Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

INICIAÇÃO DE QUATRO AMIGUINHAS I - FABI

Click to Download this video!

Iniciação das quatro amiguinhas



Fabiane



Eu Fabi, Pìnk e Mary éramos inseparaveis, desde o prezinho. Morávamos no mesmo prédio, e estávamos sempre juntas. Dormíamos uma na casa das outras, tomávamos banho juntas e assim foi se criando uma intimidade, desde nossos 5 ou 6 anos, hoje já na casa dos 23 anos. Assim, vou contar a histária da iniciação de cada uma de nás. Claro que “brincávamos” umas com as outras, mas tínhamos desejo de conhecer meninos... Tinha um menino que por vezes brincava conosco, mas nunca fomos muito além com ele de beijinhos, apalpadelas e alguma olhada. Ele adorava fazer xixi na nossa frente e nás fazíamos o mesmo... isso, olhar o pintinho dele e saber que ele olhava nossas bucetinhas, já era uma baita excitação ... naquela idade. Depois fomos crescendo e nossa imaginação criou mais coisas, inclusive brincando umas com o corpo das outras, mas isso é para depois.

Mas vamos a histária da iniciação verdadeira de Fabiane, a Fabi. Ela sempre passava férias na casa da praia da tia e madrinha dela. Ela é sozinha com a mãe, e as famílias conviviam bastante. A madrinha tinha dois filhos, um quase da mesma idade, e outro uns três anos menos. Ela sempre nos contava que, em pequenos, lá tomavam banho juntos, quando voltavam do mar, e sempre ela contava que rolava alguma brincadeirinha, em especial com o da mesma idade, pelo fato de ficarem pelados juntos no banho. Mas em geral as mães estavam por perto, e nada era muito intenso. Se apalpavam quando dava, e ele gostava de mexer na bunda e na buceta dela. Ela pegava no tiquinho dele e nada mais que isso rolava. Já há alguns anos, por ter crescido, não aconteciam mais os banhos juntos. Num ano, lá ela conheceu um menino que estava veraneando na casa ao lado, de uns dois anos mais que ela, e começaram um namorico de praia. Com ele trocou o primeiro beijo verdadeiro. Ficavam de beijinhos pelos cantos, escondidos. Um dia foram ao cinema (as mães não sabiam do namoro, mas de certo desconfiavam...) e os priminhos juntos. No cinema ele colocou a mão em sua coxa e ela disse que sentiu um “choque elétrico” como nunca sentira... deixou ele a vontade, pois gostou do toque. Ele foi levando a mão adiante, e como ela estava de shortinho, ia até em cima da coxa. Quando tocava na parte interior da coxa, ela delirava e sentiu pela primeira vez de fato a bucetinha melar. Foram para casa, depois, e foram ver dvd na casa dele... os priminhos pentelhos junto. Mas lá ela conseguiu um espaço sozinha, e trocaram beijos quentes, de língua “procurante” e ele apalpou seu corpo, passando a mão na bundinha e nos peitinhos, mas por cima da roupa. Ela sentiu seu pinto duro se esfregando nela e ajudou, também se esfregando nele e até apalpando de leve. Nesse dia foi isso, mas no dia seguinte a sorte foi melhor. As mães foram ao super, e o menorzinho foi junto. Foram na casa do vizinho ela e o primo maior, jogar. O priminho se entreteve com os joguinhos no quarto, e eles foram para a sala. Lá pela primeira vez, sentiiu uma boca quente de homem em seus seios, já fora da blusinha e devidamente manipulados. Ela disse que a sensação dele tirando seu top e liberando seus peitinhos nascentes, deu um frio na espinha. Ela sentiu uma tesão danada e não resistiu a tentação de pegar de fato no pinto dele, que logo estava para fora do calção. Era muito maior que o dos primos (embora já não os visse há uns dois anos) e muito quente e duro. Ela começou a punhetá-lo e ele buscou sua bucetinha por dentro do short. Nás já brincávamos há algum tempo com nossos grelinhos, mas não sei se nossos “orgasmos” eram verdadeiros. Segundo ela, entrou em transe. Sentiu seu primeiro intenso orgasmo, enquanto beijava loucamente o menino, e sentia a porra dele melar toda sua mão, o piso onde estavam sentados e parte de sua roupa... Se recompuseram por causa do primo no quarto, mas continuaram nos beijos, e logo o pinto estava duro e querendo mais. Ela o masturbou mais uma vez, e ele melou mais uma vez sua mão, sá que agora ela o xupou também, embora não deixasse ele gozar em sua boca (deve estar arrependida rsrsrsr). Depois disso pararam. Mas não paravam de pensar em como levar adiante... Nos dois dias seguintes, estavam sempre procurando espaço para os amassos, mas não conseguiam espaço para os orgasmos, pois sempre tinha gente por perto. Até que no terceiro dia a sorte sorriu... o priminho menor envolvido com brincadeiras com amiguinhos da outra casa, o maior gripado, e eles conseguiram autorização para irem à praia juntos. Praia, lugar público, e as mamães, mesmo já percebendo o namoro, não acharam nada de mal. Sá