Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

POR AMAR MUITO MINHA MULHER ACEITEI SER CORNO

Click to this video!

O título pode parecer estranho, mas o resumo da histária é exatamente este.rnrnMinha mulher é uma morena de praia, que sempre cuidou da sua pela e corpo, malhando muito e controlando a alimentação o que faz com que seu corpo faça o trânsito parar com suas pernas grossas e bem torneadas, sua bunda grande e seus peitões com silicone pulando no decote.rnEu por minha vez, sempre pratiquei esportes e tenho um corpo bem definido com pernas também grossas e porte atlético.rnrnAcontece que mesmo sendo muito apaixonado pela minha mulher, não consigo resistir a uma bunda GRANDE. É a minha fraqueza.rnEm janeiro de 2013 minha mulher descobriu meu deslize e a crise começou. Fiquei desesperado pois não me vejo sem a mulher que tanto amo.rnDepois de duas semanas tentando reatar nosso relacionamento ela me veio com uma única condição:rnpara voltarmos ela teria que transar com outro homem, com meu consentimento e com a minha presença para que eu visse o que é ser corno, como ela foi.rnMe pegou de surpresa, pois apesar de sempre fantasiarmos mil coisas na cama, nunca conversamos nada sobre isso depois.rnFalei que era um absurdo isso, blá blá blá...., mas ela disse que seria isso ou a separação.rnSaí de casa batendo a porta sem dar resposta.rnNo dia seguinte (quinta-feira) liguei do trabalho e chamei-a para sairmos para beber um pouco e conversarmos melhor.rnQuando cheguei em casa fui tomar meu banho e ela disse que quando eu saísse iria estar pronta na sala me esperando.rnrnQuando cheguei na sala, via mulher que amo, toda linda e maravilhosa, numa mini saia jeans, uma camiseta com a barriguinha de fora e o decote deixando seus peitões bem a mostra e uma plataforma nos pés o que deixava seu corpo ainda mais tesudo.rnTentei agarra-la ali mesmo, mas ela não deixou.rnPerguntei se ela iria sair assim mesmo e ela perguntou se não era sá para beber.rnrnSaímos e fomos a um barzinho no Ipanema que apesar de não estar cheio estava bem frequentado.rnComeçamo a beber caipirinha que sei que deixa ela soltinha e percebi que bebeu rápido e ja foi pedindo a segunda. Nisso percebo que ela esta animada e rindo toda hora. Ela deu um gole na segunda caipirinha e foi ao banheiro. rnquando ela voltou perguntei pela demora e ela disse que o banheiro estava movimentado. Nisso ela perguntou se iríamos nos separar ou continuarmos casados, no que respondi não iria me separar por ama-la muito. Segurei sua mão, mas ela com um sorriso malicioso disse se então eu teria aceitado a proposta dela. Falei que era loucura e que pensei que ela havia esquecido isso.rnEla disse que seria isso ou a separação. Bebi minha caipirinha num gole sá e perguntei o que ela tinha em mente.rnEla disse que aquele momento seria o ideal pois os 2 caras da mesa atrás de mim estavam fazendo acenos para ela. rnAchei uma sacanagem, mas ela disse para eu não me virar pois iria estragar tudo.rnrnPassei a entender porque ela estava dando risinhos toda hora. De repente um cara se aproxima trazendo 2 caipirinhas na mão e ela ja foi pegando uma e bebendo. O cara estendeu a mao se presentando como Carlos e depois estendeu a mão para ela que se levantou e falou no ouvido dele: Ana.rnEla mandou ele sentar e eu sem saber o que fazer, fiquei olhando. Ele me deu a caipirinha dele e bebi sem cerimônia. Ela deu um sorriso e falou, bebe meu amor, bebe para relaxar.rnA Ana, na maior cara de pau, perguntou ao Carlos se deu para perceber que ela estava se calcinha. Nem eu sabia disso e fiquei doido (adoro quando ela sai sem calcinha).rnCarlos disse que sim, mas não deu para ter certeza, daí ela disse para ele tocar nela então para se certificar. Ele nem olhou para mim e ja foi colocando a mão no meio das suas pernas.rnEla fechou os olhos e depois de algum tempo pediu para irmos embora dalí.rnCarlos acenou para o outro amigo dele que chegou e se apresentou como Beto e disse que ja havia pago as 2 contas.rnFalei que não