Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ARREBENTARAM O MEU CU

Click to Download this video!

Estava viajando pela empresa pelo estado da Paraíba, por motivos diversos tive que passar o final de semana em uma pequena cidade do interior.

Quando estou viajando não gosto de passar os finais de semana em cidades pequenas, mas naquele final de semana não houve jeito de ficar em uma cidade maior.

O melhor hotel da cidade era muito modesto e simples demais.

Cheguei à cidade, no sábado, 2706, por volta das cinco horas da tarde, à noite fui jantar e saí para me divertir um pouco, estava a procura de um travesti para comer o meu cu.

Sou um homem muito bem casado, quando eu quero buceta eu tenho a da minha esposa em casa, mas quando estou viajando eu é gosto de ser fêmea, ficar de quatro, de bruços, posição de frango assado ou em qualquer outra posição para sentir uma rola entrando por trás de mim.

Rodei por toda a minúscula cidade, mas infelizmente, não achava nada, por volta das dez horas toda a cidade toda foi dormir e eu também tive que dormir.

No domingo, 2806, apás o almoço fiquei tomando cerveja na calçada de um bar.

Em dado momento apareceram dois homens que pediram um cigarro, pois viram que eu estava fumando.

Dei um cigarro a cada um, como ficaram olhando para a cerveja perguntei se queriam também tomar comigo, aceitaram imediatamente sentando-se cada um em uma cadeira.

Percebi que já haviam tomado umas e outras porque já estavam falando meio atrapalhado.

Enquanto tomávamos nossas cervejas comecei a perguntar das suas vidas o que faziam, do que gostavam etc.

Eram duas pessoas muito matutas, trabalhavam em roça, falavam o caipirês, eram espertos, mas não tinham as malicias de gente da cidade grande, um era solteiro, outro separado da mulher, eram de mais ou menos de trinta e cinco anos de idade.

Maliciosamente perguntei se gostavam de ver fotos de mulheres peladas e os dois falaram ao mesmo tempo: VIXE! Gostamos demais.

Tenho sempre comigo um Pen-driver com milhares de fotos de mulheres peladas e fodas, então perguntei se queriam ver umas fotos de mulheres muito boas sem roupa e fodendo.

Os dois concordaram de imediato então os convidei para irem comigo ao hotel onde eu estava hospedado, como o hotel era simples demais o porteiro não se incomodou que os dois subissem comigo ao apartamento.

Antes de ir ao hotel comprei uma dúzia de latas de cerveja para que pudéssemos tomar enquanto apreciávamos as fotos.

Liguei o Lap Top em uma mesinha ao lado da cama, coloquei o Pen-driver e abri as fotos em exibição de modo slides.

Os dois sentaram-se lado a lado na beirada da cama e ficaram olhando com os olhos arregalados, percebi que imediatamente seus paus começaram a aparecer dentro de suas calças e com as mãos eles começavam a massagear e apertar seus paus.

Era isso que eu queria, dois homens em um quarto fechado, com os paus duros e cheios de tesão.

Os dois estavam em transe hipnático, eu exclamei: “Ai que calor!” e tirei toda a minha roupa, deitei de bruços com a bunda virada para cima na cama que por sorte era de casal, os dois me olharam e simplesmente começaram a rir.

Eu esperava que eles se tocassem que eu estava querendo dar o cu a eles, quando aparecia uma foto de um pau entrando na buceta ou no cu de uma mulher eu dizia frases: “Que pau gostoso! Que lindo aquele pau rasgando o cu dela! Ai, sinto até tesão no meu cu! Ai se um pau desses entrasse no meu cu!”, mas eles não se manifestavam, estavam paralisados olhando as fotos.

Eu já não aguentava mais de tanta tesão, os paus deles estavam quase pedindo socorro para sair de dentro de suas calças, como não se manifestaram eu sai da cama, me posicionei ajoelhado no chão em frente de um deles, levei a mão no zíper da calça, comecei a abrir o zíper devagar e ele não fez nenhuma menção de me conter, apenas abriu um pouco as pernas para facilitar a abertura do ziper.

Abri também a cinta, o botão da calça e o pau dele pulou diretamente para dentro da minha boca que já estava pertinho e aberta ansiosa esperando para dar uma boa chupada.

Enquanto chupava o pau dele estiquei o braço para o zíper da calça do outro que também não se incomodou, também abriu um pouco as pernas para facilitar, fui abrindo o zíper, a cinta e o botão da calça para que o pau também se libertasse daquela prisão.

Tirei a boca do primeiro e comecei a chupar o segundo, os dois já notaram que eu estava querendo fazer uma puta sacanagem e começaram a tirar as suas camisas, calças, sapatos meias cuecas e finalmente estávamos os três pelados no apartamento, uma tarde muito quente, tomando cerveja e vendo fotos de mulheres peladas.

