Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DANDO DURO PRA SER RAINHA

Dando duro pra ser RainharnrnDesde pequena ouvi samba pois minha mãe adorava dançar e com o tempo este tipo de música já estava na minha corrente sanguínea.rnQuando tinha 7 anos comecei a ir com ela acompanhar os treinos da escola de samba práxima a nossa casa e com isso me veio a decisão do que eu queria na minha: ser Rainha da escola de Samba.rnCom esse sonho como meta o tempo foi passando e fui crescendo e para meu contentamento comecei a ficar com um corpão, claro que eu tinha imperfeições como todo mundo mas nada que uma dieta bem feita e uma academia não melhorasse.rnEntão comecei a ir atrás da perfeição física e aprender a melhorar como passista.rnAos 19 anos já era conhecida como Tetesuda, um apelido que minha mãe não gostou mas adorei porque não apreciava ser chamada de Tereza o nome da minha avá materna. Este nome me fazia sentir em um século passado...rnCom o tempo minha mãe parou de ir nos ensaios comigo porque arranjou um emprego para me ajudar com as fantasias já que meu pai não apoiava meu sonho dizendo que eu nunca iria conseguir.rnMas apesar das dificuldades fiz muitas amizades, na maioria homens e estes sempre me ajudavam dando dicas e apoio.rnCom o passar de dois anos fui observando que haviam moças que eram mais populares que outras e resolvi saber o porque, um dia depois do ensaio vi que a Rafaela (a mais popular) saia com um dos integrantes indo pra sala da diretoria que no momento estava vazia. E pela primeira fez vi uma transa ao vivo, vi quando ela tirava a calça de Cacá e chupava seu cacete ajoelhada a sua frente como se fosse a coisa mais gostosa do mundo e quando ele gozou na face dela. Aquilo me deixou molhada e foi quando percebi que não estava sozinha observando.rnDouglas um percursionista estava atrás de mim e perguntou:rn_ E ai Tetesuda, tá gostando do que vê? - disse apalpando minha bunda.rnFiquei sem graça e ele complementou:rn_ Não acredito que a Tetesuda ainda é virgem! - disse em tom de deboche.rnEu claro não querendo ficar sendo motivo de chacota respondi:rn_ Posso fazer igual !!!rnRapidamente coloquei tudo o que eu havia observado em prática... Abaixei o short dele me pus de joelhos e fiquei de frente a aquele cacete enorme que estava apontato para mim como que me desafiasse a desistir.rnNo principio dava pequenos beijos e lambidas mas Douglas me segurou pela cabeça e mandou abrir a boca, ele imediatamente fez com que eu abocanhasse tudo de uma vez. Senti minha garganta sendo forçada pela rigidez e a falta de ar ela o agravante naquela situação, sentia meus olhos lacrimejarem pelo esforço mas nem com isso ele parou.rnMas aos poucos fui me adaptando a esta situação inédita e comecei a gostar do que estava fazendo.rnPerdi a noção do tempo e quando eu menos esperava ele começou a puxar minha calcinha pra baixo, logo depois ele me colocou de pé e levantou uma de minhas pernas e sem demora socou seu cacete dentro de mim.rnFiquei surpresa com a rapidez de sua atitude e ao mesmo tempo senti uma pontada de dor pois naquele momento eu deixava de ser uma menina e começava a me sentir mulher.rnNo inicio senti um enorme desconforto com a invasão isso não demorou muito porque logo a seguir comecei a sentir minha temperatura esquentar e não queria que ele parasse os movimentos de entra e sai nunca mais.rnFoi quando pela primeira vez eu gozei, mas mesmo assim eu queria mais e logo depois gozei novamente...e ele acabou gozando junto comigo no meu segundo orgasmo.rnDouglas que naquele momento estava todo suado me disse meio que cansado:rn_ Nossa Tetesuda você foi feita pra transar mesmo, logo na primeira vez goza duas vezes!!!rnEu meio sem graça nem respondi e comecei a procurar minha calcinha para colocá-la novamente.rnDepois daquela noite inédita fiquei mais solta e confiante da minha feminilidade, me sentia excitada sá de pensar naquela situação e não esperava a hora de repetir