Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FANTASIA DA MINHA NAMORADA PUTINHA.

Click to Download this video!

Tudo começou numa ginástica laboral lá do meu setor, não imaginava que algo inocente pudesse terminar no que terminou.rn Depois dos exercícios individuais, sempre fazemos uma seção de massagem em dupla. Uma pessoa senta de frente pro encosto da cadeira enquanto a outra por trás passa duas bolas de massagear nas costas, depois trocam de posição.rn Aquele dia fiz dupla com Fernanda, uma estagiária que chegou um pouco depois de mim aquele núcleo. Fernanda sempre ia arrumadinha demais e a princípio não via nada de interessante nela. Pernas finas, baixinha... Com o tempo e aproximação fui notando sempre que conversávamos como seus seios era bonitos, volumosos, e, por mais que a blusa fosse comportada, eles pareciam sempre querer pular dali. Nesse dia ela estava de blusa branca de botões, peça com cara de trabalho mesmo, e seus peitos ali forçando os botões. Mesmo assim, sá havia notado, nada que me despertasse vontades.rn Voltando... Quando Fernanda sentou de costas pra mim para que eu começasse a massagem, delicadamente retirou os cabelos da nuca para que não atrapalhassem, e o cheiro bom, não sei se do cabelo ou de seu pescoço, me chegou. Estantaneamente, me imaginei beijando aquele pescoço e lambendo verozmente, e descendo a mão por dentro da sua gola branca até chegar nos seus peitos, sentir os bicos tocando a minha palma. Apertaria com brutalidade, e arrancaria aqueles botões afastando os peitos com a mão, enquanto lambia pescoço, nuca e orelhas.rn Nossa, viajei por instantes e me repreendi por ter pensado aquilo. Pobre Fernanda, se soubesse da minha mente maliciosa jamais permitiria que eu lhe fizesse massagem.rn Meses depois, a equipe toda viajou para realizar uma palestra em conjunto noutro estado. Ficamos alojados numa espécie de pensão, mas arquei com as depesas de um quarto individual, geralmente faço questão de privacidade. Até porque tenho costume de me masturbar sempre antes de dormir, e não abriria mão disso nos dias que passamos lá.rn Cada um se alojou nos seus respectivos cômodos assim que chegamos. Quando anoiteceu, todos já prontos para dormir foram bater um papo no terraço, mas eu me recolhi cedo, sá queria bater uma gostosa pra dormir. rn Fernanda deu por minha falta e foi até meu quarto perguntar porque eu não estava entre eles. Eu estava ainda sem roupa, coloquei uma camisolinha pequena por cima sá para abrir a porta. Ela ficou insistindo para que eu saísse do quarto, e por educação ainda passou um tempo lá conversando comigo, enquanto eu passava creme no corpo. Eu um momento, de costas pra ela, apoiei uma perna na cama para passar o creme esquecendo que estava ainda sem calcinha. Fernanda falava enquanto via minhas pernas e um pedaço de minha bunda torneada e morena. Quando me virei percebi que ela estava tentando desviar o olhar do meu corpo enquanto falava, mas tentada a continuar observando.rn Ela se despediu e foi ao encontro da turma. Eu deitei e fiquei a buscar inspirações para ter um orgasmo gostoso antes de dormir, acariciando minha buceta e sentindo-a ficar molhada aos poucos. Quantos caras não gostariam de fudê-la naquele momento, ensopada daquele suco, toda aberta, grelo inchado... Apertava meu peito, esfregava o tabaco feito louca! Tava muito gostoso, imaginava foda de todo jeito, cheia de tesão, prestes a gozar... Quando novamente ela entra no meu quarto, e dessa vez sem bater, vindo me perguntar de novo se está tudo bem. Não estava gemendo na hora, mas a respiração ofegante com certeza ela ouviu. Acendi a luz na mesinha de cabiceira e, constrangida, tentei dizer que me sentia meio cansada, por isso respirava fundo, e Fernanda veio em minha direção me olhando estranhamente, senti um quê de malícia na sua expressão de quem tinha notado o cheiro forte de buceta no ar. Parece que Fernanda não estava tão inocente. O tesão que tinha ido embora de repente quanto ouvi a porta sendo aberta, voltou na hora em que observei que a camisola que ela usava já não era a mesma da primeira vez que foi até meu quarto. Era branca de cetim, fina, mostrando os bicos duros apontando, de alça e meio decotada. Nossa! Tavam mais gostosos do que nunca.rn Sentou-se do meu lado e começou a concordar comigo, afirmando que eu parecia estar mesmo doente, passando a mão na minha barriga, no meu tárax carinhosamente. Mas eu saquei tudo. Fernanda se esticou provocativamente por cima de mim para alcançar um objeto do qual falava na cabeceira e eu não resisti quando vi em cima do meu