Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEIGA E SAFADA!

Click to Download this video!

Ola! Meu nome é Amanda, tenho 22 anos. Vou revelar um historia delicada, mas também deliciosa. Uma histária que mudou minha vida. Um pouco longa, mas deliciosa.

Tudo começou há três anos. Na época tinha 19 anos, era noiva. Mas a vida é complicada e fui em direção ao cominho perigo e sem volta quando tomei aquela decisão. De Inicio era apenas alguns dias naquela cidade grande, famosa cidade maravilhosa, cheia de beleza, sexualidade e tentações.

Meu querido irmão Lucas de 27 anos, na época tinha 24 anos. Ele passava por um momento difícil, tinha se divorciado. Chegaram notícias que Lucas muito mal, estava bebendo muito. Meu irmão era tudo em minha vida, sempre carinhoso, amigo, cuidava de mim até de longe. Na época tive apoio dos meus pais que não tinha condições para vir e compreensão de meu noivo. Quando cheguei percebia logo a diferença, não apenas a beleza da cidade, mas atitude das pessoas.

Sabia que estava tornando-me uma mulher bonita, mas não estava acostumada com tanto olhares maliciosos. O que não sabia que mudaria minha vida, e de algumas práximas. Sou morena, cabelos negros e lisos, rostinho bonito, alguns dizem que de princesa. Meu corpo cheio de curvas, tentador ao extreme. Chamava atenção meus seios médios e duros e meu bumbum que tenho 102m, coxas grossas e roliças. Mas sempre fui tímida, não gostava de chamar a atenção. Sempre caseira, e amava seu noivo, com quem pretendia se casar em breve.

Lucas como sempre foi muito atencioso, carinhosos. Sempre com elogias, fazendo sentir à-vontade, fazendo sentir bonita. Durante os primeiros dias organizei as coisas na casa. Conversarmos muito. Falava sobre minha vida, meu noivo, e Lucas ouvia atentamente. Contou um pouco de sua historia, alguns motivos que tinha acontecido, traição de sua mulher com seu melhor amigo. A cada dia se passava Lucas parecia sentir se melhor, mas solto. Percebia que nossa intimidade voltava como em outros tempos.

Tinha um relacionamento de muita cumplicidade. Quando morávamos em na casas de nossos pais estávamos sempre dando cobertura um para outro. Falávamos sobre todos os tipos de assunto. Lucas contava sobre suas loucuras, adorava ouvir, tinha poder de mexer comigo. Ele deixa mexer em suas coisas como filmes e revistas de conteúdo adulto.

Sempre fomos carinhosos um com outro. Apás uma semana percebi que Lucas chegou um pouco alto devido a bebida. Sentei ao seu lado, deixando-se abraçar por ele. Lucas – como sua falta princesa. Brinquei dizendo: Sentiu nada, aposto que estava gatinha? Não disse ele que ficou me olhando. Eu fiz um carinho no meu rosto, no queixo, nos cabelos... Não satisfeita, enchi seu rosto de beijinhos. Lucas disse: Que saudades disso! Vou ficar mal acostumado de novo e sorriu.

Disse por você faço tudo, pois quero sempre o seu bem e deitei no seu colo. Disse: você é um gato, logo vai ter varias mulheres atrás de você, se lembro bem o telefone e troca de namoradas não paravam quando você morava em nossa casa. Lucas: Você acha? Não sou mais o mesmo, estou enferrujado. Lucas: Como seria bom se todas fossem iguais a você e sorriu. Eu: - bobo, não sou melhor que ninguém. Lucas: Acho que é linda, sincera, fantástica. Eu: - ah pare! Você me faz rir, FICAR SEM JEITO. Lucas: Falei a verdade, juro! Tudo bem. Tudo bem, agora me ouve: eu vou ficar com você ate ficar bem, vou te encher de atenção até enjoar, viu? Vou encher de carinho, de beijinho, de afago, de tudo até ficar bem de novo. Lucas: Fica princesa! Não volte mais, deixa aquele bobão do seu noivo. Não fala assim, pois é uma boa pessoa.

