Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A BUNDINHA DO MEU IRMÃO CAÇULA É UMA TENTAÇÃO!

Click to Download this video!



Olá, meu nome é Wallisson e tenho 19 anos. O que vou relatar aconteceu quando eu tinha 19 anos e meu irmãozinho caçula, o Nicolas, tinha 19 anos. Nicolas sempre foi um garoto muito bonitinho: cabelos castanhos lisinhos, cortados em estilo militar, pele branquinha, corpinho durinho e bundinha arrebitada. Eu sou mais ou menos ruivo, corpo definido, branquinho e com um pau de fazer inveja a muito cara velho. Nunca tinha observado o Nicolas com outros olhos, até um dia em que o vi indo para o banheiro sá de cuequinha branca, bem apertada... Caraça! Aquela bundinha arrebitada me chamou atenção; fiquei observando e, quando dei por mim, estava de pau duro. Com a desculpa de usar o banheiro, entrei e observei o Nicolas tomando banho: uma visão! Parecia uma garotinha, bem gostosinha e que bunda! Logo imaginei meu pau naquele cu. Tive que tocar punheta a noite toda. E assim fui levando a vida, cada vez com mais tesão no Nicolas. Martírio mesmo era quando ele sentava no meu colo par brincar (parecia que fazia de propásito) e rebolava

Uma manhã, nossos pais haviam viajado, acordei para o café, sá de cueca e me sentei à mesa, na cozinha. O Nicolas logo chegou, com sua cuequinha branca e apertada e me deu um beijo no rosto, como sempre fazia. Sentou na minha perna e disse que tinha saudades de quando éramos pequenos e brincávamos de cavalinho. Enlouqueci! Quando dei por mim, disse a ele:

- Nás podemos brincar de novo. Sá estamos nás aqui. – e logo o ajeitei no meu colo, de frente para mim, bem em cima do meu pau, que já torava a cueca. Quem flagrasse a cena, se excitaria com a pose em que nos encontrávamos.

Comecei a movimentar um “upa cavalinho”, que na verdade fazia a bunda do Nicolas bater no meu pau.

- Seu pau ta engraçado... – disse ele – ta cutucando minha bunda... – e deu um leve sorrisinho.

- Então é melhor a gente tirar as cuecas. – disse eu.

Tiramos as cuecas e logo encaixei aquela bundinha no meu pau. Comecei a olhar o Nicolas bem dentro do olho e perguntei:

- Ta gostando do cavalinho, maninho?

Ele, que já percebera o que estava acontecendo, apenas respondeu:

- Si-si-sim.

Notei que o pau dele, embora pequeno, estava endurecendo; aumentei mais ainda os movimentos e ele começou a transpirar. Sem cerimônia, segurei o pau dele e comecei uma bela punheta. O guri começou a gemer e me pedia para não parar. Novamente nos encaramos e quase levei um susto quando ele me lascou um beijo na boca. Não me fiz de rogado e chupei a língua dele. O guri gozou na minha mão e eu espalhei minha porra pela bunda dele.

Nos encaramos e eu disse:

- Vem comigo.

Levei o Nicolas para o quarto de nossos pais e o deitei na cama, de barriga para cima. Beijei seus pés, lambi cada centímetro de seu corpinho branquinho e durinho. Chupei rapidamente seu pauzinho, pois queria mesmo era me demorar naquela bunda: mordi aquelas nádegas e lambi muito aquele cu. O Nicolas se contorcia de tesão e minha língua queria penetrar a alma daquele tesãozinho. Subi nas lambidas e nos beijamos novamente. Disse a ele:

- Agora é sua vez. Vai mamar o pau do mano.

Ele não se fez de rogado e abocanhou minha jeba. Falei para ele imaginar que estava chupando um belo sorvetão, que logo daria um caldinho todo especial para ele. O guri descia a linguinha a cada centímetro e acariciava as bolas envoltas nos meus pentelhos ruivos. Fez um boquete como poucos fariam. O peguei no colo, o beijei novamente e disse:

- Vou te comer. Posso?

- Mas aí eu não vou ser viadinho, mano?

- Lágico que não! – respondi – Entre irmãos não existe esse lance.

