Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

BRINCANDO DE BONECA, MAMANDO DE VERDADE!

Click to Download this video!

Sempre fui muito ingênua nesses lances de sexo. Brinquei de boneca até aos 19 com a minha prima Luisa. Nás morávamos longe uma da outra e nas férias passávamos juntas. Por ser muito tímida, não tinha muitas amizades, nem na escola e nem onde morava, por isso era muito apegada a minha prima. Luisa era dois anos mais velha do que eu, tinha um corpo bem desenvolvido, um peito de fazer inveja! Eu na época não tinha muito corpo, magra e com cara de menina. Lembro-me que na nossa infância Luisa falava de namoradinhos que tinha e o que deixava os meninos fazer com ela, eu horrorizada, achava tudo muito nojento. Certa vez, já mocinha, Luisa veio passar as férias comigo e assim que chegou foi logo me puxando pelo braço para brincarmos de boneca. Ouvi minha mãe falar "tão grande e ainda brincando de boneca!" Minha tia defendeu-nos: "Deixa as meninas aproveitarem a infância". Até hoje me lembro dessas palavras da minha tia, coitada, nem imaginava que tipo de "brincadeiras" aconteciam naquele quarto! Assim que Luisa me puxou, entramos no quarto e sem a menor cerimônia trancou a porta. Fui logo pegando a minha boneca preferida, Luisa disse que não precisaríamos da boneca porque eu seria a sua boneca. Claro que havia más intenções nessa proposta, mas na época nem me liguei nisso. Deitou na cama, levantou a blusa, seus seios enormes saltaram empinados diante de mim. Fiquei impressionada com o tamanho deles. Luisa puxou minha cabeça para que eu mamasse nela como fazíamos com as nossas bonecas. Meio sem jeito meti a boca em seus mamilos duros, chupei com força, ela baixinho gemia. Afastou minha cabeça e disse que eu deveria passar a língua por cima dos seus biquinhos e depois sugar com força. Fiz isso e ela se contorceu toda. Perguntei se doía, já que ela gemia tanto. Luisa riu gostosamente, disse que a brincadeira agora ia ficar melhor. Levantou-se da cama, pegou sua mochila e tirou dela um embrulho de papel amassado. Disse que agora brincaríamos de bichinhos e eu seria sua cachorrinha. Desembrulhou uma caixinha de leite condensado já aberta, tirou o short e a calcinha, deitou na cama, abriu bem as pernas e lambuzou a xoxota com leite condensado. Eu era a cachorrinha e deveria lamber tudo. Meti a boca e quase de uma vez sá chupei todo leite, mas ela zangada disse que teria que ser devagar, lamber primeiro e depois chupar. Passei a língua sobre seu grelinho já inchado de tesão e fui chupando onde havia leite condensado. Ela pressionava minha cabeça contra sua xoxota, rebolava na minha cara e dizia que eu deveria enfiar a língua dentro do seu buraquinho. Enfiei e ela se tremeu toda, com mais força segurou minha cabeça e disse que eu deveria engolir um outro leitinho que sairia da sua xoxota. Eu com a cara quase toda enfiada dentro dela, senti algo mal cheiroso e de gosto horrível descendo pela minha boca. Quis tirar a boca, mas ela segurou firmemente minha cabeça e gozou na minha boca. Cuspi tudo e tentei limpar a boca com a mão. Não queria mais brincar daquilo. Ela carinhosamente me deu o restinho do leite condensado para beber, o que tiraria o gosto amargo na boca. Me fez tirar a roupa e disse que seríamos papai e mamãe. Deitou-me na cama e por cima de mim ficou se roçando, senti algo gostoso nesse roça-roça e meti a boca nos seus seios. Foi instintivo, ela ria e se esfregava ainda mais em mim. Meteu um dos dedos dentro da minha xoxota e eu é que passei a me contorcer. Chupou meus seios miúdos, ainda em desenvolvimento, desceu sua língua pelo meu corpo magro, chupou minha xoxota com uma agilidade que ainda hoje desconheço. Nesse momento tive meu primeiro orgasmo, uma sensação gostosa explodia em mim. Descobri as delícias do sexo e passamos a "brincar de boneca" mais vezes. Dois anos depois, eu já com 19 anos e Luisa com 19 já fazíamos loucuras dentro do quarto, sá que dessa vez com vibradores.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


