Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMENDO O BUNDÃO DA MARLI NA SALA DE TECIDOS

Click to Download this video!

Como estou de férias entro neste site para ler os contos mais fantásticos e tesudos a fim de liberar a fantasia e realizar a foda mais merecedora de quem gosta de sexo como eu. Conforme vou lendo vou entrando no clima e colocando em ordem as lembranças das aventuras já experiênciadas por mim. Uma delas lembrei e decidi colocar neste site.rnrnEu trabalhava numa industria de tinturaria textil no laboratário de desenvolvimento de cores. Este laboratário era composto por cinco pessoas: Lincol, Luiz Mario, Ronaldo, Aparecido e eu. Infelizmento sá cueca. Devido a demanda de serviço ser muito alta iniciaram uma nova seleção para encontrar alguém que pudesse vir para o laboratário nos ajudar nos serviços atrasados.rnrnNa semana seguinte então viria a Marli que já trabalhava na firma. Galera essa garota tinha um bundão que parava a sessão por onde passava. Ela nada boba usava umas calças coladas sá para deixar a peãozada babando e comentdo com os olhos. Eu confesso que muitas punhetas batia em homenagem a ela. Ela era baixinha, seios grandes, coxas grossas e dona de um rabo maravilhoso. Quando Marli entrou no laboratário quase tive um troço e para minha alegria eu quem iria ensinar o serviço.rnrnPassou-se a semana, o mês e ela já estava mais familiarizada conosco e com o serviço. A partir daí as intimidades já começavam. Falávamos besteiras e ela nem aí, até participava falando mais do que nás. Em uma das conversas jogada fora foi sobre sexo e o Ronaldo logo perguntou para a Marli se ela já fez sexo anal. Ela respondeu que não e que nunca faria. A conversa então parou por aí.rnrnMarli sabia da minha tara por ela pois diretamente comia o rabão dela com olhos. Ela então passou a me provocar. Deixava cair alguma amostra e virava o rabo para meu lado e dizia:rnrn- Vem cá D. vem!rnrnQuando me aproximava ela recuava rindo da situação. E foram longos meses me acabando na punheta pensando no meu cacete atolado naquele rabo delicioso. Teria que comer aquela bunda custe o que custar. Até que a sorte resolveu sorrir para mim. Nás tínhamos uma sala onde guardavamos amostras da produção e que ficava isolada da sessão. Meu chefe pediu então que eu fosse pegar algumas amostras pois tinha dado um problema na produção. Pensei que iria sozinho mas para minha felicidade a Marli me acompanharia para conhecer a sala. Meu coração saltava pela boca.rnrnChegando na sala acho que ela percebeu a fria que se meteu pois pediu que deixasse a porta aberta. Nesta sala tinha tecido até o forro ficando quase difícil de se movimentar lá dentro. Cada um com a amostra padrão na mão começamos a procurar. Eu não tirava os olhos naquele rabo e a safada sacava tudo. Tinha um corredor de tecidos bem estreito que sá dava para passar uma pessoa eu entrei nele e fiquei procurando e logo vem a Marli para me mostrar um tecido. Olhei e parecia com o padrão mas para confirmar achei melhor pegar outra amostra que estava em cima da mesa. A Marli ao invés de sair primeiro ficou parada então me comprimindo passei por trás dela. Galera que delícia. Encostei meu cacete no rabo dela. Como era macio. Peguei a amostra e voltei para o lugar desta vez com a pica bem dura e esfreguei bem gostoso naquele rabo. Marli então dá uma inclinada no bundão e encoxo bem gostoso. Com essa deixa fui fechar a porta e voltei para a encoxada. A safada fazia de conta que não estava percebendo, porém gemia bem baixinho.rnrn-Ummmmmmmmmm...que folga é essa heim!rnrn- Você acha que sou de ferro é fica rebolando esse bundão pra mim e não quer que fique de pau duro!rnrn- Eu não provoco ninguém você fica de pau duro porque quer!rnrn- Ah então ficava olhando para meu pau duro né!rnrn- E como não perceber? Um volumão nada discreto na minha frente e acha que não olharia!rnrnTirei o pau para fora e coloquei bem no meio de sua bunda e fiquei esfregando. Como a situação já estava sobre controle levei minha mão em sua bucetinha por cima da calça.rnrn- Hãhã...para D. é perigoso!rnrn- Fechei a porta fica