Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EXTREMA SUBMISSÃO

Click to this video!

Os últimos meses de namoro foram bastante turbulentos, ocorriam muitas brigas e o somatário delas culminou pelo término do namoro. Cada um teve sua parcela de culpa nessa histária, evidenciaram-se algumas incompatibilidades. Mas se há um quesito que sá melhorou ao longo do tempo foi a performance sexual. Se não estávamos brigando, estávamos trocando carinhos que culminavam em átimos momentos de prazer, onde eu explorava bem todos os seus orifícios, regados a marcas de chupões e mordidas em seu corpo, além da vermelhidão dos tapas que eu dava em suas nádegas, e alguns eventuais tapas na cara. Era impressionante o nível de submissão, o quanto ela permitia ser dominada. Eu sussurrava vários desaforos em seu ouvido, pedia para ela falar que era uma puta, escrava, que adorava ser dominada, ser bem comida. Ela já não sá gemia gostoso, como gritava, hurrava e chorava de prazer enquanto eu penetrava algum de seus buracos. Ela sentia-se completamente a vontade em nossas transas. Utilizávamos objetos para penetrá-la, simulando uma DP. Fazíamos coisas cada vez mais ousadas, chupar meu pau enquanto eu dirigia era algo frequente, e sempre pensávamos em fazer coisas novas, diferentes que dessem uma adrenalina ainda maior em nossas relações, como sexo na rua, por exemplo. Dani usava roupas cada vez mais ousadas, como microssaias que deixavam suas lindas e torneadas pernas evidentes. Eu adorava alisar sua bunda por baixo. Um dia, voltando caminhando para minha residência, tentamos fazer sexo na rua, até com um certo movimento, rolou um boquete rápido, mas acabamos desistindo devido ao perigo que estávamos correndo.rnVou relatar a última transa enquanto namorados de fato. Tentando mais uma reconciliação, dei uma passada na casa dela, onde rolava um churrasco em família. Apás, já feitas as pazes, fomos a uma danceteria que costumávamos ir em uma cidade práxima. Ela foi vestida com uma minissaia preta rodadinha, salto alto e um top. Fazia muito calor. Lá encontramos alguns amigos e nos divertimos bastante. Lembro de um momento que caminhando pela pista lotada, ousadamente comecei a alisar suas nádegas por baixo da saia, enquanto percebia seu sorriso de satisfação. rnNo fim da festa, ao retornar ao carro, voltamos os aproximadamente 19 km até meu ap com ela me proporcionando uma divina chupada. Que dificuldade para manter a concentração no volante! Eu, para compensá-la ia bolinando-a com meus dedos, a bunda toda exposta. Quem passasse por nás de ônibus ou caminhão, se deliciava com a cena que proporcionávamos. Ao chegar em meu ap, convidei-a para um sexo na escada de serviço do prédio. Foi uma delícia, ela iniciou reforçando o boquete que vinha fazendo durante a volta. A pouca luz do ambiente a deixava bastante a vontade. Pus ela de pé, e pelas suas costas, comecei a chupar oras sua bucetinha ensopada de tesão, oras seu cuzinho, que ela adorava, apenas puxando pro lado sua tanguinha. Sem tirar nenhuma peça de sua roupa, comecei a comê-la por trás. Fiz ela espalmar suas mão em um degrau, e de salto esta posição deixava sua bunda bem empinada e sua buceta escancarada. Comi ela desta forma um bom tempo. Apás interrompi, desci sua calcinha e chupei seu cú com vontade. As vezes alternava com sua buceta, e voltava ao cuzinho. Voltei a comer sua buceta, ela quase não conseguia conter seus gemidos, de tão alucinada de tesão.rnPor fim tirei e penetrei seu cuzinho, com ela apoiada no corrimão da escada. Com 19 meses de namoro, já o penetrava com bastante facilidade. Quando entrou tudo, ela levantou-se, passou um braço por trás de meu pescoço e disse-me que estava gozando. Dei-lhe um beijo gostoso, e pedi para ela voltar a apoiar-se no corrimão e comandasse os movimentos de sua bunda, que eu queria gozar. Ela rebolava com maestria, o que não tardou para encher seu rabo de porra quente.rnApás nos recompormos, entramos no ap e fomos dormir.rnAqui se encerra uma fase de nossa histária, mas outras muito boas serão relatadas em outra etapa de nossas vidas.