Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

30 ANOS DEPOIS, FLAGRA

Click to Download this video!

No relato anterior, contei como aconteceu com o primeiro cara que me comeu, 30 anos depois.



Esta é uma sequência, dois dias depois.



Passei o dia no Congresso. Final da tarde, peguei meu carro e fui pro meu apartamento, perto da W-3 Sul. Rodrigo, meu velho amigo, estava lá.

Me contou que passou o dia batendo perna no Shopping. Tinha uma surpresa para mim. Fiquei curioso.

- Sá mais tarde - disse sorrindo.



Minha namorada havia me ligado durante o dia. Contei a ela sobre o Rodrigo e que ele estava hospedado lá em casa e etc. Como ele iria embora no dia seguinte, ela compreendeu.



- Veja lá, hein, não vão aproveitar pra sair com garotas de programa - ela me disse brm humorada.

- Que é isso, respondi também sorrindo, somos homens sérios.



Começo da noite, tomamos um bom banho e saimos pra jantar e tomar umas cervejinhas. Fomos ao Porcão, bela churrascaria de Brasília.



Lá pelas 19 da noite, voltamos pro meu apartamento. Como sempre, abrimos um bom vinho e ficamos batendo papo na sala.



Como relatei anteriormente, Rodrigo foi o primeiro cara que me comeu, 30 anos atrás. Fase de troca-troca. Até então, as trocas eram raspa-raspa, sem penetração. Com ele não. Ele deslizou inteiro pra dentro. Numa me esqueci e, dois dias antes de hoje, ele voltou a fazer a mesma coisa.



- E a tal surpresa? - perguntei.

A segunda garrafa de vinho estava um pouco abaixo da metade.



- Quer agora?

- Sei lá, não sei o que é.

- Vamos lá no quarto.



Fomos. Lá, ele abriu um pacote de compras. Foi rasgando os embrulhos e me jogando o que tinha dentro. Calcinha, soutien, um babydool????

Fiquei realmente surpreso.



- O que é isso?

- Quero que você vista tudo.

- Você endoidou de vez.

- Que nada, quero ver. Hoje, você vai ser minha mulherzinha.

- Tá louco, cara.

- Vai, faz minha vontade. Vou embora amanhã. Vai ser nosso grande segredo. Fora aquele outro, né? - estava se referindo ao fato de que ele foi o primeiro que me comeu, e repetiu a dose 30 anos depois. Resolvi atender o pedido dele.



Fui para o banheiro e coloquei a calcinha e o soutien. O babydool era curtinho e deixava ver o início da minha bunda. Quando sai, ele estava de cueca, apenas, com o pau duro.



- Nossa, que beleza.

- É esquisito.

- Que nada. Você ficou átima - e soltou um sorriso.

- Gostou mesmo? Tenho pelo nas penas e um pouco aqui no peito. É ridículo.

- Eu não acho. Desfila pra mim.



Eu estava realmente me sentindo ridículo, mas comecei a andar pra lá e pra cá na frente dele.



- Assim não. Pra desfilar tem que rebolar discretamente - ele censurou.

- Não estou acostumada, meu bem - disse ironizando.

- Isso, agora sim - disse ele depois que deu uns passos balançando a bunda.

- Gostou?

- Tá linda. Vem cá.



Fui chegando perto da cama e ele me pediu para continuar em pé, de costas para ele, que estava sentado na beirada da cama.

Começou a passar a mão no tecido do babydool, nas costas, e foi descendo. Chegou na minha bunda, passou a mão levemente no meu rego e voltou a acariciar as minhas costas.



- Você tá um tesão, sabia?

- Tô?

- Muito.



Meu pau estava quase rasgando a calcinha de tão duro. Ele continuou a carícia e subiu o babydool, expondo minha bunda.



- A calcinha está tentando entrar no reguinho. Que bunda bonita você tem.



Passou a dar mordidinhas nas bandas, segurando com as mãos. Não demorou muito e colocou a calcinha de lado e lambeu meu cuzinho. Cheguei a curvar para frente de tanto tesão, deixando meu rabinho ainda mais aberto.



- Esse cuzinho é tão gostoso. Me lembro exatamente aquele primeiro momento, quando eu entrei nele. Você era novinho, mas ele continua bonito.

Gemi.

- issss, sua língua... que tesão. Lambe meu cuzinho, lambe.