precisava e eles insistiram.rnA Ana saiu de mão dada com o Carlos, o Beto atrás e eu por último.rnPegamos um taxi e fomos em direção a casa do Beto. No taxi, o Beto foi na frente e eu atrás com a Ana no meio e o Carlos. Minha mulher estava totalmente entregue ao Carlos e o beijava o tempo todo e sá virava às vezes para ver se eu estava olhando. Vi que Ana estava com a saia suspensa e a bunda toda de fora, sendo acariciada pelo Carlos.rnrnChegando ao Ap do Beto ele nos serviu uma bebida enquanto Ana foi ao banheiro. Quando ela voltou veio sá de calcinha, daí os dois foram para cima dela.rnAgora Beto começou a beija-la enquanto o Carlos se esfregava na bunda dela (e que bunda). Ela abriu a calça do Beto e ele a ajudou a tirar a mesma e colocar para fora uma pica enorme e dura. Ela segurou o pau dele,olhou para mim e falou um UAU!!!rnRealmente o pau dele era grande. Ela beijou-o mias uma vez sem largar o pau e depois se baixou para colocar ele na boca. Ficou lambendo, beijando, chupando e o pau dele duro feito rocha. Claro que ela não conseguia engolir todo. Nisso Carlos tirou sua roupar e colocou seu pau a disposição da Ana, que sem tirar o pau do Beto da boca começou a punheta-lo.rnQuando ela resolveu olhar para o pau do Carlos, falou:rnNOSSA, ESSE AQUI VAI ME ARROMBAR TODA AMOR!rnO pau do Carlos não era tão grande assim, mas era monstruosamente grosso. Realmente ele iria fazer um estrago na minha esposa.rnNeste momento eu ja estava tocando uma punheta e me segurando para não gozar.rnrnEla ficou ali chupando os dois e olhando para mim e peguntando: está gostando de ser corno?rnrespondi:rnquer ver o quanto? Nisso comecei a gozar de tanto tesão que estava sentindo.rnrnNossa, não sabia que ia gostar tanto de ser corno - disse ela. Sendo assim vou começar a fuder para você ficar mais feliz ainda.rnNisso colocou o pau grosso do Carlos na boca e empurrou o Beto que se deitou no tapete. Daí ela foi para cima dele e sentou na pica, fazendo sua buceta engolir aquela pica enorme bem devagar. Ela ia gemendo e colocando aos poucos. Quando ainda faltava um pouco de pica para entrar, ela virou e falou para mim. Acho que não cabe toda meu amor. To com medo de me machucar. Me aproximei pela primeira vez e falei no seu ouvido:rnvocê consegue... eu estou aqui e vou te ajudar.rnNisso, eu abri a bunda dela e fiquei bem perto vendo a buceta dela engolir toda aquela pica enorme. Ela geia de prazer e dor e começava a cavalgar com mais forca e eu ali abrindo sua bunda, vendo tudo de perto. Ela ja estava tão acostumada com aquela pica que pulava, pulava, ... que em determinado momento a pica pulou para fora da buceta dela. De perto assim a pica parecia ser ainda maior do que havia visto. ela ficou roçando e colocou a pica para dentro retomando sua cavalgada. rnPercebi que ela não estava mais gemendo e notei que era porque estava com a rola grossa do Carlos na sua boca. Realmente sua boca ficava escancarada para poder engolir aquela pica.rnBeto começou a gemer como se fosse gozar, daí Ana se levantou e disse que não iria gozar ainda. Me deu um beijo (tinha um cheiro diferente, deveria ser da pica do Carlos), e mandou o Calos deitar que estava na hora de ser arrombada. Ela virou para mim e pediu ajuda, no que fui prontamente.rnAbri sua bunda enquanto ela ia sentando na pica do Carlos. Pensei que não ia entrar, pois sua buceta sempre foi apertadinha e aquela pica era extremamente grossa. E foi difícil mesmo. Depois de duas tentativas sem conseguir, ela pediu para eu lubrificar um pouco sua buceta para facilitar. Ela se levantou e empinou a bunda no meio da minha cara e tive que ficar lambendo aquela buceta que estava vermelha da foda anterior. Desta vez senti outro gosto diferente e que deve ser da pica do Beto.rnEla saiu e sentou de novo na pica do Carlos, pediu para eu abrir bem sua bunda para facilitar e ela sentou de uma vez sá, soltando desta vez um URRO com a pica toda atolada na sua buceta. ela ficou um pouco parada coma pica toda la dentro para se acostumar e depois começou