Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A NINFETA NO CINEMA

Click to Download this video!

Ter que trabalhar no sábado ninguém merece, mais de qualquer forma era preciso. Tive que ir buscar umas peças no centro de fortaleza, chegando lah o fornecedor me avisou que eu teria que ir buscar as peças lah no shopping Iguatemi pois era a única filial que eles tinham a peça, eu nem reclamei muito pois estava com o carro de um amigo e iria aproveitar para dar um passeio pelo Iguatemi.

Chegando lah peguei as peças e levei para o carro e voltei para o shopping, resolvi dar uma conferida no que tinha de bom no cinema, quando cheguei na frente do cinema vi alguém conhecido, o nome dela era Patrícia, devia ter uns 20 anos mais tinha um corpinho de 16, ela usava um vestido curto porem discreto que se deixava aparecer parte de suas belas coxas e um decote não muito ousado mais sá de olhar me fazia ter pensamentos pervertidos. Resolvi puxar conversa pois não é todo dia que vc vê gente de Horizonte no Iguatemi (mentira toda hora tem).

Ela foi bem simpática apesar de nos conhecermos praticamente sá de vista, me falou que tinha vindo com umas amigas mais que elas tinham arrumado uns carinhas e deixaram ela sozinha. Falei para ela que também estava sozinho e entediado e convidei-a para assistir algum filme, ela topou de imediato e foi olhar a programação. Enquanto ela escolhia o filme eu aproveitei para dar uma conferida mais atenciosa no corpinho dela. e cada vez que eu olhava o corpinho dela me parecia mais gostoso.

Já dentro da sala do cinema eu sugeri que fossemos para as ultimas cadeiras de cima pois eu gostava de ver melhor os detalhes do filme, era uma mentira deslavada eu já estava tramando o que estaria por vir. Ela nem questionou, aceitou de boa. Conversamos um pouco até que começou os trailers dos filmes. Nesse momento eu dei uma de gaiato e resolvi roubar um beijo dela, a safadinha retribuiu, enfiou a língua bem fundo na minha boca e eu aproveitei para fazer uns carinhos mais ousados.

Depois de uns minutos de amassos nos recompomos e começamos a assistir o filme, mais de vez em quando eu tirava uma casquinha. Quase na metade do filme eu já estava ficando meio maluco de tezão, nem queria mais querer saber de merda nenhuma de filme, a beijava com tanta força que chegava a sufocá-la, ela tentava se esquivar mais era inútil, puxei seu vestido o que acabou por deixar seus lindos seios expostos ao alcance da minha boca, ela tentou se cobrir mais eu não deixei. Chupei aqueles seios perfeitos, ela parou de resistir, se entregou. Naquele momento fiquei feliz de ter escolhido um filme tão ruim, pois a sala estava quase vazia e dificilmente alguém escutaria os gemidos que ela já começara a soltar de prazer, a resistência dela estava quase nula, e já começava a procurar por meu pau por cima da calça. Eu não deixei ela pegar, botei o braço dela para traz de dei uma mordida de leve em um dos seus seios. Senti que seu corpo todo se arrepiou com minha mordida e percebi o que ela gostava. Resolvi então partir para o ataque.

Comecei a acariciar a sua bucetinha por cima da calcinha. Ela já estava tão molhada que meus dedos ficaram úmidos, então afastei a calcinha dela de lado e comecei a masturbá-la, o grelinho estava saltando de tezão. Enfiei 2 dedos naquela maravilha, o mais fundo que consegui, e ela gemeu um pouco alto me assustando pois algum poderia ter escutado e acabado com a nossa brincadeira, felizmente ninguém escutou. Dei mais uma conferida se ninguém estava olhando e voltei a brincar com a xoxotinha dela. enfiei de novo 2 dedos e comecei a movimentar, ela estava muito tezuda, e gemia cada vez mais alto. Para evitar que alguém escutasse beijei ela enfiando minha língua bem fundo em sua boca. E pouco tempo senti o corpo dela tremer e vir o primeiro orgasmo.

