Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O MELHOR FINAL DE ANO

Click to this video!

Olá, Meu nome é Kevin Ocean, e sou filho de Brasileira com Americano, tenho uma filha de 19 anos chamada Lisa, é uma bela mulher, cresceu linda com a mãe, infelizmente moramos apenas eu e Lisa, pois minha esposa sofreu um acidente de carro, quando sai de Oxford e se dirigia para Las Vegas, para uma conferencia, sobre tecnologia, chama-se Michele, nos dois gostávamos de informática, e todo tipo de tecnologia que tornasse o nosso tempo um pouco mais longo para aproveitar com nossa filha, mas sozinho foi um pouco mais difícil de cria-la pois eu trabalhava bastante em uma empresa de criação de jogos de computadores, mas em fim consegui tirar minhas férias, eu nasci no Brasil, e com dois anos apenas, tive de me mudar para os Estados Unidos da América, fazem praticamente nove anos, desde que minha esposa faleceu no acidente que não viajava para o Brasil, eu tive de aprender a falar o inglês e o português, pois tenho descendência dos dois países, não sei escrever muito bem o português, e não falo com tanta facilidade, mas não fico parecendo tão estrangeiro assim, sou moreno, forte, mas não musculoso, digamos que sarado o suficiente pra chamar a atenção de mulheres que gostam de homens aparentemente fortes, minha filha é uma verdadeira escultura, tinha acabado de se formar na faculdade de Oxford, perguntei a ela o que ela queria ganhar de presente; ela disse que queria viajar de novo para o Brasil, para conhecer outros lugares do litoral, disse para ela escolher um lugar do pais que nás iríamos, pedi férias de 2 meses, pois já tinha uma terceira para se vencer, e eu precisava viajar para descansar um pouco também, ela escolheu um lugar no litoral paulista, o nome eu irei deixar oculto, para que não sejam localizados os pontos principais, pois com o avanço da tecnologia é fácil descobrir a veracidade dos locais e descobrir quem somos.

10 de Dezembro 12:30 AM, São Paulo, Aeroporto de Guarulhos, 2005, chegamos de viagem eu já conhecia um pouco a cidade de São Paulo, pois minha mãe me levara varias vezes ao pais e a este lugar, mas não posso dizer que estava fácil de reconhecer o lugar, pois em nove anos as coisas mudam e mudam muito, a o estado havia se desenvolvido bastante, pegamos nossas malas, aproximadamente três malas, duas com roupas, e uma mala com pertences pessoais, meu e de Lisa, e como dizem o ditado “Quem tem boca vai a Roma” nos dirigimos para perto dos policiais para perguntar como fazíamos para chegar no litoral paulista, depois de varias informações, descritas pelos policiais, e para ficar melhor gravamos o que o policial disse, em fim conseguimos chegar até o litoral, procuramos um local para ficar, mas como a maioria dos melhores apartamentos estavam encomendados, acabamos por ficar em uma quitinete, como éramos apenas dois, não haveria problema, mas os problemas começaram a partir do segundo dia, no primeiro dia procuramos nos encaixar dentro da quitinete, e pelo visto teríamos algum pequenos problemas de locomoção, pois o local era bem legal, tinha uma cama em baixo, e uma cama na parte de cima, a cama de baixo era de casal e a de cima era de solteiro, com uma cozinha estilo americana, e um banheiro que cabia apenas uma pessoa, procuramos comprar algumas coisa nos supermercados da localidade, e percebi que por onde minha garotinha passava, arrancava olhares, realmente era de se esperar, ela com um vestido preto, solto, e com um palmo acima do joelho, quem não ficaria de olho, colocamos nossas coisas e as compras tudo bem organizados, ao menos nessa parte nos dois éramos bem familiar, fomos dormir, minha garota colocou uma camisola, bem leve e um pouco curta, e eu de short, fomos nos deitar depois de uma longa caminhada para conhecer o local, ela foi subindo a escada para ir dormir, quando ela chegou no ultimo degrau e colocou a perna direita para cima, deu pra ver muita coisa que eu já havia visto em varias outras