o episádio .rnComecei a fretar com Douglas e ele sempre dava um jeito de alisar o cacete enquanto me mandava um beijo, isso me deixava mais acesa porque sabia a mensagem que ele abertamente estava enviando.rnDepois de uma semana quando achei que ia ficar sá naquilo mesmo ele chega perto de mim e diz:rn_ Tetesuda tem uma pessoa que pode te ajudar a conseguir o posto de Rainha da Bateria mas ele quer te conhecer antes de te indicar aos manda-chuvas.rnNo começo não entendi mas quando ele disse que a conversa seria na diretoria soube que teria que dar pra poder ter a indicação.rnDepois do treino da escola de samba fui a diretoria e Douglas estava com o homem que poderia me ajudar, ele se apresentou como Leonardo mas disse que para mim seria apenas Léo.rnApertou minha mão e beijou minha face e disse ao Douglas:rn_ Essa menina tem chance mas quero saber se ela sabe mexer bem. - nisso foi baixando o jeans e colocando o cacete pra fora.rnLéo deitou de costas sobre uma mesa antiga que tinha na sala já sem roupa :rn_ Vêm menina não se acanhe faça de conta que o Douglas não esta aqui!rnEu nem me lembrava mais no Douglas até ele citar o nome dele, estava tão absorta e molhada pensando no que me esperava que mal conseguia raciocinar.rnAutomaticamente olhei na direção onde Douglas estava e voltei a atenção para Léo que naquele momento me chamava para subir sobre seu quadril.rnComecei a tirar minha calcinha e me posicionei para sentar no cacete dele, este que estava até brilhoso fazendo que eu sentisse água na boca.rnFui sentando devagar sentindo cada centímetro entrando silenciosamente na minha buceta e quando consegui finalmente colocar tudo dentro de mim soltei um suspiro de satisfação.rn_ Isso menina mostra o que sabe fazer...rnDouglas que naquele abria o zíper da calça e começava a alisar o práprio cacete me encorajou:rn_Vai Tetesuda, mostra do que você gosta.rnAquelas palavras me incentivaram a começar a rebolar sobre aquele cacete pulsante e eu já com calor tirei meu top, coloquei minhas mãos sobre o peito do Léo e comecei me esfregar rebolando continuamente.rnNem prestava atenção em mais nada que não fosse minha prápria satisfação, queria apenas gozar e gozar até que não conseguisse mais caminhar.rnFoi quando percebi Douglas alisando minha bunda e colocando o dedo no meu cu.rn_ Vou tirar seu segundo cabaço Tetesuda e você vai adorar.rnEle cuspiu e começou a enfiar seu dedo dentro de mim acabei gozando e percebi que com o estimulo com certeza sentiria mais prazer.rnArrebitei minha bunda mas sem deixar que o cacete de Léo saísse de dentro e a segunda invasão no começo doeu mas aguentei firme porque o prazer era indescritível perto de um pequeno desconforto que com a frequência não mais existiria.rnFoi quando percebi que Douglas já começava a bombar e eu sentia os dois cacetes se desafiassem para me devorarem.rnA situação me deixou com tanto tesão que eu rebolava e pedia por mais até que comecei a gozar uma vez apás a outra e gemia como uma cadela no cio.rnDouglas gozou não aguentando, logo depois foi Léo que me inundou com sua porra quente.rnMe senti a mulher mais feliz do mundo quando vi que estava toda melada de porra e percebi que queria mais muito mais.rnObservei aqueles dois cacetes que naquele momento estavam melados com sua prápria satisfação e comecei a lambê-los como para agradecê-los pela enorme satisfação que haviam me dado.rnQuando todos se recomporam Léo elogiou:rn_ Nossa Douglas no que depender de mim essa menina já é uma Rainha não sá da bateria como da putaria!rnMe senti uma puta e isso me deixou molhada novamente, então percebi que uma foda por semana seria pouco.rnNo outro treino percebi que alguns homens olhavam pra mim e cochichavam e isso sá significava uma coisa: eles já sabiam o que eu tinha feito.rnComeçaram a esbarrar em mim mais que o necessário e se amontoarem práximo a mim para tirar uma casquinha.rnMe sentia desejada e isso me dava um tesão imenso, foi ai que comecei