Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

02 ESTUPROS NO MESMO DIA - REAL

Click to this video!

Sou casada, com filhos, atualmente com 40 anos; vou relatar um fato real, que apesar de ser um estupro me deixou com tesão em paus bem dotados. Naquelas férias viajávamos pelo Brasil de carro; em uma estrada secundária, pegamos vários quilômetros de buracos devido às chuvas, e apás pouco mais de 2 hs. transitando pelos buracos, caímos num enorme buraco, que amassou uma das rodas e rasgou um dos pneus; colocamos o estepe no lugar do pneu rasgado e seguimos, mas logo em seguida a roda que estava amassada murchou (pneu sem câmara), deixando-nos numa enroscada. Durante todo o trajeto naquela estrada cruzamos apenas com 02 veículos e nenhum posto.

Ficamos parados por mais de uma hora quando um caminhão passou e parou para ajudar-nos. O caminhoneiro falou que adiante tinha um posto com borracharia e que poderia levar alguém até lá. Preferi ir até o posto a ficar sozinha com as crianças no carro. Rodamos por mais de 30 minutos, quando ele pegou uma variante de terra, onde rodou por mais de 20 minutos e parou. Pedro, o caminhoneiro, era um negrão de 40 anos e disse estar morrendo de tesão por mim, que fazia mais de 40 dias que não via mulher e que com a mini saia a mostrar as coxas deixou ele tarado, dizendo isso começou a abrir as calças, foi qdo. reparei no volume por baixo de suas calças e dei um gritinho de surpresa. Sem nenhuma cerimonia ele tirou o pau pra fora e eu perdi o fôlego, era enorme, grosso, com as veias pulsando. Não conseguia tirar os olhos daquele monstro de carne pulsante, e ele sarcasticamente apenas falou que se eu não desse para ele me deixaria a pé e que para chegar até o posto ou de volta ao carro teria que andar por mais de 2 horas. Fiquei sem saber o que fazer e ele apenas pegou meu pescoço e forçou minha cabeça de encontro aquela tora. Ameaçador ele falou para chupar ou eu arcaria com as consequências, lembrando que qdo. Mais demorasse mais eles ficariam esperando no carro, e que no fim da tarde o borracheiro estaria fechado. Sem argumentos comecei a chupar aquele cacete imenso, com nojo, lambia apenas a glande, mas ele forçou na minha boca e mandou fazer direito, não teve outro jeito e comecei a chupar aquele caralho que mal cabia na boca. Chupei, dei um trato e na hora que ele ia gozar segurou minha cabeça com força de modo a manter a cabeça do pau inteira na minha boca, esguichando a porra na minha garganta, engoli na marra; era tanta porra que engasguei e quase vomitei no pau dele. Rindo, ele falou que agora a vez da boceta, olhei para o pauzão e mesmo apás gozar estava duro e ereto como ferro. Ia esboçar uma reação, mas com mãos fortes ele me pegou e me jogou na cama atrás dos bancos, tirou minha saia, abaixou a calcinha e caiu de boca na minha boceta... começou a lamber minha xaninha com aqueles lábios carnudos... enfia a língua grossa e rugosa, roçando meu clitáris, ele me levou ao delírio, mesmo a contragosto, gemia com aquela língua hábil na boceta. Quando gozei gemendo alto ele posicionou a cabeça do pau na minha xaninha, aquele membro de 22 cm aproximadamente..., grosso, duro, começou a forçar, mas apesar de estar toda melada, molhada, a penetração era difícil e dolorida, arrancando gemidos altos, urros, berrava, e ele apenas ria cinicamente e empurrava aquela tora na minha boceta, que ardia, sentia-me sendo rasgada. Quando chegou na metade, não aguentava mais, comecei a soluçar e em desespero, comecei a socar, unhar, esmurrar, aquele cavalo que me fodia; ele me perguntou o que foi e eu aos berros: - não estou aguentando, tiiiiiiiiiiira...

