de papel toalha que estava em cima da mesa e entregou a empregada e disse:

-Jorge toda vez que toma seu café derruba alguma coisa no chão

Assim que ela abaixou a cabeça voltou a mamar minha rola. Nossa que boca maravilhosa ela passava a língua pela cabeça, dava fortes sugadas e as vezes ela parava e ficava somente passando seus doces labios carnudos em minha pica. Que maravilha estava aquilo tudo! Minha tia resolveu quebrar todo o silêncio:

-Nossa hoje ta quente em, ta com calor Marcelo??

Respondi tentando não gaguejar.

-To sim tia aqui no Rio é um calor danado comparado ao sul.

Ela deu uma risada e se recostou mais na cadeira. Até que não aguentei e gozei um litro de porra na boca de Maíra que fez o favor de sugar até a ultima gota.Tentei ao máximo não fazer caretas para minha tia não suspeitar de nada. Rapidamente a empregada voltou a endireitar-se a mesa e pegou o seu copo e foi levantando disse:

-Bem já tomei meu leitinho agora vo trabalhar!

Saiu da cozinha e foi para sala de estar fazer alguma coisa. Rosangela também pegou seu copo levantou-se, colou-o na pia e veio em minha direção, quando veio chegando perto meu pau já foi voltando a enrijecer.

-Olha Marcelo, não leve a mau os hábitos aqui de casa, a Maíra tem esse jeito totalmente descontraído na nossa frente pois ela é praticamente da família, já esta conosco a bons anos.

Eu tentava mas não parava de olhar para a calcinha da minha tia, parecia que estava hipnotizado. Eu não podia levantar se não minha tia iria ver que a barraca estava armada. Ela ainda me disse que estava sentindo muito calor e ia arrumar-se para piscina. Assim que ela acabou de falar ouço a vás de uma moça:

-Mamãe a senhora ta assim na frente do seu sobrinho. Já vi que o papai não esta em casa!

E de outra

-Você é uma puta mesmo! rsrsrs

-QUE ISSO GAROTA, PERDEU O JUíZO!!!!! Marcelo, da licença que eu vo subir ta. Converse um pouco com suas primas

-Ta bom tia! –Respondi.

Minhas primas tinham 20 e eram muito bonitas. Uma era loira com os cabelos longos de olhos azuis tal qual a mãe com um lindo corpo sarado de academia e peitos bem grandinhos (seu nome ela Sheila) e a outra tinha uma bundiha bem grandiha e empinadinha, peitos médios cabelo curto e castanho com olhos verdes ( seu nome era Suze). Diferente da mãe elas estavam de pijama mas tudo muito bem comportado. Sheila rapidamente recolhendo algumas coisas em cima da pia, virou-se para mim e disse:

-Primo desculpe a mancada e de falar essas coisas na sua frente é que aqui em casa eu e minha mãe brincamos muito, ela me da liberdade.

Suze concordou e acrescentou:

-Olha Sheila ve se anda logo ai. Faz uns sanduiches também!

-Ué porque de toda essa pressa?- Endaguei, mais recomposto de tudo que havia passado.

-Vamos para uma excurção com o grupo da faculdade em uma empresa lá em São Gonçalo, ficaremos fora durante uns três dias.- Explicou Suze

-É primo você da as caras e parece que todo mundo esta fujindo, rsrs- Falou brincando Sheila.

Dei uma risada, as duas pegaram tudo aquilo que haviam preparado e foram arrumar umas malas. Levantei e fui em direção ao meu quarto mexer no aparelho que meu tio havia me dado. Depois de um tempo dentro do meu quarto, ouvi a garagem da casa se abrindo deduzi que eram minhas primas saindo.

Entrei na internet para ver se o processo de transferência da faculdade ja estava concluído. Infelizmente ainda não tinha tido nenhum progresso. Resolvi estudar um pouco no computador. Estudei cerca de meia hora, quando de repente minha tia entrou no quarto sá de biquíni, estava maravilhosa, era do tipo fio dental. Sua buceta estava apertadinha, os lábio vaginais estavam quase pra fora daquele pequeno pedaço de pano, também era possível ver seus mamilos bem durinhos marcados em seu biquíni. Enquanto esfregava seu corpo com filtro solar, me convidou para ficar na piscina. Na hora meio atônito, eu neguei, dizendo que estava fazendo umas coisas no computador. Quando a encontrei na cozinha havia ficado muito calado, por conta de tudo que estava acontecendo, então decidi puxar um papo:

-A tia minha mãe mandou um grande abraço!

