Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMI A PRIMA NO VELÓRIO

Click to Download this video!

COMI A PRIMA NO VELÓRIO



Tivemos que sair correndo para o interior. Morreu a avá da minha mulher.



O velário acontecia no casarão da matriarca, com muitos parentes chegando de várias regiões.



De repente vejo entrar a prima Laurinha, de 19 aninhos. Loira, rabo de cavalo, 1,70 m, corpão sarado, seios rijos e volumosos, cintura fina e a bundinha... o que é aquilo! Empinada, durinha, avantajada que podia ser apreciada através da sua bermudinha leg. E o volume da xoxota? Que coisa linda.



Acho que ela vinha da academia e não teve tempo de se trocar. Que delícia!!!!



Cumprimentamo-nos com beijinhos e foi difícil desviar os olhos daquela perfeição.



Não sei se ela percebeu o meu olhar guloso. Senti imediatamente o meu pau entumecer.



- Oi Tio, ela disse. ( É que eu ultrapasso os 35...)



Já tarde da noite e a casa cheia. Como todo velário, até piadas eram contadas, entre um prato de sopa e outro cafezinho.



Em determinado momento, verificando o meu cansaço, pois tinha dirigido várias horas, a minha sogra perguntou seu eu não queria descansar um pouco.



Como o enterro ocorreria no dia seguinte, achei melhor aceitar, pois umas horinhas de sono cairiam bem.



Então fui levado a um dos dormitário e, na cama de casal, adivinhem quem estava dormindo? Sim, Laurinha. Fui saindo, quando a minha sogra, propôs:



- deite ai mesmo, ao lado da menina. Ela está dormindo e não vai te incomodar. A casa está cheia.



Incomodar...



Era como ganhar na loteria ( pensei). Aceitei imediatamente.



Aparentemente não haveria problemas eu estava vestido e ela também (com aquela roupa de ginástica). A porta ficou aberta.



Eu me recostei na cama distante de Laurinha e já fechei os olhos.



Quando a sogra saiu do quarto percorri o corpão de Lurinha dos pés à cabeça.



Era a visão do paraíso. A garota dormia de bruços, com aquela bunda maravilhosa para cima. Que presente!!!



Bom, mas como eu ia fazer? Ficar simplesmente olhando? Impossível.



Uma brisa empurrou a porta, que ficou entreaberta, de modo que a visão de fora não era plena. Tudo conspirava a meu favor.



Não resisti, com muito cuidado levei a mão direita sobre aquela bunda, tocando-a bem de leve para não acordar a gatinha. Ela não se mexeu.



Fiz mais uma vez, agora com maior pressão. O meu batimento cardíaco já estava acelerado, daí então... senti a rigidez de seus glúteos e o meu dedo médio o calor da sua vulva. Que maravilha!



Com a mão esquerda eu apertava o meu pau, duro como uma pedra.



Que sensação, que tesão!!!



Apás alguns segundos ela se mexeu, virou-se de ladinho com a bunda para o meu lado da cama.



Fiquei sobressaltado. Será que ela percebeu?



Ora, se ela tivesse percebido e não gostado, não viraria a bunda para o meu lado ( raciocinei).



Vou em frente. A adrenalina era muito grande.



Virei-me de lado também e como uma concha encostei o pau duro naquela bunda maravilhosa. Claro que bem de leve.



Que prazer absurdo!!!



Não contente, tirei o pau para fora pela braguilha e encostei a glande naquelas nádegas.



Eu estava ofegante, pelo tesão e pelo risco que estava correndo. No entanto fui pressionando a ponto de sentir o calor que emanava daquele rabo, apesar da apertada malha.



Ela se mexeu, assustei-me mas num golpe segurou no meu pau.



– Ai Tio, você jura que não me machuca? Disse enquanto empunhetava o cacete em brasa..



Com a vás embargada, respondi:



– de jeito nenhum meu amor....



E, ato contínuo, abaixei a bermudinha dela, quando aquela bunda espetacular explodiu para fora da malha.



Não tenho com descrever o que senti. Logo, o meu pau, que já estava de fora, seguiu o seu caminho em direção ao cuzinho de Laurinha. Imediatamente apertei os peitinhos e beijei o seu alvo pescoço. Ela se virou e trocamos um delicioso beijo de língua.



Ela voltou a ficar de lado, eu abri as suas nádegas, passei saliva no cacete e comecei a penetrar aquele ânus delicioso. Quando entrou a cabeça ela gemeu, então segurei um tempinho até que ela se acostumasse com a rola. Daí a pouco comecei a empurrar e voltar até perceber que tinha entrado tudo.



O meu pau não é muito grande, Mede 19 cm mais ou menos, átimo para comer cu. Satisfaz e não machuca.



