Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EU E O FILHO DA EMPREGADA

Click to Download this video!

Olá novamente, retomando meus contos depois de uma maravilha férias bem merecidas, venho através deste para deixar sua imaginação a mil. Me chamo Jéssica, tenho 22 anos, 1.73cm, cabelos loiros, lábios não muito carnudos; seios médios com volume e bumbum médio arredondado com marquinha de sol, biquinhos rosados, peso 68kg, coxas um pouco grossas e pele lisa como pêssego.

Essa foi minha primeira experiência hetero que havia tido, mas não a mais prazerosa como muitos dizem, continuando, era sexta feria, acordara com o sorriso de orelha a orelha, pois havia “transando” com Mara em meus sonhos que me deixou excitada por horas no colégio. Depois que as aulas acabaram, fui de carona com minha colega ate certo ponto e o restante fui imaginando o que a minha empregada me dissera no dia anterior, como um gravador: “Amanha tenho uma surpresa pra você!” quando toquei o interfone, aqueles segundos mais pareciam a eternidade, quando meu assusto com a estática e meu irmão atendendo, confirmando que era eu. Ao entrar, certo arrepio tomou conta de meu corpo que curioso estava para descobrir a surpresa, quando vou ao fundo da casa, me deparo com seu filho Mauricio que na época teria seus 19 ou 19 anos

Almocei e subi para meu quarto e fechando a porta, deitei na cama para pegar num sono, sá que estava tão quente que aproveitei para trocar minha roupa, coloquei uma blusinha amarela e um shortinho curto ao invés de ficar com a camiseta do colégio e uma calça de educação física. Deixando a janela aberta, cai no sono e umas 15:36 daquela tarde, sinto uma mão fria da água encostar em minha perna, subiu para minha coxa quase chegando na minha virilha e na xaninha, tomei um baita susto quando ainda acordando e percebendo que uma sombra distorcida em minha frente: pensei que fosse um assaltante, porem era o Mauricio avisando que sua mãe me chamava. Levantei ainda meio zonza e fui ao banheiro para lavar meu rosto, peguei meus áculos e descendo para ver o que ela queria e tomei um baita susto: me deparando com Mauricio com a calça nos pés e sentindo prazer e a Mara de quatro segurando suas coxas fazendo movimentos para frente e para trás, naquele momento vendo aquilo tudo, fiquei estática e sem entender o que fazer quando numa fração de segundos, Mauricio olha rapidamente para mim ali parada sem acreditar e começa a literalmente meter na boca de sua mãe, enquanto Mara segurava agora sua bunda e deixando o seu filho inundar sua boca com seu liquido.

Ainda sem poder me mover, estava me sentindo excitada pela cena que acabara de presenciar e Mara se levantou vindo em minha direção e segurando algo na boca, veio me dando aquele beijo longo misturado com um liquido pastoso e quente e nossas línguas entrelaçando-se uma com a outra e me abraçando pela cintura, começou a tirar a minha blusa e me deixando ali sá com o sutiã. Seu filho veio atrás de mim respirando no meu pescoço me deixando mole, segurando meus pequenos seios por cima do sutiã, foi descendo ate meu short e descendo vagarosamente ate minhas canelas, começou alisar minha bunda e abaixar minha calcinha, enfiou sua cabeça entre minhas pernas vendo que tinha duas xaninhas a seu dispor, e começou a lamber minha xaninha como cachorro e depois foi chupando-a com vontade. Ainda beijando Mara, comecei tirando sua camiseta, depois seu short jeans, seu sutiã e por fim sua calcinha, estava excitada demais para pensar em parar, abri minhas pernas e Mauricio conseguiu encaixar ficando com o pescoço entre minhas pernas, se quisesse poderia me levantar pelo seu porte atlético. Estávamos suando muito, aquela tarde quente nos dávamos o maior prazer e percebendo que iria gozar, fiz uma chave de pernas em seu pescoço e gemendo abafado pela boca da Mara, gemia o tanto que conseguia.

Mauricio se levantou e vindo por trás de mim, agora sentiria o beijo de um homem, desgrudou minha boca na de Mara e segurando meus seios, sentia aquele beijo com algo diferente em sua saliva, que era meu melzinho todo sendo compartilhado a mim. Com a outra mão, colocou na minha xaninha alisando meu clitáris e Mara desceu beijando minha barriga e suas mãos alisavam todo meu corpo: dês da barriga ate as coxas (tanto da parte externa quanto a da interna). Sua mãe pegou a camisinha e encapando o mastro de seu filho que enfiando entre minhas nadegas, e com a mão alisando minha xaninha, guiou para dentro de mim e uma dor me fez soltar um grito de dor, Mauricio foi colocando centímetro por centímetro ate sentir os pentelhos (cabelos pubianos). Ele começou a apertar meus bicos dos seios e morder minhas orelhas, fiquei arrepiada por completa naquele momento, com os olhos cerrados, procurava Mara que estava no chão se masturbando e assistindo de camarote a nossa transa ali na sala de casa.