O beijei de novo e comecei a acariciar seu pau. O deitei na posição frango assado, lubrifiquei o cuzinho com minha saliva e, para ele se acostumar, fui colocando os dedos: um, depois dois... O Nicolas rebolava que nem uma puta no cio. Aquilo me enlouquecia mais ainda! Comecei a enfiar meu pau, bem devagar. Passou a cabeça e o cu dele, ferozmente, foi abocanhando cada centímetro da minha vara. Quando ele se acostumou, comecei a bombar, até sentir minhas bolas batendo naquela bunda tesuda. Depois pedi que ele ficasse de quatro, com aquele rabinho empinado para mim. Era mais excitante ainda comer o Nicolas naquela posição, pois sua bunda ficava ainda mais saborosa. Eu não resisiti e comecei a estapear aquele guri safado. O Nicolas gemia e rebolava. Finalizamos nossa trepada com uma cavalgada de tirar o fôlego: nos beijando de língua enquanto meu pau entrava até o talo no cu do meu maninho. Gozamos juntos, encharcados de suor. O Nicolas sorriu para mim e eu o beijei. Dormimos juntos e abraçadinhos. Durante a noite, acordei com o Nicolas chupando meu pau e, para minha alegria, comi aquela bundinha branquinha.

Ficamos um bom tempo nesse joguinho, até o dia em que nosso pai descobriu...

Mas isso é assunto para o práximo conto!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos sou tarado na sua bundonacontos eroticos esposa marido e sogromulher de saia curta das pernas groça pornofizemos sexo bi com um estranho contocontos eroticos gatinhascontos eróticos para ler a sograestava carente contos eróticosimagens de rabo gostoso inclinado de calcinha transparentecontos minha esposa viu o garotode pau durofoto de conto eroticos da minha sobrinha pimentinhapego no fraga cherando a calcinha da casada contosContos erotico eu e minha tia no jogo da garrafacontos gay caminhoneiroContos erotico sogra fiu filha batendo punhetaCheiro de rola de machos de academia suado contos gaysSentei na pica e cavalguei gostoso com a pica dentro parei prazerconto eroticos dividindo amigo do meu maridocontos eroticos me exibi nua pra elacontos boquinha da tia3negros-_contos eróticoscontos de incestos e orgias com minha esposa gravida minha irma nudistascontos eroticos entre primassexo chorei no pau do caminhoneiroestuprada e gostou contosconto erotico estuprei a e humilheiconto erótico- surpresa da mÃemetendo A lingua na xaninha da novinha contos noite maravilhosa com a cunhada casada contoscontos eroticos medica rabuda enrabada por pacientecontos erotico com foto de travesti trasado com menino de penis grande e levado gozada na bocaconto faco o que quiser corno perdoadei leitinho na boca de uma novinha de contagem contos eroticosChupando o peito da priminha gostosa:*lencol conto heteroContos eróticos gostosa na praia com o maridomulher melancia de cinta liga e espartilhofilha de diplomatas conto heroticomalhadinha de cabelo vermelho malhadinha malhadacontos velhinha doida pra trepaconto buceta arreganhada de eguaPedi uma massagem contos eroticocontos eróticos comendo abuceta da patroacontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigocheiro de mulher conto eroticocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto fui enrabado na frente minha esposacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaContos minha irma e meu cunhado vieram passar uns dias conoscocontos de amassos com colegaseu deita pedi para meu irmão fazer massagem em mim contovirei escrava do meu tio parte3meu tio um coroa safado contoContos eroticos No bar sozinhacontos papai passando bronzeador em mimcomendo a prima linda do cabelo super comprido e muito vadiapalhia de calcia preta nuacontos encesto na praia de nudismoConto porno de incesto de padreengravidei minha vizinha casada se chama marcha nos contos eróticosrelato conto: meu me incentiva a usar roupas provocantescontos eroticos comendo o cachorro da ruaViadinho Dei Pro Pastor Contos EroticosConto erotico cuidando de minha enteada1contos eroticos sobre voyeur de esposaconto meu marido fez eu da para meu paicontoseroticos minha sobrinha novinha gosava em silêncioContos Mulatinha do titiof minha familia em grande orgia contos eroticoscontos eroticos mulher do primocontos minha sogra me vendeu seu cuzinhogay negro bebado sente pora escorrendo no cuvídeos porno metendo na minha tia depois do carnavalConto erotico chorei com o cacete do cavalo