Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

KAREN NO CARNAVAL DE 1989 " O INICIO"

Click to this video!

" Eu e minha esposa lemos sempre contos eráticos, e sempre que aparecem relatos de troca de casais ou ménage me delicio, insinuando que gostaria de vê-la transando com outro homem na minha frente. Ela sempre diz que não teria coragem, pois, depois que nos casamos, ela nunca mais saiu com outro, porém achava a idéia excitante. A situação não passava de mera fantasia nossa, até que chegou o carnaval. Confesso que não sou muito fã desse tipo de festividade, mas, esse ano, devido à insistência de minha esposa, acabei adquirindo uma mesa num clube, tomando o cuidado de reservar a última do mezanino, onde de um lado tinha uma parede, do outro uma pilastra e, ao fundo, uma janela. Era quase um camarote exclusivo. Assim, de certa forma, teríamos um pouco mais de privacidade, sem no entanto perder a visão completa do salão. Jamais pude imaginar o que tinha reservado. Minha esposa é uma belo exemplar de fêmea, morena, cabelos pretos compridos, seios volumosos, uma bunda de fazer qualquer homem virar a cabeça, coxas grossas bem torneadas, e uma cintura de encaixe perfeito. A meia-noite entramos no clube, cumprimentando os amigos e nos dirigindo para a mesa reservada. Ela usava tênis, miniblusa bem solta, uma curtíssima saia jeans e mais nada. Aliás, isso eu sá vim, “a saber”, mais tarde. Vez por outra, passava um garçom trazendo cerveja. Embalados pelo ritmo da festa, nos divertíamos a mil, até que em determinada hora passei a mão na bunda da minha esposa e descobri o “mais nada...” Ela maliciosamente sorriu e eu já fiquei a meio pau. Minha esposa percebeu e, dando uma indelével passada de mão, também descobriu que eu sá usava a bermuda e mais nada. Embalados pelo som do conjunto, a diversão rolava solta, e eu aproveitando a privacidade do local levantei a parte de trás da sua saia e passei a acariciar aquela bunda que me delicia. Em total aprovação, ela me beijou e eu continuei. Olhando para os seus seios, percebi os bicos intumescidos numa clara demonstração que ela estava cheia de amor para dar aquela noite. Em determinado momento, olhei para trás para ver se a cerveja estava vindo e notei a presença de dois rapazes. Lentamente, abaixei a saia e continuei como se nada tivesse acontecido. Como a cerveja demorava, resolvi ir buscar. Dei um beijo no rosto dela e falei que já voltava, quando me virei para ir ao bar percebi que os rapazes não estavam mais na observação. E fui tranquilo em busca da loura gelada para saciar a sede. No bar, entre um papo e outro com os amigos, acabei me demorando, porém de onde estava podia ver minha esposa. Continuei a conversar com um amigo, e de repente vi que ela não estava mais sozinha. Ao lado dela, um rapaz conversava e sorria. Num dado momento, ela deu um beijo no rosto dele e sorriu, continuando a dançar lado a lado. Eu lá de baixo sá observava, e ela dançava freneticamente, quando, num dado instante, percebi que seus movimentos diminuíram e ela passou a se mexer de um jeito que eu conheço muito bem. Engoli seco o gole da cerveja. Será que o que os meus olhos viam eram a realidade? Mas como podia, se o rapaz estava ao seu lado e ela sorria para ele? Resolvi ver de perto o que estava acontecendo. Sorrateiramente, me aproximei e vi minha fantasia sendo realizada. Quase não acreditei. O rapaz ao seu lado dançava, enquanto um outro se deliciava lambendo a sua bunda, e depois de bem salivada, o rapaz abaixou a bermuda e tirou seu belo pinto . Eu não acreditava no que meus olhos viam. Imaginei que ela não ia deixar, mas, com um jeito que sá ela sabe, o cacete foi entrando. Percebi que de vez em quando ela segurava a cintura do cara e depois deixava que ele a penetrasse. Repetiu esse movimento umas três vezes, até o cacete penetrá-la por completo. O jovem começou o vaivém e, quando parava, ela rebolava, demonstrando total satisfação de estar sendo penetrada. Enquanto isso, eu tomava a cerveja para equilibrar ciúme e satisfação, afinal minha fantasia estava sendo realizada. O rapaz que estava ao seu lado parecia nem se incomodar com o vaivém do amigo e com as reboladas que a minha mulher dava no cacete dele. Olhei para a expressão do rosto da minha esposa e era sá felicidade, estava em puro delírio e parecia começar a gozar. Os ritmos aumentaram e não demorou muito para o jovem gozar também. Para não deixar o jovem ao seu lado sem agradecimento, deu-lhe um beijo na boca. Saí rapidamente e voltei para o bar, pois as cervejas já tinham acabado e eu precisava de outras louras geladas. Voltei tão rápido quanto fui e, quando cheguei, os dois jovens não estavam mais lá. Dei-lhe um beijo e mais do que depressa enfiei a mão na sua bunda e deslizei até sua xana, sentindo-a toda melada. Ela me disse para esperar, pois ia ao banheiro, e pediu a chave do carro, para ir buscar o batom. Dei um tempo e fui atrás. Ela entrou no banheiro, demorou alguns instantes e saiu e em direção ao estacionamento. Lá, ela deu um toque para o outro jovem que já a esperava e foram direto para o meu carro. Abriu a porta, sentou no banco do passageiro e, olhando de um lado para outro, abaixou a calça dele e fez uma chupeta daquela que sá ela sabe. Num dado momento, o jovem tirou o pinto e passou a mamar nos seios dela. Quando ela percebeu que ele estava para gozar, abaixou e levou o gozo nos peitos. Rapidamente o jovem sumiu, eu voltei para nossa mesa e, quando ela chegou com a cerveja na mão, dei-lhe um beijo na boca e enfiei minha mão em seu seio e, novamente me lambuzei com o gozo do outro. Depois, eletrizados, fomos para nossa casa e lá transamos como nunca. Não toquei no assunto, porém, agora ela já aceita transar comigo e outro homem. Quando isso acontecer, volto a escrever