Lucas me convidou para sair e dançar. Tentei recusar, pois não trouxe roupa apropriada. A noite chegou com um pacote e me deu. Disse que era um bobo. Coloquei um vestidinho preto tomara que caia. O vestido era de tecido leve e macio, deixando meus seios expostos assim como minhas coxas, pois era curto. De inicio tive receio, mas logo sorrir pensando em meu noivo se me visse assim. Sorrir ao lembrar-se da reação de Lucas, pois sempre foi ciumento. Acreditei que apesar da boa escolha não tinha calculado bem o tamanho.

Pensei comigo mesmo porque não? Afinal minha vida sempre foi muito certinha. Gostei sentir sexy, ousada e mais solta. O que não era normal. Coloquei minha menor calcinha, preta, cavadinha. Voltei e meu irmão olhava admirado. Ficou em silencio por instantes e disse: - Nossa mana e demais! Agora entendi porque seu noivo todo hora fica ligando! O safado se deu bem!

Boate tocava todo tipo de música. Na boate recebia olhares dos homens e ate de mulheres, meu irmão brincava com todo o clima. Entre bebidas como caipirinha fazia sentir mais alegre, mas soltinha. Recebia diversos convites para dançar forrá, com receio recusava, e de onde menos esperava veio o incentivo. Meu irmão dizia deixa de se boba, vai curtir a vida um pouquinho, pois se não fizer vai deixar seu maninho triste.

Tomei coragem e dancei com homem moreno, bonito e forte. Homem dançava bem, ditava o ritmo da musica e de nossos corpos. Durante a dança percebia meu irmão observando atentamente, pensava como estava diferente, surpresa, pois naquela noite ele me dera um vestidinho super curto, a depois disso ainda permitiu dançar com outro homem e sua frente. Homem esfregava seu corpo no um durante a dança, sentir seu pau duro roçando. Senti perigo e resolvi voltar.

Na volte dei um abraço no meu irmão agradecendo a diversão. Ele sussurrou em meu ouvido: Acabou o show? Um mossriso malicioso. Disse: - Lágico! Afinal ele estava se empolgando demais. Lucas: - Como assim? O Disse que era muito abusado, pois estava se aproveitando, tentando passar a Mão no meu bumbum e estava de pau duro. E a culpa e sua, pois alem de me deixar vim assim, deixou dançar com ele. Lucas sorrir e brincou: - Com certeza a culpa não e nossa! Você linda demais! Disse: estava tão bom dançar, venha um pouquinho comigo.

Confesso que fiquei surpresa com meu irmão. Dancei boa parte da noite com Lucas. Durante a dança sentir algo diferente, pois sentir pau duro ente minhas, mas diferente do homem. Não sair, pior esfregava ainda mais. Era loucura aquilo, mas estava gostando de dançar com meu irmão, de sentir que estava de pau duro e de esfregar nele.

Voltamos para casa. A noite tinha sido surpreendente, tomei um banho gostoso. A noite estava quente, meu corpo estava quente. Coloquei uma camisola, de tecido fino, semitransparente. Olhei no espelho, sentir algo diferente, sabia que era bonita, mas naquele momento pensei em meu noivo, NO HOMEM DA BOATE E EM LUCAS se me visse assim. Então quando ia para cozinha beber água escuto a voz de Lucas na sala vendo TV e bebendo uma cerveja. Lucas: Pensei que estava dormindo. Ainda não seu bobo. Lucas - Achei que não ia ter o prazer de ver você antes de dormir. Gostou da noite? Sentir algo diferente, pois ele olhava dos pés a cabeça.