-Obrigado, Ela ficou de ligar ainda hoje pra converssar com você um pouco.

-Quem bom, puxa obrigado por estar me recebendo aqui tia fico muito agradecido mesmo.

-Deixa de ser bobo rapaz, é bom ter você por aqui essa casa as vezes fica muito vazia.

Assim que ela terminou de falar vi dois homens práximos a piscina me assustei,pois não fazia ideia de quem eram. Minha tia me explicou que eram os limpadores e vinham toda a semana para fazer a manutenção da piscina. Como resolvi não ir para piscina, ela sugeriu que eu fosse no segundo andar conhecer o resto da casa e ir ao escritário ver algum filme, pois lá tinham muitos DVDÂ’s e um computador com uma televisão de 50 polegadas. Gostei da idéia, falei para ela que subiria sim, perguntei se antes de ir não gostaria de ajuda em alguma coisa com os limpadores, ela disse que não que cuidava de tudo. Sai-mos juntos do quarto ela cumprimentou os dois homens. Um era muito magro e baixo o outro era gordinho e baixinho ambos com cabelos pretos e pele morena. Usavam uma bermuda e uma camisa com o nome da empresa onde trabalhavam e carregavam uma mala com os equipamentos necessários para manutenção da piscina.

Entrei na casa e fui logo ao segundo andar Maíra limpava o chão com um esfregão, a cumprimentai jogando um beijinho, afinal em tão pouco tempo já havia ficado muito intimo, ela retribui, entrei no escritário e perguntei onde estavam os filmes, ela apontou para um armário que ficava abaixo da televisão, ao abrir vi que o computador também ficara guardado ali, apertei o botão de ligar peguei o teclado e o mouse que eram sem fio e os coloquei sobre o sofá que lá tinha. Escolhi um filme e coloquei na bandeja do computador, sendo que ele pedia uma senha para entrar em um dos usuários, perguntei a Maíra se ela sabia, ela respondeu que não. Levantei e fiz que ia descer a escada para perguntar a minha tia, quando Maíra percebeu, virou-se pra mim e falou que eu não precisava ir lá embaixo, podia entrar no quarto da minha tia e perguntar a ela pela varanda, assim fiz, dei meia volta entrei no quarto dela, era muito bem arrumado, tinha uma cama imensa e aparentemente muito confortável, uma bancada onde tinham televisão e um notebook, e alguns quadros pelas paredes. Lá também tinha uma porta que dava em um corredor (esse corredor servia de armário) no final do corredor tinha outra porta que dava para um banheiro muito chique com uma banheira e tudo.

Enquanto isso Maíra continuara do lado de fora passando pano no chão. A porta da varanda estava fechada, abri o trinco e empurrei a porta, era bem grande, sem dúvidas uma das partes mais agradáveis da casa. Fui entrando varanda a dentro, quando chego na grade e olho para baixo, vejo minha tia sendo fodida pelos limpadores de piscina. Tomei um susto com a cena, ao mesmo tempo fiquei excitado e chateado por ela estar traindo o meu tio, logo ele que fora super legal comigo. Não lembro bem o que se passou pela minha cabeça sá sei que com uma mão peguei o Iphone e comecei a gravar aquela cena e com a outra puxei minha rola e comecei a bater uma gloriosa. Minha tia havia tirado a parte de baixo do biquíni, nossa ela era toda depilada, era uma tremenda maravilha. Ela estava sentada em cima da pica do gordinho que se encontrava deitado, por sua vez o magrinho estava em pé e minha tia mamando sua pica ferozmente. Vez em hora ela tentava falar alguma coisa mas o rapaz enterrava sua pica goela a baixo. O gordinho começou a bombar mais forte e os maravilhosos peitos da minha tia escaparam do sutiã do biquíni, seus biquinhos eram rosinha, os dois gemiam e falavam coisas como “nossa que foda louca”, “você é sedenta por rola mesmo em sua piranha”, “vai engole sua puta”, “não é assim que você gosta em?”. Em um determinado momento ela levantou-se da pica do gordinho e parou de chupar o outro sujeito, meio com cara de safada desamarrou a parte de cima do biquíni, afinal já não havia mais necessidade para usa-lo e disse:

-Agora vamos tentar outra coisa.-Ela parecia estar no comando da situação, isso me deixou mais excitado. Ela realmente estava se comportando como uma puta!

