Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SUBMISSA E DEPRAVADA II

Click to Download this video!

Mas, havia um amante de Helga que era uma pedra em seu caminho. Ele era um ex-colega de faculdade de seu filho e tinha também dezoito anos. Apesar da pouca idade ele lhe infligia um comportamento sexual totalmente pervertido! Helga era obrigada a obedecê-lo em todas as suas taras que incluía até dela ter que trepar com outros homens indicado por ele para que tirasse alguma vantagem!

Por mais estranho que pareça, Helga adorava essas situações! Embora amasse verdadeiramente Bruno e o filho e não pudesse resistir aos dois amantes negros, nenhum deles lhe fazia tanta surpresa como o sem-vergonha do Rafer!

Helga sabia que este jovem canalha se apaixonara por ela e que ele esperava que ela se dedicasse sá a ele. Mas, o coração de Helga somente pertencia a Bruno e ao filho. Não importava com quantos homens ela trepasse, ela nunca amaria outro homem! Rafer percebeu isto e sabia que nada podia fazer para que Helga lhe desse o mesmo amor que ela dava pro filho. Assim, desde o momento que ele teve Helga na palma da mão, ele a tratava não como uma puta, mas como uma escrava sexual! E por mais que ele pensava que a estava maltratando, mas ele perdidamente se apaixonava!

De vez em quando ele lhe ordenava que viesse visitá-lo em Barra Mansa, onde estudava. Já dentro do carro dela, ele a obrigava a chupar sua torona ou de algum amigo ou professor, de quem precisasse um favor!

Quase sempre nessas visitas Helga era submetida à dupla penetração e tinha que engolir esperma de mais de um! Não teve uma vez que uma suruba não tivesse terminado com ela toda lambuzada de esperma e com o cusinho e a xaninha avermelhados e inchadinhos!

Helga nunca deixou Rafer perceber o quanto ela vibrava e gozava loucamente quando ele a amarrava das maneiras mais bizarras e a fodia de todas as maneiras, mas comumente a sodomizando!

Essas coisas aconteciam numa cabana que ele fizera Helga alugar, exclusivamente pra isso!

Ás vezes Rafer levava um convidado para também enrabá-la e ser chupado até que gozasse em sua boca!

Ele a amarrava com os dois antebraços para trás e as coxas dobradas amarradas junto às pernas. Helga ficava parecendo um “frango-assado”!

Em seguida a posicionava deitada de costas ou de bruços e antes de penetrá-la ele a chupava com voracidade, parando de vez em quando pra dizer o quanto a amava, o quanto adorava o seu sabor da xaninha e do cusinho!

A posição que Helga chegava ao êxtase sá de pensar era quando deitada de costas Rafer lhe invadia o anus e ela não podendo se mover, tinha que contrair e descontrair o músculo anal para dar vazão ao seu estado de super excitamento!

Helga gozava tanto que chegava a desmaiar! Numa dessas vezes quando ela voltou a si, estava pendurada à uma certa altura que Rafer facilmente lhe penetrava o cusinho, fazendo o vai e vem como se ela fosse um pendulo!

Quando a sessão acabava, Helga estava tão extenuada e dolorida que nem podia andar sozinha. Rafer a carregava para o automável ainda nua e a deixava no banco de trás. Durante o caminho, Helga se vestia o melhor que podia.

- Será que teu filhinho gostaria de fazer essas coisas contigo? – Rafer diz isso com escárnio.

- Olha... eu estou fazendo tudo o que voce me ordena...portanto, deixa meu filho fora disso.

Responde ela, fingindo indignação

- Cala a boca, piranha incestuosa! Quem chupa pau do práprio filho, não tem direito de reclamar de nada! Fico imaginando se ele não gostaria de te ver sendo enrabada por seu ex-colega de república!

- Não! Não faça isso, por favor! – E dramaticamente continua – Se voce fizer isso... eu me mato! Ouviu? Eu me mato! E voce não vai ter mais essa puta aqui pra fazer o que voce gosta!

- Que se foda! Se se matar, eu vendo teu corpo pros necráfilos que conheço!

- Oh não! Voce não faria isso! Seria canalhice demais!

- Faria sim, Helga! A não ser que voce se torne exclusivamente minha! Voce sabe que esta é a única maneira que eu mantenho minha sanidade! É colocando voce no mais baixo nível de humilhação!

- Pouco adianta, Rafer! Voce sá tem meu desprezo! É sá meu corpo que voce fere, pois meu coração e mente estão longe de voce!

- É. Eu sei... eu sei.

Uma vez no quarto do hotel, ao sair do banho, ela vê Rafer sentado displicentemente e cabisbaixo como qualquer jovem frustrado com o que não consegue o que quer. Helga sente uma estranha e perversa alegria em querer torturá-lo à seu modo.

Fingindo ignorar a presença dele, se despe da toalha e caminha por sua frente até a valise e apanha um creme hidratante. Ao fazer isto, se inclina exibindo toda exuberância da bunda que ele saciou-se em lhe comer cusinho horas atrás!