Lucas – Você arrasou hoje, vi como os homens não tiravam os olhos de você? Seu bobo, e as mulheres não tiravam os de você. Mas obrigado por me proteger! Lucas: - com exceção daquele safado. Eu: E verdade afinal sabe que sou uma noivinha decente. Lucas pediu para sentar a seu lado e dividir uma cerveja. Lucas - Tenho que cuidar da sua integridade física sorrindo. Tudo bem, mas adorei noite! Naquele momento enchi Lucas de beijinhos no rosto. Ele olhou no fundo dos meus olhos e disse: - você e demais! Lucas sempre foi muito carinhoso. Diz isso porque bebeu demais e voltei para quarto dormir.

No dia seguinte encontrei meu irmão na parte da tarde. Ele veio me deu abraço e um beijo demorado no rosto. Tudo bem com você disse? Falou como seu noivo? Sim! Lucas - Sei, mas safado deve estar louco de saudades em todos os sentidos. Lucas - Te comprei algumas coisinhas. Eu achei que você estava precisando de roupa para vestir dentro de casa. Vou experimentar agora mesmo e dei um abraço em meu irmão, o beija mais uma vez. - obrigada. Fui quarto tirei as roupas da sacola. Havia blusinhas top, camisetas, alguns shortinhos. Experimentou as blusas e as camisetas, que ficaram bem. Então olhei os shortinhos era de tecidos finos e moles, e pequenos. Experimentei um diante do espelho, e sorriu. Lucas não calculara bem o seu tamanho, pensei. O shortinho era curtinho demais. Mas Adorei! Firam lindos todos.

Lembrei o disse Lucas – E pra usar, depois me mostra como ficaram em você. Claro que vou mostrar seu bobo. No último shortinho, olhei novamente no espelho. Fiquei de lado, de costas, e achei que meu bumbum ficava meio exposto demais, sorriu, pois pensei é pra usar sá dentro de casa, acho que não tem problema. A noite encontrei meu irmão vendo um filme. Cumprimentei, mas Lucas ficou paralisado, tentou dizer algo mais sua voz não saiu. Percebi que estava a- vontade. Desde minha chegando não via assim, apenas vestindo um calção e um copo de cerveja na mão. Disse: Estar bem à vontade! Ele: - É verdade, tá um calor. Muito calor! Aquela noite estava mais quente do que deveria. Algo inexplicável estava acontecendo, como todo aquilo foi acontecer. Meu corpo estava quente. Lucas – Mana você esta bem à-vontade também. Obrigado pelo presente, você disse que queria ver. Lucas ficou melhor do que imaginei, ficou perfeito em seu corpinho. Sorrir! Lucas - Imagine se teu noivo te visse assim, aposto que ia te agarrar aqui mesmo na minha frente. Cheguei práxima dele e disse: e você ia deixar ele me ver assim e pior me agarrar com sorriso malicioso.

Meu irmão querido ficou em silencio por segundos e respondeu: Se você quisesse. Disse: por isso que te adoro, por isso que te amo. Você bom demais para mim. Lucas – deixar ver aqui pertinho de mim! Disse: - Mano sá você mesmo para me fazer isso! Nisso peguei cerveja de sua mão e dei comecei beber. Em seguinte desfilei de forma suave e lenta, exibindo meu shortinho, coxas, meu bumbum. Lucas: Nossa não sei o short ou a natureza. Bebi quase toda cerveja, e falei. Você e bobo, acha mesmo que fiquei bonita. Dei mas voltinha.

Ele foi buscar mais cerveja e dei um tomou um pouco e disse: Ficou perfeito. Já estava na segunda cerveja quando disse: Não acha que ficou curto demais. Lucas; A culpa não é do short e do seu bumbum e sorriu. Seu bobo disse. Lucas: Você sá vai usar dentro de casa mesmo. Quem vai gosta e seu noivo disse Lucas. Seu bobo! Será mesmo? Ele não e como você? Safado!

