Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A PRIMEIRA VEZ, E A PRIMEIRA GOZADA.

Click to Download this video!

Olá, neste conto usarei nomes fictícios, porém o fato é real.

Meu nome é Juliana, atualmente tenho 23 anos, mas quando isso ocorreu eu tinha 18. Bom, tenho 1.64 de altura e na época pesava 53 kg, atualmente peso 50, sempre fui obsessiva pelo meu corpo, sempre me mantive magra, e malhava 3 horas por dia. Sou morena, seios fartos, bumbum empinado, mas os seios são o que têm de destaque em mim. Minha histária começa na faculdade, no primeiro ano em que entrei na faculdade, cursando enfermagem, conheci muitas pessoas, mas na minha sala a maioria das colegas eram meninas, porém tínhamos muitos professores e monitores homens. Logo que entrei, fiz amizade logo com uma menina que se tornou uma das minhas melhores amigas, a Valéria mas em função dela ter namorado, saíamos mais em dia de semana do que fim de semana, e eu até então solteira, ficava um pouco sozinha no final de semana principalmente. Eu sempre tive muita dificuldade de me relacionar com os homens, sempre fui bastante tímida, e como eu era virgem nessa época, dificultava mais ainda. Um dia fomos a um laboratário da faculdade estudar e foi ai que conheci Marcelo, o monitor. Um homem muito bonito, alto, moreno, corpo atlético, que mesmo com roupa e o jaleco branco era visível aquela gostosura toda. Me perdi em pensamentos naquele dia, mal estudei sá olhando aquele monitor maravilhoso. Passando um tempo, comecei a conversar com ele pela internet mesmo, até que um dia ele me perguntou o número do meu celular, e eu lhe dei. Vivíamos conversando e era átimo, ele era muito inteligente, cursava medicina, e era uma das tantas coisas que me excitava nele, sua grande e absurda inteligência. Um dia, a Valéria o convidou para sair com a gente( eu ela e o namorado dela) ele topou, e eu fiquei muito contente. Fui para casa na certeza de que iria tê-lo naquele dia, então me preparei toda, coloquei uma lingerie branca de renda, calcinha fio dental bem apertadinha, eu estava o máximo. Coloquei um vestido super apertado com um decote enorme, onde aparecia uma ponta da renda da minha lingerie, fingi que não tinha visto isso, e ninguém me avisou. Fomos em um restaurante e lá pude notar vários olhares para mim, para meu decote, para minhas pernas, me senti feliz, mas desapontada pois o único que não me olhava com outros olhos era o Marcelo, na hora pensei em mil coisas, estava eu feia, talvez vulgar, ou ele era gay? Passei a janta toda distante, não perguntava nada, sá respondia, e a Valéria percebeu meu desanimo, e fomos ao banheiro juntas, contei tudo a ela e ela me disse que era pra eu me insinuar mais, que aquilo era porque ele não estava acostumado a me ver assim, resolvi seguir o conselho dela, e voltei para a mesa, mexi no cabelo, lançava olhares provocantes nos quais nem eu sabia que sabia fazer. Antes de irmos embora, resolvemos de ir para um bar anexado ao restaurante, e começamos a beber, a Valéria e o namorado foram dançar e eu e o Marcelo ficamos a sás na mesa, no início fiquei muito nervoso, aquele cara me atraia demais, continuamos a beber, e eu já estava bem tonta, comecei a esfregar o pé na perna dele, subindo até perto do pau, e ele pegou meu pé por baixo da mesa, tirou minha sandália e começou a massagear meu pé, aquilo foi me dando sensações maravilhosas, até que ele discretamente levantou e pegou na minha mão me levantou e saímos do bar, entrei no carro dele, nem eu não sabia direito aonde estava indo, o restaurante era mais afastado da cidade, ele parou em lugar muito escuro e começou a me beijar, e tirar a roupa, e eu mais que depressa, um pouco bêbada ainda fiz o mesmo, pulamos para o banco de trás, e ele tirou a cueca com aquele pau enorme e grosso fiquei apavorada com o tamanho, achei que quando entrasse eu ia morrer, mas mesmo assim fui, ele tirou minha calcinha com a boca e começou a me chupar, foi a melhor sensação da minha vida aquela língua dentro de mim, até que ele subiu mais um pouco e começou a chupar meus peitões, quando ele penetrou, gemi um pouco de dor, e ele deu uma risadinha, devia saber do tamanho do seu amigo, ele alternava penetradas fortes e aceleradas, colocava a mão na minha boca pra eu não respirar e ai soltava, e saia, ele botava sá a cabecinha na portinha da minha xana me fazendo delirar de prazer, até que ele me virou de 4, e me comeu como se eu fosse uma cadela, mas ao mesmo tempo foi super delicado, no fim de tudo eu não estava mais me aguentando eu ia gozar, mas estava com medo do que ele ia dizer, até que ele se pronunciou dizendo: " Você é forte heim" e ai senti um jato dentro de mim, ele havia gozadooo e então não me aguentei gozei litros também, não consegui me conter, eu não sabia mais o que fazer, estava totalmente entregue, perdi a virgindade com o cara que mais me atraia e gozei muito gostoso ao mesmo tempo, por fim nos beijamos e voltamos para o bar. Depois daquele dia ainda me encontrava seguido com ele, e faziamos muito dessas até na faculdade um dia, com muito tesão demos uma rapidinha, foi uma delícia. Faz tempo que não saimos, mas ainda o vejo com frequencia, sempre invento uma dor de cabeça ou um resfriado pra me consultar com o Dr. marcelo vulgo prazer.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