Os dois já estavam pirados comentando um com o outro que as mulheres das fotos eram uma melhor que as outras, vixe ! que tesão! que gostosa! etc.

Era tudo o que eu queria, chupava um pau de cada vez, beijava, acariciava, lambia, cheirava e às vezes colocava os dois na minha boca, estava delicioso.

O meu pau também não baixava, estava duro como ferro, eu não aguentava mais a tesão no meu cu.

Peguei uma camisinha, coloquei no pau de um deles, uma pica enorme, era meio torta, fiquei de quatro na beira da cama e disse: “come o meu cu! mete essa rola! soca esse pau dentro de mim! me fode!”.

Fiquei olhando para trás para ver ele se posicionando com o pau na mão apontando para o meu buraco que aquelas alturas já estava latejando de tanta tesão.

A pesar de eu já ter molhado o meu cu com cuspe ele deu uma cuspida na ponta do seu pau e colocou no meu buraquinho, deu uma mexida para cima a para baixo até a cabeça encaixar e foi empurrando com força.

Comecei a sentir o meu cu se alargando, as poucas pregas iam se abrindo dando passagem a cabeça e o resto do pau, eu já estava sentindo o meu cu cheio de pau, ele socou gostoso até o fundo e começou o tradicional movimento metendo com força.

O outro se posicionou de joelhos sobre a cama na minha frente e enfiou o pau na minha boca.

Eu estava de quatro com as pernas abertas com um pau inteirinho dentro do meu cu e outro enchendo a minha boca.

Para um homem macho que gosta de dar o cu isso é muito gostoso, eu rebolava, resmungava, gemia e chupava com vontade o outro pau.

O cara meteu durante uns dois ou três minutos, começou a gemer e socar tanta com força que me empurrava para frente eram socadas com tanta força que até os meus joelhos levantavam um pouquinho da cama eu sentia também os seus pelos rasparem no meu rego, cada empurrada que ela dava o meu corpo ia um pouco para frente e o pau do outro entrava até a minha garganta.

De repente comecei a sentir um calor dentro de mim porque a camisinha no pau dele estava ficando cheia de porra.

Ele gozou, meteu mais um pouquinho bem devagar, eu pude sentir a cabeça do pau latejando dentro de mim em seguida tirou o pau de uma vez.

Imediatamente peguei outra camisinha, coloquei no pau do outro que estava na minha frente e disse: “agora eu preciso de você! fode o meu cu!”.

Ele saiu de cima da cama, foi para trás de mim, também ajeitou um pouquinho a cabeça do pau até encaixar no meu cu e meteu com vontade, como o meu cu já estava largo, o pau dele era um pouco menor, foi fácil a entrada, e começou a socar também com vontade enquanto as fotos passavam em modo slide no Lap Top.

O primeiro homem que havia me comido estava em pé ao lado da cama havia tirado a camisinha e ficou punhetando o seu pau que ainda escorria porra enquanto ficava olhando para as fotos.

Eu lhe disse: vem aqui na minha frente e deixa-me chupar a porra que sobra no seu pau, ele deitou-se na minha frente de forma que eu pudesse alcançar o seu pau com a boca e eu comecei a chupar aquela rola que ainda estava meio dura e melada de porra. ...“UMA DELICIA”...!!!

Eu pude ainda sentir boas gotas de porra que eu sugava e engolia, eu adoro o gosto de porra, na maioria das vezes em que eu trepo com a minha esposa eu chupo toda a porra que eu deixo dentro da buceta dela.

Enquanto isso o segundo metia sem parar, gemia muito, suspirava, uma das suas mãos estava sobre as minhas costas e a outra segurando a minha cintura.

De repente ele tirou o pau e disse: não quero gozar agora e ficou um tempo parado apenas olhando as fotos.

Eu continuei na posição de quatro apenas acariciando, lambendo e chupando o pau do outro que estava deitado na minha frente.

Passaram-se alguns minutos e ele meteu outra vez, enfiava tudo para dentro, parava um pouco, pedia para eu não me mexer e começava a socar outra vez, e assim ele fez por algumas vezes, chegou até a tirar a camisinha, tomar um breve banho e voltou a meter novamente, até que não aguentou, soltou um gemido muito forte e começou a socar com tanta violência que eu acabei caindo por cima do cara que eu estava chupando o pau que rapidamente saiu de baixo de mim.

O cara que estava me comendo acompanhou a minha caída sem deixar o seu pau sair do meu cu, deitando-se sobre o meu corpo, com suas pernas abriu bem as minhas e continuou me comendo assim mesmo socando com muita força, eu mal podia suportar o seu peso, mas fiquei a disposição daquela fera que eu acabava de cutucar com vara curta.