Lucas ele que e um bobo, pois você é incrível mente bonita e sexy. Uma pessoa especial e dedicada que me trouxe alegria novamente. Eu vim pra isso, te ajudar, querido. Está ajudando muito. Gostaria de fazer muito mais, sabe que te adoro. Lucas esse shortinho ficou bem demais. Não sei o que acontecia naquela noite, fiquei desfilando, exibindo-se a ele. Disse que achei uma graça, curto mais gostoso, pano macio e leve no corpo sorrindo. Lucas> e sá não sair na rua, pois podem acontecer acidentes sorrindo.

Então fiz algo que não fazia um tempo. Sentei no colo de Lucas, passei a mãos em seus cabelos e disse: Logo eu vou embora, mas vou sentir tua falta demais, sabia? Também vou sentir tua falta, seu jeitinho gostoso. Mas até lá, eu vou te encher de carinho, de amor e você vai ver. Lucas que tal começar agora? Comecei encher seu rosto de beijinhos. Ele você é demais. E você gosta? E dei mordida em queixo- diz ela, mordendo seu queixo. Lucas: Adoro isso! E uma pena que vai embora logo. Você já está muito bem. Sei, será melhor mesmo. Você é linda, gostosa demais e safado deve estar sentindo sua falta. Bobo! Lucas - ainda mais com essas pernas e essas coxas que você e esse bumbum empinado, que anda fazendo, pois não era assim e sorriu. Viu como você já está bem, mas gostei do elogio, você também é um gato.

Senti e vi a mão de Lucas tocar minhas coxas. Lembrei-me de meu noivo que sempre faziam o mesmo. Nesse momento deitei em seu peito, enquanto sentia a mão dele subir suavemente pelas suas grossas e macias coxas, até a parte de cima e descer. Adorei aquela caricia, e sentiu que Lucas gostou muito de fazer aquilo. Beijei seu rosto mais uma vez, ele fazendo o mesmo. A mão subiu mais uma vez. Quase como um sussurro disse: - Mano tá namorando alguém? Ele – não, apenas um rolo. Seria Livia, pois ligou várias vezes. Uma amiga do trabalho. Você e safado mesmo não têm jeito. Porque todo homem e safado assim? Mas não fiz nada disse ele.

Deixar ficar mais um pouquinho no teu colo. Ele é todo teu e sorriu. Sentir sua mão subir novamente por minhas coxas, indo até a parte de cima, e subindo o shortinho ainda mais. Era confuso toda noite, mas permitir aquelas caricia, pois estavam gostosos seus toques. Lucas – sussurrou em meu ouvido fazendo arrepiar todo meu corpo. Ele: Amo você maninha! Você e a melhor de todas. Você linda, sexy e gostosa! Encostou seus lábios em meu rosto, dei beijinhos no meu pescoço, nossos lábios se tocaram num beijo terno, quente. Não tive reação, apenas aceitar, meu corpo ficou todo arrepiado e coração acelerado. O beijo demorado e novamente senti seu pau duro em minhas coxas e agora roçando em minha bocetinha. O beijo foi interrompido por ele: - Nossa! Exclamou que loucura! Nossa foi sem querer. Aquilo foi engraçado, inesperado, e começamos a rir. Então falei: Tudo bem! Nossa! Onde aprendeu a beijar bem assim? Lucas: esta zoando comigo. Que isso maninho, esta explicada porque a Livia ligou varias vezes. Ele: Nada é apenas um lance. Disse: Um lance, aposto que ela deve ser bonita, aposto que de ter adorado seus beijos. Agora vou dormir disse, enquanto caminhava percebia seu olhar.