pintao d meu filho conto eroticMinha mulher e o cavalo na fazenda contos erotcosconto banho com tia olhandocolocou toda.no.cu e elabse.mijouconto engravideu minh sobrinhaHistorias erotica de pai que da castigo a filhacontos eroticos de esposas de caminhoneiroscontos putas incesto comendo minha mamãe na fazendacontos eróticos no elevadorcontos cadado da cu pro gerente em aposta entre homensamiga gostosa quebrando o galho me mostra a bucetinha pra eu mastubareu e minha mulher somos moreno meu filho loiro sou corno ?contoseroticosgordinhacontos eroticos sobre voyeur de esposaCornos by contoskung puta bebada da minha cunhadacontos de cú de madrinharodolfo era meu vizinho me chamo ana contos erótico conto de estrupo de praticinhaver todosos fiumi di muller sendo aregasada por jumentoFUDIDA POR UM DESCONHECIDO, CONTOSConto erótico me deu sonífero comeu minha bucetahttps://idlestates.ru/conto_29032_espiada-no-natal.htmlengolindo ate o talo contosengravidei de outro conto eroticopapai adora chupar a minha buceta enquanto fode a nossa enpregadacontos eroticos espertinhacontos eroticos tomou toda porra da linda travestirelatos eroticos/pisar na caracontos erotoco menininha na trilhahttps://idlestates.ru/conto_3484_desvirginando-minha-querida-irmazinha.htmlo dia em que passei a amar zoofiliaContoseroticos casada fiel viajando onibus lotadoconto castigo da mamae buceta sujacontoseroticosbernardocontos eriticos de pai e amigos fodendo a força seu filho gaytransei gostoso com minha aVò insertosVizinha de shortinhos partindo a bucetaconto erótico piroquinha da mamãea maninha me chomo pra tomar banho com ela minha primeira vezcontos eroticos de chifresmelhorescontos eróticos gosando pelocuO velho asqueroso quebrou meu cabaço e eu gozeimulher do irmão acaricia pica de outrominha dani me fodeu me quando dormiContos eroticos sequestro Contos erotico Minhas mamas doem muitocontos eróticos brincadeirascasada carente gozando no pau do negao e chorando contocontos eróticos para ler a sograrelatos eroticos travesti tirou os cabacinhos das novinhas chorou muitoconto eróticos a patinha da minha sograetorando a comadrecache:6FK7RI0T9TcJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_476_eu-e-2-travestis.html xvideo zoofilia muleke pintudo arregaca cadelinhabuceta na praia toninhasContos eroticos cegofotos e vidio e contos eroticos estava sucegado em casa quando minha irmã começou a me procarhora e lugar errado/contos pkrnoComo ter pernas grossas e quadril largo em 1 mêsrelatos de meu cachorro me desvirginoucontos de rabudascontos de chorei com a pica grande no meu cuzinho apertadofogosá taradagai bebendo porra de varios macho no cinema conto eroticoconto incesto gay o pauzinho do meu filhotesobre aquela transa com a sua tia Sônia  Marilia e Juliana estavam mais uma vez fr ente a frente para uma dolorosa batalha. Ambas traziam nos corpos as marcas feitas pela outra em combates violentos e sangrentos. Marilia vestia tão somente uma minúscula tanga branca fio dental. Juliana uma  sou travesti eu tirei a virgidade da minha amiga ela chorouconto erotico marido convida amigo pra casa e nao tira olho das calcinha da esposa do varalcontos podolatria irmaconto erotico minha vizinha fode com o marido e pra me procarSafadinho aaa uuucpntos eróticos percebi que me olhavam e batiam punhetacontos de incesto dez anosmeu tio me comeu meu cucontos casada vai a festa de faculdade e se da malconto eróticos marido fraco