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


classificados evangélica procurando cornocache:QMYWc_LAcUAJ:idlestates.ru/conto-categoria-mais-lidos_1_18_fetiches.html Contos de putas safadascontos eroticos travesti sendo estrupadacontos eroticos traindo marido na Sala ao ladotodos foderam ela contoscontos eróticos marido e Cida tudo para esposa e esposapegado carona um casal com camionero contos eroticocontos meu marido dxou o amigo dele me massagiarcontos de i****** f****** minha sobrinhacontos eroticos de enteadasCheiro de rola de machos de academia suado contos gayscontos eroticos de feiaabusada pelo.louco contoscdzinha na madrugada excitante conto eroticohantai filinha patendo punheta pro pai safadacache:fqKHdRAEKq0J:studio-vodevil.ru/mobile/conto_27513_bebi-demais-e-virei-corno-na-praia.html conto erotico gay estuprado estupradora minha mulher engole me o pauconto erótico transformei meu filhinho em mocinha de calcinharelatos sexo eu e minha filha novinhabumbum arribitado na rolaela me contou que estava com a buceta toda assada de tanto fuder com elecusudalesbicacontos eróticos minha mãe fumou baseado e comi elaConto erotico na cama com a tia coroa puta.comminha vizinha de camisetacontos eroticos dopando a cunhadahomens lanbendo o xinou da mulher na cama fotoseu mae e filha contos de sexoconto eurotico namorada chupeteiracontos erotico eu sou filho adotivo comi minha tiaconto erótico transformei meu filhinho em mocinha de calcinhamulher ver pica no carro e fc com o cu piscado de tenzaoconto erotico debaixo das cobertascontos erotico vovo e a vovo lamberam minja bucetafingi que estava dormindo e cimetam meu cucontos minha filha e puta desde pequenaconto erotico com patrao velho coroa grisalhosegurou a filha para tirar cabaçocontos eróticos de gay e picudo pedreiroscontos eróticos gays cavalgando no tioporno encejo com sogro e sogra pra serularprofessor e aluna contosincesto conto dia de trovoadavontos eroticos maduras a piça gg do meu sogrocontos fazendo vovô gozarcontos eroticos madrasta lesbica obrigo eu da u cuContos minha doce sobrinha melempregada carente de um trato na camacontos eróticos comi minha tiaorando outros peitões da bundona gostosaespiando a prima ce troca pornoporno.pai.padado.jeu.nabuseta.dafilihacomi a enfermeira contosassaltantes me estupraram contos eroticosconto erotico o cu da mendinga gostosacontos eróticos mulheres sequestradassocando na minha irmã compressão sexeporno com tio acorda subrimha pra fufet com eleporno conto erotico depois de malhar fui fodida na academiacontos eroticos eu e minha filha somos as putas do bairro e meu marido sabequelegal vouponhaconto erótico velhapintelhos na transparencia das cuequinhasconto erotico mulher casada ajudano um mendigo pirocudohistorias de sexo eu e minha madrasta bia de rabocache:6FK7RI0T9TcJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_476_eu-e-2-travestis.html mae desfilando de calcinha fio dentalcontos bund 130cmFuderan meu cu e minha esposa ajudou os carascontos eroticos comendo o preciosoContos de deu o cu por drogasminhas amigas de quarto me pegaram na siririca e me comerammorena cor janbro deixan goza dentroMetendo na perereca da maninha