Deitei na cama sorrindo, meu corpo me traindo, queimando de desejos. Uma sensação jamais sentida. Quando percebi com as pontas do dedo percorria minhas coxas na parte lateral, depois parte de dentro, subindo por minha cintura, barriga e chegando meus seios. Com outra mão invadia por dentro do shortinho e ao tocar na calcinha tive certeza do tesão que estava sentido, pois minha calcinha estava super molhada. Era primeira vez que me tocava, não conseguia parar de esfregar meus dedos em minha bocetinha encharcada. Passei imaginar loucuras, pensar em meu noivo, meu irmão e ate mesmo no desconhecido que dancei na boate e logo tive meu primeiro orgasmo fazendo perder as forças e em seguida adormecer.

Continuação o começo

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos meu cunhado é corninhobobadinho condo o priminho gayporno chegou em casa e pegou a cunhada pelada de olhos vendados e comeu elasequestradaxvidioconto erótico minha esposa no posto de gasolina quando viram sua calcinhaContos de Capachos e submissos de garotasContos eróticos picantes pecados na igreja com padresconto erotico no hospitaldupla perfeita uma chupava meu pinto e a outra chupava meu cugay de zorbinha enfiado no regoconto erotico peguei meu marido trepando cõm minha irma na camacontos eróticos punheta assistindo esposachupei meu filho contos eroticoscontos eroticos de maridoscontos eroticos tirei o cabacinho daminha afilhadaContos eróticos fedorentacontos enrabei a velha da casa da frenteviu de chotinho e ficou com tesao xvidiodona florinda putacontos heroticos gay meu tio de dezoito me comeu dormindo quando eu tinha nove anoscontos eróticos fui Penha a força por doisDona Florinda chupando a rola de Seu Madrugacontos femininos foi dificil dar o cuzinhoContoseroticosdesolteirasEmrabado por travestis na frente da mulher contoscontoseroticos.site/buscar-conto?busca=Comendo+o+cuzinho+virgem+da+sogra+esposa novinha gostosa dominada por velho roludo contos eroticosCasada viajando contoscontos eroticos de pai e filhinha novinhaConto minha patroa casada mim deubotando a patroa pra gozarcontos de cú por medoTennis zelenograd contoSou casada fodida contoconto erotico crente negra velhacontos massagem na tiacache:d8S3mF85a4oJ:tennis-zelenograd.ru/conto-categoria_4_11_incesto.html Esposa da.a bucetinha pro patrao contosEu e minha sogra no quarto contosContos eroticos esposa presa em uma ilha comcontos eroticos de irmã chupando pinto pequeno do irmão novinho de idadeeu so uma muher casada eu dei minha calcinha pro meu cunhado bater uma pensando em mimcontos comendo a sogracontos de arreganhando o anus do esvravovisinha casada o novinho contos com fotoswww.meti na minha filha a forçaconto de botei a minha irmã bem novinha pra chora com a pica grande no cu virgeContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorcontos de zoofilia em bordeistia de saia safada contoporni contos mae da namorada na picinacontos eroticos virei menina hormôniovideo erotico"minha primeira vez com travesti"entei no quarto da minha primacontos eroticos de fui comido pelo meu tioTo ferrada fiquei.arrombada contos eroticosContos eroticos gays meu pai me viu de calcinhacontos eróticos pagando com a filhaconto erotico, mamae foi. arrombada pelo marido da vizinha enquanto ela viajavacantos eroticos de casada dando o cu vergiler relatos de garotas que gosta de "loirinhas greludasestupro senti prazer contosNovinha putinha bebada contosContos Eroticos dos Africanosfui viajar com minha nora minha buceta ei cu delacache:fqKHdRAEKq0J:studio-vodevil.ru/mobile/conto_27513_bebi-demais-e-virei-corno-na-praia.html conto erotico o viadinho de calcinha e shortinho estupradofilhaminha prima contocontos de cú de irmà da igrejacontos eroticos me masturbei sozinhacontos comi uma pequeninaconto erotico gay: meu amigo japones me arromboucontos eroticos chineladascontos eroticos medicocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaConto arrombada por vovô e o caopintao d meu filho conto eroticFoderam gente contos tenns