tranquila!rnrnAos poucos Marli foi se convencendo que não sairía dali sem levar rola.rnrn- Você é tarado heim!rnrn- Pela sua bunda sim não aguento mais bater punheta em sua homenagem!rnrn- Sério!rnrn- Que tal ser caridosa e me ajudar a não castigar mais meu pau?rnrn- O que você quer?rnrn- Sua bunda gostosa!rnrn- Eu não faço anal!rnrn- Mas eu não aguento mais de vontade de comer seu rabo Marli!rnrn- Para compensar faço um boquete para você e sá!rnrnSaímos do corredor estreito e subimos no amontoado de tecido. Tirei a calça e deitei. Marli veio por cima e chupou meu pau. Que gulosa.rnrn- Isso Marli chupa essa pica...aaaaaaaaa...hummmmmmmmm...rnrn- Até que você tem um pintão gostoso!rnrnEla chupava e eu tentava tirar sua roupa. Resistiu até quanto deu mas quando entrou no clima já estava com o bundão à mostra para meu delírio. Passei a chupá-la até ouvir o que estava louco para ouvir:rnrn- Me come vai. Foda-se tudo!rnrnMais que depressa coloquei meu cacete em sua bucetinha úmida e fui empurrando até o saco. Como era delicioso bombar aquela xoxotinha tão desejada claro que meu desejo maior era o bundão. Depois de comer bem gostoso sua buceta a coloquei de bruços e passei beijar e mordiscar sua bunda.rnrn- Ai Marli que bunda linda. Dá o cú pra mim vai!rnrn- Nããããããoo!rnrn- Não aguento mais!rnrnO seu não já não convencia tanto assim e arrisquei encostar a cabeçinha no cuzinho.rnrn- O que você está fazendo D.?rnrn- Sá esfregando meu pau!rnrnMeu tesão era tanto que a babinha do meu pau lubrificava o cuzinho dela. Pelos gemidos percebia que Marli já estava gostando das esfregadas. Aproveitando da situação comecei a forçar a entrada.rnrn- Nããããoooo!rnrn- Sá a cabeça Marli vai!rnrn- Tudo bem então vai logo cacete!rnrnEm plena alegria comecei a empurrar a cabeçorra no anelzinho tão desejado. Entrando a cabeça parei um pouco para Marli acostumar. E perguntei:rnrn- E então está doendo?rnrn- É claro que está!rnrn- Quer que eu tire?rnrn- Não agora que começou continue!rnrnEnfiei mais um pouco e comecei a movimentar lentamente para não assustá-la.rnrn- Aaaaiii que delicia Marli. Que cú gostoso da porra!rnrn- Ai ai ai...dái D. pára!rnrnVocês acham que atendi o pedido dela? É lágico que não. Tanto tempo desejando aquela bunda e vou parar agora!rnrn- Relaxa Marli daqui a pouco você estará pedindo mais pica nesse cú gostoso!rnrnGalera que bunda fantástica. Conforme bombava sua nádegas balançavam ao rítmo do entra e sai. O único som na sala era os nossos gemidos e o plaft plaft no bundão dela. Para minha alegria Marli já não reclamava mais.rnrn- Ai D. parou de doer agora vai até o fim seu puto do caralho!rnrn- Beleza deixa comigo sua putinha!rnrn- Hummmmmmmm...que gostoso tomar no cúúúúúú...rnrn- Eu sabia que você iria gostar. Agora é sá relaxar e curtir minha pica fudendo esse rabo tão desejado.rnrn- Aaaiiiii... eu sacava sua tara pelo meu rabo safado agora ele é seu!rnrn- Estava louco para comer sua bunda desde que te vi passando pela produção!rnrn- E agora está comendo né safadinho!rnrn- Dá uma rebolada dá!rnrn- Será que consigo?rnrnMarli então passou a rebolar e gostando da situação deu um gemido alto e gozou bem gostoso com meu pau atolado no cú. Depois de bombar gostoso no cuzão dela por uns 20 minutos não aguentando mais atolei a rola até o fundo e soltei minha porra.rnrn- Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh...de-lííííí-cia...rnrn- Uuuuiiii...que gostoso D.!rnrn- Gostou né!rnrn- Ai não sabia que era bom dar o cú assim!rnrnFiquei ainda com o pau dentro do cuzão já arrombado da Marli por alguns minutos para acreditar que não foi um sonho. Quando tirei o pau, veio em seguida uma gala de porra que escorria pela suas pernas.rnrn- Nooossa o que é isso quanta porra saíndo do meu cúúú!rnrn- É normal gata vou te limpar!rnrnPeguei um pedaço de tecido e passei a limpar o cuzinho dela. Feita a limpeza e parando de escorrer porra nos trocamos e saímos logo para não reclamarem nossa demora. No laboratário ninguém disse nada graças ao monte de serviço a ser feito. Marli foi continuar seu serviço e eu levar as amostras requisitadas.rnrnDepois de algum