De repente ouço a voz de Maíra chamando o meu nome, deve ter se perguntado o que eu fazia para demorar tanto tempo no quarto da minha tia. Ela entrou no quarto, empurrou a porta da varanda viu que eu estava bronhando e ao mesmo tempo com o Iphone na mão. Virei para ela e fiz sinal para chegar perto em silêncio, assim ela fez. Ao chegar do meu lado viu o que rolava lá em baixo e me falou ao ouvido:

-Essa sua tia é muito puta mesmo! Rsrsrs. E você é muito safadinho também.Batendo punheta pra prápria tia. Porque ta filmando isso?- deu risadinhas, foi logo abaixando sua causa e começando uma siririca em sua bucetinha deliciosa.

-Ainda não sei sá sei que tenho que gravar!- Falei gemendo de tesão.

Era uma putaria que sá. Quando voltei os olhos para minha tia, o gordinho a segurava no ar de costas, metendo o pau em seu cu, enquanto o outro comia a bucetinha dela. Eles metiam igual a uma máquina. O magrinho que estava de frente para titia chupava seus mamílos enquanto comia a doce bucetinha. Não demorou muito e os dois gozaram, o gordinho botou minha tia no chão, ela fez cara de decepcionada, suas picas amoleceram. Em pouco tempo vestiram as calças mau deram adeus e sairam de casa. Minha tia deu um mergulho na piscina e logo tratou de entrar em casa pelada mesmo. Assim que ela saiu do meu campo de visão, parei de filmar e coloquei o aparelho no chão. Com as mãos livres agarrei Maíra e a coloquei contra a grade da varanda, foi possível ver seu cuzinho e sua xaninha, sua bucetinha já encontrava-se transbordando, em nenhum momento ela parava de massagear seu grelo.

-Ai que delicia agora chegou minha vez de ser fodida!- Isso me deixou mais louco ainda, minha pica nessa altura já estava latejando.

Pincelei minha rola em seu grelinho, subi para a caverninha e cheguei no cuzinho. Não perdoei, cravei minha vara com tudo em seu cu. Em resposta ela deu um tremendo grito de prazer.Aquele anús delicioso apertava minha rola com uma força incalculável, era uma loucura! Bombei umas duas vezes apenas e comecei a gozar, ela também gozou. Duas golfadas no cu já preencheram tudo, tirei minha pica de seu anel de couro, dei mais uma golfada em suas costas melando todo seu lombo e parte do cabelo e para a ultima golfada enterrei minha rola em sua buceta. Nossa como ela gemia, parecia que tinha chegado ao paraíso. Meu leite bem grosso começou a sair de seu cuzinho escorrendo pela sua bunda, passando pela vagina e atingido o chão. Nessa hora ouvimos minha tia abrindo a porta do quarto, assustados pulamos para um ponto da varanda onde não era possível ver do quarto. Eu fiquei encostado na parede onde era a porta da varanda e Maíra ficou de frente comigo, com seu corpo coladinho ao meu, nos beijamos um pouco. Minha rola que estava roçando em sua bucetinha logo começou a voltar a vida, passava a mão sobre seu anús que ainda germinava porra e espalhava tudo em sua bunda, isso enquanto ela falava:

-E agora o que agente vai fazer? – Foi ai que as palavras que meu tio havia dito começaram a fazer muito sentido pra mim. Tenho que aproveitar as oportunidades, mesmo que seja arriscado, pensei eu.

Minha tia era uma das mulheres mais gostosas que ja havia conhecido e agora tinha a oportunidade de come-la, afinal tinha todo o seu ato de traição gravado e poderia usa-lo como maneira de extorqui-la. Tomei coragem, engoli minha timidez e me decidi. Vou comer a minha tia!

-Maíra, minha tia costuma trair meu tio?

-Sim, algumas vezes ela da pra qualquer um. Acho que foi a terceira vez dela com esses dois- Me espantei por saber que aquela dupla de otários já haviam comido tanto aquela Deusa. Sabendo disso meu cacete na hora endureceu por completo cutucando a bucetinha melada de Maíra, por sua vez ela começou a movimentar seu quadril de forma que sua xereca alisava meu cacete. Eram movimentos maravilhosos!

-A é é! Olha Maíra o que você acha de uma fodinha a 3?

-Você esta pensando em incluir sua tia nas nossas brincaderinhas é? Nossa que safado! Se ela topar vai ser átimo!