O cara parecia um animal, um cavalo, ele estava alucinado, não tinha controle sobre os seus movimentos, a cama até saia do lugar com as sua investidas, eu relaxei o meu corpo e de pernas bem abertas deixava ele se aproveitar, me esmagar com o seu peso enquanto o seu pau literalmente fodia o meu cu.

Em dado momento ele cravou as unhas nas minhas costas e começou a gozar um jato de porra muito mais quente que o outro que eu pude sentir enchendo a camisinha.

Tirou o pau depressa, saiu de cima de mim e antes que ele tirasse toda a camisinha eu já estava na sua frente pegando o seu pau e metendo na minha boca para tomar também ate as últimas gotas de porra.

Deitei na cama, estava exausto, os meus joelhos, o corpo e pernas doíam depois de aguentar o peso do cara que meteu no meu rabo igual a um doido desvairado.

Como não tinha ar condicionado no apartamento, apenas um mísero ventilador que não ajudava em nada, o suor escorria pelos nossos corpos, o primeiro que me comeu voltou a deitar na cama e o outro se sentou na beirada da cama, também cansados, suados ainda pasmos com as fotos que passavam no Lap Top.

Ficamos tomando cerveja enquanto os dois não cansavam de olhar as fotos, parece que nunca viram fotos de mulher pelada.

Eu ainda não tinha gozado, como já estava mais descansado comecei a chupar um pau e outro, o primeiro que tinha me comido e que estava deitado na cama de barriga para cima começou a ficar de pau duro novamente, era uma pica enorme gostosa, cheia de veias, a cabeça bem roxa.

Eu peguei outra camisinha, coloquei em seu pau, abri as minhas pernas, subi por sobre o seu corpo e fui me ajoelhando, baixando a bunda até o seu pau encaixar e entrar no meu cu e comecei a cavalgar, subia, descia, cavalgava, soltava todo o peso do meu corpo sobre o pau dele até o saco dele quase entrar no meu cu, sentia os pelos dele rasparem o meu rabo.

Ele ficava imável apenas olhando as fotos, suspirando e gemendo baixinho, de repente eu comecei a cavalgar com muita força, comecei a ficar arrepiado, a tesão não me deixava mais continuar, botei a mão no meu pau, comecei punhetear e gozar muito gostoso, a porra jorrava do meu pau, coloquei a outra mão na boca para não gritar alto e não chamar a atenção dos outros hospedes do hotel, mas me deu uma vontade enorme de gritar muito alto de tão saborosa que estava aquela foda.

Acabei de gozar e ia sair de cima dele quando ele falou, não se mexe, fica parado e começou a levantar o seu quadril tentando socar no meu cu, mas a posição estava sendo incomoda para ele.

Eu disse: deixa eu me deitar e você vem por cima de mim, sai de cima dele, deitei ao seu lado em posição de frango assado com as pernas bem abertas e disse: vem por cima de mim e mete esse caralho no meu cu.

Ele ficou de joelhos na minha frente, colocou o pau no meu cu, meteu e começou a socar com tamanha brutalidade que o meu saco até doía quando ele batia com o seu quadril na minha bunda, era outro cavalo, ele jogava o seu corpo sobre o meu, a minha bunda estava toda arreganhada e as minhas pernas não podiam abrir mais do que estavam, ele começou gemer e gozar enquanto o suor do seu corpo escorria sobre o meu.

Acabou de gozar e tirou o pau devagar, eu ajudei a tirar a camisinha e aproveitei para engolir as ultimas gotas de porra que escoriam do seu pau.

O cansaço era demais, a cama estava totalmente molhada de suor, perguntei ao outro se também queria me comer outra vez ele disse que não, já estava satisfeito e ficamos os três tomando as ultimas latas de cerveja até que anoiteceu.

No apartamento o forte cheiro de suor, porra, pau e cu fodido, era uma delicia, eu me sentia uma vagabunda da mais baixa ralé, uma puta, uma cachorra, uma vaca que dá para qualquer um que aparece pela frente, mas eu estava MUITO FELIZ!

Antes dos dois tomarem um banho ainda chupei seus paus que estavam moles, vestiram suas roupas, perguntaram se eu não podia lhes ajudar para tomar mais algumas cervejas, dei R$ 20,00 para cada um e nos despedimos na porta do hotel.

Voltei ao apartamento, não queria nem jantar, eu estava exausto, todo o meu corpo começou a doer, meu cu estava em brasas, passei a mão e pude sentir que o buraco era uma imensa cratera, mas era isso mesmo que eu queria, fiquei deitado na cama, relembrando o feliz acontecimento.

Ainda não totalmente satisfeito, comecei a passar uma mão no meu cu e a outra alisando o meu pau que começou a ficar duro, comecei a enfiar dois dedos no meu cu, mas como era pouco devido estar muito laceado peguei o meu celular, vesti com uma camisinha e coloquei todinho dentro do meu cu ficando sá a anteninha de fora, comecei a socar uma punheta até que gozei, e com a porra que saiu do meu pau lambuzei todo o buraco do meu cu que ardia muito.

