Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA ESPOSA E 6 GARIMPEIROS

Click to this video!

Inventamos de viajar de carro. Eu e minha esposa. Ora eu dirigia, ora era ela. Seguíamos a caminho de Porto Velho, por uma estrada de terra ao lado do Rio Madeira. Tinham nos aconselhado a não cruzar o rio pela terceira ponte, porque justo essa ponte ia dar num garimpo que ficava numa clareira desmatada na floresta. Era um vilarejo cheio de problemas, de abusos sexuais e imoralidades de gente sem-vergonha. Foi o que nos disse uma senhora na cidadezinha anterior.

― Quer saber, é melhor evitar essa ponte ― eu disse. Minha esposa dirigia. ― Pega a quarta ponte, minha flor de maracujá, sá por precaução.

O Rio Madeira passava pela janela do carro me dando sonolência.

― Quer saber ― minha esposa disse ― aquela senhora parecia uma beata de igreja, dessas que cobrem o corpo do calcanhar até o pescoço pra fingir que são certinhas aos olhos do Senhor.

Eu ri do comentário. Ela estava indignada. Não suportava gente moralista.

― Essas beatas, meu bem, cobrem o corpo mas ficam com a boca de fora SABE PRA QUE?!! Pra chupar uns pau depois da celebração. Atrás do altar. O pau do pastor, do padre, o caralho do capeta... Ouve o que eu digo... ― Eu ri de novo. Cochilei um pouco depois.

Sonhei com o que a beata dissera.

Que o garimpo se limitava a uma vila de prostitutas e homens brutos que se enfiavam atrás de lascas de ouro nos buracos das minas improvisadas sá pra trepar com uma, duas, três, ou até cinco prostitutas de uma vez. Era um antro de orgia dos infernos. Então acordei.



Descobri que fiz besteira deixando minha esposa dirigir naquele trecho.

Acordei com a minha esposa gemendo um gemido sofrido e sufocado como se tivesse alguma coisa enchendo a boca. E tinha. Dois cacetes. Ela tinha pego justamente o caminho proibido.

Uns seis sujeitos a estupravam. Fiquei assustado e sem saber o que fazer. Tinha um casebre aqui e outro acolá. Bateias largadas no chão. Umas mulheres vestidas como vadias aqui outras acolá. Uma delas agachou ao lado do carro e mijou na terra com o mato roçando-lhe a vagina. Essa, me disse, vendo minha expressão de pavor diante do gang bang ao vivo que me doía na testa.

― É sua esposa?

― É. ― Respondi, atônito. Minha esposa parecia desvairada no êxtase de tantos cacetes.

― Você vai ter que pagar pelos seis. ― A prostituta me avisou.

― O que?

― Essa vadia aí ta fodendo com seis, vai ter de pagar porque prejudica o nosso rendimento, tá entendendo, corno? ― A prostituta riu mijando um jato que empoçava fazendo lama.

Não teve jeito. Minha esposa voltou toda arrombada pro carro. Toda roxa da pegada dos caras. E eu ainda tive de pagar praquela cafetina mijona o equivalente por a minha esposa ter trepado com os seis garimpeiros sujos naquele lugar primitivo...



Quando dirigíamos já longe dali, ela exibia um sorriso como eu nunca vira de tão feliz. E confessou ter adorado. Não ter resistido. A beata a deixara molhada ao falar em orgia dos infernos, homens brutos e vila de prostitutas... 'Parecia mais o paraíso', ela disse, 'e ninguém nunca saberá, bezinho, relaxa, você ainda podia ter comido aquela puta mijona e a gente até podia ter ficado mais tempo lá...'

A princípio, não respondi...

Mas enquanto eu dirigia, horas depois, já vendo as luzes da cidade de Porto Velho se aproximarem na distância, ela chupava o meu pau tão gostoso que minha mente clareou.

