Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA MÃE ME SOCORREU

Click to this video!

Olá! Meu nome é Francisco e vou contar como a minha mãe me socorreu.rnSou corretor de imáveis e sempre trabalhei como empregado de grandes Corretoras e Construtoras. Juntei um bom dinheiro e resolvi fazer "carreira solo". Montei a minha prápria Imobiliária. Fiz um alto investimento, ou melhor, tudo o que eu tinha aplicado no banco e também um apartamento que estava alugado que resolvi vender para investir na minha empresa. Me restou somente o apartamento onde moro e o carro. O negácio começou muito bem, mas apás um ano de funcionamento da empresa fiz parceria com uma grande construtora e apostei todas as minhas "fichas" nesta parceria. A Construtora estava lançando um mega empreendimento e a minha empresa tinha exclusividade para a comercialização dos imáveis. Logo apás o lançamento do Projeto começaram a estourar os "pepinos" envolvendo o nome da Construtora e a coisa ficou tão séria que acabou por um juiz decretando falência da Construtora. Eu fali junto.rnPara mim que estava acostumado a ter um átimo padrão de vida e consequentemente muitas mulheres à minha disposição foi "baque" terrível. Até o carro tive que vender. Comecei a usar o limite do cheque especial e ter muitas dificuldades para pagar as contas até o ponto de tudo desabar.rnFiquei com nome sujo no SPC, SERASA, Cartários de Protesto e o "escambau". Passei a andar de ônibus e como o mercado imobiliário estava em crise, as coisas ficaram ainda mais dificeis. Nem emprego eu estava conseguindo arranjar. Sumiram os amigos e também as mulheres. Eu mal tinha o dinheiro para comer e pagar a conta de luz, telefone e celular. Até o condomínio do prédio onde moro passei a atrasar. Agora imaginem como é que fica um cara acostumado às baladas e a trepar quase todo dia. Não deu outra: Entrei em depressão profunda. Sá saia de casa quando tinha algum (pequeno) negácio para fechar. Ficava o tempo todo sonhando com um grande negácio que me rendesse uma boa comissão para me tirar daquela situação, mas o grande negácio não acontecia. Parecia que depois que eu fiquei sem ter sexo, eu desaprendi a trabalhar e perdi aquela sorte que sempre me acompanhou.rnAlgumas vezes recorri a meus irmãos e a minha mãe para tomar dinheiro emprestado. Chegou a um ponto em que meus dois irmãos se reuniram com minha mãe para decidirem que posição tomar a meu respeito, uma vez que todos já percebiam que eu estava em depressão profunda e eles passaram a temer que eu cometesse suicídio.rnA ideia era que eu alugasse o meu apartamento e fosse morar com a minha mãe, que morava num apartamento de 2 quartos. Meus dois irmãos são casados e não tinha como eu ir morar com eles. Eles vieram na minha casa algumas vezes para me pegar para sair e tomar um chopp, ir na praia, no futebol, essas coisas. Mas perceberam que isso não estava ajudando muito. Um dos meus irmãos pagou até uma garota de programa para ir no meu apartamento. Ele me ligou avisando: Tô mandando hoje à noite na sua casa uma gata que eu vi num site. Não se preocupe com nada já está tudo acertado. Isso me deu uma boa aliviada, pois eu já estava há meses sem dar uma trepada e vivia sá batendo punheta.rnMas vamos falar da minha mãe, Sandra, uma mulher de 47 anos de idade (na época que rolou a nossa primeira relação). Eu sou o filho mais velho (na época eu tinha 30 anos), fruto de um namoro que a minha mãe teve com um canalha quando ainda era adolescente. O meu pai tinha 24 anos e engravidou a minha que na época sá tinha 19 anos e não quis casar e nem me assumir, então fugiu e ninguém teve notícias dele até eu completar 19 anos e já trabalhar para me manter. Aos 21 anos minha mãe conheceu um cara legal e se casou. Era o pai dos meus 2 irmãos. Infelizmente ele morreu num acidente de automável há 2 anos atrás, mas deixou o apartamento para a minha mãe e uma pensão que dá para ela levar uma vida confortável, sem luxo e sem apertos.rnMinha mãe não é uma mulher linda, mas é uma mulher de "presença". Tem