mulheres, mas em minha filha era a primeira vez, e isso me deixou um pouco perturbado, pois era a única mulher que estava junto comigo a nove anos, pois já não vivia mais com a mãe dela, minha esposa e não me preocupei com mulheres, por que tinha uma filha pra criar, as vezes eu ficava com algumas mulheres nas festas de amigos do trabalho, mas eram apenas casos passageiros, o que vi realmente me deixou um pouco conturbado, mas procurei esquecer, ela estava com uma calcinha branquinha, e bem colada na bucetinha, pois dava pra ver o corte da calcinha bem no meio do seu precioso diamante, ela não percebeu que eu olhei, demorei um pouco a dormir mas consegui, quando é de manhã por volta de 11:00 da manhã, ela me acorda, eu não era muito acostumado a dormir tanto, mas talvez por causa do cansaço da viagem e da caminhada noturna que fizemos, dormi alem da conta, ela estava preparando o café, eu me levantei para escovar os dentes, e ir ao banheiro urinar, quando estou indo em direção ao banheiro eu percebo que ela ainda esta usando aquela camisola, e quando me dou conta estou de pau, duríssimo, não sei por que, mas estava me sentido atraído por aquela delicia de mulher que estava na cozinha, bundinha arrebitada, e seios bem suculentos, uma verdadeira mulher de parar o transito, mas ainda bem que já estava no banheiro, procurei me concentrar em alguma coisa, e escovar os dentes, mas o pau continuava ali, em ponto de bala, e como eu iria disfarçar, aquela ereção, pensei em varias coisas, e consegui amolecer o meu pau, sai do banheiro e me dirigi para o outro lado do balcão na parte de fora da cozinha, ela me ofereceu o café, e quando se virou para pegar os pães, eu pude reparar que ela estava ficando muito linda mesmo, e com um corpo de tremer qualquer homem, quando ela retornou, me pegou de surpresa olhando para ela, e me perguntou o que eu estava olhando, eu disfarcei e disse que estava ficando linda como a mãe, e que se ela estivesse viva iria adorar estar com a gente, ela quase que chorou, mas se conteve e tentou disfarçar dizendo que não era pra ficar olhando de mais pra ela por que poderia se apaixonar, eu disse que já estava apaixonado, e que nunca iria deixar de amar essa linda garota que é a minha filha, ela ficou muito feliz, me deu um selinho, como sempre fazia, isso era natural entre nás, eu a eduquei desse modo, e nunca tivemos contratempos, até irmos passar dois meses naquela quitinete, ela colocou um short bem colado no corpo uma blusa apertada, e eu me preparei para dar uma malhada correndo ao lado dela, percorremos o calçadão, e eu percebia os olhares de todos os homens que passava por nás, isso me deixava com uma sensação de ser o cara, o cara que estava do lado de uma delicia de mulher, mas era minha filha, era comigo, por que as pessoas pareciam pensar que fossemos marido e mulher mas ninguém sabia que ela era minha filha, ninguém perguntara sobre isso, e eu não menti de ninguém apenas omiti aquilo que ninguém perguntara, os dias foram passando e cada dia era uma tentação, por que quando ela não estava de calça colada, estava de saia rodada bem solta, de vestido curto, ou biquíni andando pela praia, as vezes eu ficava na quitinete que tinha vista para o mar, e ficava olhando ela caminhando na praia e os homens procurando tirar uma casquinha dela, com alguma conversa fiada, ela conseguiu fazer alguns amigos temporários, e algumas amigas também; Mas realmente tudo começou acontecer no dia 31 de Dezembro de 2005, era 23:05 da noite, muitos fogos, a praia tinha um pouco de pessoas já fazendo suas covas para colocar velas, ela estava se aprontando para curtir a passagem de ano para 2006, ela ficou muito tempo no banheiro se produzindo, eu do lado de fora estava me arrumando, mesmo por que eu não teria de colocar muita coisa, como ela, eram 23:50 quando Lisa minha filha, meu Diamante mais precioso que tinha, saiu do banheiro, ela esta extremamente linda, uma verdadeira rainha da nova era do século 21, eu a chamava de “O