Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ANITA, MINHA VIZINHA II

Click to Download this video!

Puta que pariu, quem será que toca o interfone a uma hora dessas? --Puts! Já são três da tarde. Ai que dor de cabeça...



--Diga lá!

--Sr. Carlos, é o Miguel do 42, marido da Anita, tudo bem?



(Fodeu. A mulher contou mesmo para ele. Pensei eu).



--Pois não sr.Miguel, algum problema?

--Na realidade, temos um problema sim. Como o sr. Sabe eu sou o síndico do prédio e fui avisado que o sr. Cometeu um delito ao deixar o seu carro atravessado entre as vagas. Gostaria que o sr. Viesse ao meu apartamento para conversamos sobre esse assunto. Pode ser?

--Tudo bem, as 20:00h, pode ser?

--Ok.



Bom, dos males o menor. Vamos lá conversar com o cara e aproveito para rever a minha deliciosa vizinha. Será que ela já voltou?



As oito em ponto toco no apartamento 42 e não me surpreendo nem um pouco com quem abriu a porta. Anita, no mesmo micro-vestido de horas atrás. É ou não é pra provocar? –Dessa vez o bilau manteve a calma.



--Boa Noite, sr.Carlos? (Quero ver me chamar de coração agora, seu filho da puta)

--Boa Noite, dona Anita. (Coração, gostosa, peituda)

--Boa noite, sr.Carlos. Acho que o sr. Já conhece minha esposa. Ela acabou de chegar.

--Boa noite, sr, Miguel. Já conheço sim. (Não como eu queria, seu corno de sorte do caralho). --A propásito, eu trouxe um vinho para a ocasião. Já que vou tomar uma bronca ou uma multa, que seja em grande estilo.



A conversa girou em torno do ocorrido e ficou sá no sermão. No meio do papo e entre alguns copos de vinho, o interfone toca. Era a cunhada de Miguel, irmã de Anita. Izabel era o seu nome. Chique. Puta que pariu, a Izabel era igualmente linda. Um pouco mais nova pelo que pude observar, mais magra também. E o bilau acusou. Coloquei o copo de vinho na frente para disfarçar.



--Sugiro um jogo de cartas, já que somos em quatro. A não ser que o sr.Carlos tenha algum outro compromisso.

--Absolutamente. Não tenho compromisso nem com meu sono, já que dormi até as três da tarde. (Se tu deixares, durmo aqui mesmo meu chapa. Pensei eu).



Truco era o jogo. Os parceiros: Miguel e Anita e eu e Izabel. Imaginem eu sentado bem de frente para aquela Deusa de nome Izabel. Chique. O bilau acusou novamente. Não entendo muito bem de truco. Conheço somente as regras, mas aproveitei para caprichar nos sinais destinados a Izabel. Era piscadinha de olho sacana. Língua pra fora imitando uma lambida naquela que deveria ser uma bocetinha muiiito cheirosa. Dedo médio sobre as cartas, tão duro quanto o pequeno bilau. Pequeno, mais brincalhão. (É verdade gente, não tenho uma pica do tamanho dessas que esses contos contam por aí. Mas ela adora uma brincadeira). Izabel entendeu a sacanagem e começou a fazer seus sinais obscenos também. Boca imitando um boquete. Dedos juntos segurando a carta, imitando um delicioso anel, entre outros sinais. Já havíamos perdido umas cinco partidas e já estávamos consumindo as garrafas de vinho do Miguel quando os sinais passaram a acontecer por baixo da mesa. Izabel roçava seu lindo pezinho de Cinderela por entre as minhas pernas. Segurei-o e discretamente comecei a massagear-lhe o pé e fui subindo, subindo, até onde deu. Chique. No final do sexto jogo, sexta derrota e com um zap na testa, fui ao banheiro, pois o vinho já queria sair. Miguel aconselhou-me a usar o banheiro de empregada, na área de serviço, pois seu banheiro social estava com problemas. Izabel se ofereceu para fazer um lanche na cozinha. Miguel e Anita sentaram-se no sofá para conversar.



Aliviei-me, mijando em abundância. Izabel adentrou o banheiro sorrateiramente. Mirou-me o bilau e disparou:



--Vamos ver quais cartas você esconde debaixo da manga.

--Debaixo sim, coração, mas não da manga.



Izabel não perdeu tempo e ajoelhou-se aos meus pés, abocanhou o bilau e chupou alucinadamente, como se daquele boquete dependesse a sua prápria sobrevivência. Ela me chupava e punhetava ao mesmo tempo e tirava o bilau da boca e batia com ele na sua cara e voltava a abocanhá-lo. Eu me apoiava como podia nas paredes do banheiro tentando retardar ao máximo o momento de encher aquela boquinha de porra. Eu estava a mercê de Izabel e Izabel a mercê de bilau. Gozei na cara de Izabel, não que eu quisesse fazê-lo, mas, foi Izabel que coordenava a direção de bilau. E ela se lambuzou toda e esfregou o bilau na cara e no meio dos seus volumosos seios. Colei uma carta na testa de Izabel.



--Zap, meu amor!