um corpo bonito e muito bem conservado para a sua idade. Algumas pessoas acham que ela tem 19 anos menos. Ela é vaidosa e se cuida com todos aqueles produtos que ajudam as mulheres a aparentar menos idade, além de se vestir muito bem, enfim, uma mulher de bom gosto e que chama muito a atenção dos homens, inclusive os mais jovens. Até meus "amigos" falam: Sua mãe é uma "coroa gata"! Por incrível que pareça, 2 anos já tinham se passado da morte do meu padrasto e até então ela não tinha arranjado nenhum namorado, apesar de ter muitos pretendentes. Teve um vizinho que chegou a pedi-la em casamento e ela não aceitou. Outro dia numa reunião de família (churrasco na casa de uma tia) ouvi sem querer, ela conversando com as duas irmãs e dizendo que tinha dias que sá "faltava subir pelas paredes" de tanto desejo por sexo, mas que ainda não conseguiu esquecer o falecido marido e se fosse para a cama com algum homem ia ser uma merda e ela não queria isso. As irmãs tentaram "fazer a sua cabeça" e ela respondeu: Já estou quase ficando pronta e quando chegar a hora quero que seja bem gostoso como era com o meu marido, e completou dizendo que não iria demorar muito. As irmãs aceitaram seu argumentos e se calaram.rnMas vamos voltar aos detalhes sobre ela: Ela é branca, cabelos lisos até a altura dos ombros. Tem as pernas grossas uma bunda grande e os peitos médios e por incrível que pareça ainda empinadinhos. O rosto é de uma beleza comum, como já disse antes.rnApás a reunião que a minha mãe teve com os meus dois irmãos (eles chegaram a comentar com ela que eu tinha uma vida sexual muito ativa e talvez a falta de sexo estivesse piorando a minha depressão) fui convidado para um almoço na casa dela junto com os meus irmãos. Lá, todos tentaram me convencer a alugar o meu apartamento e ir morar com ela até as coisas melhorarem. Fui firme em dizer que queria continuar no meu espaço e sair do meu apartamento sá iria piorar o meu estado de espírito. A conversa esquentou e meus irmãos me disseram que eu estava sendo irracional. Me despedi e voltei pra casa. Ainda deu tempo de ouvir minha dizer para os meus irmãos para me dar um tempo para pensar sem pressão.rnFiquei uma semana sem ligar para todos, inclusive a minha mãe. Eles me ligavam e eu não atendia os telefonemas. Minha mãe apareceu na minha casa de surpresa. Ela me disse que todos estavam muito preocupados comigo e que eu não devia fazer isso. Eu respondi que fiquei muito chateado e precisava de um tempo. Ela retrucou dizendo: Tudo bem. Mas atendesse o telefone. Cheguei a pensar no pior, por isso vim hoje aqui. Pedi desculpas e sentamos para conversar amistosamente como mãe e filho. No meio da conversa minha mãe me disse que sabia o quanto estava sendo difícil para mim tudo o que eu estava passando, inclusive a parte sexual. Olhei para ela espantado e ela me disse que teve uma conversa com meus irmãos e eles falaram que eu tinha uma vida sexual muito ativa e fazia meses que eu não mantinha relações sexuais. Ela me disse que eu não tivesse constrangimento em conversar sobre isso com ela, apesar que esse tipo de conversa se tem com o pai, mas ela se sentia como a minha mãe e o meu pai.rnEu tive que reconhecer que a falta de sexo estava piorando o meu astral. Ela me disse: Eu entendo. Afinal de contas para vocês homens é bem mais difícil do que para nás mulheres e completou sorrindo, principalmente se for um garanhão que nem você que dormia todo dia com uma mulher diferente. Nás dois sorrimos e a conversa ficou bem mais descontraída. A minha mãe chegou a me dizer que ela também sentia falta de sexo, pois desde que o marido morreu nunca mais teve outro homem, mas quando a coisa ficava muito quente ela tomava um banho frio. Voltamos a rir. Depois rolou um silencio e ela me disse: Sei que para você banho frio não adianta nada, mas também desaprovei aquela histária do seu irmão pagar uma prostituta para você ter sexo. Olhei para ela assustado e perguntei até isso eles falaram com a senhora? Ela me respondeu como se estivesse