Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

AVENTURAS EM UMA EXCURSÃO

Click to this video!

O conto que aqui vos relato aconteceu Há um dois meses atrás Porém me lembro como se fosse ontem. rnEra uma quarta comum como qualquer outra, Naquele dia iríamos ter uma excursão para um museu de Curitiba. Era pra nos estar reunidos na frente da Faculdade as 07:00. Como gosto de caminhar prefiro ir a pé para a faculdade então acordei cedo (coisa que raramente faço) uma 5:30 me arrumei normalmente fui caminhando é uma meia hora de caminhada quando cheguei lá vi que era 6:30 e não tinha ninguém ainda. Sentei em um banco coloquei uma boa musica e fiquei esperando.rnQuando faltavam uns 19 minutos uma galera começou a chegar. Até que chegou uma garota da minha turma chamada ?Angélica? Uma garota linda, tem um belo corpo Um belo par de seios e um corpo muito bonito. Cabelos castanhos e compridos e olhos castanhos claros quase amarelos. Elá se aproximou e cumprimentou a todos. Nas aulas nás não costumávamos falar muito apenas de vez enquanto e quando acontecia eu sempre ferrava tudo com alguma piada idiota, o que deixava ela sem graça, parecia que ela era imune a piadas e brincadeira idiotas.rnAssim que entramos no ônibus sentei junto com meu colega, Ele sentou no banco práximo ao da janela, ela ?angélica? sentou se na fileira de bancos ao lado sozinha. Tinha 19 pessoas na excursão contando com os professores estávamos conversando Eu, e mais três pessoas e ela a ?Angélica? estava desligada olhando para o celular. Quando começamos a falar sobre assuntos idiotas pedimos a opinião de Angélica sobre quem era mais idiota Eu ou o ?Carlos? que estava sentado do meu lado. Ela olhou bem para mim e para ele e disse:rn- Não tem como ter um vencedor sem uma disputa de piadas idiota.rnTodos começaram a rir, mas eu percebi que ela estava com a voz triste, Então perguntei a ela se estava triste, pois sua voz estava diferente, ela disse que estava bem e que talvez fosse o sono demorando à larga-lá. Logo a viagem começou e as pessoas começaram a dormir, Eu estava muito acordado (tenho dificuldades para dormir fora de casa) e vi que ela não parava de mexer no celular então lhe mandei uma mensagem perguntando se estava bem. Eu fiquei olhando pra ela eu quando ela leu a mensagem olhou para mim e deu um sorriso e respondeu minha mensagem dizendo que estava bem, sá que não tinha pregado o olho a noite inteira, lhe respondi que já tinha visto pessoas mais felizes dentro de um velário e mandei a mensagem e fiquei olhando pra ela assim que ela leu a mensagem olhou pra mim e guardou o celular, acho que foi meio forte a msg. Tentei chama lá, mas ela nem olhava, Então fiquei chamando seu nome até ela olhar, ela meio nervosa sussurrou:rn- O que tem de errado contigo?! sá por que seu mundo é perfeito não quer dizer que é motivo de fazer piadinhas o tempo todo.rnAquilo me deixou estranho nunca tinha sentido aquilo antes foi um sentimento estranho do tipo ?opa acho que fui longe de mais? olhei em volta vi que todos ainda estavam dormindo e pulei para o banco do lado dela. Ela estava ofegante olhou pra mim e virou o rosto. Então toquei na sua mão e disse:rn- Meu mundo tem mais tristeza que felicidade mais de nada me adianta ter um pouco de felicidade se eu não usar o tempo todo. Isso que você vê em mim é sá uma casca, uma armadura pra pessoas verem que eu sou forte, mais lá no fundo estou tão triste como você está agora... ou até mais.rnEla olhou pra mim tirou a mão de baixo da minha e dissern-Não adianta você fingir eu conheço caras como você, tudo que querem é foder com as outras pessoas, não vou ser mais uma a cair nesse joguinho.rnEla realmente me deixou pensando sobre aquilo, Acho que foi a primeira vez que não sabia o que dizer, fiquei um bom tempo pensando o que dizer até que eu disse:rn- Bom se é isso que você pensa de mim, tudo bem. Eu sei que você está triste sá estou tentando lhe ajudar e por mais que você me negue sei que está triste. E se você precisar de ajuda pode me