Diamante da Liberdade”, ela não sabia por que, mas eu disse por que ela parecia muito com sua mãe e por ela existir eu não poderia esquecer de que a mãe dela, minha ex-esposa, a Michele, havia me deixado o bem mais precioso que eu poderia ter lapidado, uma verdadeira jáia, mas não somente pela beleza, mas pela educação, compreensão, amizade, fidelidade, simplicidade e humanidade que havia passado e ensinado a ela, era uma verdadeira dama, ela sabia se comportar e compreender as pessoas, “quando estávamos fazendo compras no Carrefour da cidade, demos uma passada na seção da padaria para comprar alguns pães para enfeitar a nossa mesa, para o natal, e em nossa frente estava uma senhora de aproximadamente 35 anos, ela esperava na fila e não parecia muito contente em esperar tanto para o pãozinho sair do forno, mas não houve problemas, pegamos os pães, e nos dirigimos para a seção de frios, para comprar alguma coisa para completar a ceia de natal, estava um pouco movimentada a loja, e em nossa na fila estava um senhor de 30 anos mais ou menos, ela estava reclamando muito por causa da garota que estava aprendendo e fatiando os frios, mas o rapaz reclamou, e reclamou tanto, que ela olhou para ele, e disse: se você se acha tão esperto a ponto de não saber compreender as dificuldades das pessoas, encaminhe-se você para traz do balcão e tente atender alguém como você mesmo, para você aprender a parar de reclamar com quem muitas vezes esta tentando agradar a todos o que relativamente é impossível”. Depois disso o homem se calou, pediu desculpas para a garota que estava atrás do balcão e retirou-se da seção de frios com os seus pertences e o seu pedido, ela virou-se para a garota, fez o pedido e disse: não se preocupe querida, não precisa ter pressa, ela passou uma tranquilidade para a garota atrás do balcão que até eu como pai, não pensei que ela estaria tão pronta para utilizar tamanha educação que demos a ela, fiquei realmente impressionado, voltando ao assunto mais interessante.

Lisa me olhou e ficou me elogiando dizendo que eu estava lindo e que era o homem mais lindo que existia pra ela, eu brinquei com ela dizendo que seria lindo até outro homem conquistar o seu coração, ela ficou brava, e disse que eu seria o único homem lindo da vida dela, o outros que viessem seriam apenas, reflexos de uma ilusão, nossa Lisa como você esta poética hoje em, esta inspirada, Lisa: não pai, estou apenas colocando em pratica o brilho intelectual que você me ensinou, eu fiquei muito feliz contudo que ela havia dito a mim, as 23:53 eu a chamei para descer, ela ainda estava se purificando no banheiro, quando disse que iria fechar a porta e deixar ela trancada no apartamento, ela correu do banheiro e passou voando pela porta, ao descermos do elevador, que tinha um espelho, ficávamos olhando um para o outro pelo reflexo, eu a elogiava e ela fazia o mesmo, até que saímos do elevador cada um com uma garrafa de champanhe, e nos dirigimos para a beira mar, e ali ficamos contando os segundos, estávamos descalços, era melhor pra nos sentirmos livres, começaram a contar os segundos, e quando chegou o momento, 00:00 começaram os fogos, não eram tão cheios de luminosidade quando os fogos dos Estados Unidos, mas o fato de estarmos longe de todos os que nos conheciam e da simplicidade da brisa, leve, suave, e agradavelmente calma, dava-nos uma sensação de estarmos livres, ela olhou nos meus olhos e me disse: Pai eu te amo muito, você é pra mim o bem mais precioso que eu tenho, feliz ano novo e que sempre estejamos juntos, e me deu um selinho bem demorado na boca, eu retribui o selinho, pois eu amava demais a minha filha, nos abraçamos e ficamos olhando os fogos, e abracei-a por traz e ficamos ali como dois namorados, mas sem malicia alguma, depois de um tempinho chegou alguns amigos delas e a cumprimentaram, e a mim também, chamaram-na para dar uma volta, mas ela preferiu ficar comigo, depois de 30 minutos ali na praia, ela estava com um vestido branco, curto que quase