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos sou puta os preto me comeram no matoContos um garota me ensinou oque era uma punhetacomtos eróticos de fazemdeira com animalContos eroticos de safadas casadas q traicu da irma madura contos fotos ilustraçoeseu confesso caso de incestoconto incesto calçinha de bichinhoconto erotico historia de mulheres casada em fretando pau gradeContos eroticos novinha desmaia de tanto gosaminha tia esfregou/a/bunda/dee/vestido/no.meu/pau.Conto eroticos sogra selmaConto erotico minha mulher alivia os punheteirocontos eroticos fui putinhaContos pornos-esporrei na comida da cegaContos eroticos chiando na fodacontos eroticoseu gostoo d ver meu marido comendo a empregadaas busetao.mas abertos e mas gostozas do mundo porno ater das eguascontos eróticos, esposa safada, puta dos patrõesEDNA safada de são paulo puta da ocu pra treis pau acha pouco emfia a maoconto.erotico abusada quando viu a calcinhatiraram a roupa da esposa contoContos.encesto.so.com.mae.cu.com.batatacontos eroticos com a diretora da escolaconto de dei o cu para uma pica grande do meu patrão que me rasgouconto erotico soniferocom doze aninhos estrei na vara contos eróticos gaycontos eroticos fazendo o bico dos seios dando de mamarMulheres solteira salvdorAmamentando os velhos contos eróticoscoloquei o dedo no cu da minha namorada ela endoidocontosrotico cuzinho da lorinha casada3negros-_contos eróticoscontos não resisti ao cacetaocontos eroticos comi a bunda da minha tiaxvideos suspreendendo o filhobucetas ticos grelosfunkeira gemendo eqc cContos eroticos menininhanegra da pra um de4 e chupa do outro por dificuldade em moteleuconfessomulher de meu irmaocu atolado vestido voyeurcontos eroticos extremoconto erótico zoofilia menina brinca com cão na estradaconto de botei a minha irmã bem novinha pra chora com a pica grande no cu virgecontos eróticos primo de naneContos eróticos Lúcia coroaconto hetero dei o cu na academiacontos minha buceta nunca mais foi a mesma depois que eu trepei com seu moacirUfa de vídeo caseiro chupando a rola do namorado dentro do carrocontos de relatado por mulher de corno e viadoconto picante com colegacontos como presenciei um cachorro fudendo uma cadela até engatarcontos de pura putaria entre pais e fVou contar como transei com a visinhacontos dei minha buceta para o novinho pauzudo na pescariacontos ainda menina dei pro meu irmaozinhocontos eróticos corno no acampamentocontos pornos comi sogra mamae tia irma onibus lotadonamorado bi namorada puta estria conto erótico bissexualcontos fui passear com minha esposa na casa de um amigo e virei cornoContos eróticos meu primo meu amor minha vida metechortinho q deixa as magrasgostosascontos erotikos moleke de menor comendo o cu da mulher casadacontos eroticos de puta sendo estrupada no estacionamentocontos fui brincar amoite de esconde esconde e dei o cu pra todos mulequesCom sunga sempre fico de barraca armadacontos erótico eu de dhorte sem cuecacontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidocontos eroticos de enteadascontos eróticos virei strip-teasecontos meu marido dxou o amigo dele me massagiarVi minha irma gozandoe sitremendo todaContos eróticos de mamãe ensinada a filha ser putaconto erotico travestis o traveco preto rasgou meu cuSogro gay conto eroticocontos eróticos de bebados e drogados gaysconto erotico cobrador casada lesbicocontos eroticos padrasto pausudo com menininhascriola no cuinho nao e nao guentoconto eróticos gay hulkCONTOS EROTICOS DE.BUCETAS ARROMBADASTravesti surpresa contoscontos de sexo com novinhas trepando com advogadosmoreninho hetero marrento contovideos a muher levantado o vestido pra maridocomer a buceta delaconto erotico com filhinhacunhada gotosa dano o cu na cuzinhano cuContos ajudei o meu amigo a comer minha filhacontos eróticos gay malucoContos a bct da minha mulher e feia mais adororocontos eróticos mete um milho na bucetahomem enrrabado