Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMI A ENFERMEIRA NO QUARTO DO MEU AVô

Click to Download this video!

Para começar o meu apelido é Brad, tenho 24 anos, 1,73 e sou moreno claro de olhos verdes.

Tudo começou quando o meu avô ficou internado por causa de um câncer de pulmão. Minha família sempre deixava uma pessoa no quarto com ele, faziam um tipo de rodízio e eu não participava, por dois motivos, primeiro que o hospital fica relativamente longe e segundo, porque eu não queria mesmo. Um dia percebi que minha mãe estava muito cansada e resolvi passar a noite com o coroa. Cheguei lá por volta das 19:30hs de um sábado, rendi a minha tia e fique sozinho no quarto com ele, enquanto ele estava lúcido conversamos um pouco, mas logo depois entrou uma enfermeira linda, 25 anos, loira e apesar de meio magrinha, muito linda e carismática. Disse que conversava muito com meu avô e lhe deu um remédio que o ajudaria a dormir. Passando alguns minutos, ele apagou desci do 7° andar que era onde estava internado e fui fumar um cigarro fora do hospital, pois não podia fumar nas dependências. Sentei no banco sozinho, foi quando chegou a Roberta a tal enfermeira, começamos a conversar e nos demos muito bem, aparentemente era sá uma conversa já que eu sou meio tapado. Ela disse que não conseguia se acostumar com o turno da noite pois era muito parado, segundo ela, não tinha muita dificuldade, pois o 7° andar era reservado aos idosos e todos tomavam remédio para dormir, e quase todos ficam sem companhia. Subimos e ficamos conversando na recepção do 7° andar. Conversa vai, conversa vem até que começamos a flertar. Flertar não, ela ria muito era muito descontraída e isso me deixava um pouco na defensiva, pois já tinha passado por várias ocasiões onde eu pensava uma coisa e era totalmente outra. A conversa fluía como se já nos conhecêssemos á anos, e isso facilitou a pergunta.

- Poxa, a gente podia sair para fazer alguma coisa amanhã né? Afinal era domingo.

- Hum... eu trabalho amanhã a noite também, mais se você quiser a gente marca um outro dia.

- pode ser então, deixa o seu telefone comigo.

Foi ai que a resposta dela me deu mais forças.

-Tá, mais liga mesmo, eu gostei muito de você, e faz tempo que não saio com ninguém!

Essa resposta me levou a uma dedução. Bom, ela não sai com ninguém e eu moro longe e é bem capaz de eu nunca mais volta aqui. Pensei: sabe de uma coisa, vou tentar alguma coisa aqui mesmo...

Perguntei se tinha câmeras no hospital e se alguém poderia ver a gente. Ela disse que sim, mais sá em alguns pontos estratégicos, como, na recepção.

Me levou então, um pouco mais para o lado, uns cinco metros apenas e disse:

- Aqui ninguém vê a gente, ta vendo aquela câmera? Pois é, sá filma até ali... ta vendo aquela outra? Então, ela sá filma até ali...

Eu já não me aguentando perguntei:

- Então se eu te der um beijo aqui ninguém vai ver??? Para minha surpresa ela respondeu:

- Isso mesmo!

Por alguns segundos fiquei paralisado, perguntando para mim mesmo se aquela loira linda estava mesmo afim de mim.

Não poderia fazer outra coisa a não ser beija-la como louco. Foi quando ela interrompeu e disse.

- Já esta bom, eu tenho que fazer a ronda depois a gente continua conversando...

Pensei: O QUÊ????? Fui ao quarto do meu avô e a esperei ela passar no quarto para fazer a ronda.

Dado uns minutos ela apareceu e disse:

- Ué, você esta ai? Não vai mais conversar comigo???

Olhei para o meu avô, olhei para ela, olhei para o banheiro (Podem acreditar o banheiro era bem grande) e disse:

- Eu estou com vontade de fumar!

Ela: - Eu também, quer ir lá embaixo?

Eu: - Lá embaixo? Vamos fumar no banheiro depois eu espirro alguma coisa lá!

Ela: - Mesmo assim vai ficar o cheiro...

Eu: - Vai nada, minha tia fuma ai e ninguém nunca percebeu (Mentira deslavada).

Ela: - Ta, mais Oh, sem palhaçada!

Nessa hora eu pensei: Sem Palhaçada??? sem palhaçada tudo bem, mais com muita sacanagem!

Entramos no banheiro e fechamos a porta, ela ficou de pé e pegou um cigarro meu, foi quando eu perguntei:

- você não que deixar para fumar depois? Já que estamos aqui vamos namorar um pouco (Já me aproximando e colocando as minhas mãos em volta de sua cintura).