mostrava a bunda dela, mas parecia ser curto mas não era, escondia realmente o que eu iria ver somente depois de algumas horas, voltamos para o apartamento por volta de 00:46, e quando chegamos ela colocou um pouco de champanhe na taça e foi pra a varanda, eu sentei no sofá que tinha vista para o mar, do sofá dava pra ver a imensidão do oceano, era muito linda a vista daquele lugar, mais lindo ficou quando Lisa, se curvou e debruçou na varanda do Ap, seu vestido curto, ficou mais curto ainda, nás tínhamos tomado um garrafa de champanhe na praia, cada um tomou tudo que estava na garrafa que cada um levara, quando ela se debruçou eu pensei estar vendo uma miragem, mas balancei a cabeça pra ver se não era efeito da bebida e realmente constatei que não era, tudo o que estava vendo era pura realidade, Lisa estava sem calcinha, com a sua bucetinha lisa e sem pelos toda amostra, isso me deixou doido, chamei-a para sentar no meu colo e para nos abraçarmos fingindo estar carente de carinho com o momento, mas antes de chamá-la, fiz um rápido ajuste para o meu pau ficar justo de modo que ela pudesse sentir ou que ele se encaixasse bem no meio das pernas delas, já que estávamos apenas nás dois, o que acontecesse ali, poderia ser relevado caso ela não gostasse, quando ela veio e sentou no meu colo, ela sentou com força como quem quisesse que eu sentisse que estava sem calcinha, eu fiquei acariciando ela, e fingi estar bêbado, ela parecia estar bem sábrio, e depois que ela sentou, meu pau começou a crescer com aquela situação, depois de muitas caricias e uma hora e meia de ficarmos conversando e batendo papo com ela no meu colo, ela disse que eu precisava tomar um banho, e disse que se eu não fosse tomar banho ela iria me obrigar, eu fingi estar mais bêbado ainda, ela me empurrou para o banheiro, e eu fui entrando, o banheiro era muito pequeno e sá cabia um se ficasse dois ficaríamos muito colados um nos outros, ela tirou a minha blusa, e fez eu tirar o meu short, eu estava de cueca, e ela entrou no banheiro primeiro me puxando para dentro, ao entrar, ela ficou meio que espremida pelo meu corpo sobre o corpo dela, eu por traz pressionando a bunda dela, ela parecia estar gostando de sentir o meu pau, roçando na bunda dela, mas depois de um tempinho nessa frescura, ela saiu e disse para eu tomar o meu banho, depois de um tempo de banho eu sai do banheiro e pedi a ela uma cueca, e ela me deu, depois foi a vez dela tomar um banho, ela fecho a porta, mas eu ainda consegui escutar uns gemidos dela, então coloquei a cueca, e fui para a cama, deitei e fingi, estar dormindo, mas de olhos entreabertos, para ver no que dava e o que ela iria fazer, mas antes dela sair do banheiro eu ainda fiz o favor de deixar a cabeça do meu pau para fora, já que estávamos fazendo aquele joguinho, era tudo ou nada, quando ela saiu do banheiro, ela parecia estar curiosa com o que estava vendo, e se dirigiu para perto de mim olhando fixamente para o meu pau, chegou mais perto para olhar melhor, e parecia esta passando a língua nos lábios, isso me deixou excitado, e ele começou a ficar mais duro, ela chegou mais perto e passou a língua bem de leve, isso me deixou mais louco, ainda, pois, não parecia que ela fosse tarada ou sacana assim, o que me surpreendeu, depois disso ela foi dormir, e acabou pegando no sono, e assim foi o começo do primeiro dia de 2006, ao meio dia e meio ela me acorda, estava usando um biquíni minúsculo e quase colocando pra fora tudo o que ela tinha, e quase jogando na minha cara, eu acordei meio zonzo, e me dirigi para o banheiro, depois de um tempo e de tomarmos café, fomo tomar banho de mar, ela pediu para eu passar bronzeador no corpo dela, isso eu nunca tinha feito com ela, e passei em todos os lugares que podia, e cheguei bem pertinho do reguinho dela e da bucetinha, podendo assim ficar imaginando o que vi naquela varanda, por volta de 14:15 fomos tomar banho de mar, e parecia estar um pouco agitado o mar, as vezes surgia umas ondas um pouco