Eu gostei. Disse que na volta passaria por lá de novo. Com uma condição. Que ela mijasse pra eu ver. Eu tinha gostado de ver a puta mijando na terra até fazer lama, como um bicho selvagem, foi o que eu disse, e gostei mesmo mas... Agora não sei direito se naquela hora o meu pau ficou tão duro por vê-la mijando ou por ver minha esposa sendo enrabada com selvageria por aqueles seis garimpeiros. Tanto faz. Ia testar as duas coisas pra descobrir a origem do tesão. Sá de pensar... dei uma estocada do quadril pra cima que pegou no fundo da garganta dela, ela tossiu, babando na minha cueca, mudei a marcha, ela me chupava com o carro rodando a cento e vinte por hora na rodovia. A língua dela ia a duzentos por segundo na cabeça acesa do meu pimentão. --- [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


cuzinho doido por pica cdzinha contocontos gay meu primo pauzao vir iContos monica putinhavídeo de gorda lavando o rabo ensaboadocontos eroticos de rabo inocentetirei o cabaco do garotinho mimado de onze anosContos eroticos com animaiscoroa dona de banca em teresina dando bucetacontos eroticos vizinhas camaradascontos eroticos estupro submisso f de semanaconto - bundinha durinha , cuzinhoapertadoSempre passo o dedo no grelinho da minha netacomi minha tia conto realistaconto erotico cobrador casada lesbicowww.contoerotico.pai e flha na chacarapeguei a minha atual namorado chupando a buceta da minha excasada lesbica com sobrinha contoContos eroticos corno submissovideo porno de garotinhas com olhinho vidradocontos eroticos diversos safadeza e assanhamentocontos eroticos fui putinhaSiririca contosputinha desde novinha contos eroticoscontos de pura putaria entre pais e fcontos corno empretei minha mulher para traveti e fikei vendomeu,vizinho mais velho me lambeucontos gay caminhoneirocontos eróticos no cu com cachorroscontos eroticos outro pou de presente para minha mulherjogo de puta buçetadaficou vixiada bo inxestog****** na xoxota da prima beijosContos titio comendo a sobrinha bem novinhacontos velha sogra da cupuro sexo sou muito deliciosa viajei com meu filho conto incestopastor gozando contos gayconto de chorei com a pica grande de um negao no meu cu virgemvou castigar seu cuzinhodepiladas muas na sauna contoscontos inocentes tapasmulher sentada e retando calcinha para homen ver sua bucetaamiguinha d minha bem magrinha putinhacasadasna zoofiilialésbicas castigando o rabo da parceriacomi o cu do meu irmao e da minha irma brincando de pique esconde contoscontos irma da o cu pro descolhecidovídeo de sexo de duas mulher gulosa beijo gosmentomulhe vais boguete em bebudofotos de loira sapeca abrindo as pernas a abrindo a xana rosaporra minha secretária tem a bunda deliciaconto transamos no escurinho da festaComtos casadas fodidas pelos empregados do maridocontos eroticos tapou a bocacontos a cunhada da primaComtos erotico 6 com a casada.contos erotucos comi umad meninas que morava na fazendaporno baixar caralhogrossos contos eroticos fui comprar cerveja e.comeram minha esposacontos eroticos gosto de chupar buceta suada e ensebadaMinha filha se ensinuava pra mim gostosaa pra mim comtosContos sou viadinho dos tios e amigos delesContos eroticos aii te amo ..ai ..ai mo vc e gostosa devagrcontos bi vi meu pri meter na prinha prima fiz ele comer meu cu e eu fudi elácontos eróticos só no cu das coroasVem vem safado contocontos eroticos gay meu tio de dezessete me comeu dormindo quando eu tinha oito anosconto erotico fingi que tava duente e cumi o cu da enfermeiracontos dando minha bucetinhacontos eroticoslingua no cucontos insesto comi minha irma e mae duas gostosas com fotosrealizei a minha maior fantasia transei com um jovem loiro do pau grande e meu marido assistindoenchi a boca na pomba grossacontos eroticos tava numa vontade danada de comer um cu e acabei dando o meucontos eróticos Cidinhacontos eroticos de se masturbando nas sandalias da sogracontos nao tinha camisinhacontos safados inversão e dominaçãoconto de quando era novinho chorei com uma pica grande no meu cuzinhoconto erotico sentado no colo baicha saia