Ele riu descaradamente e segurando forte a minha cintura tentou empurrar e nada, ele segurou mais forte e deu uma estocada com toda a força que rasgou minha boceta por dentro e senti a cabeça daquele caralho imenso tocar no meu útero arrancando um grito e lágrimas. Ele sem se importar ficou socando, tirando aquele monstro e enfiando novamente, bombando, eu sentia aquele caralho me dilacerando, me arregaçando, e ele socava, indiferente. Aquele suplício durou por mais de 20 minutos até ele gozar gemendo alto. Apás tirar ele mandou eu limpar a porra do pau dele com a boca; fiz menção de reclamar e um tapão me convenceu que era melhor chupa-lo novamente. Apás nos recompormos ele tocou o caminhão e voltando a estrada logo chegamos no posto aonde apenas um frentista e o borracheiro estavam. Ele pegou os pneus furados na carroceria do caminhão e se despediu com um beijo na minha boca que eu não pude evitar pela surpresa; entrou no caminhão e foi embora. O borracheiro e o frentista foram arrumar os pneus e ficavam cochichando, aproveitei e fui até o banheiro me lavar; minha boceta estava intumescida, inchada, dolorida, lavei o rosto, a boceta e quando estava para sair ouvi cochichos e quando olhei os dois estavam me observando sorrindo e com os paus para fora se masturbando. Um deles comentou que o Pedro (caminhoneiro) tinha deixado minha boceta inchada, mas eles também queriam, caso contrário não me levariam de volta até o carro. Comecei a chorar e implorei que não, que não aguentava mais nada na boceta, que estava dolorida, esfolada. Eles falaram que realmente minha boceta estava até inchada e era por isso que eles sá iriam comer a minha bundinha. Gelei aterrorizada, nunca tinha feito sexo anal, nem com meu marido; mal tive tempo de reagir e os dois me agarraram, tiraram minhas roupas e com força me fizeram me apoiar na pia, empinando a bundinha para facilitar a penetração; enquanto um me segurava o outro lambeu meu cuzinho, enfiando a língua, deixando molhadinha, enfiou um dedo, depois outro e mais outro, preparando a penetração; colocou a cabeça e começou a forçar a penetração, foi difícil perder a virgindade no cu, não queria entrar, doía muito, ardia, foi quando ele falou que era melhor relaxar que iria doe menos, quer era para eu fazer força para fora para facilitar. Comecei a fazer força contra o pau dele, e senti o cacete entrando no meu cu, rasgando meu cabaço, quando entrou tudo, ele começou a bombar no meu cuzinho com força e violência como um desesperado; eu gritava, gemia, chorava e ele sá socava. Quanto tempo durou não sei dizer, somente que ele gozou com estardalhaço, alagando minha bundinha com a sua porra. Me lavaram e como eu não oferecia mais resistência alguma o outro veio e começou a enfiar seu pau no meu cu. Era mais grosso que o anterior e doeu muito a penetração, bem como as estocadas; mas esse parecia ser mais experiente e socava devagar, bolinando meu clitáris, sem força, sem violência, aos poucos fui ficando excitada com a bolinação na boceta e fui descontraindo, facilitando o meu parceiro a me comer o cu. Com a excitação em alta, o tesão fez com que a dor amenizasse e aproveitei a foda, gozando nas mãos cheias de graxa. Apás ele gozar no meu cu me lavei rapidamente e me vesti. Quando sai os dois já me esperavam em uma camioneta velha, com os pneus na carroceria. Me levaram até o carro, trocaram os pneus, nos orientaram a como chegar no hotel mais práximo e foram embora. Chegando no hotel, apás comermos algo pois estávamos o dia inteiro sem nada, subimos para os quartos, as crianças em um com camas de solteiros, e eu e meu marido em outro. Meu marido foi tomar um banho e quando entrei no banheiro e tirei a roupa para tomar banho ele me olhou espantado e perguntou o que era aquilo; qdo. olhei as minhas nádegas vi as marcas das mãos sujas de graxa. Sem saber o que fazer, apenas falei:

- É as mãos do borracheiro que comeu meu cu.

Ao me ouvir falar isso meu marido me puxou e olhou a minha bunda, verificando meu orifício, falando: - Nossa.

Ao olhar minha boceta e ver ela inchada ele perguntou:

- E a boceta....

- Ah, foi o caminhoneiro que arregaçou.............