--Adorei, querido. Sua carta é poderosa.



Nos limpamos rapidamente e voltamos para a sala. Anita desconfiou imediatamente, já que Izabel não trouxe o lanche prometido. Miguel nem se tocou e me ofereceu mais uma taça de vinho. O vinho, alucinágeno, ajudou a anuviar ainda mais minha cabeça e turvar os meus olhos que já não distinguiam quem era Anita e quem era Izabel.



Me despedi e e Anita me acompanhou até a saída. Com a voz suave, bem baixinho, eu disse:



--Boa noite, coração.

--Vai te catar, seu cafajeste.

--Cachorra.

--Tarado.



Sonhei com Anita...

Oito horas da manhã...

Puta que pariu, tô atrasado pro trabalho.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos peguei meu marido da rabo no churrascocontos sou safada dei pros flanelinhacontos eroticos de viadinhos de calsinhacontos marido bêbadoScu do sobrinho menor contos eróticoscontos marido bêbadoconto erotico patricinha dando pra pobrebrincando de casinha contos eroticosconto erotico so novinha a prendedo na varaconto anal rabao gggconto erotico meu avoos policias comero minha muler porno contos eroticocontos eroticos gang bang com os molequescontos eroticos homem da garagemvirando moça contosninfeta beijando peitoral de travesticonto amigo taradoscontos eroticos primeiri orgamos com meu irmaopapai me ensinado mamar contosFetiche pelos pezinhos da minha amadaContos erótico de Muller casadaPai,tio e filho contosdando desde pequeno contos eroticos gaysContos eroticos comeco na infanciacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casafudedo a tia bombadaMe comeram ao lado do meu namoradominha filha pequena curiosa contos erotucosconto entreguei os pés da minha mulher para um amigoconto cutuquei pau na bundia delacontos eroticos depessoas normais reaiscontos eroticos parte dois da helena e o padrastoconto menina adotada gozeicontos eroticos incesto lesbicas zoofilia eu, minha mae e o cavaloMeu namorado virou corno contos teeno coroa. levantou. minha. saia. e. comeu. meu. cu conto. eroticocontos de cú por medomeu corno me levou pra africa contos eroticosComtos casadas fodidas pelo patraoContos eroticos Proposta a tresnovinha de salto fazendo sexo com negro conto eróticocontos de zoofilia sobre eguas e jumentasconto de meu irmão comeu meu cu com uma grande pica e eu não aguentei de dorconto erotico com sogrocontos eroticos encoxada na linha azul de calça brancacontos eroticos de amigas na florestaconto eurotico namorada chupeteiraminha sogra deu o cu para o cachorro contomeu filho meu macho contoscontos encesto mae coroaTia chupou todinha de pernas abertaso cavaloenfiou seu pau com tudo no meu cu gritei de dor videos pornoConto erotico filhinha de niquiniBebendo porra do filhinho contoseroticosconto erotico corno pinto pequeno castidadewww.conto mimha mae min torturou com vibradores na bucetafazendo gozar mulher casada darlene contosfingindo gay contoscontossexotravestimetendo com a tininhacontos eroticos minha mae e meu irmao Ensinando minha sobrinha dirigir contosvideo porno mulher do meu amigo de chotinho na festa casa dele realidadecontos de engates gays maduroscontos eróticos de gay O Coroa me deu a bundinhacontos eroticos de menininhasconto erotico casado se apaixonou por um afeminadoCorno ama namorada use chortinho de lycra marcando buceta contosvideos de sexo com cintirinhas finas e bundonaCasada viajando contos  Marilia e Juliana estavam mais uma vez fr ente a frente para uma dolorosa batalha. Ambas traziam nos corpos as marcas feitas pela outra em combates violentos e sangrentos. Marilia vestia tão somente uma minúscula tanga branca fio dental. Juliana uma  conto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamentecontos eroticos com velhocontos eroticos Araguaina Tocontos erotico minha mãe foi bem arrombadacontos eroticos esposas no swingFui Comida pelos colegas do colegios contossexo contos eroticos na ilhacontos eroticos de lesbicas espiando os pais transando e fazem o mescomendo as garotinhas feias contos eróticosconto erotico esposa olhava por marido e gemia com cara safadacontos eróticos - madrugada no clube de águas quentes contos eroticos estupro da cegacontos eróticos casal Passei a noite no autorama no Ibirapueracontos eroticos inocentevidios pornô com sogra e esposade uma ves so tudo doidogožano na buceta da irmanSou casada fodida contoler relatos de garotas que gosta de "loirinhas greludasprovocações de mãe parte 2 conto eróticoContoseroticosnoivasConto erotico fazendo meu irmao vira um tranvestidei pra um estranho num baile e meu marido viu conto eroticoContos eroticos de pau na buceta e gozada dentroconto eróticos na sapatariacontos eróticos vestido de langeriesconto eu meu filho e meu pai cumemos minha esposa rabudaNo motel minha sobrinha ela chupou meu pau eu chupei sua buceta e fudi ela contos eroticos comi minha criada boazudaContos eroticos minha avo e mamae foderam com os mendigos