Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

UMA NOITE DE PUTA

Click to this video!











Um belo dia, enquanto eu conversava com minha esposa pelo telefone perguntei, por curiosidade, se ela toparia ser minha putinha por uma noite. Meio que na brincadeira disse que pagaria pelo serviço e que ela poderia cobrar o que quisesse. Pra minha surpresa, ela disse que toparia sim e que me cobraria R$300.00. Eu ainda brinquei dizendo que estava meio caro, mas daí ela me disse eu era cliente VIP. Então falei que tinha que rolar de tudo por 300 reais, até beijo na boca e ela topou.







O que começou numa brincadeira acabou se tornando uma realidade.







Um belo dia, e como foi belo aquele dia, eu juntei a grana e liguei pra ela. Liguei como se estivesse marcando um encontro e ela entendeu o recado rapidinho.







Eu disse: “Alô, eu gostaria de falar com a ..., por favor.” Ela respondeu: “Sou eu mesma meu amor”. Ainda acreditando falar com seu marido e não com seu “cliente”. Então eu disse: “Bom, eu vi seu número aqui no jornal e estava interessado em contratar seus serviços, será que podemos marcar um encontro hoje à noite?” Ela na mesma hora entendeu o recado e respondeu: “Eu cobro caro, hein? São R$300.00” “Eu sei, eu tenho a grana” – repliquei.







Assim marcamos de sair naquela noite. Eu fui pra academia, lá mesmo tomei banho e me aprontei. Depois fui em direção a minha casa onde marcamos de encontrar na esquina. Moramos em uma rua deserta a noite e meio escura.







Por volta das 22:30 lá estava eu de carro e lá estava ela na calçada. Vestida a caráter. Com uma ultra-mini saia vermelha, um top preto super sexy e um par de saltos exorbitante. Uma maquiagem daquelas e um perfume arrasador.







Eu parei o carro e perguntei se ela era a tal garota. Ela me disse que era e logo entrou no carro dizendo: “Esperava por você gato.” Eu, ali mesmo lhe dei um beijão daqueles... Afinal, eram R$300.00 e eu precisava gastar cada centavo muito bem gasto.







Havia planejado levá-la direto a um Motel mas no meio do caminho resolvi encostar o carro. Passávamos por uma rua totalmente deserta (sem casas) e muito escura. Uma estrada de terra, um barranco enorme do nosso lado direito e mais nada. Carro nenhum transitava por ali. Eu não resistia ficar olhando pra aquele par de coxas enquanto ela passava a mão sobre meu pênis que de tão duro parecia uma tora de 20 cm.







Então estacionei o carro, liguei a luz interna e perguntei pra ela se ela estava a fim de chupar meu pau e ela balançando a cabeça me disse que sim. Eu, na mesma hora, abaixei as calças e mandei que ela chupasse. Peguei ela pelo cabelo e comecei a empurrar sua cabeça contra aquilo tudo...a princípio peguei leve, mas então, comecei a dizer: “Vai minha puta, abri essa boquinha pra mim” E ela gemendo e me respondendo que sim me levou a loucura total. Com isso, eu comecei a empurrar mais e mais a boca dela e a socar sua garganta bem forte, e mais forte, até ela me fazer gozar ali mesmo. Gozei tanto em sua boca que ela quase não aguentou...e me disse: “Nossa...que delícia”.







Ah...pra quê? Aquilo mexeu comigo por dentro e repliquei: “Gostou minha puta? Vai querer ser minha puta particular agora, vai?” E ela mais uma vez balançando a cabeça e com um gemido gostoso me disse: “Uhu...vou sim.” É claro que eu não aguentei aquilo e parti pro ataque.







Sai do carro e abri a porta do carona. Mandei que ela deitasse e arranquei sua calcinha ali mesmo. Ela estava tão cheirosa e molhada que parecia um manjar na minha frente pronta pra ser devorada. E comecei a lamber aquela linda boceta, passando minha língua com força por toda sua superfície, lambendo e sugando aquele “mel” delicioso que vinha por toda excitação. Passava minha língua pelos lábios daquela xana, sentia o gostinho daquele clitáris e enfiava a língua no interior pra sentir o gosto que tinha. Enquanto ela dizia: “Vai meu bem, chupa a boceta da sua puta.” Eu chupava e chupava até levantar suas pernas e começar a lamber seu cuzinho. Pedi a ela que segurasse as pernas no alto com o cú bem arreganhado pra mim e lambia com gosto.