forte, e ela sempre se jogava na minha frente e vinha de encontro comigo, as vezes de frente e as vezes de costas, quando ela vinha de costa, dava pra sentir a bunda dela se encaixando certinho e deslizando pra minha sunga, um pau começou a ficar duro dentro da água, em um momento quando uma onde mais forte veio pra perto de nás, a água estava um pouco acima do umbigo, e ela veio de costas para mim, mas quando inventei de pular a onde, o meu pau saiu pra fora da sunga e encostou bem no meio da bunda dela, e deu pra sentir o meu pau entrando no meio das pernas dela, como se fosse uma bucetinha molhada de tesão, por que é assim que o corpo das mulheres ficam com a água do mar, ela pareceu fingir não ligar e saiu de perto, eu arrumei a minha sunga, e depois daquela situação, aconteceram outras vezes quando estávamos na água, mas destas vezes a sunga não caiu, por volta de 16:00 voltamos para o Ap, eu fiquei um pouco sentado no sofá e ela foi preparar o almoço para nás, quando ela me chama para ajudar nos afazeres do almoço, como a cozinha era bem apertada, ela estava fazendo as frituras no fogão, e pediu para eu pegar algumas coisa nos armário e na geladeira, e pediu para pegar uma pedra de gelo, eu não entendi muito, mas peguei e perguntei para ela o que queria que eu fizesse, ela disse para eu passar de leve nas costas dela por que na cozinha estava muito calor, e realmente estava quente, mas o que me deixou louco foi que ela estava com o biquíni que estava na praia, aquele biquíni estava quase colocando a sua bucetinha para fora, eu de sunga, por traz dela, estava difícil segurar o pau que estava querendo sair para fora, por que a sunga não era tão grande assim, ela tinha comprado uma sunga bem pequena, talvez por sacanagem mesmo, eu estava segurando um frango com a mão esquerda e com a mão direita estava passando o gelo de leve nas suas costas, ela parecia estar ficando doidinha, e empinava a bunda, e como o local era muito apertado, as vezes ela roçava a buceta, bem no meu pau, parecia fazer de propásito, e cada vez que passava o gelo ela empinava mais, aqui foi virando um jogo de sedução incrível e difícil de se controlar, quando o inesperado acontece, o meu pau fica duríssimo, e sai metade para fora da sunga, ela no vai e vem da esfregação, acaba colando a sua bunda bem na cabeça do meu pau, e sentiu com um imenso prazer, pois ela parecia pressionar mais ainda, ficou nesse jogo de sedução meia hora, depois de um tempo ela, disfarçou e disse que ia no banheiro, e já voltava, e me deixou ali, de pau duro, com o gelo e o frango na mão, eu estava quase gozando naquela hora, depois de 19 minutos ela voltou para a cozinho, e ficava me olhando como quem quisesse dizer alguma coisa, mas somente me olhava, eu deitado na cama, vendo televisão, apenas de sunga, fingi que nada percebia, disse que ia tomar um banho e fui para o banheiro, tirei a sunga e fiquei pelado debaixo do chuveiro, para saber se realmente ela estava com segundas intenções, deixei a porta meio aberta para ver o que ia acontecer, eu percebi que ela me olhava, pela abertura da porta que estava no banheiro, ela parecia muito curiosa, depois de tomar uma boa ducha, pedi para ela pegar a toalha e uma cueca samba-canção que eu tinha esquecido em cima da cama, e não fiz questão pela cueca, pedi para deixar em cima do vaso, quando ela chegou no banheiro que abriu a porta, eu ainda estava tomando banho, pois havia esquecido o Shampoo que estava na cabeça, e quando ela entrou eu me virei de frente pra ela, de pau duro, mas lavando a cabeça e fechei os olhos, como quem não estivesse vendo nada, quando retornei a abrir os olhos, ela estava saindo do banheiro, mas deu pra saber que ela estava de olho no meu pau, me sequei e coloquei a samba-canção sem nada por baixo, e fui para a cama deixar e ver televisão, não tinha muita coisa interessante, ela foi para o banheiro tomar o seu banho, e percebi que também havia deixado a porta toda aberta, parecia um verdadeiro jogo de