Ela fechou os olhos como se estivesse pensando e jogou o cabelo para trás, abriu os olhos e deu um sorriso que era a coisa mais linda, colocou os braços em volta ao meu pescoço e começamos a dar uns beijos. Nessa hora a minha mão já descia pelas suas pernas e delicadamente já se encontrava com sua apesar de magra, linda bundinha. Nessa hora ela já estava entregue (Pode acreditar ela se entrega rápido). Sua respiração ofegante me deixava cada vez mais louco, meu pau quase saia pela calça (não que ele seja grande, é que minha calça era velha mesmo), tirei o seu jaleco e comecei a levantar a sua blusa, e não é que os seus seios eram maiores que a bundinha (Parecia aquelas mulheres americanas). Comecei a morder e lamber em volta do seu biquinho lindo, tirei minha camisa pois ela disse que seria a vez dela. Ela começou a lamber o meu corpo até chegar na calça (Pois é, eu pensei a mesma coisa que você. Mas eu estava de calça ainda), ela tirou o meu tênis, minha calça e cueca em seguida já mandando ver numa gostosa chupada. Depois de alguns minutos maravilhosos a levantei e abaixei na frente dela, tirando delicadamente a sua calça, e sua calcinha em seguida, coloquei uma de suas pernas em meu ombro e comecei a chupa-la (Pode ser inacreditável, mais ela tinha uma buceta doce, eu nunca tinha sentido chupado uma buceta doce). Ainda abaixado fiz ela virar de costas, abrindo a sua bundinha e lanbendo a sua buceta e chegando até o cuzinho. Levantei e a coloquei em cima da pia (pode não ser o mais apropriado, mais o hospital era limpinho). Penetrei o meu pau devagarzinho na sua buceta, ela como não podia gritar, respirava cada vez mais forte e isso me dava até arrepios, aquele barulho me deixava completamente maluco... ela me agarrava e me arranhava e eu empurrava cada vez mais forte. Virei ela de costas e comi a sua buceta por trás, nossa! Aquela bundinha apesar de pequena era a coisa mais linda, com o que eu já havia me deparado. Ela se inclinou na pia e por mais gelada que a pia estivesse ela conseguia colocar as duas mãos para trás e abrir a bundinha. Eu ia cada vez mais forte já estava para gozar e tive um pressentimento doido e resolvi falar baixinho no ouvido dela: - Vou gozar. Ela pediu para esperar um pouco que ela estava quase lá (Até hoje me pergunto como eu consegui me segurar). Quando ela começou a se contorcer, percebi que ela tinta gozado, ela me empurrou para trás e disse: - não goza dentro não... eu dei mais algumas poucas bombadas e tirei rapidamente, quase não dando tempo gozando na sua buceta, sá que por fora. Ela ainda um pouco ofegante olhava dentro dos meus olhos e sorria lindamente... nos lavamos e descemos para fumar o cigarro. Conversamos até de manhã. Ás 08:00hs ela foi embora e me deixou o seu telefone, me encontro com ela até hoje, já que esse conto (verídico, diga-se de passagem) foi bem recentemente.

Moral da histária: Trate bem seu avô, pois um dia ele vai para o hospital!!!

Abraços e até a práxima.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


dominada pela amiga contos eroticospirulito do titio contos inocentecontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidominha cunhada traindo meu irmao com o patrai contosContos de casadas inrrustidasa novinha com cachorroxx.comtem homem on line dar telefne pra foda com mulher casada chupa seu pau deixa chup bucetacontos pornos mamae carinhosaDei para um novinho relatoconto esposa caralhudocontos erotico gay negro dando pra brancoamanda meu marido.é corno mesmo contoscontos: safadezas de um velhocomi o cu do meu irmao e da minha irma brincando de pique esconde contosconto sozinho com minha sograCachorro tragado na buceta da mulhersó contos eróticos de negra pingueludaconto eroticos a buceta da minha esposa so cheirava porraConto de neto dopa avo e come a buceta delalésbicas se ralando incerta com bucetaContos eróticos de tio sopinhascontos eroticos estruprada pelo irmao beudacontos de incesto arrombaram meu cu com forçacontos eróticos a f*** decontos arrombei o cu dela no pique escondedelirando na picona do sogro conto eroticocasa dos contos eróticos joguinhos com a mamãemulheres dismaian dando ocusobrinho mandando ve no cu da tia contoscontos eroticos casada virá puta do mendigocontos eroticos currada caronacontos eroticos fui.abusada pelo meu sogro enqcontos meu neto me fez putaContos de ninfetas dando o rabo no trabalhohetero passivo contocontos eroticos gozei quando as duas picas entraram no meu culeitinho piruzinho bucetinha contoContos minha filha de biquínibofe escandalo na punhetaContos gays me fantasiei de mulher no cine pornopassei a calcinha contos eróticoscontos eroticos como passei a ser travesti por causa do meu cunhadocontos uma menina me seduziucontos eróticos encontro de famíliaContos eroticos c imagens v puta de meu sogro e do cunhadoconto real meu vizinho me estuprouFiquei parado olhando a bunda delacontoerotico quase corri negrinho caralhudocontos eroticos mulher e dominada por outro caracontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casadedo de tio safado fudendo buceta de novinha pornodoidoacontos eroticos bv e virgindadecontos eroticos meu alunocontos eróticos gay meu primo cumeu meu cu no sofacontos eroticos subrinhas virgemminha professora me deu carona e pegou mo meu caceteConto casada traiu em confraternizacaocontos enrabada no chuveirocontos eróticos amigas prostitutascontos porno de casada se insinuando para pedreiroshonme infinando a rola na bumda da molehistorias de transascom orgias inesqueciveiscontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigocontos de mulheres viuvas sendo pelo penis grandewww.contos eróticos.com.br enrrabei a patroacontos eróticos de surpresameu pai mim abusou com porta na cara conto eróticoa madrasta ingênua contos eróticoscontos erotico menininha na pescariaA amiga da minha irma contos eroticospitbol caseirameu pai batendo punheta.eu foi fala com ele e ele madou eu bate pra eleTennis zelenograd contopaguei pra ele chupar meu pau conto gaycontos eróticos dotadocontos de incesto fui adotad a para ser escrava sexualcontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigocontos eroticos a forçacontos eróticos comi minha filhaconto erótico comendo a minha melhor amiga bêbadacontos eróticos irmão e irmãconto incesto calçinha de bichinhoconto incesto minhas irmãs gritaram no meu paucontos eroticos desabotoando vestidocontos erotico eu tava enloquecento meu filho e levei todos pra praia