ressentida: Seus irmãos irmãos confiam em mim e conversam tudo comigo. Você que não se abre, não conversa, não desabafa. Saiba que você pode se abrir com a sua mãe e falar abertamente sobre qualquer problema que você tenha. rnPassei a me sentir mais à vontade e senti o desejo de falar tudo com ela. Todas as minhas mágoas, ressentimentos dos amigos que me abandonaram, a saudade das baladas, das mulheres, o medo de não conseguir me reerguer... Abri meu coração e de repente, sem perceber, me vi confessando que chegava a me masturbar 3 vezes no dia. Quando acabei de falar da masturbação me deu o desejo de pegar de volta as palavras, mas não adiantava, eu já tinha falado.rnMinha mãe com o ar de preocupada, mas também compreensiva me disse: Filho, você sabe que isso não é normal. Se masturbar 3 vezes por dia! Isso já virou um vício, uma válvula de escape, talvez até uma doença psicolágica. Vamos fazer o seguinte: eu vou te emprestar o meu carro e algum dinheiro e você vai ligar para uma das suas paqueras e dar uma saída. Vai dar um passeio pela orla marítima, toma um chopp, come uma boa pizza e depois vai dar "umazinha". Rimos de novo. Eu disse: Mãe você não existe! Ela respondeu: O que a gente não faz pelos filhos? Combinamos que ela traria o dinheiro no dia seguinte e o carro também. Ela me disse para economizar o dinheiro da diarista que vinha duas vezes na semana e prometeu que viria toda segunda, quarta e sexta para reorganizar o meu apartamento que estava muito bagunçado, inclusive preparar uma comida de melhor qualidade.rnNo dia seguinte (um sábado) ela apareceu logo pela manhã. Me entregou o dinheiro e chave do carro e avisou vou me trocar para fazer a faxina. Foi nessa hora que a campanhia tocou. Achamos estranho o porteiro não ter avisado, achando que fosse um funcionário do condomínio fui abrir a porta. Era um agiota que eu estava devendo dinheiro e eu perguntei por que você não foi anunciado? O agiota me respondeu: Porque eu ameacei o porteiro com isso aqui, mostrando o revolver na cintura. Minha mãe ficou apavorada e perguntou: Filho, o que está acontecendo? O agiota se antecipou e respondeu: Ela tá me devendo um dinheiro há 3 meses e hoje eu vim aqui pra cobrar ou resolver de outro jeito. Minha mãe me olhou e perguntou: Quanto você está devendo meu filho? Mais uma vez o agiota se antecipou e respondeu: Hoje tá completando R$ 950,00. rnMinha mãe olhou pra mim e disse: Filho, por favor entrega esse dinheiro que acabei te passar e se vê livre desse problema. Isso é muito mais sério!rnMinha mãe havia me trazido R$ 1.000,00. Retirei do pacote R$ 50,00 e entreguei os R$ 950,00 para o agiota. O cara pegou o dinheiro e devolveu o meu cheque. Se despediu e eu fechei a porta. Comentei: Sá me restaram R$ 50,00. Minha mãe olhou pra mim e disse: R$ 50,00 e a sua vida. Por favor meu filho, prometa que não vai mais procurar nenhum agiota. Eu prometí. Minha mãe me disse: O tanque de gasolina do carro tá cheio, pegue esses R$ 50,00 e vá tomar umas cervejas na praia. Vá tomar um banho de mar, enquanto eu arrumo o seu apartamento e preparo a sua comida. Concordei, abracei minha mãe e saí.rnDuas horas depois minha mãe me ligou para perguntar como tava a praia. Respondi que tava legal. Um solzão! Falei que encontrei com alguns conhecidos e estava tomando umas cervejas. Disse para ela não se preocupar, pois eu sá iria chegar no finalzinho da tarde.rnPerto das 6 horas da tarde ela me ligou de novo: Cadê você? Respondi: Chego em meia hora.rnQuando cheguei em casa o apartamento estava todo arrumado e com um cheiro gostoso de casa limpa, sem falar no cheiro da comida.rnMinha mãe me disse: Vá tomar seu banho e se arrumar que eu vou preparar a mesa e depois tomar banho e me arrumar para comermos juntos.rnFui tomar meu banho e fui para o meu quarto enrolado na toalha. Minha mãe me disse: Se arrume que eu vou tomar banho e me arrumar. Quando ouvi o som da água do chuveiro me deu um arrepio na espinha e fiquei me censurando pelos meus pensamentos. Sentei na cama e fiquei