Depois passei a enfiar o dedo lá dentro e pedi a ela que rebolasse gostoso. Ela fazia com prazer, com classe, como se tivesse experiência no assunto e me tesava ainda mais. De um dedo passei pra dois e de dois pra três até não conseguir mais e dizer: “Vou te mostrar como se fode uma puta – A gente começa pelo cú dela.” E assim foi. Peguei aquela tora e enfiei aquilo tudo naquele rabo gostoso. Meu pau que é meio torto pra cima, ficava relando no topo daquele cuzinho lindo enquanto ela gritava bem alto. Eu cada vez mais metia com mais força e gritava pra ela: “Me diz quem é seu dono.” E ela gritava: “Ai, ai, VC...ai...” E me pedia pra não parar e enfiar tudinho mesmo. Enquanto isso, brincava com seu clitáris e sentia um prazer indefinível. Minhas bolas já batiam na sua bunda e meu pau entrava com gosto na hora em que ela me disse: “Vou gozar.”







Incrivelmente, seu prazer era tão grande que enquanto eu metia atrás ela gozava na frente... Assim que senti sua goza na minha mão cai de boca...e lambi aquilo tudo... Depois, passava a mão e colocava na boca dela pra ela sentir o gostinho também.







Então lhe disse: “Ainda não acabou não, vamos pro Motel.” E fomos.







Eu nem coloquei a calça e ela veio o tempo todo me chupando. Ela também não colocou sua calcinha e eu com uma mão brincava com sua boceta e com a outra passava marcha e dirigia. UMA LOUCURA!







Enfim chegamos. Peguei a suíte mais pobre que tinha. Afinal, se tratava de uma puta e uma puta cara. Aquilo tudo já estava fugindo do orçamento do mês...hehehe.







Já saímos do carro nos beijando avassaladoramente. Subimos as escadas ainda nos beijando, eu apertava sua bunda e ela o meu pau durão de tanto tesão. Ali mesmo na escada do quarto já coloquei ela sentada e cravei meu pau lá dentro. Na mesma hora eu a peguei pela bunda, ela abraçada em mim me beijando e com as pernas cruzadas atrás so gemia gostoso. Chegando no quarto joguei ela na cama sem tirar meu pau e comecei a fuder aquela xana louca de tesão por mim.







Ela gritava. Gritava muuuuito. E falava: “Mete vai...mete na sua puta vadia.” E quanto mais ela pedia, mais eu metia com força. Sentia meu pau bater no fundo do seu útero. Isso tudo lembrando que eu ainda estava de camisa e ela de saia, top e salto alto. Ali mesmo gozei de novo agora dentro dela e ela também junto comigo e depois de mim mais umas 2 vezes.







Ainda assim eu não parava. Estava insaciável tamanho era o desejo. Arranquei minha camisa, ela na mesma hora tirou sua blusa e sua saia rapidamente. Não quis que tirasse o salto pra não quebrar o clima. Coloquei-a contra a parede e comecei a lamber seus lindos seios, chupava tudo com muito gosto enquanto ela passava a mão nos meus cabelos. E gemia gostoso.







Peguei então uma cadeira que lá estava, sentei nela e mandei que ela chupasse novamente. E assim ela fez. Mais gostoso agora do que nunca antes havia feito. Começou lentamente até aumentar a velocidade. Me masturbava, me chupava, lambia minhas bolas e envolta do meu pênis. Então pedi a ela pra parar o rosto que ela merecia apanhar do meu pau na cara . E comecei a dar na boca dela e na cara dela com meu pau. Ela gostava muito.







