Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

JANELA INDISCRETA ( I PARTE)

Click to this video!

Tenho 19 anos e o que vou relatar aconteceu recentemente. Desde muito tempo observo minha vizinha pela janela, sempre na esperança de vê-la nua. Aline é um pouco mais velha, loira do tipo baixinha tesuda, com um farto par de seios e uma bunda que chama a atenção. O máximo que tinha conseguido ver eram os seus seios, lindos e que mereceram várias punhetas. Observá-la era sempre arriscado. Por mais que eu ficasse no escuro, temia que ela pudesse me perceber. Apesar do perigo eu continuava a espreita, esperando pelo dia em que conseguiria ver sua bucetinha.

Aquela era uma noite em que fazia muito calor. Vi as luzes do banheiro acesas e imaginei que fosse a Aline tomando banho. Como a noite era quente, havia a possibilidade de ela se trocar com a janela aberta. Então fiquei esperando, no escuro, até ela aparecer. A loirinha entrou no quarto enrolada numa toalha que logo foi arrancada. Vendo aquela gostosa nuazinha não aguentei, tirei meu pau que já estava duríssimo para fora e comecei a tocar uma lenta punheta. Por causa da altura da janela eu continuava não conseguindo ver a vagina que povoava a minha imaginação.

Foi quando ela me viu. Não sei como. Senti o seu olhar e me abaixei na hora. Me perguntava se ela tinha realmente me visto ou se era sá impressão. Fui olhar de novo e dei de cara com ela debruçada sobre a janela, novamente enrolada na toalha. “Gostou do que viu?” - ela me perguntou. Certamente esta era a última coisa que eu esperava ouvir. Tinha certeza de que ela ia contar para o pai ou para o namorado e, no entanto, ela me fez aquela pergunta capciosa. Pego em flagrante, concluí que não havia desculpa convincente e resolvi ser sincero. Respondi que sim. E audaciosamente acrescentei que ela era muito gostosa. Aí ela me perguntou como eu sabia que ela era gostosa se nunca havia provado. Embasbacado eu não sabia o que dizer. “Quer provar?” – ela perguntou com uma carinha de safada que me deixou louco. Ela estava sozinha em casa e para evitar que os vizinhos me vissem entrando na casa dela, causando o maior burburinho, eu pulei o muro. Até me ralei um pouco, mas o que eu não faria pra fuder com aquela gostosa.

Entrei pela sala e subi as escadas correndo. Para a minha surpresa a safadinha estava no quarto dos pais dela. Cama de casal. Muito mais confortável. Aline estava em pé, ao lado da cama e deixou a toalha escorregar pelo seu corpo cheio de curvas. Sua bucetinha loirinha me deixou louco de vontade de meter. Ela foi até mim e abaixou minha bermuda. Minha rola pulou para fora, dura como aço. A loirinha lambeu a cabecinha com muito carinho e começou a chupar com maestria. Puxei sua cabeça contra minha rola fazendo-a engolir inteira.

Levei-a até a cama e passei a lamber aquele grelhinho tão desejado. Passava a língua e alternava com mordiscadas. Ela mexia o corpo e gemia baixinho. Foi quando ouvimos vozes vindas lá de baixo. Os pais dela e o irmão tinham chegado. O desespero foi total. “Aline! Você está aí?” - gritou a mãe. Levantamos e fomos correndo para o quarto dela. A loira tesuda virou a chave e disse que íamos continuar de onde tínhamos parado. Eu estava um pouco receoso mas ela não. Pediu gemendo no meu ouvido para que eu comesse sua bucetinha. Por cima, enfiei lentamente naquela vagina deliciosa. Continuei num vai e vem lento, que eu julgava mais silencioso, mas ela pediu para meter sem dá. Aumentei o ritmo das estocadas. Qualquer um do lado de fora poderia ouvir o som de pele contra pele, mas ao que parecia todos continuavam no andar de baixo. A cama de solteiro era estreita e rangia. Aquilo era loucura. Aline fazia um esforço sobre-humano para não gemer. Então ela veio por cima e montou no meu caralho. Cavalgava muito bem. Minhas mãos percorriam o seus seios e meu dedos se aventuravam no seu cuzinho, sem que ela oferecesse resistência. Rolamos para o chão, para evitar o perigoso som da cama rangendo. Dei umas chupadas naqueles peitos durinhos de tesão, arriscando umas mordidas.

Com a Aline não tinha frescura. Aproveitei-me e pedi para que ela chupasse de novo. Ela adorava chupar uma rola. Eu disse que queria meter no cuzinho dela. Ela me olhou com aquela cara de pervertida, cuspiu na minha pica e ficou de quatro, com sua bunda deliciosa para cima, rebolando, implorando para ser fodida. Brinquei com o meu pau pelas suas coxas, rocei na vagina e fui explorar o cuzinho. Penetrei lentamente, primeiro a cabecinha, depois o resto. Aos poucos fui aumentando o ritmo, fodendo o buraquinho apertadinho até me empolgar e meter com violência. Aline já não se controlava e gemia baixinho.

Foi quando ouvi alguém subindo as escadas. Gelei na hora e parei de meter. O pai dela bateu na porta e perguntou o que ela estava fazendo. Com a minha rola enterrada no cú ela disse que não estava se sentido muito bem. O velho chato insistiu e perguntou o que ela sentia. “Cálica” – ela respondeu. O pai certamente ouviu o timbre de voz “adoentado” da menina, meio que gemido, e acreditou na histária. Mal sabia ele que tinha um cara comendo a filhinha do papai atrás daquela porta.