Ele lambia sem parar. Aí, encostou o dedo na portinha. Começou a enfiar devagarzinho.



- Olha como ele se abre pra mim...

- Ele é seu.



Senti o dedo dele deslizar dentro do meu cuzinho.



- aiiiii, issss, enfia...



De repente, ele me puxou e eu cai sentado no colo dele. Senti o pinto dele me encoxando. Ele me abraçava por trás, beijando minha nuca, dando mordidinhas.



- Hoje você vai ser minha mulherzinha - ele disse baixinho no meu ouvido.

- Será que eu vou conseguir ser uma boa mulherzinha?

- Tenho certeza, tesãozinha.



Ele se mexeu e deitamos na cama. Ele veio por cima e ficou se esfregando em mim. O babydool saiu voando pelo quarto. Então, ele começou a baixar o bojo do soutien e chupar meus mamilos, enquanto passava a mão pelas minhas pernas e bunda.



Foi subindo pelo meu corpo até que o pau dele, duro, ficou na altura da minha boca.



- Chupa, minha gatinha.



Tirei o pau dele da cueca e coloquei na boca.



- Nossa, que boca gostosa que você tem... issss....



Com a aprovação, sai de baixo dele e o deitei de costas. Continuei chupando.



- Isso, mama... Que mamada gostosa, gata.



Ele pediu para que eu invertesse meu corpo, e aí fiquei de quatro sobre ele.



Continuei mamando o pau dele, enquanto ele desviou novamente a calcinha e expôs meu cuzinho. Sua língua fez maravilhas e meu tesão foi ao máximo.



- Deita. Deita aqui - disse ele.



Deitei de bunda pra cima. Ele disse pra esperar um pouquinho. Levantou, pegou KY e lambuzou meu cuzinho, sem tirar a calcinha.



- Menina gostosa, vou comer esse cuzinho lindo.

Eu sá gemia.



Ele se deitou em cima de mim. Enquanto dava mordidinhas na minha nuca, me deixando arrepiado, roçava o pau no meu rego, sobre a calcinha. Depois, senti que ele estava separando o tecido e encostando o pau no meu rabinho.



- Vou meter gostoso em você.

- aiiiii, issss, mete, amor, mete gostoso na sua mulherzinha... isss....

- Tá gostando de ser minha menina, está?

- Muito.

- Abre a bundinha então...



Abri na hora. Ele ficou cuticando o pau em mim, mas não entrava.



- Segura ele. Põe no cuzinho.



Segurei e coloquei na entradinha.



- Vou entrar.

- aiiiii, issss, tô sentindo... issss

- Tesão.

- isssss... Tá entrando

- Tô fazendo você virar mulherzinha... issss... tesãozinha...

- aiiiii.... isssss..... enfia.... põe na sua menina, põe....



Ele empurrou devagar até entrar tudo. Arrebitei minha bunda pra não deixar nada de fora.



- Isso, empinha a bundinha, menina, sente inteirinho dentro de você... issss

- Amor... isss.... mete, amor....issss



Ele começou a bombar devagar, tirando quase tudo e mergulhando inteiro novamente.

De repente, ele deu uma bombada forte.



- aiiii.... issss.... você está me arrombando, gato... issss

- Minha putinha gostosa... issssss



Ele continuou forte, bombando mesmo. Não demorou pra gozar gostoso.



- Você tá gozando, amor... issss.... Que gostoso... isssss

- Tô gozando, minha mulherzinha.... isss....

- Eu também vou gozar... issss... aiiiii.... mete.... isso....isssss...



Não precisei, como da outra vez, pegar no meu pinto pra gozar. A fricção com o lençol foi suficiente.



Ele ainda estava dentro de mim quando a porta do quarto, que estava sá encostada, se abriu. Era minha namorada. Ela tinha a chave do apartamento e parou na entrada do quarto.



- Nossa, que festa! - ela disse sorrindo.



Sá aí é que nos percebemos que ela estava ali. A semgraceza foi geral pra nás dois.



O flagra foi tão escandaloso que não tinha como disfarçar. Quando ela entrou, ele estava bombando no meu cuzinho, e eu estava gemendo debaixo dele, pedindo mais.



Ele deu um pulo e saiu de cima de mim. Eu também corri pra me levantar.



- Olha, isso aqui foi uma loucura. Sá isso - eu comecei a tentar me explicar.