sedução para ver qual dos dois iria aguentar mais tempo naquele jogos de tirar o fôlego, eu fingi dar uma olhada pelo olho mágico, da porta para ver se tinha alguém e quando passei pelo banheiro ela estava de costas tomando banho e se esfregando, ela passava a mãe na bucetinha como quem quisesse ser comida, engolida com as práprias mãos, parecia uma coisa de louco mesmo, sua bucetinha sem pelos, lisinha, e carnuda, parecia me chamar para entrar naquele mar de delicias, mas procurei me conter, e voltei para a cama, quando ela saiu do banheiro, parecia inacreditável o que eu estava presenciando, ela estaca com uma mini-blusa, bem justa, erguendo os seus seios suculentos e muito atraentes, barriguinha de fora, e uma saia muito curtinha mesmo, quase mostrando o seu reguinho, incrível, parecia esta me tentando mesmo, perguntei por que estava assim, e se ia sair, ela disse que não é por que a camisola dela estava suja, e essa era a roupa que deixava mais à-vontade, com exceção da camisola, ela subiu em cima da minha cama, pois como a cama dela em cima não era tão alta, dava para ela pegar qualquer coisa de cima da minha cama que estivesse na cama dela, ela veio para cima de mim, e como não estivesse sabendo de nada, foi pegar umas roupas, e ficou de pernas meio aberta, em cima da minha cabeça, quando olhei pra cima, meu pau subiu na hora, no mesmo instante que meus olhos perceberam que Lisa estava sem calcinha por baixo, ela parecia querer provocar mesmo, ficou ali por um tempinho, aquela saia balançando em seu corpo, e aquela imagem da sua bucetinha a poucos centímetros da minha língua, era de deixar louco de desejo e de vontade de pegar ela e chupa-la todinha, ela sai da cama, e foi para o banheiro colocar as roupas, quando voltou, deitou do meu lado, e procurou ficar bem práximo de mim, eu havia colocado um lençol por cima da minha cintura para que ela não percebesse a minha ereção, ao menos por enquanto, por que eu não iria aguentar muito aquele joguinho de sedução, tudo parecia estar a favor dela, tentei mudar de canal o no controle remoto e nada, as pilhas haviam acabado a energia que continha nelas, eu exclamei, Eu: mas que porcaria, o controle não esta funcionando, ela no mesmo momento se mostrou querendo prestativa, Lisa: pode deixar paizinho, que eu troco de canal para você, e ficou de quatro e se dirigiu para a televisão, que se encontrava perto da cama, parecia um vídeo em câmera lenta, aquela fera no cio, uma gata manhosa, caminhando lentamente, sobre a cama, em direção para a tv para mudar de canal, e na posição que se encontrava, sua saia, ficou erguida, e com sua buceta totalmente me chamando para entrar dentro daquela delicia, ela ficava perguntando, esta bom assim papai, eu fala que não, pra trocar de canal, e ela ficava mudando de canal eu fazia isso sá para poder ver um pouco mais aquela delicia de buceta, depois de uns 5 minutos naquela posição ela voltou, eu retirei o lençol de cima da mim, e pensei comigo o que tiver de ser será, e que seja o que estou pensando, ela mais que muito sacana e eu não sabia, perguntou se eu queria ver um filme que ela havia encontrado em algum lugar da quitinete, talvez algum outro alugante, tivesse esquecido ou fosse do dono do Ap, eu perguntei de que era o filme, e ela disse que não sabia e que queria ver por que ficou curiosa com o titulo do filme, e pensou que fosse interessante, ela colocou no DVD e deitou-se comigo na cama, cada vez que ela ficava de quatro era uma loucura, o meu pau estava meio que de pé, pois não dava pra ficar o tempo todo pensando besteiras para fazer ele ficar mole, ela mexeu no controle para não ver o inicio, por que era melhor se surpreender logo com o começo da ação, mas ela apertou demais o botão, e a primeira cena que vimos foi o cara pulando o muro da casa da vizinha, e erguendo suas roupas, e enfiando o pau nela, eu estranhei, e disse, Lisa é esse filme que você queria ver? Lisa: a pai eu pensei que fosse de romance pelo titulo, chama-se A Enteada.