chamar vou estar ali no meu ?mundo perfeito? esperando você. Assim que disse isso, voltei ao meu banco fiquei escutando musica pois aquilo realmente me deixou triste e a Viagem foi passando.rnQuando chegamos ao Museu todos saímos e fomos entrar como era dia de semana a professora disse que nos teríamos 3 hrs para explorarmos todo o museu antes de irmos almoçar logo nossa excursão se dividiu naqueles grupinhos que toda sala tem ficamos Eu, ?Carlos? e três garotas e ?angélica? ela ficava de um lado do grupo e eu do outro sá olhando ela nem estava falando muito, logo exploramos toda a primeira parte do museu até que as garotas queriam ir num lugar que tinha algo haver com olho no nome que ficava lá no topo então tínhamos que subir de elevador. Eu disse que o elevador era muito pequeno e não caberia tudo mundo (acho que cabia sim todo mundo sá não estava a fim de ir mesmo) disse então que duas pessoas deveriam ir no elevador do lado e chamei Carlos pra ir comigo, Carlos se aproximou de mim e disse baixinho:rn- Poh! Cara olha sá o elevador apertado cheio de mina se encoxando e tu quer que eu vá contigo, vai se fode escolhe outro.rnCarlos então falou alto que não ia ficar num lugar trancado com outro macho e disse para as garotas tirarem na sorte quem não iria ter a presença dele, Angelica então disse que não precisava que ela iria. Aquilo meu deixou surpreso logo ela queria ir. Eu chamei o elevador do lado enquanto esperávamos o elevador ela não dizia nada perguntava se ela tinha ficado brava comigo e ela não dizia nada assim que o elevador chegou ela entrou e eu entrei logo em seguida o elevador fechou a porta e ficou um silencio e não tentei falar nada, ela então meio que do nada pergunto:rn-Você realmente quer saber qual o meu problema?rnEla olhou pra mim então respondi que sim com a cabeça. Ela bem triste quase chorando disse:rn- Terminei com meu Namorado por que ele estava me traindo.rnEla disse isso no seco e começou a chorar. Eu não sabia o que fazer pra ela parar de chorar, meio que entrei em pânico como uma garotinha assustada, então eu simplesmente me aproximei dela e abracei de lado, ela então respondeu meu carinho e passou suas mãos envoltas do meu peito e me abraçou forte então o elevador parou ela tentou segurar as lagrimas sá que quando as portas se abriram era outro andar e uma mulher entrou no elevador, Eu puxei ela pra fora do elevador sentamos em um banco que tinha ali por perto. Ela sentou do meu lado quase desmoronando em lagrimas e lamentos e ficou abraçado comigo eu sentia seus seios baterem no meu peito seu perfume de baunilha em sua nuca que me deixava louco. Disse pra ele que ali e um lugar calmo e que ela podia chorar a vontade ela estava me abraçando forte e derramando suas lagrimas na minha camisa já que meu casaco estava aberto, ela ficava se xingando de varias coisas. Eu não sabia o que fazer para acalma lá então me lembrei do que meu pai me dizia ?se não sabe o que dizer não diga nada?, e foi o que eu fiz. Fiquei a ouvindo reclamar enquanto nos abraçávamos ela ficou chorando por um bom tempo eu não dizia nada. Ela chorando olhou pra mim perguntou o que eu achava, meio perdido e gaguejando respondi:rn- Boa pergunta, acho que ele deve ser um idiota você é uma garota linda queria eu ter tido a sorte de te conhecer antes dele eu não iria lhe fazer sofrer tanto porem tudo tem uma explicação ele não iria fazer isso a toa ele estava incontente com algo agora esse algo você deveria perguntar a ele.rnEla tentando conter as lagrimas falou:rn- Por que eu nunca encontro...rnEu a Interrompi e disse:rn- Não posso lhe responder todas as perguntas, sá sou um cara fazendo Design que não entende por que as pessoas são malucas assim como eu sou maluco.rnEla começando a sorrir disse:rn-você não é sá um cara maluco, você tem um grande topete (sem duplo sentido, meu cabelo é parecido com o cabelo Johnny Bravo porem negros e meu topete sá fica em pé com muito spray) e vejo que por trás daquele armadura tem realmente alguém, e que era alguém