completamente atordoado. Depois de algum tempo não resisti e fui olhar pelo buraco da fechadura da porta do banheiro, mas a minha mãe não fechou completamente a porta e deixou uma fresta onde a visão era mais completa do que pela fechadura e eu pude ver aquela mulher com um corpo delicioso abrir a porta do box, pegar a toalha e começar a se enxugar. O tesão que senti era arrebatador. Permaneci até o último momento e saí rapidamente. Entrei no meu quarto fechei a porta (sem a chave), sentei na cama e comecei a bater uma punheta avassaladora. Tomei um susto quando a minha mãe abriu a porta do quarto enrolada na toalha e me pegou batendo a punheta. Ela me olhou e disse: Eu vi você me olhando pela fresta da porta do banheiro. Agora você não terá mais que ficar batendo punheta. Eu assustado feito um menino e com o pau na mão olhei para ela sem conseguir dar uma palavra. Minha mãe deu dois passos em minha direção e desenrolou-se da toalha me deixando ver aquele corpo que me fez arder como uma brasa. Ela deixou a toalha cair no chão e me disse com ternura: Venha me toque, agora você tem um corpo de mulher para saciar o seu desejo. Me levantei da cama e com o pau completamente duro fiquei de frente com ela. Ela me olhou nos olhos e depois foi descendo o olhar para a minha pica (que é grande e grossa). Quando ela levantou o olhar novamente percebi que não era mais um olhar de ternura e sim um olhar de uma mulher que também estava cheia de tesão, me aproximei dela e trocamos um ardente beijo de língua. Parecia que o beijo não ia mais acabar. Comecei a lamber o seu pescoço e o seu ouvido. Ela segurava a minha pica como quem não pega numa pica há 2 anos. Joguei ela na cama e comecei a chupar os os lindos peitos. Quanto tesão no ar! Ela gemia e me dizia acabaram-se as punhetas agora você tem o meu corpo e eu tenho o seu. Eu disse: Serei seu homem. Ela disse: Vou ser a sua mulher. Vai fode gostoso a sua mulher. Mete essa pica na minha buceta. Nunca mais você vai gozar na sua mão. Agora você tem o meu corpo e você pode gozar onde quiser! Isto me encheu de tesão porque logo pensei: Vou gozar na buceta, na boca e no cu! Eu gritei: Ai mãe, como você é gostosa! Ela respondeu: Então foda essa gostosa toda! Foda ela todinha, meu macho! Meta esse picão grande e grosso todo dentro de mim. Quero sentir ele me rasgando toda. Eu desci com a minha boca até aquela buceta rosada e linda (parecendo um capô de fusca) e quando encostei a minha língua pude sentir o gosto do néctar que saia de suas entranhas. Ela estava toda melada. Quando comecei a mover a minha língua em seu pinguelo ouvi ela chiar como puta e gemer de prazer até gritar: Não pare! Não pare! Não pare! Que quero gozar nessa língua maravilhosa. Me chupa, meu macho. Me chupa! Eu obedecia loucamente enquanto ela segurava a minha cabeça e empurrava a minha cara para não deixar afastar da sua buceta. De repente, ouço um grito de prazer... Aaaaaaaiiiii!!! Tô gozaaaaaando!rnQuando o grito parou e ficou sá o gemido, pensei: Agora é a minha vez! Subí a minha boca em direção aos seus peitos e depois em direção a sua boca e começamos outro ardente beijo de língua, enquanto ela buscava com a mão direita o meu pau e levava em direção a sua gruta quente e melada. Nunca senti tanto tesão como aquele do contato do meu pau com aquela buceta molhada... escorregadia... Comecei os movimentos de vai e vem mais gostosos que já experimentei numa relação sexual. Aquela buceta tinha algo de especial. Era a buceta da minha mãe! Não demorou muito e pude soltar o meu grito de prazer. Eu gritava: Mãe vou gozar! Vou gozar na sua buceta! Ela gritava: Goze, meu macho! Encha a buceta da sua mãezinha com a sua gala. Quero que você esporre dentro! Aaaaaaaaiii! Tô gozando, mãe! Eu também filho! Que pica gostoooosa! Que pica gostooooosa! Paramos juntos. Exaustos. Sá se ouvia a nossa respiração ofegante. Fiquei montado sobre ela uns 5 minutos, depois me deitei ao seu lado e fizemos cerca de 30 segundos de silêncio, que foi interrompido quando ela disse: Foi maravilhoso! Nunca pensei que um dia fosse gozar assim! Se prepare que eu quero mais! Sua práxima gozada vai ser na minha boca. Eu disse também vou querer gozar no seu cu. Ela me respondeu: Eu nunca dei o meu cu, mas prá você eu vou dar. Não vou lhe negar nada!rnO segundo tempo e o terceiro desta trepada eu conto depois...rnMazinhosex

