Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUANDO MEU TIO COMEU MEU CU

Click to this video!

Meu cabaço do cú para meu tio, o garanhão abusivo.

Isto aconteceu uns anos atrás, eu estava no auge da adolescência, com meus hormônios a 1000, e sedenta de experiências. Penso que eu esperava algo assim... E temia... E desejava...

Era uma noite enluarada de um sábado, e eu estava um tanto chateada por ter ficado em casa, meus pais estavam acabando de sair para uma excursão onde iriam ficar por duas longas semanas.

Bem voltamos a falar de mim, a Kate. Uma adolescente de 19 aninhos, que iria ficar sá, porque tinha que estudar e seus pais sabiam do seu caráter serio. Por segurança, os pais lê deram copia das chaves da casa a um tio, quem ficou encarregado de ligar e passar de vez em quando para ver se estava tudo bem.

Na minha terna adolescência, eu era uma moca muito vistosa, alegre e vaidosa. Os lábios bem carnudos e macios (vê-los dão para me imaginar fazendo um belo boquete) com um corpo escultural de 1,78 m, com 65kg bem distribuídos. Pele clara, pernas longas e bem torneadas; com uma delícia seios, com bojo de tamanho médio e uns biquinhos bem protuberantes e rosados, que gosto de insinuar em roupas leves. Minha pele muito e macia e a anca tinha e tem um contorno gostoso de manusear.

Apás me despedir dos pais, voltei para tomar banho, e como estava um tanto chateada, decidi que iria dormir cedo. Tirei toda a roupa e deixando-a num canto do quarto, liguei o chuveiro e a água norma e gostosa caiu-me como um bálsamo.

Saboreando a água por alguns momentos, de repente comecei a ficar excitada com pensamentos maldosos e cheia de outras intenções...

Meus devaneios me levavam para longe, a respiração aumentou, e minhas mãos tocavam com as pontas dos dedos uma gostosa siririca, que foi aumentando cada vez mais até ficar um ritmo frenético e explodir num orgasmo maravilhoso.

Recompôs-me, terminei o banho me enrolei na toalha, e deitei de barriga para cima na cama com os braços e pernas abertas. Assim apás uns minutos, acabei dormindo.

Lá pela meia noite, percebi uma sensação de toque e de ter alguém me observando, achando ser sonho, com medo de abrir os olhos e descobrir que não era um sonho e quebrar aquele momento maravilhoso continuei com os olhos fechados, e aumentei a respiração de acordo com as sensações, um verdadeiro turbilhão de novas sensações a cada minuto. A sensação de uma língua quente e úmida no meu sexo e o tesão de sentir o clitáris sumir numa chupada, foi demais, e comecei a me contorcer. Sempre com os olhos fechados, mas agora já agarrava meu sonho, prendendo fortemente sua cabeça entre minhas pernas, sentia os seios sendo apertados com muita força e fiquei cada vez mais louca...

Logo em seguida bruscamente, fui virada de costas e de pernas abertas. E senti meu cú sendo lambido e chupado, uma coisa nova. Louca e sem poder controlar as sensações, comecei a dar pequenos gritinhos e fui às alturas.

Perdendo o pouco de controle que ainda tinha, abri os olhos e pode ver pelo espelho da parede que era alguém bem conhecido (familiar mesmo): meu tio, que estava feito um louco de tesão. Ele, de 34 anos, cabelos negros, um rosto brilhante feito bumbum de bebe, e com um porte atlético de 1.85 m. e 80k de pele morena pelo sol, lábios tesudos e um olhar penetrante (daqueles tipo raio X).

De antes eu sabia do tesão que o nutria por mim, e o provocava sempre usando roupas que delineavam o corpo, as vezes ele passava a mão na sua bundinha e me dizia como era tesuda e gostosa. Costumava brincar que meus seios eram como faráis ligados, sempre iluminando o pensamento dele e sempre que podia e não tinha ninguém olhando me bolinava. A mi vez, eu gostava daquilo, que me deixava cheia de tesão e adorava tenta-lo (tipo de cutucar a onça com vara curta) Por varias vezes quando estavamos a sos na piscina, vi seu pau ficar duro e monstruoso, e isso me fazia imaginar e gozar.