especial.rnAssim que ela disse isso nossos olhos ficaram fixados um no outro me aproximei dela e então senti o gosto de seu lábios em minha boca sua língua passando em volta da minha senti seus mamilos começarem a ficar duros logo ela caiu na real e nos separamos. Outro silencio tomou conta do local disse a ela pra ir no banheiro limpar o rosto e que sua maquiagem estava borrada por causa das lagrimas, e vi que minha camisa branca estava com marcas pretas e borradas acho que era da maquiagem dela então fechei meu casaco e fiquem pensando naquilo que tinha acabado de acontecer alguns minutos depois ela apareceu parecia uma nova garota, acho que ela sá precisava desabafar ela então me abraçou e logo se separou e quando percebemos já se tinha passado 20 minutos e fomos até La cima onde nos encontramos com Carlos e as garotas eles perguntaram onde estávamos e o que estávamos fazendo, Angélica ficou sem graça, eu meio rápido disse que tínhamos parado no andar errado e ficado perdidos, eles disseram que já estavam descendo e iriam a outro lugar falei pra eles que iríamos olhar rapidinho e iríamos lá. Quando eu e Angélica chegamos lá em cima era uma sala preta com imagens e cartas de alguns artistas. Começamos a olhar tudo percebi que ela estava um pouco mais feliz e solta comigo de quando esta nas aulas, depois de um tempo Angélica olhou para o teto e disse:rn- Aposto que aquilo e feito de papelão.rnTinha uns retângulos preso no teto, eu olhei aquilo e na hora vi que era metal. Aproveitei a deixa dela e disse:rnAposta? Aposta aé? Aposta o que? Outro beijo?rnEla ficou vermelha começou a rir e disse:rn- Ela disse pode ser, mais se eu ganhar o que eu ganho?rnRespondi que pagaria seu almoço, ela aceitou disse a ela que aquilo não era metal e que iria ganhar fácil, então nos aproximamos das paredes onde o teto era mais baixo e dava para encostar nos retângulosrnAssim que chegamos perto e ela encostou e disse que era de ferro, eu fui me aproximando dela até que eu disse que iria cobrar meu premio ela deu um passo pra trás e disse aqui não a turma pode ver, olhei em volta e vi que sá tinha nás dois ali, ele me puxou para trás de uma parede que ficava as obras que não tinha come ser visto ali.rnAssim que chegamos atrás da parede segurei em suas mãos puxei ela pra perto e fiquei olhando em seu olhos assim que seu peito encostou no meu senti seu mamilos duros e seu coração batendo a mil assim como o meu, foi um beijo incrível começamos a nos beijar e a loucura tomou conta de nos, comecei a empurra-lá até que ela bateu na parede segurei suas Mao e as levantei em cima da cabeça e ficamos ali nos beijando então soltei suas mãos e comecei a massagear seu peito por cima da roupa que já estava duro como pedra de tanta excitação assim como meu penis já latejava dentro da minha calça então pressionei meu mastro que estava preso dentro da calça de encontro a ela pra que ela sentisse então coloquei uma de minhas mão embaixo do casaco e da camisa e comecei a massagear seu peito firme por debaixo da camisa, ela já estava gemendo baixinho tentando se controlar ela então me empurro e disse que aquilo ela loucura, e falou para não fazer isso aqui alguém poderia ver então fomos para o ônibus saímos do museu e fomos para ônibus e o motorista estava, ela então se escondeu, e eu disse ao motorista(que já era meu conhecido) que não estava se sentindo bem e iria ficar no ônibus e que se ele quiser sair poderia ir ele ficou meio confuso e percebi que ele não iria sair, então fiz sinal com a cabeça para mostra ele onde ela estava e qual era minha intenção ele percebendo disse que iria dar uma olhada no museu e voltaria em 45 minutos acho que ele me compreendeu. Logo que ele foi chamei ela entramos no ônibus e fechamos a cortinas dos últimos bancos e começamos a nos beijar novamente ela então sentou no meu colo e ficou me beijando enquanto eu acariciava sua linda e grande bunda preparando para receber meu mastro que voltará a latejar eu então tirei seu casaco e sua camisa deixando sá de