Sem ao menos tomar um banho adormeci super contente, acordei no dia seguinte com o quarto, a cama e o corpo cheirando a porra.

E continuei a minha vida de homem normal, mal podia sentar no banco do carro porque a minha bunda doía muito, mas foi uma dor “GOSTOSA”.

Eu amo fodas animalescas principalmente quando o meu cu dái muito.

Para que estava à procura apenas de um homem para me comer, dessa vez acertei na loteria de ter achado dois caras que ficaram famintos por causa de umas fotos de mulheres peladas que nás da cidade grande estamos cansado de ver.

As minhas historias não são invenções, todas acontecem de verdade, eu sou assim mesmo, um tarado por buceta, mas um alucinado por pau no meu cu, eu adoro fazer caridade para paus necessitados.

Se algum homem gostar de comer um cu de macho valente... BORA-LÁ



[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Lambuzada de mel pro cachorro lamberContos gay meu vizinho novinho gostava de pegar no meu pauzaocontos eroticos de feiacaminhando e disfarçadamente batendo uma ounhetinha pro namoradocontos gay o hetero sentou no meu colo na viagemcontos eroticos mae e filhocontos porno gratis evangelicas submissas e chantageadastrai no cafe da manha contoConto picante e real o genocogista da minha mae gay passivocontos erotico trai meu marido com um estranho no onibusConto erotico bigodeconto erótico veridico de filho de patrao que comeu a empregada coroacomi minha cunhada de setenta anos contosconto adoro leitepornô com magrinha dos peitinho duro e c****** empinadoconto de o tenente me chupou muito gaycontos eroticos de se masturbando nas sandalias da sogracontos eroticos de lolitos com tios de amigoscontos er irmas vizinhafui ensinar a sobringa dirigir ea fudicontos eroticos corno da filhaconto esposa na orgia do carnavalContos eroticos de incestos.mamae vai dar boa noite de camisola pro filhoContos eróticos minha mulher no acampamentoconto erotico amigo pauzudo do marido comeu eu e minha filhacontos eroticos eu tinha 14 aninhosTennis zelenogradContos minha filha de biquínicontos minha namorada pelada meu amigosou magrinha casada e os amigos do meu filho me coreram e eu adoreibunbum malhados pornoconto moreno heterocumi a bucrtina contos eroticoscoroa louraca enxuta bocetao inchada inchadaMinha bucetinha não aguentaria aquela grossura todacontos porno de zoofilia minha buceta cabeluda engoliu o pintao do cachorrocanto erotico de homem que gosta de usar calcinhaver tdos as calcinhas fio dental qom bomum empinadcomi um a menina de 14 contocontos eroticos com mts mamadas nos peitos/sexo com o amigocontos eroticos escondidovi meu genro mijando e dei pra eleConto erotico veridico circocontos eroticos tia dando pro proprio subrinhocontos eróticos comendo grama grávidacontos veridicos por garotas teenscontos eróticos tio f****** sobrinha casadasobrinha sapeca tomou no cu contocontos eroticos gay comendo a bicha de calcinhaempregada me masturbando nu contoscontos eroticos paguei as dividas da minha funcionária noiva rabudacontos eroticos tia feiacheiro de mulher conto eroticoContos incesto novinha calcinhavirgem sendo comida por 3 paus na sua bucetinha contoscontos eróticos gostosa do rhcontos-você vai devagar no meu cuzinhoXupano apiroca doirmao sentada novazo dobanherocantos historias transei com minha sobrinha de 11aninhoschupando até ela gozar dirá cx aodcontos eroticos fui castigadaconto erotico vi minha sogra peladaContos eróticos Seduzi o Motoqueiro bunda Grandeconto eróticos sado a forçaconto erotico meu marido mim ensinano dpcontos eróticos "peladinho" sobrinhofundura da buceta midindo pornoContos minha irma e meu cunhado vieram passar uns dias conoscocontos gay lutinha com o primo de 16contos de cú por medogarota pauzerameu tio me vendeu conto eroticoscontos eroticos minha mulher apanhaeu i a neguingo do pornomulheres da buceta cabeluda que dar e nao aguentou a rola grosa e pedia para parar videonamorada virgem.contocontos meu marido adora me ver sendo chupada por outra mulherconto erotico gay no trabalho com homemvelho coroa grisalho peludocontos heroticos de mandando a neta sentar no coloEu, minha sogra e meu marido-contos-incestocoontos eroticosminha esposa fez eu comer sua amigadei minha buceta para os amigo do meu filho contos eroticocontos exoticos cm bebados tarados e nojentosconto eróticos lábios românticosChantageada e comida contosContos eroticos-Virei pridioneira lesbica