Então mandei que sentasse de costas pra mim. E ela o fez. Sentou com seu lindo cú em cima do meu cacete enquanto eu peguei um pênis de borracha e comecei a enfiar na sua xana ao mesmo tempo. Aquilo foi tudo de bom. Como ela gritava enquanto eu falava no seu ouvido: “Cachorra, vadia, puta, gosta de levar no cú, gosta?” – Ela, nessa hora, nem conseguia mais me responder...Simplesmente gozava direto e gritava muito. Múltiplos orgasmos e um tesão incrivelmente incontrolável.







Nás dois suávamos bastante. Até que mandei que saísse de cima e que deitasse na cama. Ela obedeceu como uma boa vadia. E eu ali, me masturbei até gozar novamente em cima dela. Ela passava aquilo sobre todo o corpo como se fosse um creme pra pele e me pedia: “Joga mais, mais...muito mais...GOZA NA SUA PUTA HOJE” E claro, que nessa hora quem obedeceu foi eu. Gozei como nunca.







Quando terminamos, tomamos um bom banho e eu decidi que era a hora deu pagar pelo serviço da minha safada como combinado. Mas aí veio a melhor parte. Ela me disse assim: “Não precisa de grana não garanhão, por uma foda dessas, quem tem que pagar sou eu.”







Imagina sá, uma puta de alto escalão GRÁTIS. Me diz se não é tudo de bom e mais alguma coisa!!!







Fim



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos de fui comido pelo meu tioconto tirei do cu e comi a bucetacontos er matagalContos eroticos sempre quis da meu cu pro vizinhoerotico menininhaeu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestovideo fui enrabado no acampamentoou porn contos mãe traindo com um negroContos eroticos- meu pai me xingando no sexovvidos de muler co casoro. fudemocontos eroticos papai gozando na minha bocacontos eroticos Itapetiningatravestiszoofiliafotosvideo porno 45cm de rola na filhinha dormindocontos sado marido violentosContos eróticos de cornocom negão dotadosrealizei a minha maior fantasia transei com um jovem loiro do pau grande e meu marido assistindoFiquei parado olhando a bunda delaxvidio preza na ilhacontos da casa eroticos de mulheres tendos os cachorros ou lobos lambendo suas calcinhas e fodendo elascontos eróticos de bebados e drogados gayscontos eroticos com sogro e sograIncesto com meu irmao casado eu confessocontos minha mulher vendo meu tiosou uma loira muito puta e liberada para os negros pauzudos contosContos eroticos fudendo o cu da casadacontos eróticos gravou tia dando pra doiscasa do conto erotico filha da patroa em reforma do aptcunhadinha danadinha contosconto erotico incesto sonifero filhacontos eroticos mendiga negraconto erótico a manicure lesbicaminha sogra falou que tem dificuldade para gozarlinha na Rachinha contos eróticos"que buracao" gay contocontos eróticos na saída do paredão comendo c* virgemmedica seduzidapor lesbica historiasesposa raspada contosconfia minha madrasta no pornô chorando gostosaConto minha esposa dando pro policialcontos de padrinhos com afilhadasMinha tia coroa mostrou seu bucetao peludo contoscontos comi a internadacontoseroticosviolentadascontos eroticos velhos e novinhas santinhasbranquinha magrinha de cabelos caracolado danadinhaa esposa baiana do meu amigo contos eroticosfilmei uma traicao e chantagiei contosconto erotico arrastaram minha namorada na festacontos tias putascorno ver mulher gemendo dando cu aoutro casa dos conto eróticoscontos eroticos incestos primeiro foi o meu irmão agora e meu paicontos minha filha olhou em dandoContos minha filha de biquínilalargado na bucetaconto sexo gostoso rebola gato gaycontos eroticos travestis fudendo frentistas do posto de gasolina gayscontos eróticos de bebados e drogados gayscontos eroticos de quata feira de cinzaconto ajudou cornocontos eroticos de faxineiras coroas safadascontos adorei a lingua no meu cuzinhoContos de corno com fotosconto herotico engravidem uma branquinhachantagiei a negra contoContos Bota no cu tiocontos meu filho adora minha bundaTravesti fode duas coroas safadas na idade de 55 anosela pediu pra parar mas continuei fudendocontos dei minha buceta para o novinho pauzudo na pescariacontos eróticos minha filha bebeu meu leiteconto porno esposa na praia com amiga