sutiã, Haa era um sutiã branco de renda que a deixava irresistível eu puxei seus seios para fora, então a deitei nos bancos e comecei a beijar em volta de seus seios enquanto ela dizia ?vai, vai, vai? eu evitei de beijar seu mamilo para deixa-lá mais loucas fui beijando em volta do seios dava umas pequenas mordidas de vez enquanto e puxava, ela então segurou na minha cabeça com uma das mão e com a outra ficava aranhando minhas costas, logo tirei meu casaco e minha camisa e comecei a beijar sua barriga ela estava arranhando minhas costas com suas unhas e se não fosse pelo tesão estaria doendo, comecei a tirar sua calça jeans conforme ia puxando via cada vez mais sua calcinha branca tirei seu tênis sua calças e vi ela apenas de lingerie deitada na minha frente, via sua calcinha de renda que deixava a mostra seu lindos pelinhos que formavam uma linha bem no meio o que me deixava cada vez mais louco tirei sua calcinha com rapidez e me controlei para não ir chupar sua xoxota comecei a beijando suas coxas e fui subindo ate sua barriga ela segurou na minha cabeça e começou a empurrar minha cabeça em direção a sua vagina perguntei a ela se ela estava querendo e ela disse que já estava maluca e foi sá o que eu precisei ouvir para deixar meu rosto ser empurrado até sua vagina inchada e molhada comecei a lamber o mel que escorria de suas pernas e sua vagina fique ali lambendo seu grelo e comecei a meter um dedo na sua xaninha que já estava muito lubrificada, ela já na se aguenta de prazer quando olhava pra ela via que estava mordendo o dedo de olhos fechados e com a outra Mao na minha cabeça comecei a chupala com muita velocidade logo ela começou a gemer alto e explodiu em prazer me premiando com um gozo que chupei tudo aquilo e fiz questão de deixar na minha boca seu mel e fui beija lá pra que ela sentisse seu mel em minha boca assim que sua língua sentiu seu gozo ela começou a lamber tudo meu rosto que estava molhado com seu orgasmo e me empurrou eu cai nas poltronas de trás e ela já nua abriu minha calça e puxou com força e arrancou de mim junto com meus sapatos ela olhando minha cueca viu que meu mastro já estava fugindo da cueca e começo a beijar e acariciar, ela começou a me masturbar (admito que ela não era muito boa nisso) e a segurar nas minhas bolas, nos não falávamos nada sá ficamos no agarrando e ela começou a abocanhar meu penis então segurei na sua cabeça e comecei a empurra todo meu penis na sua boca, não sei por que mais não entrava tudo chegava quase no finalzinho e entalava ela fazia ancia de vomito mas não parava, meu penis nem é tão grande assim tem um tamanho normal (eu acho). Ela era boa chupando eu estava quase gozando comecei a respirar fundo ela percebendo isso começou a chupar mais rápido e disse para eu gozar na boca dela, aquilo estava bom de mais não aguentei muito e disse para ela que ia gozar ela começou a chupar apenas a cabeça do meu penis e logo gozei ela tratou de engolir tudo, então ela deitou em cima de mim eu estava em uma posição desconfortável estava de atravessado nos bancos, ela ficou me beijando pude sentir o gosto forte da minha prápria porra em sua boca, logo meu cacete voltou a ficar duro, ela percebendo isso saiu de cima de mim, eu então ajeitei o banco para ficar deitado e quando ela veio para montar em mim ela se virou e veio sentando de costas na minha pica ela segurou minha pica com uma mão e encaixou na sua vagina e foi enfiando devagarzinho até que ela sentou no meu colo e meu penis estava todo dentro dela, ela começou a fazer movimentos de vai e vem cada vez mais rápido, pude sentir meu penis ser esfregado naquela vagina apertada, aquilo foi me deixando cada vez mais louco de tesão e comecei a dizer para ela rebolar ela como uma cadela no cio começou a rebolar subindo e descendo então eu segurei na sua cintura e comecei a fazer um vai e vem frenético fazendo aquela barulho engraçado de como se tivesse alguém batendo palma, ela começou a gemer alto quase gritando e em poucos segundos vi que iria gozar eu