Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU PRIMO A.C. E EU

Click to Download this video!

MEU PRIMO A.C. E EU





Dizem que na puberdade a sexualidade está incerta, dividida; o garoto fica na dúvida se é homem ou mulher, se é macho ou fêmea, se é ativo ou passivo. Eu nunca tive essas dúvidas; meu negácio era dar a bunda. Adorava sentir o pau dos outros garotos pressionando o meu cuzinho, apertar com as nádegas aqueles paus quentes, duros, loucos por um gozo, um carinho, uma punheta; adorava masturbar seus paus, ver o jato de esperma, a respiração ofegante, o coração aos saltos, as palavras sem sentido, o líquido branco perfumado escorrendo pela minha mão.

Eu era muito disputado; bunda redonda, firme, coxas grossas ideais para agasalhar os paus, e tirar-lhes o gozo. Meu pau também era desejado; grosso, duro, cabeça vermelho vivo, gozo farto; os troca-trocas eram quase que diários; mas eu preferia mesmo era dar a bunda e o meu parceiro preferido era o meu primo A.C. O seu pau não era muito grosso, mas rígido e quando duro apontava para a frente, na horizontal; tinha uma característica inesquecível: era de cor escura, a cabeça parecia uma jaboticaba brilhante; já o seu esperma era branco leite, que contrastava com a cor do pau. Mas era uma delícia; a sua altura permitia que encaixasse o seu pau bem na porta do meu cuzinho e eu o apertava com a bunda com bastante força e carinho; para cada aperto era aquela sensação maravilhosa, que também me fazia gozar. Nunca dei o cuzinho, mas a bunda foi muito comida.

O tempo passou e a fase da responsabilidade chegou; escola, trabalho, faculdade; eu arrumei emprego numa empresa no distrito industrial da minha cidade; o meu primo também trabalhava nesse distrito industrial, mas raramente nos víamos pois os horários de trabalho não coincidiam.

Tempos depois ao sair bastante atrasado por força de acúmulo de trabalho, tomei um ônibus de carreira quase lotado; qual não foi a minha surpresa quando alguns pontos adiante vi o meu primo subindo no ônibus; ele também me viu e imediatamente veio perto de mim, cumprimentou e postou-se logo atrás me encoxando; firmei as pernas, empinei a bunda e ofereci-lhe; ele veio saudoso, o seu pau já duro buscou a sua casinha; que delicia, que saudades; o chacoalhar do ônibus levou-nos à loucura. Foram momentos sublimes mas que não duraram muito, pois o ônibus chegou ao meu ponto. Desci, me preparei e fui à escola; não conseguia me concentrar nas aulas, pois vinham-me à lembrança aqueles momentos deliciosos do início da puberdade. No intervalo fui embora; quando passei pela casa da minha avá para uma visita rápida, surpresa ! Meu primo também a estava visitando; saímos de imediato e fomos a uma rua sem saída e pouco iluminada; aproveitamos uma camionete velha que estava estacionada para nos escondermos ainda mais; de imediato ele me encoxou; ao sentir aquele maravilhoso pau não hesitei; soltei a cinta, a calça, a cueca; ofereci-lhe a bunda desejosa por aquele pau; essa bunda estava esperando há alguns anos ser novamente possuída; aquele pau escuro fez o serviço direitinho; empurrou o meu cuzinho, apertei-lhe, a mão esquerda do meu primo acariciou o meu pau e em poucos momentos fomos ao gozo. Anos depois éramos novamente um casal satisfeito.

Por algum tempo aquela rua escura e deserta foi o nosso ponto de encontro; atrás dessa camionete fiz-lhe as minhas primeiras gulosas; abocanhei aquele maravilhoso pau, chupei-lhe as bolas, acariciei-lhe o rego enquanto o chupava; passava a língua em volta da glande, derrubava bastante saliva para lhe punhetar enquanto chupava; o seu gozo vinha forte, perfumado, em jatos que se perdiam na noite.

Eu me sentia quase que totalmente satisfeito; faltava apenas ser comido; eu gostava muito do pau na bunda, na porta do cuzinho, adorava chupar-lhe; mas eu me sentia ainda incompleto; apás cada encontro ainda ficava faltando alguma coisa.

No início do ano a sorte nos favoreceu; saímos em férias no mesmo período e o meu pai nos pediu para irmos a nossa casa na praia para arrumá-la antes que ele e minha mãe viajassem; cortar a grama, abastecer a geladeira, a dispensa, essas coisas. Fomos voando para lá, antevendo noites inteiras juntos, na mesma cama, no mesmo chuveiro.