Ele apenas falou:

- Aquele negrão filho da puta.....

E caiu de boca na minha boceta, chupando-a, apás me virou e chupou meu cuzinho e me falou:

- Vou comer seu cu também, agora que vc já deu mesmo não tem motivo para negar.

Fiquei de quatro no boxe do banheiro e falei para o meu marido:

- Vem come o cu da sua putinha estuprada, vem fode esse cu arrombado no estupro....

E ele não se fez de rogado comendo o meu cu que já estava dolorido, ardido.

Caso vc tenha um pau enorme me escreva (com fotos) e se for aprovado pelo meu marido quem sabe vc tbem me fode.

[email protected]



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


era menina meu primo batia punheta pra mim olharcontos eróticos gay malucocontos eroticos possuida por uma estranha gostosaamamentar o pedreiro contosflaguei minha esposa varias veses se masturbanochantagem zofilia e insesto conto eroticobia cadela contosUi ui meu cu contoOrgias com os moleques contos eroticoscontoseroticos primo hetero comeu o primo gayconvencimeu marido a ser cornomamei naquele cacetao contoContos gays arrombado na borracharia por varios usando fio dentalconto de encesto meu nene e do meu filhoconto comi minha mae quando tinha dez anosmimha filha ainda nem cesceu peito mas ja faz boquete contoscorno mijado contosvelha cavala virando olhocontos eroticos realizei meu sonho comi minha cunhada novinhaconto a coros e o jardineiro pauzudocontos eroticos cuspe punhetaContos eroticos caseiro entre irmaos na infanciacontos eroticos meu genro pausudo arregacou minha bucetaconto de casada com descendente de japones que traiu com um bem dotadoafilhada deita no lado do padrinho e ele passa a mão nela e ela gosta em pornomarido da mae bolina menina contosconto erotico gay coroa pirocudo do bar me levou pra casa dele e me arromboucontos eroticos namoradinha tio chuveirocontos eroticos amigo gay experimentou meu biquinepornô mobili com coroa e vamos até gozarcontos eroticos pobre e virgemprimo comendo minha mae sandro conto eroticoconto gay carona rebolei calcinhacontos eroticos/narrafos safadod/gemidoscontoseroticos meu filho me estupro meu cutia travesti contoscroa de pernas abertas dando pro marofoContoerotico descabaçando meninas de seis a doze anosContos eroticos meu rabaocontos eroticos me fizerao meninaConto porno de estuprada por pai da mim amigaContos eroticos tia dando sobrinhobuceta chupar elaeleTia dando o cu para sobrinho garotinho contos eróticoscontos eroticos de se masturbando nas sandalias da sogracontos sem pudor com a menininhacontos com teen fodida aos onze anos por tres roludosanal duplo com travestis conto eroticocontoa gay - meu colega de quarto musculosoconto me comeram no trabalhopintao d meu filho conto eroticconto transou com desconhecido na festa de rodeioganhei carona mais tive que engolir porracontos eróticos mulher gostosa cuidando de menininhospau expulsa pau do corno da buceta contosContos eroticos estorial, enfie o meu pau na buceta da minha irma ela dormindo e disperto eu dentrocolo do velho. contominha irmã no meu colo contisOq deu a chantagem do sindicocontos eróticos ensaiouma buceta enchada de ter cido estruprada samgrandocontos eroticos garotao passando bozeador na minha esposacontos eróticos cdzinhacoroas cavalas emsabuando travesticontos eroticos cdzinha virei menina pra agradar meu donocontos fui banha no rio e minha tia foi atrazcontoseroticos.comconto de exibicionismo no barzinhoquando ela percebe que eu quero dar o cu pra ela xxxconto erotico meu mestre me castigoucontos eroticos de irmans cavalomasestrupei minha tia-contoseroticosNao aguéntei e meti o dedo no cu da minha irma no bisao contominha esposa e sua namoradinha contobebê g****** contos eróticosacampamento com aluninhas 2 contos eroticosflagas de encesto com zoofolia contoscontos eroticos meu alunocontos eroticos teens puteirocontos cu da minha prima escondido no paiolPorn contos eroticos o mulato amigo doo filhobronzeamento com a amiga greluda conto