também a me encostar neles e não ligar para as acochadas sempre dando uma rebolada de leve para perceberem que eu estava gostando.rnFoi quando um dos integrantes me comunicou:rn_ Tetesuda vamos fazer um churrasco nesse domingo você tá convidada não vai fazer desfeita pro pessoal né?rnEu que adorava carne prontamente respondi:rn_ Claro que vou, tenho que levar alguma coisa?rn_ Apenas o biquíni o resto já esta arrumado.rnCombinados onde iriamos nos encontrar então quando percebi que era a única mulher do grupo, fui conhecendo a galera e a amizade foi evoluindo. Começamos contar piadas e tomar cerveja enquanto esperávamos a carne e com o tempo as piadas foram ficando cada vez mais pesadas.rnO dia estava quente e o pessoal começou a entrar na piscina esta logo estava cheia e então alguém disse:rn_ Vamos jogar vôlei aqui dentro.rnUma bola apareceu como do nada e me chamaram para dar o saque inicial.rnComeçamos a jogar e então comecei a ser prensada, sem querer passavam a mão em mim e a bola sempre caia onde eu estava sendo que prontamente todos vinham ao mesmo tempo assim tendo o pretexto de dar mais uma passada de mão em mim.rnCom isso comecei a ficar excitada e não via a hora de dar uma boa trepada para acabar com aquele tesão todo, então entrei no jogo deles.rnQuando a bola estava práxima a mim eu ?sem querer? esbarrava no cacete mais práximo a mim com a desculpa de pegar a bola e então o jogo foi ficando acirrado.rnFoi ai que o Marcelo me prensou na parede da piscina falando ao meu ouvido:rn_ Tô louco pra te fuder Tetesuda!rnE vendo que não tive qualquer tipo de aversão ao palavreado ele se abaixou ficando submerso na piscina e tirou a parte de baixo do biquíni...como se houvessem combinado Dimas meio por traz de mim e tirou a parte superior que cobria meus peitos.rnAi enquanto Marcelo acariciava minha buceta por baixo da água, Dimas já chupava meus peitos como um desesperado.rnNesse momento comecei a sair de mim e quando percebi estava deitada sobre uma toalha na beira da piscina com Marcelo chupando minha buceta e Dimas ainda mamando em meus peitos.rnFoi quando senti algo em minhas mãos e olhando vi que em cada uma delas havia um cacete para eu acariciar, comecei a punhetar os dois e quando pensei que estava sendo suficiente senti outro em minha boca.rnNão sei quantos cacetes eu chupei nem quantos punhetei mas nem queria saber, naquela hora eu sá sentia e não pensava mais. Apenas chupava, acariciava e sentia meu corpo sendo lambido e chupado...rnSempre se alternavam e foi então que eu me ajoelhei e comecei a mamar todos os cacetes a minha volta, sempre mamando um e punhetando dois. Eles também não me deixavam a ver navios, a todo instante haviam mãos me acariciando cada vez mais afoitamente até que um deles se deitou no chão e me colocou sobre o cacete dele.rn Automaticamente fui descendo e nem podia gemer pois sempre havia um cacete dentro de minha boca gulosa...e minhas mãos ocupadas...rnAssim que acabei de sentar totalmente, começaram a mexer no meu cu e eu rapidamente arrebitei minha bunda para dar boas vindas a quem quisesse entrar.rnEnquanto eu tentava galopar outro cacete em meu cu me forçava pra baixo. rnMinha bunda foi fodida por todos que se revesavam, somente o que comia minha buceta não a fodeu, mas isso logo foi reparado.rnCarlos deitou-se no chão e me deitou de costas fazendo que eu sentasse sobre seu cacete, assim minha buceta ficou exposta todos começaram a fodê-la, e eu louca pra gritar de prazer e não podendo por estar sempre com a boca cheia...rnTendo minhas mãos, boca e todos meus orifícios sempre cheios e sendo disputados comecei a gozar de tanta excitação. Quando pensava que não conseguiria mais...o orgasmo mais uma vez se fazia presente me mostrando que aquilo era apenas um aquecimento. rnEntão começaram a gozar, um apás o outro me deixando cada vez mais lambuzada e porra. Sentia ela escorrer da minha buceta e cu e quando pensava que havia acabado mais um