-Ela vai topar. Você vai fazer exatamente o que eu falar.

-O senhor é quem manda patrãozinho.

Mandei Maíra tirar o restante de sua roupa, ela obedeceu rapidamente. Vesti meu short sem me preocupar se meu cacete duro estivesse ou não marcando, peguei o Iphone e coloquei no volume no máximo. Segurei Maíra pela mão e entramos no quarto de uma sá vez, minha tia havia entrado no banheiro. Falei no ouvido da empregada para deitar-se na cama de titia. Tomei um fôlego e fui em direção ao banheiro, dei play naquele vídeo que havia feito. Entrei no banheiro de uma vez sá, minha tia estava de frente a pia nuazinha, seu corpo era maravilhoso. Ao entrar ela se assustou, rapidamente virou-se para ver quem era e tentou cobrir com uma mão sua vagina e com a outra seus peitos. Sem dizer absolutamente nada eu estendi meu braço com o vídeo rodando, ela rapidamente entendeu do que se tratava parou de cobrir seu corpo maravilhoso. Nenhum de nás falava absolutamente nada, o único barulho do ambiente vinha do filme. Ela não dizia nada, apenas ficava olhando o vídeo, esse silêncio era desencorajador, afinal esperava que nesse momento ela implora-se falando que faria qualquer coisa. O vídeo terminou e ela ficou me olhando sem falar absolutamente nada, chegou a passar pela minha cabeça em desistir de come-la, mas eu já havia dado o primeiro passo e agora teria de seguir em diante. Se ela resolveu ficar em silêncio, então eu ia fazer o mesmo jogo. Sem falar nada tirei meu short, meu pau pulou e minha tia logo grudou o olho. Tirei a blusa, deixei o Iphone no chão e o silêncio ainda se mantinha. Comecei a andar em sua direção. Ao chegar no corpo de titia, com uma mão eu massageava minha pica e com a outra abracei sua cintura, fui mirando minha rola em sua vagina, esfreguei minha pica em sua buceta, ela em nenhum momento fazia sinal de desaprovação, ah! Foi maravilhoso ainda estava melada. Tirei minha mão da rola e abracei minha tia, seus peitos macios faziam pressão em meu corpo, era muito gosto. Começamos a nos beijar de maneira bem suave, naquela hora senti que o tesão havia tomado conta, finalmente ela falou:

-Então é isso que você quer né?- Nessa hora enfiei um pouco a cabeça de minha rola em sua buceta totalmente melada, ela deu uma ligeira gemidinha.

-Você ainda não faz idéia do que eu quero. Respondi em um tom baixo e tranquilo.

Ela segurou minha rola tirando de sua vagina, e me afastou um pouco de seu corpo. Achei que ela ia falar algo desaprovando aquilo tudo, mas não, ela simplesmente foi andando em direção a banheira, fiquei apenas observando seu lindo corpo desfilando somente para mim. Eu estava bem excitado com aquilo tudo, tive a impressão de que ela também estava gostando muito.

Rosangela entrou na banheira, ligou a água quente e colocou uns sais de banho que lá haviam, entre outros produtos. Ela parecia não se importar nem um pouco com minha presença. Fui andando em direção a banheira também, cheguei e pensar em forçar a barra e entrar junto, mas achei melhor não. Quando já estava bem perto, ela me deu um sabonete liquido e mandou eu esfregar suas costas. Me ajoelhei ao lado da banheira e comecei a faze-lo. Ela por sua vez fechou os olhos e tentou ficar bem confortável.

-Nossa tia sua pele é tão macia. – Estava uma maravilha esfregar aquelas costas, sentir seu corpo quente em minhas mãos me deixavam cada vez mais excitado.

-Que bom que você gosta Marcelo... Sabe garoto, você é bem atrevido, vem para ficar em minha casa e agora quer me comer! Logo eu que sou sua tia.

Assim que ela falou isso eu parei de massagear tão intensamente suas costas e fiquei em dúvida se estava tendo as impressões corretas de toda aquela situação. Não sabia o que falar e se abrisse a boca tenho certeza que minha voz ia sair trêmula. Decidi ficar calado. Logo ela voltou a falar com uma voz bem tranquila.

- Que saber vou ser bem sincera com você, eu estou até que gostando disso tudo. Não sei bem o porque, mas por ser tão errado isso me deixa mais excitada do que o normal. – Nossa ela confirmou minhas impressões. Fiquei ainda mais excitado.