Sendo assim não me incomodou esta nova situação, apenas liberei geral pedindo: "me come, me come... anda seu gostoso..."

Ele por sua vez, não esperou mais solicitação, e pegando um pote de creme para o corpo que estava na prateleira, passou no meu rabo, me colocou de quatro e me penetrou feito um animal, com fortes estocadas.

Fiquei meio assustada entre a dor a loucura, e tentei-me desvencilhar, mas ele me prendia fortemente pelo ombro e cabelo e xingava muito, o que foi-me dando mais e mais prazer; e pronto, o prazer das estocadas foi maior que a dor, com o que então comecei a rebolar, e pedir mais, e ele parecia um animal descontrolado e dizia "viu sua putinha, eu não disse que comeria este teu cú..... sua safada, rebola mais.... pede mais.... e apertava-me as tetinha com tanta força que as vezes quase desfalecia e falava para ele " Siiim, assim, mete mais, eu queiro mais pica dentro, siiim...“ e assim seguirmos por quase uma hora.

Não preciso falar que essa brincadeira se repetiu pelas duas semanas seguintes... Com pequena variações, e... Sem muito dormir.

Com o carinho de uma boa lembrança... Kate... [email protected]





VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


eu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestoconto de transa com o amigo do meu paiContos eroticos fui corno na festacontos de coroas safadas no cacetaoHistórias contos ficticios e reais de sexo com travestisempregada fodida na marra.contosvidio de mulheres sendo emcochada ela fica de calcinha toda molladacontos de corno flagrei minha namoradaa irma dela dorme conosco de calcinhaconto gay iniciado parente sozinho cuzinho leitecontos vendo minha prima sendo fodida pelo namorado acabei dando tambe betinhaNovinha desmaia de tanto gosa conto eroticoconto erótico esposa foi parar no hospital com a buceta sangrandoviuva ecitada ver filho tomando banho e da pra elesentei na rola do padrinho contos eróticoscontos incestos dividindo o filhocontos esposa deu pro sobrinhoPega minha xerequinha tio contos eroticoscontos de xoxutuda dandoporno grades com minha prima de ragericonto erótico. eu minha esposa morando perferiacontos minha irmãzinha tinha mania de sentar no meu colocontos maravilhosos de encoxadascontos eroticos pego gostoso o meu filho gueiconto erotico incesto sonifero filhacontos eroticos deixei a sapatao chupa minha buceta e meu cumeu tio safado gosta de mim ver de vestidinho curto pornoconto erotico chantagieidescabacei a namoradinha de 13 aninhosconto policial comeu.minha mulherpadrinho cuida muito de mim-pornodoidosandalia superalta conto eróticoContos me exibindoContos eróticos no banheiro da escolaMulherbrasileira ensinando a filha, meter contosSodomizada no incesto contosCasa dos contos eroticos gay amarrade e emrabado por quatro amigos taradoscontos janaina safadinhacontos de primeira vez com meu cunhadominha mulher pediu pra fuder minha enteada contosconto erotico arrombei o travesti do baile funkcasadinha inocete. sedo chatagiada contos eroticonao tira papai deixa que eu vo gozarvirei puto do bar conto gayconto eroticos aguentei mais d vinte e dois sentimetro d rola d meu sogrosentei na rola do padrinho contos eróticoscontos eroticos com sogro e sogramulher pois o marido a xupae o travestecontos eroticosirmazinhaContos casado com travesti mas ele fudia com todos d familiaconto erotico minha irma fedorentazoofilija detei i poróconto gerou comer a sogracontos erótico de incesto eu novinha ano ... meu tio com 26*6cm de rola me arrombou contos de estupro na praiaincesto conto dia de trovoadaConto sexo em grupo quatro caralhostetudaCaidacontos eróticos vc me acha bonitacomtos bdsmxxx conto Incesto+Minha mae saiu comigocontos meu marido ajudou amigo dele me comermalandrao dando o cuzinho pra boy malhado contoconto erotico minha pequena tesudaconto negro taradocontos eróticos putinha na madrugada na ruaHistorias eroticas Swingprofessora recatada pagando boquete pro colega de servico contosputa incotrado afuder cm amante vidiocontos de coroa com novinhoboquete sem lavar baixarcontos gays sendo o viadinhos dos adultos que me humilhavam