A garota havia percebido que o padrasto havia pulado o muro de casa, e foi ver o que estava acontecendo, quando ela olhou por cima do muro, viu o seu padastro comendo a vizinha, e ele metia com força e ela gemia muito de prazer, depois de um tempo, em uma outra parte do filme, a garota estava saindo do banheiro de toalha, ele esbarra nela, e com o susto que ela leva, a toalha cai, e ele fica olhando ela, ela pensava estar sozinha em casa, e ele meio sacana, pegou a toalha e fingiu colocar a toalha no corpo dela, aproveitando-se para tirar uma casquinha, ela sorriu para ele e o chamou de safado e sacana, ele então, puxou a toalha e deixou-a novamente pelada, e jogou ela na cama, e comentou que estava muito gostosa, e que seria a filhinha que o papai queria, abriu as pernas dela, e começou a lamber a buceta dela, ela se contorcia toda e pedia para ele parar, mas depois foi se soltando e começo a gemer e gritava para come-la e para meter tudo o que tinha, ficaram os dois transando intensamente, com essa situação meu pau começou a endurecer e ficar de pé, Lisa que estava com a cabeça sobre meu peito, percebeu o meu pau crescendo bem na cara dela, Lisa não resistiu a tentação e foi se aproximando, cada vez mais perto do meu pau, até que ela puxa ele pra fora, e coloca a boca com uma rapidez, que nem deu para dizer nada, e começou a chupar o meu pau, eu estava fascinado com tudo aquilo, era um grande pecado, esta sendo chupão pela minha prápria filha, mas como estávamos sá nás dois naquela quitinete e as janelas estavam fechadas, eu relaxei a aproveitei aquele delicioso momento, afinal fazia um tempinho que não tinha alguém chupando a minha rola, com tamanha suavidade, parecia uma verdadeira dama da pornografia, ela foi chupando e cada vez mais passando a língua e sugando minha energia, depois se posicionou de quatro sobre mim, eu logo entendi que ela queria ser chupada também, vou descrever agora como foi a cena.

Lisa chupava minha pica, com grande voracidade, ela de quatro sobre mim, eu a puxei-a para perto de mim, e comecei a chupar a sua buceta, passava a língua de leve, sá a pontinha para faze-la estremecer, ela rebolava e estremecia toda, quando eu colocava minha língua dentro da sua buceta, como quem estivesse enfiando um pau, naquela gruta, ela sentia-se cada vez mais possuída pelo desejo e mais sedenta de sexo, puro sexo, ficamos nos chupando por uns 20 minutos mais ou menos, quando ela se vira pra mim e me diz, Lisa: pai eu já não aguento mais, quero que você coloque essa rola deliciosa e fenomenal, dentro de mim, a muito tempo eu queria ter-lo como homem, você foi pra mim a melhor figura masculina que eu já encontrei na minha vida, quero se penetrada por um homem que se sei que irei ama-lo sempre, e você é o único que amo de verdade, Lisa me olhou com um olhar que não deu pra resistir, levantei a saia dela, e levemente fui colocando o meu pau, primeiro foi entrando a cabeça da rola, a buceta dela estava toda lubrificada com a minha língua e com a calda deliciosa que saia de sua buceta, estava uma verdadeira delicia mesmo, ela fechou os olhos, e foi descendo lentamente, como quem estivesse sentindo rola pela primeira vez, e que era a coisa mais gostosa que tinha na vida, passava a língua nos lábios, e foi descendo, quando chegou nas no meu saco, ela me abraçou e me beijou, aquele beijo de língua de tirar o fôlego, ela parecia uma ninfomaníaca, me beijava como uma louca, começou a cavalgar, e gemia, dizendo, mete.... mete..... mete..... paizinho, enfia essa rola deliciosa na sua filhinha, ela quer tudo que você possa dar, pra ela, da essa pica pra mim da...... aiiiiiiiiiii, huuuuuuuuuuuuuu, mete........ seu safado, coloca essa vara na buceta da sua queridinha, mete com força, seja o homem que eu tanto quero, quero esse pau por toda minha vida, vai mete mais, faz desse pau gostoso, a minha felicidade eterna, quero essa rola todinha, quero sentir ela por dentro de mim, mete vai, com força, assim... seu safado, tarado, gostoso; eu ficava fascinado com ela, estava adorando aquele momento, eu podia sentir cada centímetro entrando dentro daquela buceta deliciosa, o lugar começou a ficar abafado e o calor, tomou conta de nás dois, dois corpos suados, e escorregadios, facilitava ainda mais a delicia do vai e vem de seu corpo de encontro ao meu, parecia que eu estava hipnotizado, por conta de tamanha aberração e ao mesmo tempo tamanho prazer que eu sentia, fizemos varias posições, e terminamos aquela posição que nos deixou com um tesão imenso na cozinha, ela gemia, pedia para eu meter mais e mais forte, eu me deliciava a cada palavra que minha filha falava para mim, parecia que eu tinha plantado aquele fruto, para que eu mesmo pudesse saborear, e por ser sangue do meu sangue, parecia que o tesão era incontrolável, e foi assim que passamos aquele dia de intenso sexo e puro prazer, apás aquele dia demos continuação ao nosso prazer, dessa vez com mais intensidade, ela agora esta casado com outro homem, e me deu o prazer de ser avá, tenho dois netos lindos, mas é um fruto tão proibido e prazeroso que sempre que temos oportunidade, aproveitamos ao máximo.