Me colocou com as mãos no corrimão e abrindo bem minhas pernas, começou a me meter como ele sabia fazer, segurando na barra, sentia o deslizar do seu mastro dentro de mim, que experiência esquisita que estava sentindo uma dor pelo tamanho(que minha xaninha era bem pequena e virgem) do seu mastro. Com a cabeça baixa, sentia arrepiar-me por inteira, que cessações era essas? Me fazia varias perguntas, enquanto meu corpo ia para frente pelas estocadas que Mauricio me dava, num certo momento comecei a gemer e colocar tudo que havia aprendido com a Mara em nossas transas: rebolava, gemia, pedia mais, respirava mais ofegante. Me puxou pelos cabelos e me fazendo soltar da barra do corrimão, tirou aquele mastro dentro de mim e sentia o ar frio tocar minha espinha que me fez arrepiar-me novamente e me colocando de quatro nas escadas, enterrou todo seu mastro dentro de mim, sentia-me invadida novamente com aquela ardência para comportar o seu mastro dentro de mim.

Segurando-me no chão frio com o calor da nossa transa, virei à cabeça para o lado vendo Mauricio dar aquele sorriso maroto e a punhetar seu mastro encapado, encostou perto de minhas coxas e pincelando seu mastro em minha xaninha, enterrou a toca e fez minha xainha engolir todo seu mastro ate sentir os pelos e os pentelhos. Num vai-e-vem frenético, ele me segurava pela cintura e a sobra da Mara invadiu a claridade me fazendo assustar, sentou com as pernas abertas deixando toda aquela xaninha raspadinha embaixo e com poucos pelos encima para deliciar-se. Agora gemendo como uma putinha, chupava e enfiava um, dois, tres e ate quatro dedos dentro dela fazendo-a gemer alto e Mauricio vendo e ouvindo tudo, começou a me chamar de: putinha, cachorra, cadela, vagabunda.. e outros verbos que me faziam ficar ainda mais excitada, não aguentando mais, tive meu primeiro gozo hetero naquele pauzão na minha xaninha.. “Ah.. meu tesão, como você é gostoso.. isso meu macho, fode essa putinha fode!” e sentindo seu mastro inchar, retirou rapidamente mirando em minha face e gozou uma abundancia (que naquele tempo, pensava que era pelo prazer proporcionado), porem com o passar dos anos, aprendi que era falta de sexo.





FIM









Espero que tenham gostado desse e de outros contos que relatei, e poderiam votar para saber seu grau de satisfação? Muito obrigada! E-mail? [email protected] e tenham uma átima excitação... bjus

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


flagas de encesto com zoofolia contosconto zoofilia nerocontos eroticos no colo do titiofoto de sexo conto eroticos da minha sobrinha pimentinha parti 1contos eroticos comi a mulher do pastorconto erotico separei da minha esposa e voltei e descobri que ela deuminhasobrinhae sua amigacontosContos adoro vercontos eroticos virei mulher como minha baba lebicaconto eroticos travesti hormoniocontos/ morena com rabo fogosovivos magras de peitospequenos deixando gozar no peitocontos eroticos amiguinhasconto de rasguei o cu da minha avóO amigo do meu namorado me comeucontos porno de corno compartilha esposinha branquinha na viagem de onibus com negros hiper dotadosvirei cadela contos eróticoscontos eroticos exibindo pra piralhosconto erotico filha mamae me ensinou a ser putinha parte 2contoseroticosdeincesto/irmaoeirmahistorias de afilhdas trepano com padrinhono colinho do vovô contos eroticosconto erotico comi.a .mulher.do meu amigo.corinthianocontos de cú de prima coroagreludinha minha menina chupei ate virar um piruzinho contos de incestoconto erotico esposa no clubeconto safadocontos eroticos sobre voyeur de esposadei o cuzinho é fiquei arrombandoCasada viajando contoscontos de traicao anal,postados no facebookcontos na festa com meu maridopeoes de rodeio batendo punheta escondidochupando o patrão contos eróticoscontos sarro gostoso com meu genroconvidando o amigo hetero para assistir um filme porno e ele me comeu conto gayirmãzinha nascendo peitinho contos eróticosconto erotico submissa gozei choreifudeno a amanda e nanda duas gostosinha mobilecontos eróticos virei fêmearealizei a minha maior fantasia transei com um jovem loiro do pau grande e meu marido assistindoHistorias gay broche e beijo na bocaporno homen bebeno gala du trans dotaducontos esquentando a relaçãocontos comi minha mae e o travesticontos eroticos amiguinhascoroa sendo assaltado e estupradoconto erótico eu e meus primos nu no lagoGabi comendo a égua no ciocontos eroticos arrependidacontos flagreii meu subrinho mastubando com calcinhacontos eroticos o porteiroconto erotico fazia tudoque meu tio mandavaJá trai meu marido e dei o rabocontos nudista de pau duroconto erótico vizinha no baile funkconto comi minha amiga peludacontoerotico mae amigosconto eróticos professor de biologiacontos gay menininho oferecidocontos eroticos de irmans cavalomascontos fudi minha cunhada emplena lua de mela magrelinha de rua contos eroticosconto erotico no mato com os garotocontos eroticos de gay grudados com cachorros gigantes e o que ekes passam no cu para ficarem grudadosvideos e contos sexuais de casais esposas timidas primeira transa com estranhoscontosfudi a mae da minha mulhercontos eroticos traindo marido na viajandoCuidando do meu pai acidentado contos de incesto femininovizinho tezudoconto mha sogra aguentou mha pica cavaloconto erotico gay esconde esconde