-Tia, você costuma trair muito o tio Jorge com aqueles dois caras?

- De vez enquanto eu gosto de umas aventuras. Bem mais chega desse papo, eu vo terminar de me lavar e vamos pra cama fazer umas brincadeiras. rsrs – terminou de falar dando algumas risadinhas bem safadas.

Rapidamente terminou de se lavar, entretanto não lavou seus cabelos compridos. Levantou e me pediu para pegar a toalha, tirei os olhos por um estante daquele corpo maravilhoso, peguei a toalha e quando voltei a ver ela estava se masturbando bem lentamente mordendo os lábios e olhando a minha pica que estava quase estourando. Sua buceta parecia o portão do paraíso. Fiquei doido, fui em sua direção, ela por sua vez parou de se masturbar e estendeu sua mão que estava melada, a segurei e ela saiu da banheira deixando minha mão um pouco melada também. Rosangela pegou a toalha de mim e começou a se enxugar indo em direção a pia do banheiro. Passei o mel de sua buceta que havia ficado em minha mão no meu pau que estava verdadeiramente sedento por sexo. Cheguei por trás dela e a abracei, meu pau ficou encostando em sua vagina que estava bem molhada de excitação, dava para sentir seu mel escorrendo pelo meu membro, fiquei dando alguns beijinhos em sua pele macia e acariciando sua barriga maravilhosa, subia a mão para seus peitos e os apertei bem gentilmente. Seus mamilos estavam rígidos, minha tia realmente estava sedenta por pica. Minha rola estava latejando eu já estava querendo gozar sem nem ao menos tela penetrado.

-Ai tia vamos pra cama que eu to doido pra te comer!

-Ui que delicia vem fazer a titia feliz!

Sai de trás dela, ela segurou minha mão e fomos andando em direção a cama, nem ao menos peguei o Iphone e minhas roupas que haviam ficado no chão do banheiro. Ao chegarmos na cama minha tia teve uma surpresa em ver Maíra pelada e toda cheia de porra em cima de sua cama.

-Nossa Maíra você e o Marcelo andaram bem ocupados, agora é minha vez de me divertir um pouco.

-Sim senhora – Respondeu Maíra com cara de safada.

Minha tia foi logo subindo na cama e ficando de quatro na borda, enquanto isso Maíra estava em uma siririca maravilhosa dando alguns gemidinhos. Eu fora da cama, me ajoelhei e comecei a chupar a buceta completamente melada de titia. O gosto parecia divino era totalmente excitante. Comecei a passar minha língua bem rápido em seu grelo, não demorou muito e sua buceta soltou um curto jato de seu melzinho acompanhado de gritos de prazer junto de uma tremedeira, titia havia gozado no meu rosto, assim me deixando ainda mais maluco. Me levantei, pincelei minha pica por alguns segundos em sua buceta e logo em seguida comei e enfiar bem devagar a cada centímetro que minha pica entrava naquela xaninha rosadinha, eu sentia uma maior pressão. Quando finalmente enterrei meu caralho naquela buceta ela soltou um gemido, segurei seu quadril e comei a bombar, inicialmente bem devagar e depois fui aumentando a velocidade. Estava uma verdadeira maravilha ela gemia e falava:

-Isso fode a titia! Fode, que piroca maravilhosa- Estava dando estocadas muito fortes

Ela começou a empurrar seu quadril contra meu corpo fazendo assim com que minha rola entrasse cada vez mais fundo. Não estava mais aguentando de tanto prazer!

-Ai tia, caralho eu vou gozar!!!!

-Não goza dentro da minha buceta! –Não adiantou nada pois quando ela havia falado isso eu já estava gozando. A segurei bem forte no quadril, enfiei bem fundo a minha rola e soltei litros de porra enquanto gemia bem alto. Ela sentiu toda a porra em sua vagina e mesmo assim não tentou se afastar, recebeu as inúmeras golfadas bem no fundo de sua xana o nosso tesão estava no controle de toda a situação.

Tirei minha pica de dentro de sua buceta e um pouco de porra escorreu, o resto havia entrado em seu útero.

Me joguei na cama estava muito ofegante, minha tia se posicionou com metade do seu corpo em cima do meu e começou e me beijar foi algo bem intenso. Seu corpo estava suado e bem quente. Ela parou olhou pra mim e disse:

-Que delicia de piru que você tem Marcelo. – logo depois ela começou a acariciar emu cabelo, derepente Maíra começa a gritar e goza bem forte.