Ela também começou a rebolar e trazer a bunda em minha direção. Lancei a mão em sua bucetinha. Passei o dedo em seu clitoris. Ela esta estava molhada.. O seu cuzinho parecia morder o meu caralho.



Os movimentos foram ficando frenético até que gozamos.



Notei que ela já tinha prática em ser enrabada. Aquele rabo deveria ser muito cobiçado Perguntei se transava com o namoradinho.



Ela respondeu que tinha tido um namorado mais velho que respeitou a sua virgindade e a iniciou no sexo anal. ( esperto heim?)



Que sorte a minha, não há nada melhor do que comer um cu.



Sempre de olho na porta entre- aberta, troquei de posição e passei a lamber aquela buceta e também a passar a língua naquele cuzinho doce. Chamava-a de bucetuda, bunduda, gostosa, nos parcos intervalos para respirar.



Ela se virou e fizemos em 69. Chupou o meu membro com gosto e propriedade. Passou a língua na cabeça, mordiscou o saco e sugou com vontade. Ela tinha sido bem treinada. Gozamos novamente.



Virei para o outro lado e dormi.



Acordei com a minha mulher chamando para as orações, pois o caixão já seria fechado.



Laurinha já não estava mais lá



Encontrei-a na missa, quando me lançou um olhar maroto.



Agora quero convencer a minha mulher convidar Laurinha a passar uns dias em minha casa....





VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico meu genro comeu meu rabo na marracontos eroticos Araguaina Tocontos eroticos abuzei de minha irmazinha com ela dormindocontos eróticos minha mulher vai à igreja e no confessionáriotroca troca no orfanato contos eróticos gaycontos eroticos gays bem recentes ocorridos no rio de janeiroconto tirei o cabaco da minha filha na presencada maemulhe sora no pau fudedoeu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestobucetas carnudas grandes beicos casadas cornosconto me vingando do namoradoxvidios mulherfidendo com cavalosvovozinhas esfreca buceta com buceta uma na outracontos eróticos gays irmãosconto anal raimunda carnudaCu maislargo do mundo em fotosRelatos sexuais me encoxando na cozinha e o corno na salaconto erotico vi meu tio velho coroa grisalho peladocontos erotica de estrupamento de ninfetoscontos eroticos de oncesto de sogra com derrocontos porno desde prquena tomo leitinho do papai na mamadeiraquero assistir pornô negra da bundona na Muralhaadorava chupar quando menina contos eroticossou empregada contos eróticosfio mando minha tia gostosa de beibidover conto veridico minha baba abusado por minha babairmã rabuda vem chupar meu pal na madrugacontos eroticos camisolaArregassando a bucetinha de uma virgem enquanto ela chupa o.pau do outrocomtos eroticos bebo porra de veilinhocontos eroticos gozei tanto com o meu paiconto erótico pagando a carona com a bucetacomeu a tia da bunda grande contoconto minha mulher e um cao d rua fodendoporno contos casada comprando mandiocacontos eróticos verídico de ginecologista e grávidacoroa deito e pediu pa enfia devagarsinho nu.seu.cucontos comendoFui confessar e comi a madre contosco tos eroticos perdi a minha virgindade com meu avoTennis zelenograd contoxxx conto mais babado do incestovirei um gay na adolescência contos eroticosConto erticos menina sendo estrupada pelo pai no matomeu pai e meus irmaos me comeram contos eroticosrapazes peladoes se exercitando na academiaconto erotico com imagens impregada com o irmão da patroa de pau grandecontos eroticos coroas velhas com novinhos tia neuzaSexo no consultorio medico contosme fode jb. contosgenro da piroca grossa deixa sogra doidinha,contos e relatos eroticosminha irma só de calcinhaconto de delegado que comeu cu de homem casadoMães chupando filho contoseroticoscontos eróticos traí meu marido sem quererContos eróticos ele veio do interiorcontos eroticos exendo a buceta da tia de poreaeu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestomeu primeiro swingcontos eroticos cuidando da minhas sobrinhas e suas amiguinhasmae pede pro filho ajudar escolher a lingerie incestoconto erotico abusarao mim metrocontos eróticos crente encoxada pelo filhotirando o short da menina etrepandoMeu+irmão+arrombou+meu+cu+a+força+conto+eroticoconto erotico lesbico chupa meu grelinho ai vou gozar isso não para ai ai ai to gozandominha mulher se exibiu pra váriosContos.eroticos..de.incesto.no.dia.decasarConto amarrada arrancou minha roupa abre mais vadiade menor dormino e o padrasto foi la e comeuconto enfermaria cheiro sexo intensoconto erotico de colega saradao do meu padrasto mim comeuconto erotico com pai velho coroa grisalhotravesti delicia de juiz de fora sendo enraba