a se mexer devagar até que virou e disse:rnAgora sim vai começar.rnDaí começo a cavalgar naquela tora gossa do Carlos e colocando a pica do Beto na boca. Comecei a me masturbar de novo pois minha pica estava latejando... Tentei oferecer minha pica para ela chupar mas minha piranha disse que hoje ela sá iria dar para eles e que se eu quisesse poderia no máximo me masturbar e gozar em cima dela.rnDepois de um bom tempo nesta posição, ela tirou o pau do Beto da boca e falou para ele:rnBeto, não deixei vc gozar na mnha buceta pois quero os dois gozando ao mesmo tempo dentro de mim, então vai lá atrás e mete essa pica devagar na minha bunda, junto com a pica do Carlos na minha buceta.rnFiquei assustado, mas ela completou: se quiser ajuda, pede para meu corninho te ajudar que sei que ele vai gostar de ver as duas picas de perto entrando na mulherzinha dele.rnBeto se ajeitou atrás da Ana e olhou para mim, nisso eu abri sua bunda e não tirava os olhos da pica dele (não tinha como deixar de admirar uma pica daquele tamanho). Ele apontou no cu dela e foi empurrando bem devagar. Estava difícil por falta de lubrificação, daí Ana pediu mais uma vez para eu lubrificar para ajuda-la. Beto se afastou um pouco e fui lamber o cuzinho da minha puta. De propásito, Beto deixou sua pica bem práxima da bunda dela apra eu ter uma visão práxima da pica que estava esterrada na buceta dela e da outra que iria entrar no cu. Fiquei ali lambendo o cuzinho dela sem querer sair dalí, daí a Ana perguntou:rnanda logo, lubrifica logo este cu e deixa o acesso livre para eu receber essa pica enorme na bunda. Nisso o Beto se aproximou ainda mais e o toque da pica dele com meu rosto foi inevitável. Fiquei sem saber o que fazer e olhei para o Beto que falou: lubrifica vai...rnvirei meus olhos para a pica dele e lambi aquela cabeça, babando bem na pica para deixar bem lubrificada. Não satisfeito, segurei sua pica e conduzi-a até entrar no cuzinho da minha mulher.rnPronto, deixei eles ali, e Ana começou a se mexer, cavalgando com a pica do Carlos na buceta e Recebendo estocadas do Beto na bunda.rnMe sentei no sofá e fiquei olhando e ouvindo minha esposa gemendo e falando coisas do tipo:rnAi que delicia, amorrrrrrnComo é gostoso levar duas picas...rnMete, mete mais seus putos, metem com força.rnMe arrebentam que hoje vocês estão com uma puta.rnrnEles não aguentaram e gozaram os dois juntos como ela queria e ela também não aguentou e gozou aos berros. Ficaram assim engatados por mais algum tempo e saíram. rnAna caiu deitada no tapete enquanto Beto e carlos foram beber alguma coisa e tomar banho. Ana me chamou e começou a me beijar falando que me amava e que isso não iria mudar nosso amor, apenas queria que eu visse o que é ser corno, pois nunca havia me traído.rnEla perguntou se eu gostei e não tive como negar, pois estava todo gozado (pela segunda vez). Ela falou que eu não precisaria mais cornea-la e que sempre que quisesse uma bunda diferente falasse com ela que sairíamos juntos pois também ia querer me ver transando.rnEu concordei e ficamos combinado que sempre poderíamos fazer estas sacanagens quando quiséssemos, desde que sempre juntos.rnrnEles voltaram e nos viram no maior love, perguntaram se queríamos alguma coisa, e eu respondi a eles:rnela quer mais pica, pode ser?rnEles riram e o Carlos disse que agora queria comer a bunda dela também, e ela negou. De jeito nenhum - disse ela.rnEle não gostou muito mas imagino que deve ser difícil mesmo enfrentar uma pica daquela grossura. rnOs dois estavam sentados no sofá e ela começou a chupa-los enquanto eu chupava a buceta e bunda dela e que volta e meia escorria porra, hora da buceta, hora do cu dela. Fiquei sem saber o que fazer mas acabei lambendo tudo. rnNisso ouço o Beto gemer e imaginei que estivesse gozando. Logo depois o Carlos começou a gemer mais forte e também imaginei que fosse um gozo.rnQuando pararam minha esposa, que estava com a buceta na minha cara, foi descendo até me beijar. Foi quando percebi que ela estava cheia de porra no rosto e na boca. tentei me afastar dela, mas ela me puxou me beijando e disse:rnJa provou a porra deles saindo de dentro de mim, porque não prova esta da minha boca... daí nos beijamos e nos lambuzamos com aquela porra toda.rnFomos para casa felizes e não temos mais motivos para nos separar.rnEstou feliz