Ofegante eu disse

- Nossa que maravilha, isso foi divino.- Ela disse que iria querer muito mais.

Morto depois de uma foda maravilhosa, não consegui me manter acordado e inesperadamente eu cai no sono.

CONTINUA...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico de mulher casada socando o pepino na buceta e cenoura no cucontos a minha mulher masturba-seconto abrindo a buceta da mulher como de uma egusminha namorada apertando meu pau com a sua bucetacontos eróticos meu pai comeu meu amigo gay ilustradopaty abriu a buceta com os dedos contoscontos eroticos casal e filhos bi passivoshistoria erotica conto uma estoria verdadeira como meu sogro me comeu gritei ele era cavalo me comeucontos de cú por dinheirocontos erotico a mulher feiaconto erotico carona pro sobrinhocontos eróticos só no cu das coroasContos de sexo entre a minha mulher e o vizinhiContos De maridos q empresto a esposacontos eróticos sou casada e trai o marido com negão africanoContos de transexiuso saia pra ser encoxada no onibuscontosminha primeira vez lesbicasogra pernas aberta eu vi a caucinha comtos Contos eróticos de incesto filinha mimada do papaicontos porno de submissas falando palavrões Contos a amiguinha fielcontos gay meu amigo me ensinou a darporno.pai.padado.jeu.nabuseta.dafilihavou começar com Vanessa bucetacontos eróticos AHH OHHHcontos eroticos madrasta lesbica obrigo eu da u cucontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaCasAda pulando cerca contosconto erotico reais troca de casaisconto eu e minha babacontos eróticos sou casada e fis uma suruba escondido conto erotico estuprarao meu bucetao apertadocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto erotico vendedor.de.mandiocasó contos eróticos de negra pingueludacontos e vidios de patroes sendo fodidos por empregadas tranxessualcontos eroticos comi minha espetoracontos comi o cu do meu marido com o desodorantecontos eroticos enganada e oferecida pelo maridocontos de mulheres q se masturbamContos eroticos dopou a sogra e estuprou elavi ele comer ela/contominhaesposaparaoutrominha mulher explorando meu cu contoprometeu dar o cuzinho virgem contos eroticosconto erotico deidinheiro a minha maecontos eróticos isto e realcontos de crossdresser me seduziuconto erotico um noite magica com muitas bucetasContos eroticos sou madura vadia e filhocontos iniciando o viadinho infanciaconto ladroes enrabaram meu marido eu gosteibabunda linda de calcinhaconto erotico abusarao mim metroconto erótico transei na chuva com minha namorada e sua filhaconto erotico incesto sonifero filhaConto de Uma dívida com meu genro e teve que dar o c* para elecontos eróticos com idosas viuvascontos eróticospagando minha primeira dívidao ocu e bucetavelhos peludos gay contos o mineirinho que me cativou 2contos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos sado marido violentosbucetinhas perusinhomelequei a bucetagarotos safadinhos picas e bundas videoscontos porno filho do amigo secretoquero ver no boa f*** de mulheres com shortinho todo enfiado no raboContos eroticos dei pro leke magrelo chamado Ricardocontos eróticos dando o cu por uma pipapriminho dormiu chupo a vara comigo contoscontos eróticos vovócontos de sexo picantes filhas se acabando nas pirocas. groças. e grandes do papai taradaoColocou dentro contos eroticosContos eróticos com anal jovem inocente gostei gostoso ela chorouconto eu doida pra gosar mas si tinha meu papaifudendo discretamente de ladinho na Praia cheiatiraram a roupa da esposa contocontos de incesto de maes treprando com filhosconto erotico peguei meu marido trepando cõm minha irma na camacontos eroticos sozinho com a sobrinha d minha esposaconto mega pau no ciu do cornocontos erotico comendo a filha do meu socioadoro andar sem calcinha contosGabi comendo a égua no cioFoderam gente contos tennsvidio de cazal trnzandoCasada viajando contoscasa do conto mae rabuda trai o marido com filhocontos eróticos dotadocontos eroticos de humilhaçãoa minha vizinha casada anal primeira vez - contos eroticosconto erotico viadinho com shortinho e calcinha é estupraadoContos de casadas gravidas fudendo com dois ao mesmo tempocontos fudi a filha do meu manoConto mete ai ai uiui no cuvideo porno de travesti avantajada mijando a noite nos cantos