rosto aquele busto, abaixei somente um pouco a camisola e finalmente meti a boca naqueles peitos apertando com as duas mãos com vontade. Na hora que me agarrei naqueles peitos tive uma vontade imensa de gozar, mas segurei, sá estava começando. Ela respondeu na hora encaminhando sua mão a minha buceta já molhada e começou a enfiar o dedo. Com as mãos ainda nos peitos, joguei Fernanda com tudo na cama e sentei em cima de seu quadril, continuando a mamar feito louca. Nos beijávamos e nos lambuzávamos rapidamente, até que ela veio pra cima de novo e desceu a boca até minha buceta começando a chupar. A língua firme pressionando meu clitáris, a língua pontuda entrando na buceta, a língua rápida, me fazia gemer muito e puxar o rosto dela contra mim, lambuzei aquela cara toda, rebolei no seu fucinho.rn Depois foi minha fez, puxei Fernanda pra cima do meu rosto, ficou sentada segurando no espelho da cama e eu me lambuzando por baixo dela. Buceta gostosa, suguei muito aquele pinguelo, lambi de cima abaixo e fiz gemer muito aquela cadela. Bebi todo seu caldo.rn Pra terminar gozamos ainda mais uma vez esfregando e estapiando a buceta uma da outra. A safada mamou muito meu peito também.rn No dia seguinte descobrimos que nosso amigo do quarto vizinho tinha percebido tudo. O nojento veio perguntar ironicamente porque eu tinha feito questão de um quarto sá pra mim se Fernanda pôde dormir comigo, falou que na práxima vez queria "participar". Vou confessar que sempre me senti atraída pelo jeito de macho desse cara. Mantinha a pose de intelectual, mas sempre achei que fosse bom de cama, cachorro. Aqueles pulsos grossos e as mãos grandes me indicavam uma boa pegada. Sempre que o via sentado com as pernas grossas abertas, tinha vontade de montar naquele colo. Como seria o pau dele?rn Até a noite, Fernanda já tinha dado corda suficiente ao cara. Todos foram conversar no terracinho como no dia anterior, tomando um vinho e dessa vez eu estava com eles. Fernanda, depois de ter conversado bastante com o rapaz, veio me perguntar se não podíamos terminar o vinho, os três, no meu quarto. Concordei.rn Continuamos o papo no meu quarto, e depois de umas já estávamos bem "soltinhos". Os assuntos já não eram do trabalho. Até que ele começou a falar que havia ficado a noite toda ouvindo nossa transa, bastante curioso imaginando como estávamos fazendo. Pediu pra ver um pouco do que fizemos, disse que ficaria a olhar.rn Fernanda e eu começamos a nos beijar, de um jeito bem safado com as línguas à mostra e as mãos assanhando os cabelos e começando a passear pelo corpo; eu segurava firmemente seu rosto e mordia seu queixo. Quando olhei pro cara, estava com a rola pra fora, punhetando enquanto via a cena. Reparei nela, que rola gostosa! Cabecinha rosa, tamanho e largura perfeita. Eu realmente cavalgaria muito naquele colo. Fiquei tentada a chupá-la, mas ele logo disse: "Continuem!"rn Fernanda se abaixou na minha frente e foi levantando meu vestido devagar com as mãos passando pelas laterais do meu corpo, beijando a parte que ia ficando descoberta. Beijou minha buceta por cima da calcinha, colocou a língua quente no meu umbigo, ficou girando dentro e em torno, lambendo desse jeito. Puta! Me deixou louca. Continuou subindo e começou a mamar meu peito. Terminei de tirar o vestido e sentei na cama enquanto a puta mamava, fiquei me masturbando ensopada, e o cara levantou a saia de Fernanda pra ter uma visão melhor enquanto ela tava de quatro. Daqui a pouco ele estava do meu lado, com a rola na minha cara esperando um boquete! Na hora eu caí de boca, que delícia de rola! Mamaria até agora, aquele caralho. Fernanda desceu pra minha buceta nessa hora.rn Depois de ter chupado muito a rola, peguei Fernanda. Ficamos eu e o cara mamando aqueles peitos, cada um em um. Mamávamos e nos beijávamos, e voltávamos pras tetas, e chupávamos juntos, misturávamos as línguas no bico e cuspíamos neles.rn Depois o cara veio pra trás de mim e me puxou bruscamente pelas pernas, me afastando dos peitos de Fernanda e me arrumando de quatro, encaixando atrás de mim e empurrando minha cabeça pra chupar aquela buceta. Socou gostoso, o nojento realmente sabia meter. Espancou minha bunda enquanto fodia. Eu não sabia se gemia ou se chupava a puta.rn Quando quis parar, o cara arrastou Fernanda pelos cabelos pra lamber minha buceta lambuzada e meu cu, queria socar nele agora. Eu fui no céu com aquela chupadinha no cu, preparou gostoso pra eu levar pica nele. Fernanda arregassou minha bunda pro cara enfiar.rn Me fudi! Foi muita rola na bunda. Socou com tudo, tive vontade de