Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

NUM BANHO A DOIS

Click to this video!

Num banho a dois, onde relaxávamos e refrescávamos os nossos corpos de uma noite intensa, sexual, sensual, revigorante, fogosa, apaixonante? continuámos a ?explorar-nos?, desta vez com mais calma, suavidade e carinho.rnDebaixo do chuveiro a água escorria pelos nossos corpos abraçados onde as nossas mãos tentavam sentir cada pedaço de pele e causar sensações estimulantes a ambos. Os meus lábios quentes tocavam nos dele sentindo o seu calor e sabor que com o toque da água o tornava mais gostoso. As mãos dele percorriam o meu pescoço, continuando pelas minhas costas abaixo ao mesmo tempo que nos íamos beijando e mordiscando. Eu passava minhas mãos nas suas costas pela coluna a baixo terminando nas suas nádegas onde com as palmas totalmente abertas o pressionava contra mim.rnCom todos estes estímulos os nossos corpos começam a dar sinal de excitação. Começo a sentir a sua erecção cada vez mais vigorosa fazendo pressão na minha barriga. Ele vira-me de costas para ele, encosta o seu corpo bem definido de 1,90m ao meu de 1,74m e com uma das mãos ajuda a minha cara a ficar numa posição que nos possamos continuar a beijar e com a outra mão empurra o meu corpo contra ao dele ao mesmo tempo que desce por mim abaixo começando pelo meu pescoço, passando pelos meus seios onde consegue condicionar um inteiro na sua mão massajando-os aumentando a minha tesão. Solta o meu rosto acaricia a minha barriga e chega ao meu monte, encosta-me mais a ele de maneira a que eu empine mais o meu rabo. Cada vez sentia mais volume a tocar-me nas costas. A sua mão acariciava meus pelinhos, rodeava toda a minha lili, deixando-me a suspirar por mais.rnNisto, ficamos frente a frente, dá-me um beijo demorado ao mesmo tempo que põe a minha perna á volta da sua cintura. Quando sinto aquela mão a agarrar a minha coxa para que a minha lili fique mais perto dele sinto o meu buraquinho automaticamente a abrir-se com vontade de receber o seu membro que já apontava na direcção do céu.rnEle continuou a beijar a minha boca, meus lábios, minha língua, a saborear-me como se ao mesmo tempo quisesse acalmar a minha tesão, deixando a água fria correr por nás a baixo passando pela minha lili exposta resfriando-a.rnDepois de muito beijo e sempre segurando minha perna, baixa-se e com toda a sua língua quente passa-a na minha então resfriada lili, provocando-me um choque em que automaticamente o meu buraquinho se abre e o meu sininho estremece. Ele vai-se erguendo e beijando o meu corpo até ao momento em que começo a sentir a cabeça, a sua ponta a tocar a minha entradinha ao mesmo tempo que beija os meus seios.rnAh! Mas que sensação! Todo o meu corpo se sente totalmente entregue a este Deus que decidiu vir á terra para me fazer sentir MULHER.rnA sua ponta quente e macia continuava encostada pressionando a entrada da minha gruta do prazer. A minha vontade era descer naquele membro e senti-lo logo a preencher-me por completo. Mas não, segurava-me e beijava-me ao mesmo tempo que roçava e atiçava cada vez mais a minha vontade de o sentir dentro de mim.rnAo mesmo tempo que mantém a sua seta apontada na direcção certa com ajuda da mão, massaja-me toda a minha zona de prazer, penetrando-me com um ou dois dedos como que abrindo caminho. Cada vez mais com a minha perna envolta nele o pressionava mais a mim até que deixei de sentir os dedos dele e lentamente começo a ser preenchida, sentindo milímetro a milímetro aquele membro duro, macio, quente penetrando-me suavemente acariciando as paredes da minha vagina até não poder mais. Esta sensação tirou um suspiro demorado de mim. Parecia que aquele momento gostoso e demorado me tinha tirado todo o meu fôlego.rnDepois de conseguirmos recuperar o fôlego, depois de apreciarmos cada segundo da sensação que foi sentir os nossos corpos encaixarem um no outro, apertamos mais os nossos corpos um contra o outro, o nosso beijo longo onde nos saboreávamos sem nos conseguirmos saciar um do outro, o movimento das nossas ancas a aumentar a nossa excitação. Meu Deus, que corpo, que mãos, que boca, que língua, que sabores estonteantes me estavam a levar ao pico.rnCom as minhas mãos eu forçava-o contra mim, eu queria sentir todo aquele ser em mim.rnSempre encaixados um no outro, as nossas mãos e nossas bocas não deixavam de descobrir todos os recantos dos nossos corpos. Cada vez o sentia a crescer mais dentro de mim e com isto o meu auge se aproximava. Ele talvez sentindo também isto e que talvez pudesse chegar também sai de dentro de mim e eu sentindo a cabeça do seu membro a passar pela minha entrada leva-me a tão perto do auge que começo a sentir o meu corpo a tremer e a pedir para me darem mais.rnEle vira-me contra a parede abre-me as pernas enfia a língua na minha lili, massaja o meu sininho com os