Até quem sabe! outra histária.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos eroticos chiando na fodaprimo de rendinha metade da bunda de fora em calcinha cabelo que sai para foraconto porno pentelhos a mostracontos de sexo com novinhas trepando com advogadosmeu padrasto tirou minha calcinha e comeu meu cuzinhomeus tios uma historia real 1contofudi minha cunhadaconto eróticos sado a forçaxoxotao capusaomorena bronzeada na locadora pornôContos eroticos/minha sogra cavalonacontos picante eu dando o cu pro meu tio gaysconto irma casadaconto erótico de incesto de sobrinha e tio casa de conto meu tio morre de ciumes e amor por mimporno gorda pula em cima do rosto da amigaler contos eroticos de bucetinhas virgensinsesto novinha tava bricano e fico engatada com cachorroconto porno de amigas casadas fudendo com machos picudos nas feriasDei o rabo no estoque contosContos eróticos de viados que berraram nas rolasengravidei minha irmã contoscontos eróticos de negrinhas que gosta de fuder com homem brancos mais velhosFui estuprada com penis de borracha contoContos eróticos dando de mama pra minhas irmãzinhascontos de mae sedutorachapuleta inchada no cuzinho fiquei bem machucada por fuder com cachorro enorme contos de zoofiliacontos eróticos coroas na casa de repousoConto de mulhe minha esposa na festaVer vidios porno de exetos e contos eroticos somente de pai chupando a bucetinha propria filha, pequenininha da filinha caçula que e pequena de tudo que nem tem penugem na bucetinha ele chupa na mara:) contos eroticos de primos com primas que engravidamcontoseroticos irmoes e irmã no assaltocontos e vidios de patroes sendo fodidos por empregadas tranxessualirmatezudacontos eróticos de casadas evangelicas vagabundas dando tudo por tesãometendo na barba de shortinho atoladowww.contoerotico.pai e flha na chacaraMamando o netinho contoseroticostravesti linda barriga de tanquinho gostosa metendo vídeo liberado metendo gostoso peitudacontos menage inesperadoconto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamentecontos eroticos como meu irmao me comeu o meu cucontos eroticos lobisomemconto de incesto de pastor estrupadomeu primo mobral contodona redonda arreganhado o cuzaogostosinha bonitinha bundinha nova doze anos dando contos eroticoscache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html Contos eroticos duas rolas lindas mas perversas lascaram cubofe escandalo na punhetamuile fudeo nacaxueracontos eróticos irmazinhacontos eróticos de gay e titio e amigosozinhacom primo contos coroascontos eroticos paulo e bruna parte 2contos eroticos surpreendeu a esposaCONTOS EROTICOS REAIS EM VITORIA ESConto erotico advogada enrabadaconto veridico realizadocontos eróticos bebadatravesti delicia de juiz de fora sendo enrabaasfantazias das mulher de pornocomi o cu do meu irmao e da minha irma brincando de pique esconde contosfui bolinada na.mesa junto.com.o marido.contospeoes de rodeio batendo punheta escondidocontos gay brincadeira de luta comi meu irmãozinhoContoe d orgias cadelinha e seu donocontos erótico estuprada po bardidocantos erotico brincando de baralho com sobrinhavidio porno u homen gozano na buseta po sema dacasinhaconto xota cu irmãoContos erroticos com fotos eu e minha loirinha e um negro 32cm parte 2Contos eroticos homens estuprano gravidascomendo a boca da prima contocdzinhas contos reais