Ela estava ofegante com o rosto colado no meu, tinha acabado de dar uma bela de uma gozada e parecia que queria mais, mais agora era minha vez. Peguei sua mão e botei no meu pau por cima da roupa, ela foi logo dando um jeito de abrir meu zíper e retirar meu pau que estava duro como pedra e quente como fogo. Ela se aproximou bem perto do meu pau e começou a me punhetar bem carinhosamente olhando fixamente para a cabeça como se tivesse desejando morder meu pau. Eu apaguei pelos cabelos e posicionei meu pau nos seus lábios e empurrei de uma vez meu pau dentro da boca dela, ela chegou a engasgar mais não tentou tirar meu pau da boca em nenhum momento. Comecei a movimentar a cabeça dela ganhando um delicioso bokete. Eu enfiava meu pau inteiro na sua boquinha pequena e fazia questão de as vezes tirar meu pau de dentro da boca dela e olhar ela nos olhos, ela já estava bem judiada, a maquiagem já estava toda borrada e escorria baba pelo canto da sua boca, dei uns tapinhas de leve no seu rosto e depois fiz com que ela lambesse dos meus ovos até a cabeça do meu pau.

Depois de um tempo assim decidi que estava na hora de encher aquela boquinha com meu gozo, botei ela para chupar sozinha e me relaxei na poltrona do cinema. Ela chupava deliciosamente bem. Era uma profissional em poucos minutos eu gozaria.

Eu estava quase gozando com os olhos fechados quando eu senti uma luz no meu rosto, era uma lanterninha do cinema, uma coroa de uns 40 anos, ela não falou nada, apenas deu um sorrisinho e saiu como se não tivesse visto nada. Acho que a Patrícia nem percebeu, pois em nenhum momento parou de me chupar. E foi naquele momento que eu enchi sua boquinha de porra. Ela engoliu cada gota do meu esperma e ainda lambeu procurando mais. Eu puxei ela e dei-lhe um beijo na boca e mandei ela ir se arrumar pois o filme já estava quase acabando, ela foi ao banheiro e voltou uns minutos depois já perfeitamente maquiada e arrumada. O que deixou meu pau duro novamente.

Poucos minutos depois o filme acabou (nem lembro que filme era) e saímos do cinema. Ela ligou para as amigas dela e disse que ia de carona comigo para horizonte. Saindo do estacionamento a safadinha já começou a me provocar de novo, começou a acariciar meu pau por cima da calça e beijar o meu pescoço, meu pau em segundos já procurava a saída da calça. Ela nem se fez de boba, abocanhou meu pau ali mesmo no transito, parece que o tezão dela no cinema sá tinha aumentado. Como estava perigoso dirigir com uma boquinha daquela me chupando eu procurei uma rua deserta para terminarmos nossa brincadeira.

Não demorou muito e já estava estacionado em uma rua de pouco movimento chupando os peitinhos da Patrícia novamente, dessa vez eu queria sentir o quão apertada era aquela bucetinha, arrastei ela para o banco de traz do carro e arranquei sua calcinha de uma sá vez e comecei a chupar aquela grutinha molhada. Que delicia de buceta, raspadinha sem nenhum pelo, eu enfiava a língua bem fundo na sua bucetinha enquanto ela puxava a minha cabeça em direção a ela.

Tirei uma camisinha do porta luvas e coloquei rapidamente, virei a patrícia com a bundinha para o meu lado e enfiei meu pau praticamente de uma vez sá, ela deu um gritinho de dor e prazer, então comecei a bombar bem gostoso. Acho que o carro inteiro se balançava com o nosso sexo e eu não via mais nada na minha frente alem daquela bundinha gostosa e aquele cuzinho que piscava a cada estocada que eu dava, sentei no banco do carro e mandei ela sentar bem gostoso, ela cavalgava como uma profissional e outro orgasmo se aproximava, e parece que ela também estava prestes a gozar, ela aumentou o ritmo, e em alguns segundos estávamos gozando juntos, essa gozada foi ainda melhor que a primeira e o melhor foi sentir a bucetinha da patrícia pulsando assim que gozou no meu pau.