Chegamos na hora do almoço; ajeitamos a casa o melhor que pudemos; abrimos portas, janelas, lavamos a cozinha, os banheiros, colocamos os lençáis. Chegou a noite; jantamos rapidamente, tomamos algumas cervejas, relembramos os troca-trocas, as punhetas, as enrabadas, as gulosas que eu fazia. O tesão foi aumentando, aumentando. Fomos ao chuveiro, lavamo-nos; que sensação maravilhosa sentir a água quente, as mãos cheias de espuma de sabonete percorrendo o corpo; as axilas, mamilos, o saco, o pau, a bunda, o rego, o cuzinho, as coxas; encoxadas, pau nas coxas, os paus sendo esfregados um no outro; secamo-nos e fomos à cama; de imediato iniciei uma gulosa, sem pressa; saboreei aquela vara que eu ansiava por tê-la dentro do meu cuzinho virgem, acariciei as bolas, chupei as virilhas, virei-lhe de bruços e mordi a bunda, passei a língua no rego, na porta do seu cuzinho; com uma das mãos sentia a dureza do seu pau, o creme que saía da glande; a nossa tesão estava no auge. Eu havia levado um creme de pele da minha mãe e pedi ao meu primo: -- Me lubrifica e me come. Ele prontamente aceitou; com o dedo médio passou o creme na porta do meu cuzinho, introduziu metade desse seu dedo; apertei-o, que delicia; pedi-lhe dois dedos o indicador e o médio; maravilha das maravilhas; lubrifiquei o seu pau com o creme e pedi-lhe já quase sem voz: -- Me come, me come. Posicionei-me de lado, com os joelhos bem perto do meu peito; ele encaixou o seu pau e forçou uma vez, duas vezes, três vezes, até que senti a sua cabeça passando pelas preguinhas e me invadindo. Eu não era mais virgem. Senti aquela divina sensação que somente quem está sendo enrabado conhece: estar sendo possuído, estar sendo a fêmea de um macho, sentir a respiração desse macho no teu pescoço, nas tuas orelhas, as palavras de carinho misturadas com tesão, com posse; desejo puro, pura tesão. Pedi-lhe que colocasse somente a metade do seu pau e tirasse e colocasse e tirasse e colocasse ....... Algum tempo depois ele avisou que ia gozar e assim o fez; senti aquele jato forte, quente, me invadindo, o seu coração batendo loucamente; pedi-lhe agora que colocasse tudo; o seu pau foi até o fundo, senti os seus pentelhos na minha bunda, o seu saco batendo no meu; apertei o seu pau com o meu cuzinho, com a minha bunda. Quando a sua respiração voltou ao normal o seu pau naturalmente saiu do meu cuzinho finalmente saciado e abraçamo-nos; encostei a minha cabeça no seu peito e dormi calmamente, agradecido.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


quando eu era. adolecente meu amigos me estruparao e eu adorei conto erotico gueymeu padrasto tirou meu cabaco conto erotico fotocontos vendo minha prima sendo fodida pelo namorado acabei dando tambe betinhaconto erotico eu era a putinha Contos minha mulher mandando eu engolir porracontos erticos/meus doi primos revesaran em mintitio caralhudo noivo corninho esposa putinha contoscomendo a cunhada nojenta contoChupando o peito da priminha gostosa:*contos de bichinha dando pra negaotu manmou desse meladinho entt sobe casetecontos eróticos virei strip-teaserecebru varias calcinha de presente contos eroticocontos eróticos verídico de ginecologista e grávidaContos eróticos entre parentescontos eróticos mulher domina outra mulhermeu ex tem ficou duro eroticos contoseu minha amiga e meu namorado contos eroticos conto erotico entranhasPorn contos eroticos o mulato amigo doo filhobem o qye vou contar pra voces e o seguinte sou casado e minha esposa e loirasexo Sátão garotas da noite prazer contos de cú de madrinhaminhas duas primas me chupando o paliniciado pelo cowboy conto erotico gayContos eroticos meu papai safado me comeu no meu quartoContos dando cu primeira vez no assaltocontos eroticos monha noiva sil nua na frente de todoscontos eroticos incesto com afolescentesconto erotico gay: peguei carona e paguei com o cuzinhoContos eroticos travesti inicianteconto erótico da b******** Doeu muitoContos porno minha esposa realizou meu sonhocontos eroticos sonho americano 2pedreiro orrobando buceta da filha do patraocontos minha esposa viu o garotode pau duroeu e minha patroa praticamos zoofiliawww.contos de gozadas na marracontoseroticos minha sobrinha novinha gosava em silênciocomi minha cunhada fabiana - contos eroticoscontos putinha do matagalpezinhos perfeitos contos eroticocontos irma da o cu pro descolhecidocontoseroticosextrascontos fode-me paiContos eróticos Gay, Dei o cu pro vizinho no terreno baldiocontos eroticos vovoConto gay comendo a porquinha zoofiliawww.contos eroticos com fotos de comendo a madrastacontos de fudendo coroas dos seio bicudo de maiscontos eróticos primo de naneeu trinquei o meu pau na mão dela contos eróticossou casada meu visinho novinho e. Lindo contoscafetao metendo na minha filha conto eroticosconto erotico mulher do meu sonho seios ggSogra boqueteirá mamando genro contoseroticosconvidando o amigo hetero para assistir um filme porno e ele me comeu conto gaycontos comendo o cu da casada carentesou o tesaozinho do papaiContos de ninfetas dando o rabo no trabalhoconto monte de calcinhas sem lavarTravesti fode duas coroas safadas na idade de 55 anoscontos eroticos de lolitos com tios de amigoscontos eróticos não sei que fizconto erotico descontando a raiva no cuminha bucetinha chego a sangra na rolona do velho contosvideornposscontos iniciando a esposa na dpminha tia é demais ela chupa eu gozo e ela continua chupandoconto comendo a babacontos de incestos posando na sograMinha netinha sentou no meu pau contos eróticosestou ficando louco pela filha de minha mulher incestocontos minha filha novinha deitou com eu e a sua mae...e a pica comeuContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas dormindoContos eroticos gay Peguei no pau do meu irmao no quarto na belichehomens apanhados a pila na mao"anelzinho aberto" gay contocontos eroticos me comeram feito puta e chingada de vadia e cadelaenrabado dormindo acordei gosteiconto tara crente bundudaeuvera putinha desde novinhacontos de sexo chupadas