dedos? pronto? vim-me na sua boca. Sentia os seus lábios a tentarem apanhar todo o meu gozo e a chuparem-me com sofreguidão para não deixarem escapar nada, enquanto que ao mesmo tempo se masturbava. Todo o meu corpo tremia e lutava para se manter em pé. Nisto ele segura-me, levanta-se, encosta o corpo dele contra o meu e o meu contra a parede e antes que o meu êxtase acalme de vez penetra-me novamente empinando as minhas nádegas para ir bem fundo e sá com algumas estocadas sinto-me a chegar ao êxtase outra vez. Magnifico, sinto o meu gozo a descer-me pelas pernas abaixo quente e ao mesmo tempo sinto o seu pénis a latejar também. Meu amor tinha se vindo dentro de mim também e todo o seu leite escorria por mim junto com o meu gozo.rnCom os nossos corpos ainda encaixados um no outro, o meu corpo pressionado entre a parede fria e o corpo dele quente, ao mesmo tempo que sentíamos a água morna do chuveiro a escorrer por nás abaixo, sá nos dava vontade de repetir e prolongar estas sensações indeterminadamente até nos acabarem totalmente as forças, mas infelizmente o tempo era-nos já muito escasso. Recuperá-mos o nosso fôlego entre beijos e carinhos, o seu membro aos poucos foi abandonando o meu corpo?rnEra uma quinta-feira e tínhamos um dia de trabalho pela frente, onde eu ainda tinha de ir a minha casa preparar-me para um dia que eu sabia de certeza que não ia conseguir pensar noutra coisa se não na noite que tinha passado.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos eu e minha filha somos as putas do bairro e meu marido sabeRelatos de gay quie derao ao pedreiro saradocontos eroticos fui estupradacomendo amae domeuamigo porno leisbicocomendo a deficiente contos eroticosdei meu cuzinho muito cerdo contos eróticoscontos não resisti ao cacetaoconto garoto esperimentei da cucontos eróticos gay EMMO o maconheiroDei o cuzinho quando já era coroa contos eróticoscontos eroticos minha esposa sonhava em dar pra um cavalo e ela conceguiucontos comendo a mae e a avótoda e Vânia chupando a bocamorena mais paquerada transandomanuela pedreiro contos eroticosconto erotico do garoto ricardo fodendo titiosentei na rola do padrinho contos eróticosAdorei meu primeiro anal contos eróticoscache:ZlVInsUtxOIJ:https://idlestates.ru/conto_16496_o-flagra-de-papai.html historia erotica irmão dopa irmãminha esposa de shortinho na obraAbrindo as pernas para o sobrinho contocommini vidio porno so rabudas epitudascontos eroticosfudendo bucetinhas de dez anoscaralho meu empurra tudo nu meu cuzinhoconto porno so danda molequeSo uso fio dental enfiado no cu.conto erotico femininosobiu no cu delaminha tia esfregou/a/bunda/dee/vestido/no.meu/pau.conto lesbica professora dominadacoroa me rasgou contocontos eroticos chatagiada a beber espermasContos eróticos picantes pecados na igreja com padrescontos eróticos gravou tia dando pra doiscontos eróticos mulheres q chega em casa e o marido desconfia porque está arrombadacontos esposa bunduda so traz problemascontos Rabuda com cheiro de bundaminha esposa de shortinho na obra contocontos erroticos garroto comeu minha mulher dormindopapai me ensinado mamar contoscontos eroticos sou brocha e minha esposa arumo amantesContos eroticos de calcinha fio dental saia rodada no coletivovamos lá tem uma loira chupando a b***** da outra na boa f***contos eroticos comi a irmazinhaenchemos a boceta de porraremedio para durmi contoseroticostitio pedia q eu sentasse no seu colo e fazia cariciassuco de uma magrela trepando em pornô famíliaconto peguei meu marido estrupando a vizinhacontos eroticos de cdzinhacontos gay fetiche em gordinhoeu quero ver mulher ficando engatada fique transando com poodle cachorro poodlecontos eroticos de prima puta safada e com um rabo de puta que foi fazer uma visitinha pra tiameio das pernas uma pica dava inveja grossura esposaWww.xoxotinhanovinha.comporno comtos corno vendo cu da mulher depois que negao arombouconto erotico de velha gorda sem dentaduraContoseroticoscomsogrome apaixonei pelo um bandido conto heroticoContos eroticos de solteiras rabudasenfiando as havaianas na boca contos eroticossamba porno buceta com sujeiras brancasflagrei meu pai deflorando minha namoradinha contosporno doido sumindo um emorme prinquedo na pusetameu priminho estava batendo punheta para mim contos eroticoscontos eroticos primeiro cucontos de incestoMinha mãe e eu no carro 2contos sexo.eu meu sogro sograMulheres se jutao para fazer xexo contoscomi a novinha dormindo ela fico brabacontominha novinha tarada contocontos de zoofilia em bordeiscontos de coroa com novinhocontos safadezas com a tia casada inrrustidaBucetaamostra no onibus contos eroticostoda raspada na praia de nudismo contosContos eroticos das periferiaspasto da igreja tirou meu cabaçogozei no copo e dei pra minha tia bebeu contoscontos eroticos meu amiguinho me encoxoucasada recebe proposta indecente contos