gritar. Até que ele foi fuder Fernanda; eu saí do meio e ele a pegou como estava, arreganhada na minha frente. Nessa hora sentei na cara dela pra ser chupada. Fiquei de frente pra ele nessa posição, que às vezes se inclinava pra me beijar e estapiar meu peito. Muito bom rebolar na cara dela, abri minha bunda com as duas mãos e esfreguei com vontade.rn Depois foi a vez dele de deitar. Fui cavalgar pra matar a vontade que já tinha, sentei naquela rola e quiquei muito. Fernanda sentou nele e ficou sendo chupada. As duas cheias de tesão tentando se pegar nessa posição, algumas vezes, pra trocar uns beijos lambuzados e uns apertos nos peitos.rn Ficamos as duas de quatro pra que ele lambesse as duas xotas e enfiasse na que quisesse e depois fomos dividir um boquete no cara. Chupei o ovo enquanto ela mamava, depois fui mamar enquanto ela chupava em baixo, depois labemos juntas o pau inteiro, de cima a baixo, cuspidas pra ficar bem babado, e ficamos dando lambidinhas rápidas na cabecinha, deixando ele louco. Gozou na cara das duas e terminamos nos lambendo.rn Foi a viagem a trabalho que mais valeu à pena. Desde então sempre marcamos programinhas de fim-de-semana, feriado, recesso... Os três, ou as duas! Haha.rn rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto amigo de meu noivo me comem a forçaao lado do meu marido masturbei um estranho no onibus.contos eroticossou casado mas fui dominado gaycontos adorei a lingua no meu cuzinhoSou gay e tranzei com um travest contos eroticoContos eróticos mãeSou casada fodida contosobrinha gosta de sentar no colo do seu tio so de vestidoconto erotico fiquei trancadohistoria eroticass papai mum chupou contos paguei mais comi a putacontos eroticos meu sobrinho pauzudoContos gay studio fotograficoconto menininha sentou no meu paudescabacei a namoradinha de 13 aninhosrelato erotifo meu filho gosa muto nas minhas calcinhasconto corno leva sua savada pra asisti o jogo de chortinho torano a bucetamulheres damdo a nisetacontos com o pai do meu maridoContos domesticas casadas enrabada pela patroa com vibradorcontos erotico virei a submissa da minha maecontos eróticos com fotos de menininhas sentadas no coloconto gay velho do ônibusminha esposa safada de saia deixo o vizinho a funda a xoxota delasou amante do bundao da minha maecontos eroticos gay meu tio de vinte anos me comeu bebado quando eu tinha oito anosHistórias eróticas sobre estuprosBucetas aregaladas e raspadibhaAtraido pela garotinha contos eroticoscontos eroticos e tome gozada na caradei pra um estranho num baile e meu marido viu conto eroticoNegão Da Picona Na Africa Contos Eroticoscontos esfrega buc gozada corninhoconto erotico caronaCorno ama namorada use chortinho de lycra marcando buceta contosminha professora nao usa calcinhas contos eroticosconto tirei do cu e comi a bucetacontos caralho grande baixinhacontos eróticos de mulher casada f****** com namorado da filhaconro erotico gay meu tio alopradoconto erotico do viadinho de calcinha na casa do tioConto de coroa estrupada e chingada pelo genronoite maravilhosa com a cunhada casada contoscontos eróticos dupla penetração anal em travestis zoofiliasexo-gostoso-numa-ilha-paradisiaca..comcontos eroticos senhora do quadril largoadoro usar as calcinhas da minha esposatranso com meu primo de primeiro grauContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas nivinhas dormindo e provocandocunhanada carente deita no colo do cunhado e ele fas ela fazer um boqueti gostosogožano na buceta da irmanfilho dotado fudendi o pai desejosecretos.como macho frequenta mimha casae o dono contoscontos eroticos na filaSou gay e tranzei com um travest contos eroticomeu sogro me escravizou contos erotiçosmeu primo mobral contocontos eróticos mae solteira e sua filhinhamendigojumentovirando escrava submissa do traficante contogosando no cu do meu filho bundudo inocentecontos eróticos fui Penha a força por doiscontos meu marido descobriu quando cheguei arrombadaquantos ticos a mulher cosegue colocar no cuquero ver um vídeo de graça de graça rouba pica bem grossa dentro da b***** entrando bem devagarzinho b************contos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casavideo de se eu pega ella arranco os cabeo dellaConto porno vi mamae sendo sarrada no busaoeu vou te arregaçar inteira me perdoa amor, desculpacontos eroticos dominou toda a minha familiabobadinho condo o priminho gaycontos eroticos exitantes minha sogra safada gostosa contos:sou casado mas gosto de calcinhas fio dental uma. noite eu esqueci e dormi de calcinha e minha esposa fragouConto erotico socando rola