- Eu vi. Uma grande loucura - respondeu com um sorriso no canto da boca.



O Rodrigo, sem ter o que falar, foi para o banheiro da suíte. Ela se aproximou de mim e disse baixinho:

- Fiquei com tesão com o que vi.

- Que isso, Carla. Foi uma loucura. Sá isso.



Ela levou a mão no meu pau, ainda de calcinha, e pegou.

- Tá todo esporrado. Você gostou, né?



Fiquei sem jeito.



- Eu também quero - disse ela.

- Quer o que?

- Você. De todos os jeitos. Você é um tesão. Sempre gostei de fazer amor com você. Acho que vou gostar muito mais.



A cena era estranhíssima. Eu, em pé, de calcinha e ela vestida, segurando meu pau.



- Chama seu amigo.

- Que é isso, Carla. Não.

- Chama. Ou eu vou chamar. Desta vez eu quero assistir tudo...

- Você está doida. Aquilo foi um momento de bobagem.

- Larga de ser bobo. Eu vi que você adorou e que ele também ficou doido de tesão. Quero ver. No mínimo, tenho direito de ver.



O Rodrigo saiu do banheiro na hora. Ele estava ouvindo tudo pela fresta da porta. Tava pelado.



O que houve até lá pelas seis da manhã, conto outra hora.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto de coroa estrupada e chingada pelo genromeu cachorro gostoso viril zoofilia históriascontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaimagens de conto de homem macho transando com genro machocontos eróticos de i****** mãe na b***** da filha novinha assim permite-se a rolaporno pesado arrombando relatoscontos eróticos eu meu melhor amigoSentando no colo contoseu fui arrombadoconto erótico menina zuando pau pequenocontos eroticos rabuda no tremcontos eróticos casadaloira gostosa casei a força contosafilhada carente contocontos peituda loira provoca o pai de baby dollcontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontoseroticos fissurado no cu da esposaperdendo o sele o selo do cucontos boquinha da tiadp swing buracotransei com meu namorado sob a luz da lua,conto eróticomulher as pono aportei a minha esposaconto erotico na sala de aulaconto erotico vovó cuidanto de um estranhocunhada na cadeia contoscontos eroticos vizinha de camizola curtinhawww. brasileiras provocando com olharesde safadas pornominha tia chegou bebada e eu vi ela pelada oq eu façosobrinho pelado dormino e tia assusta com.../contoseroticosConto hot irmãozinhocontos sou safada dei pros flanelinhacontos eróticos múltiplos orgasmoscunhado fagendo sexo com cunhadacontos eroticos fiquei com um pouco de nojo mas chupei aquela buceta peludacontos eroticos de senzalasamelhor buseta de bashia do mundo gosanocasada que gosta de apanhar traindo porno contofui forcada a chupar papaicontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosPorno mobile boqueternotu manmou desse meladinho entt sobe casetedeixei um mendigo de rua comer minha bucetinhaconto erotico meu bezerro boqueteirotiti do cu apertado emnSou menina bem safadinha casa dos contos eroticoscontos de casadas escravascoroa safada finger q ta dormindo e tomar rola no cuquero sentir sua porra quente dentro no cucontos minha enteada minha amanteContos eroticos menina estuprada pelo pai na fasendative dar para um dotadocontos erodicos de cabrito macho fazendo sexo com gostosa zoolofiaConto porno de estuprada por pai da mim amigacheiro calcinha mar massagem conyojapinha.de.baixo da mesacontos erotico sendo fodida e fotografadacontos sexo minha esposa amigaminha esposa e sogra garente contos eroticosPau gigante.arrombando o cu da inocência. Jcomi minha filha no carro contoContos eróticos minha esposaconto erofico comi minha sogracontos eroticos incesto pai encoxado filhas avo encoxado netasContos eroticos curtos com detalhes por detalhes falas e falas eu era uma menina virge de 12aninhos e um tarado me comeContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de irmas dormindovideos de porno sogro cardando a moragostando de ser estuprada contos eroticosContos eroticos dopou a sogra e estuprou eladepilei minha virilha na clínica de estética e o cara gostou da minha xana chegou na casa da visinha e ja foi logo comendo a safaddeu o cu na quina da cama para o pai de uma amigaCasada viajando contoscontos eroticos no escurocontos eroticos de cu fedidogozoo na bucetak