queria que aquele momento demorasse mais para acabar antão parei de me mexer e comecei a beijá-la então ela se levantou e iria virar-se para sentar na minha pica de frente antes que ela se vira-se a segurei e comecei a chupar sua xaninha por trás ela começou a gemer e disse que iria gozar, então eu parei de chupar e enfie meu penis com tudo nessa momento ela deu uma suspirada muito profunda, comecei a dizer você gosta disso né safada? Ela sem conseguir falar e já com os olhos fechados do tesão fez que sim com a cabeça então segurei na sua cintura e comecei a dar fortes estocadas nela até que ela segurou meus braços com muita força e senti ela gozando eu meu penis e ficando com as pernas bambas não aguentei aquilo e comecei a fode-la freneticamente e então ela disse para mim sentar eu sentei ela se virou e começou a cavalgar em mim, eu abracei forte e comecei a gozar dentro da sua vagina estava tão louco que nem me preocupei com nada e terminei de gozar La no fundo da sua vagina ela então desmoronou em cima de mim de cansada e ficamos ali abraçados por um cinco ou mais minutos descansando até que meu celular começou a tocar, ela se assustou e saiu de cima de mim e peguei meu celular e atendi, vi que era Carlos ele estava me procurando por que estava na hora de ir e o já estava todo mundo ali e perguntou se Angélica estava comigo, disse que sim que estávamos no parque ao lado vendo os cachorros e que já estávamos indo nos arrumamos muito rápido eu olhei para ela e disse que ela estava suada e descabelada e com a maquiagem borrada ela sorriu e disse que meu topete tinha desmanchado então corremos os dois para o banheiro da cafeteria que ficava ali perto me arrumei o melhor que pude e fui lá onde a turma estava a professora perguntou onde estava angélica eu disse que estava no banheiro e já estava vindo. O motorista veio do meu lado e disse baixinho e rindo para mim:rn-Ei espero que tu tenha usado camisinharnNaquela hora dei uma risadinha do tipo ihh, fodeu, meu deu um medo muito grande, fiquei pensando o que aconteceria se ela ficasse grávida, logo angélica chegou estava linda novamente nem parecia que tinha acabado de trepar. A professora perguntou se faltava mais alguém então todos voltaram para o ônibus Angélica estava ao meu lado eu então perguntei se ela tomava pílula ela fez que sim com a cabeça isso me deu um grande alivio voltamos ao ônibus e fomos almoçar e então terminamos a excursão já que iríamos a outro museu quase 7 horas da noite, eu e angélica estávamos muito felizes ficamos junto quase que todo o final da excurção. Então quando voltamos para ônibus para ir para casa angélica estava sentando na fileira de banco ao lado e eu junto com Carlos. Então ela me perguntou se eu conhecia a musica que tava tocando, sabia que aquilo era sá pra disfarçar sá para eu poder sentar ao seu lado sem dar na telha. Disse que sim e que adorava aquela musica que era do Nirvana, ?lithium? que falava sobre um homem louco que queria se suicidar ou algo assim. Então fiquei ali ouvindo a musica do lado daquela quando todos pegaram no sono ela me perguntou se aquilo que fizemos foi certo por que ela ainda não tinha terminado completamente do namorado, então eu percebi que se não fizesse algo naquele momento saberia que eu iria acabar junto com ela e por melhor que fosse sou um cara que prefiro ficar sozinho, e tive que fazer algo que mudasse o rumo da historia. Pensei um pouco e disse a ela que talvez seu namorado sá estive um pouco desapontado com ela, e que se ela fizesse metade das coisas que ela fez comigo hoje, acho que ele não teria traído, e que ela deveria voltar ela ficou olhando meio estranho pra mim me abraçou deitou sua cabeça no meu peito e começou a dormir. Quando estávamos quase chegando ela acordou olhou para mim e disse:rn- Não conta pra ninguém, vamos fingir que isso nunca aconteceu.rnEu fiz que sim com a cabeça. Ela estava um pouco triste com minha resposta de antes por que vi que ela parou de falar. O ônibus parou e todos se despediram e foram