que o menino estava sozinho em casa e eles disfarçaram e foram para a casa dele, sem ninguém perceber. Pularam a janela do quarto dele, já estratégicamente deixada aberta. Lá pela primeira vez se “sentiram” totalmente. Foram se beijando, se acariciando, e tiraram a roupa totalmente. A sensação, segundo ela era extremamente excitante, sua buceta ficou totalmente melada. Sentia cada partezinha de seu corpo ser acariciada e beijada. Ele deu atenção especial aos peitinhos nascentes e logicamente à bucetinha e bundinha. Ele a xupou e fez gozar e ela aí retribuiu o gesto, e permitiu que ele gozasse em sua boca, tendo adorado a sensação. Depois, continuaram nas carícias e ela queria mais, queria sentir seu pau no corpo, mas não queria na bucetinha por não se sentir preparada e nem terem camisinha. Ele lambuzou bem seu cuzinho com cuspe, mas o pau não entrava, doía muito. Ela tava de quatro, ajoelhada na cama, e não entrava, doía muito. Ficaram assim algum tempo, quando ele foi no quarto da mãe buscar algo cremosos e voltou com um gel ... passou no cuzinho e ela babou bem seu pau. Deitou de ladinho, e ele foi enfiando devagarzinho. Doeu, mas bem menos e entrou todo. Ele começou a bombar, assim que ela se acostumou com o pau, e a mexer em seu grelinho. Ela sentiu um imenso orgasmo, enquanto ele enchia seu cuzinho de porra. Ficaram lá se acariciando, enquanto ela sentia a porra escorrer do cuzinho ardido. Logo, a tesão estava em alta. Ele endureceu de novo e quis mais uma vez. Na loucura, ele queria botar na bucetinha, mas ela o conteve, e levou no cu de novo, agora já mais fácil, por estar laceado e melhor lubrificado. Quando se arrumaram e voltaram para casa “vindos da praia” (se molharam no chuveiro...) ela queria descansar e botar a bunda na água morna. Mas estava realizada... Ele ainda ficou mais três dias na praia, e nos dois seguintes repetiram a mesma estratégia de ir a praia e pular a janela... Ela quase deixou ele comer sua bucetinha, pois ele arrumou camisinha, mas resistiu. Bucetinha era sá para xupar e dedilhar ...Ele conseguiu também um gel íntimo práprio, o que tornou cada vez mais prazeroso para ela dar o cu. Já nem via necessidade de dar a bucetinha... o prazer pelo cu era intenso. No último dia, como ele iria embora e não sabiam se se veriam de novo, pois eram de cidades distantes, ele comeu seu cuzinho três vezes. Comeu de quatro, de frango assado.... ficava tempos brincando botando e tirando, antes de gozar. Ela já adorava a idéia de dar o cu, sentia um forte orgasmo bulinando o grelinho enquanto ele a fudia e imaginava como seria sem ele. Mas o dia chegou e ele foi embora. Ela iria ficar mais dez dias na praia... no terceiro dia em que ele fora embora ela estava com uma bruta saudade de dar o cu e sentir orgasmo. No banho, se masturbou e enfiou um tubo no cuzinho. Já estava viciada em dar o cu... Na noite do dia seguinte, as mães saíram para ir ao cinema, e eles ficaram em casa. Jogaram, brincaram... e o menorzinho sentiu sono e foi dormir. Ela começou a inventar jogos eráticos com o primo de doze anos também. Jogavam cartas e ela inventou o jogo de perder peças de roupa. Ele adorou, e logo estava de cueca e ela de calcinha, com os peitinhos de fora. Percebeu que ele estava de pau duro e fez uma última aposta, na qual ele perdeu e teve de se pelar. Seu pau era menor que o do vizinho, mas tinha crescido, bem duro apontava meio tortinho para cima e estava começando a ter pelinhos. Ela em solidariedade, disse que ia tirar tudo também. E ele viu sua bucetinha, agora peludinha, que ele nunca vira, pois no seu tempo era lisinha. Ele ficou completamente transtornado e ela começou a brincar com ele, lembrando os tempos do chuveiro... Começou a pegar no pinto e ele a passar a mão na bunda e na bucetinha dela. Logo estavam se beijando na cama, e ela xupou o pau dele até ele gozar. Ela acha que foi seu primeiro gozo, mas não tem certeza. Ensinou ele a bater uma siririca nela, e gozou também. Mas logo o pau dele estava armado de novo e ela o induziu a comer seu cuzinho, o que ele mesmo inexperiente fez bem, até porque para ela foi muito fácil, devido a diferença de tamanho e a experiência que já tinha... Até o final do veraneio, se xuparam e ele comeu seu cuzinho todas as noites. Afinal, priminho tem que ter algumas regalias... Dormiam no mesmo quarto, e ficava fácil, depois que o menorzinho dormia. Ela estava adorando levar no cu... sentia uma tesão imensa com isso. Aprendeu a usar o lubrificante da buceta para lubrificar o cu, o pauzinho dele não era grosso... entrava sem doer, sá com prazer. Teve noite que ele não conseguia gozar uma segunda vez, mas ficava com o pau duro botando em sua bunda e ela se masturbava gozando duas, três vezes.