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto minha esposa rabuda deu pra familia todo na salaflagas de encesto com zoofolia contoscontos de esposa dando pro cunhadomarido chama primo pra tranzar com sua espozacontos de corno esposa com dois e comendo cu do esposocontos eroticos arrombada pelo empregadovai me arrombarconto eróticominha traiu meu pai mulher casada vira putacontoseroticoscdzinhassou casada madura mas na chacara bati uma punheta pro visinhoesposa perdeu a aposta contosmulher goza gostoso loucamente deliranteenrabado dormindo acordei gosteiela pegou no pinto dele na marra mais ele gozoucdzinhas como tudo começou contosconto erotico real sobrinhotravesti putinha passiva de minisaia pornocontos meu pai me seduziusexo contos deposito de porracontos eróticos de professoras de cegoswww.loiras traindo com negao contoscontos herodico de vadia sendo arromba por um cachorroconto erótico peguie minha mãe no flacra tocando siririca lésbicasContos eróticos fedorentaa maninha me chomo pra tomar banho com ela minha primeira vezminha esposa faz questao que eu veja ela com outro em nossa cama e depois chupe ela toda esporrada videoscontos eroticos estupro da cegacontos eróticos pequenaconto erotico senti vontade de transa com um traveco pq so kadadocontos observando os peitinhos da filhinhacome minha vovo de poi micome negaowww.porno cuahada virgem estupadacontos eróticos mamãe deu o cu eu vicontos fodendo a namorada de todo jeitona casa de swing recife contoContos de viadinho de shortinho socado querendo dar o culer contos pornos eletrecista mi comeo no hotelex cunhada putacontos menage com loira e morenaconto erotico dogRex dando o cuCarnaval cerveja mezanino nada conto eróticocontos eróticos maecontos eroticos esposas no swingcontos eroticos comendo a tabata mulher do amigoescandalosa enrabada contosesposa e filha de fio dental e eu contosconto erotico gay coroa pirocudo do bar me levou pra casa dele e me arromboucontos eroticos gay fiquei sozinho em casa meu vizinho veio mim comerContos e fotos de sexo no carnaval mtaputariaContos porno minha esposa realizou meu sonhomarido corno nao ve mulher paasa a mao no pau d outrocontos eroticos minha sogra me deu uma canseiracunhada na cadeia contoscontos porno.vendeu o cuCONTOS EROTICOS DE PATROINHA ABUSADA PELO FILHO DO CASEIROver conto erotico sob velhos etrupadorecasa do conto formos a praia de nuz e meu filho mi chantagiou pra tranzacontos eroticos brincado de se esconder no recreiocontos.eroticos fui.fodida pelo tio velho da van escolarpornodoidonaocontos eróticos meu aluno preferidocontos eróticos de bebados e drogados gaysminha esposa mostra a buceta para meu padeiroscoroa gostosa se arrumando namorada em Pouso Alegreeu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestovi outro gozar na boca de minha mulher contosxerequinha juvenil de perna abertacontos eroticos meu cachorro e minha primaLekinho cú apertadinho contos gayscontos realizei o sonho do corno engravidei de outrocontos armei estrupo para minha esposacontos comi uma cabritinhaArombaram meu cuzinho quando pikena conto eroticoputinha submissa do tiomeu cuzinho desvirginadocontos eróticos lanchameu marido foi enrabado a minha frente, contosMinha prima viu-me a mastuvirei cadela contos eróticosConto gay muay thaiConto eu metendo na vagabunda da minha tia e na vadia da sua amigaminhaxaninhaardeumeu marido fez eu ultrapassar tds os limites contos pornosgorda sobe a saia e transa na ruacasa dos contos eróticos camila a namorada gostosa do cunhadoconto etotico minha esposa fudendo com meu pai e meu irmaomulher massagista escorregar o dedo na xota da clientecasada recebe proposta indecente contosconto de sexo virei femea do meu pai