Ficamos abraçados alguns segundos quando percebemos que do lado de fora do carro tinha umas pessoas nos observando, sai com o carro dali o mais rápido possível enquanto a Patrícia tentava esconder um sorrisinho safado de satisfação.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto de botei a novinha pra chora com a pica grande no cucontos sexo cabaso samgrandoconto erótico com minha irmã depois da bebedeiracontos erotico so testemunha de jeova e dei a bucetadei pra um estranho num baile e meu marido viu conto eroticoHome poi mulhe prachora na picaconto erótico primas brincando no quarto nuascontos gay trans teendei pro velho contos eroticoscontos de levei um amigo muito bemdotado pra come mia mulhecontos eróticos meu segredoSou casada Minhas filhas me viram sendo fodida contoContos escrava sexual do patraover contos excitantes com fotos,na praia,no onibus e no mato.contos eróticos minha esposa e os dois n***** africanoscontos eroticos de negros na praia de nudismoconto incesto gay o pauzinho do meu filhotePuta desde novinha contoscontos de cú de madrinhacontoseroticos minha sobrinha dizia aiiiiiiiiiiiiii contos eroticos sobre voyeur de esposafidendo uma nnda gigabte carnudagosto de ser estuprada conto eróticoContos gay pinto pequenozoofilia dssascontos eroticos meu irmao tirou mais vekho tirou meu ca bacinhoum romance com minha maninha-contos:eroticosconto erotico viadem com minha filhaFodi a enteada a cunhada e sobrinha na praia de nudismo contoerooticopirokinha com leitinho contos eroticoscontos eroticosmeu marido me chamou pra ver um filme porno com os amigosconro erotico gay meu tio alopradocontos gays sendo estrupados e isolados analmulherzinhas negar bucetadaMeninas novinhas de onze e doze perdendo a virgindadecontoshumilhado travesti contosConto so caminhoneiro dei carona uma freira loiracontos de putas se chupando ate o orgasmocontos eróticosminha esposa deu para os molequessexe conto com foto finji dormi e papai mi enrabocontos eroticos tres familias em feriassou uma mulher casada mais adoro trai meu marido adoro da minha bucetinha meu cuzinho a outro homem e tambem adoro chupacontos minha mulata foi arronbada e curradaConto erotico enfermeiro taradoSou gay e tranzei com um travest contos eroticocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos exitantes comi a mulhersinha domeu patrão na cama deleconto erotico meu tio fez virar putacontos eroticos fiquei com um pouco de nojo mas chupei aquela buceta peludacontos eroticos a forcamulher nua e corpo melado de margarinaconto erotico gay coroa dominador faz orgia em casa com viados de madrugadacontos eroticos boleiavidios mulheres pelada mais o amigo e diz a ele pra bater ponheta na boca dela e derama galacontos eroticos colocar o plug no banheiro da lanchoneteconto viadinho desde cedomeu cao meu machocontos de sexo com novinhas trepando com advogadoscontos gay gordinho calcinhacontos eroticos comi minhas filhinhas pequenascontos eroticos gays come meu pai bebado mais o meu amigocontos eroticos comi a biscatinhacontos eróticos chupei a bocetinha da menininha vendedora de docescontos eroticos de noraO amigo dele me comeu contosContos eroticos de casadas safadas que traicontos eróticoseu sou bem dotadonora putacontosdelirei com a pica entrando no meu cuzinhoContos heroticos esposa quer muitas picascomtos de sexoestuprada na festa contos eroticosa filha da minha empregada vive me provocando contosRelato de esposas putas dando pra fumcionarios nafogosá taradaConto erotico tia 60ano safadawww.contos de abusada desde pequena pelo tio no incestocontos eróticos ai fode ai fode porracontos gay menino hormonio virou mulherconto erotico Conto de um corno manso da Mãe e Filha IIconto erotico caronaporno so no cu dasgotasconto anal tia bundudacontos com sogras acima de 50anos pornôcontos eróticos falando de orgia em faculdade de juazeiro do Norte contos eroticos.urulogistaContos eróticos gay hooo isso fode meu cu fodeconto erotico madrinha pediucontos sou puta e insaciável por rolaContos fui castradocontos eróticos eu e meu pai comendo minha esposaconto erotico marido perdeucomto erotico tia fudeu a sobrinha virgem com comsolo gigante