Quando ela voltou e me contou, estava no drama... como ficar sem levar no cu??? Tinha que arrumar um jeito...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


eu e meu irmao gordinho na casa de praia contos gaycontos de menina nova perdendo o cabacoaiiao taradoContos de casadas peidando na pica do vizinho e gostandoConto erotico e familha tio pega a sobrinha peladinhaContos eroticos de podolatria com fotos desejando chupar os pes de primas no sofacontos eroticos mae filhacontos eróticos para ler a sogracontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto negao cuidou do meninocontos eroticos, dei a buceta pro traficanteConto minha filha so anda de fio dental em casaconto erotico eu e os meu colegas comemos o cuzinho do guri a forçacunhado fagendo sexo com cunhadafudendo filha paralitica contosFiz troca troca com meu primo eu com 10 e meu primo mais velho contos erotiosnao tira papai deixa que eu vo gozarcontos eroticos mae filho filhadeixando um corno manso contosConto sogra magrelinha gosta de orgiacasa dos contos eróticos camila a namorada gostosa do cunhadof minha familia em grande orgia contos eroticostentando escapar mas ficou sem as pregas do cuconto herético gay ternocontos eróticos comi evangelicacontos incesto lavando a pepecagozando pelo cu contos eróticoscontos gay chupei o pau do borracheiroconto eróticos c afilhadacontos eróticos com senhor de idade com rapazcontos de incestos e orgias com minha mulher minha irma emcass nudistasrelato transei "por engano"papai enfia no meu cuzinhotroca troca no orfanato contos eróticos gayconto de encesto a supresa de mamaeconto erotico dando xoxota pro irmaoContos eróticos: menininha da a buceta pro camioneiro bem dotadoso os melhores contos de gay sendo aronbado varias vezes por pau bem grosso conto porno mulher adora novinho  Minha vontade era de explodir de tesão quando ela me perguntou isso. Mas me controlei e falei só que sim, que pensava muito nela!! Aí foi meio automático, a gente já estava bem próxima mesmo. Ela se aproximou, eu me aproximei. Não sei bem quem tomou a iniciativa, mas o nosso primeiro beijo rolou ali mesmo. Foi maravilhoso. A lí  conto erotico mostrei minha calcinha por dinheirocontos eroticos comendo a patroa no onibusscontos eróticos gay sendo putinha do meu primo bruno parte 2chulé da minha irman contos eroticoscontos eroticos de menina pobreperdi a virgindade na escola contos eróticoscontos eroticos de enteadasme fuderam gostoso na infanciaconto erotico esposa con muita dor n pau d molewueFoderam gente contos tennsconto minha mulher gosta quando levo ela nas festinhascontos minha tia anus dilatadotraficante comendo a travesti conto eroticotirando a calcinha no banheiro toda meladinha visgandofilme pornô minha prima gravata preta para mimcontos eroticos me comeram na frente da minha casaContos dormi na casa do amigooConto erotico irmao fingiu que nao sabia transar pra come a irmacontoerotico quase corri negrinho caralhudocentro inesperado levantando a mini-saia delaprimos q pegaram primas pela cinturacontos linguada homemSou menina bem safadinha casa dos contos eroticosGabi comendo a égua no ciocontoseroticosbrincadeirasContos eroticos seios machucadosconto erotico foda com a viuvinhaContos porno fui atacada porde calcinha na frente do meu pai contoscontos eroticos primeira vez de coroa rabuda de cornocontos eroticos incesto mae me violentouponogafico morena25 gotojanoite maravilhosa com a cunhada casada contosVer fantasias de homem no xvidioBrincadeira na piscina com meu irmao poran vedeoscontos de cú por medoPau do negao passivo contoscontos s eroticos a patroa de fio dental atolado no cu pequeno na frente aparecia toda a buceta eu de olho nela empregada submissacontos eróticos meu professor do jardim da infância comeu meu c*contos. senti o pau do meu pai na minha bundacontos eróticos encoxando minha amiga na sscolacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html sexo aos14 pornodoido