“Continua. Mete essa rola gostosa no meu cú” – ela pediu baixinho. E eu atendi. Meti sem piedade. No alto da excitação avisei que ia gozar. Aline queria minha porra na sua boca. Começou a me tocar uma punheta, chupou até que eu gozasse em jatos. Ela ficou toda lambuzada. Lambeu a minha pica até que ficasse limpa.

Nesta noite dormi fora de casa porque não tinha como ir sem ser notado pela família da moça. Tive que esperar todos saírem para pular o muro de volta. Claro que durante a noite trepamos mais. Quando fui sair não achava a minha cueca. Na correria ela acabou ficando no quarto dos pais da Aline e foi encontrada pela Dona Lúcia. Deste fato renderam algumas trepadas bem interessantes que prometo contar em um práximo relato.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos vizinho me pegou shortinhocontos eróticos de bebados e drogados gaysme casei com uma puta safadacomia mae contoscrossdresser conto eroticocontos minha irmãzinha tinha mania de sentar no meu coloConto erotico vizinha bobinhacalcinha incesto contosmeu namorado me pega lanbuzada de outro contoso' anal c'minha -filha so' anal incestocontos eróticos sexo com a netinha de vestidinho curtinhoconto erotico gay viado tem que tomar no cu sem reclamarconto - ela fez massagem nos testiculos dele www.loirinha inocente caindo nas maos do negao safado contosFetiche pelos pezinhos da minha amadaSem a minha permissao contos eroticosxvidio mulher xota de cabritavi meu filho na punhetanoivo corno no altar contos eroticoscontos eróticos de negras no metrôQuando+eu+tinha+doze+ano+fui+posar+na+casa+da+mia+amiga+e+o+pai+dela+me+arrombo+conto+eroticocontos dogcontos primeira vwr duplapenetraçãofotos cim zoom so de cacetes duros melado de porrajapinha.de.baixo da mesacontos eroticos primeiri orgamos com meu irmaocache:NCvA3Q684K4J:tennis-zelenograd.ru/conto-categoria-mais-lidos_4_10_incesto.htmlcontos eroticos no consultorio medico tomando injeçãoconto de não aguentei a pica grande no meu cuvídeos de porno primeira vez dando cu ela chora fico Duda ora tirando pau do cu fica porno a mauContos eroticos coroa estrupadaConto de mulhe minha esposa e o molequecontos gay cu arrombadocontos trocando sexo por TCCcontos eroticos com escravas sendo humilhadaver uma mulhervelha arreganhando a priquita com os dedosnao contar para ninguem da familia. Quando eu achei que o papo ia terminar ali, ela me fez a pergunta que levou a tudo: perguntou porque eu tinha tanta coisa sobre lésbicas incestuosas no pc? Quando ela me perguntou isso, confesso que pensei em desconversar, mas aí pensei também que ela não faria essa pergunta à toa. Aí comecei a falar que aquilo me excitava muito, que gostava de ler sobre aquilo. Sem brincadeira, acho que a gente deve ter ficado uns 10 segundos em silencio ali na cama, depois que eu falei isso. Uma olhando para a outra. Aí, ainda bem, ela tomou a iniciativa, colocou a mão na minha perna e perguntou: Você pensa em mim?  porno marido da vizinha foi viajar e fui pozar na casa delacontos eróticos de bebados e drogados gayscontos eroticos comendo a funcionaria novata casada da lojacontos interraciais contados por mulherescontos a crente que gosta de dar a bucetavizinha abrindo a cortina contoscontos com fotos o guarda roupa da casada liberada do mansovoyeur de esposa conto eroticoeu minha irma e meu padrasto na camacontos herodico de vadia sendo arromba por um cachorrocontos gays gemeoscontos eróticos com homens de pinto muito muito grande fora do normalcontos eróticos chantagem cunhadacomendo a mulher em frente ao marido contovoyeur de esposa conto eroticocontos porno esposas estuprados submissosabacinho da japaf****** e chupando pela primeira vez seu namorado na estrada desertaquero ler conto erótico f****** com a motocontos filha pequenaContos eroticos fudendo o cu da casadadanada da minha cunhada louca pra darxv leke dormindo .com madrstaconto erotico fodendo madrinha rola enormegarotinha contos eróticosdoutor esporreando muito no travedticonto casal bicontos eróticos me fode caralho vaicontos a pequena taradinhacontos eróticos: gostosa não resistiuContos quero goza muito na minha filha quando ela nasceso putao dando o cu e gozando e gritandoJoão e chupando piru mesmo tempoconto erotico lesbico chupa meu grelinho ai vou gozar isso não para ai ai ai to gozandoeu e minha sobrinha no cine pirno contoconto enterrando a ate o talo no cu da mamaecontos eroticos de freiras com jeguescontos eróticos eposa e amigoconto erotico mulher fodendo com varios vizinhosencoxada onibus apagado contoscontos eroticos meu genro pausudo arregacou minha bucetaporno minha rotincontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidoconto comi minha mae quando tinha dez anosconto erótico somos meio nudistasFamília contos eróticosAteliê dos contos eróticocontos eroticos de enteadasconto eróticos gay hulkConto gay - "com meu pau atolado no cu"conto de dei o cu para uma pica grande do meu patrão que me rasgouconto erotico minha prima dedando meu pruquito a noitecontos eroticos perdendo avirgindade encesto compadreconto erotico de o amigo de meu namorado me comeu na casa dele e ele nao viu