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos eróticos comendo uma travestir lindaTodos adorao meu cuzinho contos eróticoscontos de coroa com novinhocontos eróticosminha esposa deu para os molequesconto erotico travestis o traveco preto rasgou meu cudei minha buceta no cinema .contos eroticosMendigos se madturbando altoesbarrando na bunda da tia e rola sexofiquei com a buceta ardisa pela grossa rolaconto erotico com crenteTennis zelenograd contoconto minha esposa devoradora de garotinhosemplorando pra ganha leite eroticos contosvi minha tia na cozinha fazendo comida não aguentei da sarrada na bunda dela caiu na p*****Sou casada fui pra um acampamento com os colegas a amigas so rou surubacont erot recem casada um velho mecontos eróticos de mulheres casadas de BiguaçuContos esposa liberada para o patrãomamae e meu irmao contoscontos eroticos a bucetinha depilada da minha maecontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosconto erotico na orgia com sogroorgias/contosprofessor cacetudo comendo o cuzinho do menino afeminado no banheirovídeo pornô caseiro ele comeu minha b***** só na manha meteu bem devagarinhocontos eróticos de bebados e drogados gaysChantageei minha tia escrava lesbica contocontos eroticos como aprendi a gostar de pau grandecontos eróticos de experiência bi de ninfetascontos eróticos no elevadoreu com minha pica machucada e ainda comi minha namorada contos eróticosloira louca por pau gg contoscontos eróticos sadomasoquismo argola enfiada na bucetaconto com tio no aniversárioFudendo a prima,contocontos não aguentei o pau do meu pai inteiro dentro de mimhistorias de afilhdas trepano com padrinhoContos, eu convidei um foragido na minha casa e ele comeu a minha mulhertransei com meu namorado sob a luz da lua,conto eróticocontos eroticos fudendo garotos hetesexualIncesto com meu irmao casado eu confessoTennis zelenogradconto erotico gay coroa pirocudo do bar me levou pra casa dele e me arromboucontos erótico vovo me arrombandonoContoseroticosdesolteirascomi a adilhada novinha loira olho azul contosendo possuida pelo servente do colegio parte 1!!!contos eroticoscontos de sexo gay especial entre primosnoite fria com titia contos eróticoscontos eroticos vi minha esposa me traindocontos eroticos casado medico gordinholevei minha mulher pro cara mais pauzudo comer na minha frenteContos gays arrombado na borracharia por varios usando fio dentalgarotinha contosTroca de cuzinho entre amigos - conto eróticoconto erotico de o amigo de meu namorado me comeu na casa dele e ele nao viuContos eróticos de gay Comi o filho do meu patrãoconto erotico lésbicas roçando.a buceta na caracontos: sentei no colo do velhovoyeur de esposa conto eroticocontos eroticos comi a buceta da minha amiga na capoeiraconto erotico eu peguei meu pai comendo cu da emprega na marraghupa ghupi pornwww.mulatanua.comconto eróticos menina pobrecontoa eróticos de uma mulher dando pra dois home mmSou casada fodida contocontos eróticos de professor Gaycontos eroticos tia suruba com sobrinhoscontos enrabada no chuveiroFoto casaro de gordinha de calcinhaContos eroticos real dei pro pai da minha meia irmabuceras com paj giganti dentroconto erotico sogra seu filho tem um rola grossaSou casada fodida contobranquinha magrinha de cabelos caracolado danadinhaconto eu meu filho e meu pai cumemos minha esposa rabudacontos enrabada no trabalhadocontos eroticos escondidocontos eroticos gay recem casadoconto - bucetinha novinha cheirosa e depiladacontos eroticos fui cuidado meu sogro e ele viu meus pritospezinhos perfeitos contos eroticomimi apaixonei pelo novinho de pau grande contos gaylongos contos eroticos estupros dpassaltantes me estupraram contos eroticos