tempo Marli me confessou que ficava imaginando como seria dar o cuzinho desde aquela pergunta do Ronaldo e ela percebendo que eu não parava de olhar para seu rabo resolveu tentar comigo.rnrnTransamos sá mais umas três vezes com bastante anal e depois tomamos rumos diferentes. Não trabalho mais nesta indústria. Quanto a Marli nunca mais a vi.rnrnÉ isso galera. Tenho muitas aventuras que aos poucos vou deixando aqui no site. Espero que gostaram. rnrnGostaria de conhecer mulheres que gostem de sexo e gostem principalmente de dar o cuzinho para trocarmos e-mail e principalmente experiê[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


www.xconto.com/encestocontos escola sexocontos travesti e mulher casada juntas dando o cu pra homem e o cãocontos eróticos de mulheres debochadas transando com outro na frente do maridoconto erot o cavalo do meu sogro me machucouum conto erótico mendigo Eu e minha filha juntoTennis zelenograd contoconto eróticos mana so de calcinhameu sogro me estuprou contosFoderam gente contos tennscontos eroticos gay.treinadorcontos eróticos mulecadacontos de cú por medocontos eróticos gay a puberdade com o primoo importante e gozar e ser feliz conto eróticoContos eroticos minha mulher e o policialFeirao big foto penetrando no cuzinhocontos eroticos entre camioneirosConto erotico ai meu cu ta piscandocontos eróticos de gay e picudo pedreirospadrinho cuida da afilhada contos eróticosconto erotico comendo o cuzinho do menino de ruaconto macho fica pelado contos genro bem dotado arronba o cu ds sogracontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casainfância;contos eróticos;enrabadoamigos sexo troca troca contoscontos eróticos filhinha bobinhaConto erotico casei com uma puta deliciosaMe comeram ao lado do meu namoradocontos de sexo gay insesto depilaçãoFoderam gente contos tennscontos eroticos: sobrinha no coloMeu sogro cheirou minha calcinhacontos erotico gay negro dando pra brancoconto erotico de mulher casada socando o pepino na buceta e cenoura no cuconfia minha madrasta no pornô chorando gostosaContos eroticos, Meu filho me fode tanto Atrascontos eróticos bem depravado de bem picantemae e filho transa junto do marido e do cunhado vendo tv abaixar downloadscontos eroticos festa a fantasiaadultas com seios e bundas fartas Siririca contosconto erotico mulher por causa de apostaContos na pescaria com tios e amigos me fazen d bixinha delescontos minha filha viciada em porraMinha mulher voltou bebada e sem calcinha em casa contoscontos cenoura no cuzinhotia gozou no meu pau ao lado do primo contominha sobrinha pediu para mim gozar na calcinha dela contos eróticostravesti Juliana de primo metendocontos de Huum Pauzao papai ..ai mete vaitravesti delicia de juiz de fora sendo enrabacontos eróticos dona de casa empregada e mendigocontos eroticos sou casada o velho da chacara sozinhohistoria contos de sexovovo bulunado minha pepeca incestocomendo e falando sacanageme gozando contoscontos eróticos de meninas que se descobriram entrecontos de crentisinha cusudanoras e sogro estorias de sexo riais.contos eroticos cuidando do meu genro asidentadocontos eroticos. trairelatos eroticos casadas com negao e velhocontos eroticos crente coroa peidando no pauvideos de gay apostei o meu cu e olha no que deuconto erotico isso me fodedoutoras bundudas sem calcinha de mini saia dando a xaninha no contos eroticos casa dos contos seduzi meu cunhadocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaDesvirginando a sobrinha de 18 anoscomi a mae do meu amigo contorelatos de anã transandoconto erotico perdi aposta com as amigascontoseroticos primo transou com a prima e ela ficou gravidaconto erotico debaixo das cobertascomo o cheiro da maça contosconto erotico chantagieiNunca desconfiei do primo da minha namorada. ContosContos eróticos minha mulher no acampamentomeu pedreiro gostosonosso primeiro ménage com um colega de trabalho - relatoscontos eróticos de bebados e drogados gayscontos sexo minha tia queria leitecheirando os sapatos da minha irman podolatria contos eroticoscontos eroticos encestoconto erotico patricinha dando pra pobre