Em seguida, ela senta-se na beira da cama e começa a passar o creme nas coxas e seios. Depois, vira-se de ladinho e passa creme em cada polpa da bela bunda durante uns bons minutos. Sem olhar pra ele, Helga sabe que é observada e ouve sua respiração se tornar mais ofegante!

Chega o momento que ela se torce o máximo que pode e como se estivesse se limpando apás fazer cocô, passa creme ao redor do ardido e insaciável cusinho!

- Puta sem-vergonha! Depois de eu fazer tudo o que te fiz hoje à tarde...tu ainda ficas se contorcendo...se mostrando como uma puta se vendendo! Venha cá, safada!

Rafer já tirou o pauzão pra fora das calças e o exibe como uma espada de músculo reluzente!

A xaninha dela se baba e o cusinho se contrai e descontrai a visão daquela rolona! Mas, ela, com muito esforço, não move um músculo sequer da face, apenas levanta o olhar do que estava fazendo e o encara friamente.

- Vem cá, porra! Não quero repetir mais!

Helga começa a se levantar quando ele lhe ordena!

- De quatro! Vem caminhando até aqui de quatro, sua vadia!

E assim ela engatinha uns três metros até ficar entre as pernas de Rafer! Ele então a ergue um pouco, encaixando sua pirocona entre seus seios e lhe beija apaixonadamente!

Ela tenta resistir, mas retribui o beijo, enroscando a língua na dele e sorvendo sua saliva!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


parou na borracharia pra arrumar o pneu e levou pau gay fudendoincesto de filho e mae lua de mel no hotel conto eróticocontos de incestos e orgias com minha cunhada gravida minha irma nudistasconto porno puta suja de estradaZooxoxotaaposentado grisalho peludo comendo cuzinhocomigo véi da irmã da minha mulher contos eróticosfilhinhas safadinhas contosContos mae da minha namorada perguntou me punhetocontos gays cheirando paumarido q ser corno contos eróticosConto erotico forçado com animalmulher depravadaContos virei putinha quando vi o pau duro sou homenconto - ela acha que a bucetinha era so para mijarContos eroticos minha buceta mela muito minha calcinha quando me esito"estuprarem" contos eroticosdupla perfeita uma chupava meu pinto e a outra chupava meu cumelhorescontos eróticos gosando pelocuenrabado no campingconto: crente safada da ccb em swingconto erotico dei pro amigo do meu marido e ele nao sabeamanda boquete contosContos eroticos detalhes por detalhes e falas dos autores e personagens eu era uma menina de 18anos o cara do onibus me fudeuconto mulher e enteadacontos erótico comadre desmaiou contos minha tia anus dilatadoConto erotico meu pai me cobiçandoconto erotico casada gosta de se mostrarcontos eroticos mulheres casadas cometendo insestoContos Comendo A filha da amigafilme pornô minha prima gravata preta para mimconto tio trai com sobrinho travestifui toma banho na casa da tia eu confesodei pros amiguinhos do meu filho contos eróticoscontos eróticos no dia chuvoso pedreiro taradaocontos eroticos meu vizinho me flagrou dando o cu pro meu cachorrocontos eróticos minha esposa me confessou tudocontos eróticos eu como minha sobrinha na frente da minha esposacontos fiz titio gozarSexo no aterro do flamengoContos eróticos gay camisa socialcontos eróticos infânciacontos dando pra um sessentãocontos de sexo chupadasde menor dormino e o padrasto foi la e comeucontos gays sendo estrupados e isolados analcontos eroticos comendoa crente no trabalhocontos eroticos mamae comeu meu cuzinhoContos eróticos de incesto filhinha caçulinha dando em cima do paianiversario da minha cunhada contosvovô lubrifica o pau come o cú da netinhaconto de irma que viciou em dar o cuzinhocontos eróticos gay lambendo rabo peludo de machomeu irmao dotad me arrombou contoscontos com fotos flagrei meu marido com a viúva do vizinhocontos metendo na tiasó contos eróticos de negra pingueludaconto erotico mulher infiel e marido atentocontos eroticos fudi todas as minhas filhascontos eroticos eu ajudei meu amigocontos vi meus pais transadocontos de putas se chupando ate o orgasmofrutinha viadinho bunda grande e arrebitada dando o cunamorada deixou cara de pau duro contoscontos eróticos soco sacoconto historia com lesbicaMinha prima me falou que tem vontade de chupa no meu penisconto erotico tira a roupa revólvercontos eroticod minha esposa deeu para o vizinho pausudanovos contos eróticos de cunhadas malhandorecebe conto erotico de casais de mais de quarenta anos por emailminha vizinha poliana muito gostosa contoscontos papai socou tudo no cu da filha ela se cagoucontos eroticos com solteira no cinema pornoele arreganhava minha bucetaconto engravidei a cunhada rabudacontos de zoo trinamento de cao para casadascontos coroas fudendocom novinhocontos eroticos como aprendi a gostar de pau grandeasgostosas ticosler conto pornô de i****** ajudando minha filhaconto porno a virgem babicontos gay sentando no colo e gosou