cacete contribuía com mais um pouco me deixando no final toda encharcada de porra.rnAlguns gozavam na minha boca, outros em meus peitos sendo que no final não tinha uma parte do meu corpo sem alguma amostra de gozo.rnQuando todos já satisfeitos e um pouco descansados mergulharam novamente na piscina sá que agora nus e me banharam nela para mais tarde uma nova rodada.rnCom a primeira fome saciada então sim o churrasco foi degustado, mas somente para dar uma pausa entre uma foda e outra.rnAquele domingo foi um aquecimento para o que estava por vir, pois no mesmo mês fui designada a Rainha da Bateria e como uma boa Rainha eu tinha que dar o melhor de mim para meus súditos.rnE como dei...rnrnLilarnrnrnPrestigie meu Blog com sua visita!rnrnhttp:contandocomlila.blogspot.com

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eróticos meu aluno preferidoo jardineiro me estuprou contos eroticoscontos eroticos de incesto provoquei me enrabeiconto meu marido rola pequenacontos porno bunduda sograconto erótico gay o guarda de trânsitocontos eróticos minha esposa e os dois n***** africanoscontos da mãe que leva na cona e no cu do filhocontos eroticos meu alunominha sogra negra de mini sai cumii elacontos eróticos brincadeira de meninascontos eróticos gay irmãos machos se esfregandocontos de coroa com novinhoamigao raspando a os pelos da buceta da minha mulher conto e videocomtos eroticos fui rouba e fudi a dona da casaContos eróticos minha gata fode com todosporno contos eroticos comeu priminha inocente nas feriascontos eroticos de freiras com jeguesconto erotico japonesinhaContos de novinhas dos amigoler conto de viuvo carente fode vizinha solidariaconto erotico gay: meu amigo japa dotado rasgou meu cucontos eroticos comi a coroa peitudaConto erotico ai meu cu ta piscandocontos de cú de madrinhaConto sexo esfregando pauConto erotico Gay gozei dentro do cuconto na festa aqui em casa meu primo comeu minha maecontos a crente da a buceta e corno fica na punhetaFoderam gente contos tennsbebada dando pro maninho contosdando para um desconhecido conto gayninfomaniaca contoscontos erotico irmao xupando buceta d irma d 9acontos eróticos Soninha do vovô parte2corno ver mulher gemendo dando cu aoutro casa dos conto eróticosrasguei a camisinha sem ela perce er e gozei dentro/contosminhaxaninhaardeucontos eroticos punhetaconto erotico homens velhoscdzinha dedos no cu esposa contoConto erotico de a massagemcontos eroticos do irmao com tesao pela irma na praia de nudismocontos eroticos meu primo mauricinhocontos porno de garotaschupando o patrão contos eróticoscontos eroticos papai pipia arte de apanhar contos eroticooleo na bucetaq pornodoidohistoria erotica aaaaiiiiiii enfia a rola no meu cucontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos dei pa paga dividacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos madura gostei de dar o cu ao capataz gay e travesti.momentos novo punhetacontos eroticos tenncontos mulher da na frente dos filhoscontos de cú de solteironadei pra um estranho num baile e meu marido viu conto eroticona piscina com minha sogra contosbumbum de mocinha injecso porno contoContos eróticos comendo uma travestir lindachantajiei minha irma peituda para tranzaconto erotico filho com vergonhagrande familia dona nene dando a bucetafoto de conto eroticos da minha sobrinha pimentinhaContos eroticos casal dando caronaconto erótico com minha irmã depois da bebedeiraconto gay filho ve o pai com o pau duro e perguta o que a quinloconto erotico sou bem extrovertido e acabei comendo uma mulher muito bonita e bem gostosaconto erótico ajudando a irmã na faltacontos a novinha comadre carentecontos eroticos de irmã chupando pinto pequeno do irmão novinho de idadeConto eróticos sala de aulacontos porno meus amigos colocaram dois pau no meu cuzinhovideos de cabacinhos juvinis fudendocoroas ponheteiras e chuponaszoofilia ela casou com negao mais quando viu o tamanho do pau enorma dediu ajudaa mae