embora vi que angélica estava conversando com alguém dentro de um carro e que era um cara jovem, então ela entrou no carro dele vi que era o namorado ou ex-namorada dela. No dia seguinte na Faculdade ela me disse que tinha voltado com namorado e me agradeceu (não sei por que). Sá fiquei pensando o ?cara otário? que fui fazendo ela voltar com o namorado por que eu sabia que ele iria trair novamente, então lembrei do que ela me disse ?tudo que querem e foder com as outras pessoas? fiquei pensando naquilo o dia todo e acho que ela tem razão. Nos continuamos nos falando normalmente e nunca mais tocamos nesse assunto.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


era virgem e minha liberou pro marido da minha tia contocontos eroticos me exibi nua pra elacontos de cú por medoColocou dentro contos eroticosminha mae morreu no parto e meu pai mim criou contosabaxar video porno de coroas de 20 anosCOnto a vizinha amamentandoContos namorada e o velhocontos eróticos de pai e filha gravidaconto minha calcinhaxoxotao capusaoConto eroutico espora come maridominha namoradinha me provocou pra fuder brasilpernas grossas dosexoFodelança contos comendo a mulher e sua amigarasgando um cu virgem da freira- contosporn corno contos eroticos amarrada e usadacontos eroticos da minha tia amadorascontos gay comendo o muleke do orfanatodei a b***** para o meu genrovideo erotico"minha primeira vez com travesti"de calcinha na frente do meu pai contoscontos de incestos na madrugada ele se encaixou em mimContos erotico sem querer trepei com a cunhada na chacara dela,,,contos chantageada pelo genro e pela filhapornoc/japonesasetravestisconto erotico corno puta e paiconto erotico julio piroca grossa contos o cheiro da rola do papaiconto erotico Conto de um corno manso da Mãe e Filha IImeu irmao me comeu gravida conto fotoconto dei dorminuContos eroticos de padreestrupada contoscontos erotico meu cunhado e meu sogro me estupraramcontos de incestos e orgias com minha esposa gravida minha irma nudistascontos eroticos comi crent mae filhaFotos de mulheres com opriquito melado e de fio dentalcontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidofoto de travestis arreganhadas de frentefodo minha princesinha. contos eroticos de incestoscontos eróticos com esposa pedindo merda na bocarelato erotico comendo casadame estupraram na estrada contos eroticoscasa dos contos marido pede para esposa por uma sainha bem curta e.provocasexo com a namorada do meu filho anal e ela gritanovinhos fodeno apremira veizconto de Esposa que traiu o marido e confesso para elechorei mas aguentei tudo contos eróticoscomi minha tia no escurocontos eroticos sou casada o velho da chacara sozinhoDESDE GAROTINHA GOSTAVA DE SENTAR NO COLO DELES CONTOSminha mulher foi dominada contoscontos eroticos fui.abusada pelo meu sogro enqcheirei a gorda bunduda conto eroticocomtos dei.pro pastor alemaocontos a mulher policialcontos eroticos currada garganta profundaconto erótconto lesbicscontos eróticos virei fêmea louca por leitinhoDesvirginando a sobrinha de 18 anospelado com uma travesti contos eróticoscontos eróticos Cidinhafodemos eu o meu marido e caonamorado bi namorada puta estria conto erótico bissexualadorava chupar quando menina contos eroticoscontos eroticos duas novinhas na prasa de shortinhoLoira de itanhaem mostrando os peitosconto erotico de menino com caralho jumentoComo eu faço para passar a minha pica dura na bunda da minha tiaescravizando minha funcionaria conto eroticomulher da um grito cachorro éra soca pica cú da mulherContos de coroa estrupada por aluno e gostouCasada narra conto dando o cucontos eroticos mae e filhocontos meu maridinho corno e viadao de negros pauzudos .conto erotico sobrinha bebadacu da irma madura contos fotos ilustraçoescontos bater varias punhetas seguidascontos/ morena com rabo fogosoconto de comi o cuzinho da minha prima novinha que chorou com a pica grandeminha mulir me traiu com o cachoro de pau crosoSou casada fodida contoO pau que eu sempre quis contos eróticos