História narrada de sexo- Trepando com a nifeta safada gostosa huummmcontos er safadogostando de ser estuprada contos eroticoscontos eróticos férias com porracontos eróticos meninas de 25 anos transando com a calcinha preta com lacinho vermelhocontos eroticos chupando meu pai e meu tiovoyeur de esposa conto eroticogai bebendo porra de varios macho no cinema conto eroticodeixei minha esposa dar uma foto com meu sogro contos eróticosContos de ninfetas que levantam com vontade de da o rabofilme porno tia gostosa faz uma viajem dormi com saudade do sobrinho da cucontos eroticos.os velhos meterao gostoso em mimContos eroticos com tapas na bunda e castigoscontos eu tenho um bar e dei o cu pro meu freguês videos de cornos que chuupamcontos erótico me rasgaram mo acampamento Comtos eroticos de mulheres q bateram punheta pra cachorroconto erotico video game irmaos gaycontos reais minha mae chupou minhha bucetao penis pequeno me fodeu bem contosminha mulher e o filho do jumento contos eroticoscontos eroticos ninfeta al climaxcontos safados sogra transa com genro filhacontos eroticos incesto pai e filhatrai meu marido e ele ainda me chupou contoNovinha Bebi porra do meu amigo contocontos as gemeas putinhas seu papaiconto erotico minha esposa no jogo de baralhoconto erótico maltrato minha mãepornô grátis boa f***.com só contos preta peituda transando com genrofilmadora dentro da vagina enquanto gozaEla pediu pra cheira e ele esporou nacara delagay chavecano para trans o da baladaconto rebolo pau meu cunhadoNo motel os dois cabaços das duas amigas da minha filha conto eroticoirmã transformassem roupa vídeos pornô doidominha enteada um tesaozinhoCont erot meu pintobuceta inchada da cunhada...contoscontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidomae e cunhada gravidas do filho contosMeu irmaozinho caçula me te penetroucontos punheta no trabalhoconto minha enteada dormiu com a bunha pra cimasou travesti eu tirei a virgidade da minha amiga ela choroutoco siririca na madruga contos de casadasporno éla dis méche que eu vou gozarcontos eroticos de me fodram enquanto dormeconto eróticos. curiosidade. chupei pintoCarnaval cerveja mezanino nada conto eróticocontos bucetinha cheirando mijoConto porno apanhando de cintocontos eroticos gay quando eu tinha oito anos esperei meu pai ficar bebado e dei o cu pra eleQuero ler,contos homem fudendo menino de rua novinhoContos fingindo dormircontos eróticos lanchaconto cu buceta zooconto pai comprado calcinha para filha virgemcontos minha irma me chupou dormindoEnchi ela de porra contosconto pai comprado calcinha para filha virgemcontos em ilhabela com minha mulherconto de escrava lesbContos eróticos tomei dormindocontos eroticos gay transei com cinco no meu trabalhohistorias de meninas que se masturbaram enfiando cenouras no cu e na checacontos de incesto por chantagem do filho com a maefortisinhoconto de Esposa que traiu o marido e confesso para elecontos fiz titio gozarcontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos de casal sendo forcado mulher virar puta e homem viado em festas sadomazoquismocontos minha cunhada de shortinhos bem curtinhoWww contos d putas casada d juazeiro ba.comcontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos comendo o cu da sogracontos o amigo do meu marido me arrombouUma buceta fofinha afim de um dotado contoscontos primeira vez com esposa na praiachantageada e humilhadafui currada por dois garoto contos eróticos incesto conto dia de trovoadacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaprima rechonchuda contos fotosou amante do bundao da minha maecontos eroticos gratis submissão chantagem casadasmatrupado cm celular xvideocontos eróticos me surpreendeu na casa de swingcontos eroticos. um negao pescador e a garota perdidalevei pau na bunda no banhiro do colegio..faxineiro cafuçu me fez deviadinho contoscontos a filhinha de fii dando p i papaiconto erotico dona de casa dominada proctologista me comeu gaydando contos